Qual é o verdadeiro significado de fornicação na Bíblia?

De tempos em tempos, há muitas coisas sobre as quais gostaríamos que a Bíblia falasse mais explicitamente do que fala. Por exemplo, com o batismo devemos imergir ou aspergir, as mulheres podem ser anciãs, de onde veio a esposa de Caim, todos os animais vão para o céu e assim por diante? 

Apesar de que algumas passagens ter interpretações mais duvidosas, existem inúmeras outras passagens em que a Bíblia não deixa nenhuma confusão. 

O que é fornicação e o que Deus pensa sobre isso, são questões nas quais não pode haver dúvida na Bíblia.

Qual é o significado bíblico e a definição de fornicação?

A definição de fornicação do dicionário moderno é a relação sexual voluntária entre pessoas não casadas entre si, o que inclui adultério.

No Antigo Testamento, a Lei mosaica proibia todo pecado sexual. No entanto, a palavra hebraica transcrita como “fornicação” no Antigo Testamento também tinha o significado de idolatria. 

A palavra “fornicação” se usava em associação com ídolos pagãos porque grande parte da “adoração” pagã envolvia sