4 coisas encorajadoras que aprendemos com a história de Rute e Noemi

As palavras “onde você for eu vou, e onde você ficar eu ficarei” são bem conhecidas como uma expressão de amor comprometido. Mas de onde vêm essas palavras? 

Elas foram ditas por uma mulher moabita chamada Rute para sua sogra Noemi. Podemos aprender muitas coisas com Rute e Noemi nos quatro capítulos curtos que contam sua história.

“Mas Rute disse: “Não me incite a deixá-lo ou a voltar de segui-lo. Pois onde você for eu irei, e onde você se hospedar eu me hospedarei. O teu povo será o meu povo, e o teu Deus o meu Deus. Onde você morrer, eu morrerei, e lá serei enterrado. Que o Senhor faça isso comigo e ainda mais se alguma coisa além da morte me separar de você.” (Rute 1:16-17)

A História Bíblica de Rute e Noemi

No tempo dos juízes, um homem chamado Elimeleque, sua esposa Noemi e seus dois filhos se mudaram para Moabe. Lá eles sofreram uma tragédia. Elimeleque e os dois filhos morreram, deixando Noemi com suas duas noras moabitas, Orfa e Rute. 

Então Noemi resolveu voltar para Judá, e as duas noras a seguiram a princípio, mas Orfa acabou voltando. Rute continuou com Noemi e as duas chegaram a Belém no momento em que a colheita da cevada estava começando.

No capítulo 2, Rute começou a colher espigas nos campos de Boaz, um parente de seu falecido sogro. 

A lei do Antigo Testamento previa os pobres instruindo os agricultores a permitir que os cantos de seus campos não fossem colhidos e permitir que qualquer pessoa que não tivesse comida suficiente pegasse o que precisava (Levítico 19:9-10). 

Boaz notou Rute e falou gentilmente com ela, certificando-se de que ela estava protegida e provida. 

Eventualmente, no capítulo 3, Noemi aconselhou Rute a ir à eira onde Boaz estava trabalhando uma noite e pedir-lhe para ser seu parente redentor (Deuteronômio 25:5). Era uma forma que a lei do Antigo Testamento previa para os necessitados. Instruindo, dessa forma, entre outras coisas, que alguém da família do marido de uma viúva deveria comprar a terra de seu marido, casar-se com ela e sustentá-la. 

No capítulo 4, Boaz resolveu algumas questões a respeito de um parente redentor mais próximo do que ele e então se casa com Rute. Logo após se casarem, tiveram um filho chamado Obede, que deu muita alegria a Noemi em sua velhice e que se tornou avô do rei Davi.

4 Lições de Rute e Noemi

A história de Rute e Noemi tem muitas coisas para nos ensinar. Embora o livro de Rute seja curto, está repleto de encorajamento e inspiração. Aqui estão algumas coisas que podemos aprender.

1. Podemos aprender sobre lealdade.

Até onde sabemos, Rute nunca havia saído de Moabe antes de decidir seguir sua sogra, Noemi, de volta a Judá. 

Podemos simpatizar com Orfa, que acabou voltando para seus próprios pais. Mas quando Noemi diz a Rute: “Eis que tua cunhada voltou para o seu povo e seus deuses; volta atrás de tua cunhada” (1:15), Rute se recusa. Surpreendentemente, ela diz: “Não me incite a deixá-lo ou a deixar de segui-lo; pois onde você for, eu irei, e onde você se hospedar, eu me hospedarei. O teu povo será o meu povo, e o teu Deus, o meu Deus. Onde você morrer, eu morrerei, e lá serei enterrado. Assim pode o Senhor fazer comigo, e pior, se alguma coisa além da morte separar você e eu” (Rt 1:16-17).

Depois de retornar a Judá, Rute e Noemi continuaram a mostrar amor leal uma pela outra. De fato, a palavra “hesed”, uma palavra que significa leal ou fiel benevolência, é um tema no livro de Rute. 

Rute e Naomi agiam como uma equipe. Rute colheu no campo de Boaz para conseguir comida suficiente para ambas, e Noemi aconselhou Rute a propor casamento a Boaz, dizendo: “Minha filha, não devo procurar segurança para ti, para que te vá bem?” (3:1). 

No final, Rute deu à luz a Obede, e Noemi cuidou dele com tanto amor que “as vizinhas lhe deram um nome, dizendo: “Um filho nasceu para Noemi!” E as mulheres também disseram a Noemi que Rute “é melhor para você do que sete filhos”.

2. Podemos aprender sobre o amor leal e a provisão de Deus.

Deus também é visto como uma fonte de “hesed” em todo o livro de Rute. Apesar das circunstâncias terríveis, vemos Sua provisão do que Rute e Noemi precisavam exatamente no momento certo. 

Quando Noemi descobre que Rute começou a respigar nos campos de Boaz, um parente de seu falecido marido, ela se regozija com o amor leal de Deus, dizendo que Sua “bondade não abandonou os vivos nem os mortos!”

Isso é consistente com o caráter de Deus que vemos em todo o Antigo e Novo Testamento, por exemplo, em Deuteronômio 7:9: seus mandamentos, por mil gerações”.

3. Podemos aprender sobre ousadia.

Confiar na provisão de Deus não impediu Rute e Noemi de agir com ousadia. Juntas, elas fizeram um plano que envolvia Rute propondo casamento a Boaz (Rute 3:1-18). E através disso, todos os personagens de sua história foram atraídos para um final feliz. 

Deus usou a sabedoria de Noemi e a coragem de Rute para levar adiante Seu plano para o bem delas, inclusive incluindo-as na linhagem do próprio Jesus. 

Dessa forma, a confiança em Deus leva à ação ousada, fortalecida pelo Seu amor.

4. Podemos aprender sobre redenção.

Aprendemos no livro de Rute que não há situação que não possa ser redimida para a glória de Deus e nosso bem. 

Embora Rute e Noemi tenham vivido circunstâncias trágicas, sua história também é cheia de redenção. 

Boaz cumpre com alegria sua responsabilidade de redimir Rute e Noemi como um parente redentor. Com isso, levou pessoas ao seu redor a dizer: “Bendito é o Senhor que hoje não te deixou sem um redentor” (Rute 4:14). 

E a redenção de Rute e Noemi por Boaz prenuncia a redenção que Jesus realiza em favor de Seu povo.

Por que a história de Rute e Noemi é importante?

Ele nos comprou de volta: 1 Pedro 1:18-19 diz que “vocês foram resgatados dos caminhos fúteis herdados de seus antepassados, não com coisas perecíveis, como prata ou ouro, mas com o precioso sangue de Cristo”. 

E Ele se casou conosco, tornando-se o exemplo máximo do que um marido deve ser: “Cristo amou a igreja e se entregou por ela, para santificá-la, purificando-a pela lavagem da água com a palavra, para que ele pudesse apresenta a si a igreja em esplendor, sem mancha, nem ruga, nem coisa semelhante, para que seja santa e sem defeito” (Efésios 5:25-27). 

Podemos aprender com a história de Rute e Noemi que não há circunstância tão obscura que a luz da presença e provisão de Deus não possa redimi-la.

Quando a vida deu voltas inesperadas para Rute e Naomi, elas lutaram. Elas se afligiram. Mas elas também permaneceram leais uma a outra. Além disso, perceberam o amor leal de Deus rompendo trevas e provendo nos momentos de necessidade.

Elas enfrentaram suas circunstâncias com ousadia e agiram com sabedoria e coragem. E elas experimentaram uma redenção que prenunciou a obra do próprio Jesus, tendo inclusive o privilégio de fazer parte de Sua linhagem no plano perfeito e redentor de Deus. 

Podemos ter grande encorajamento e inspiração da vida dessas mulheres. E podemos nos alegrar que o mesmo Deus que mostrou amor leal a elas também está mostrando Seu amor por nós neste exato momento. Ele vem com sua luz desfazendo as trevas, cheia de redenção poderosa.


Autora Jessica Udall, adaptado por Biblioteca do Pregador.

Botão Voltar ao topo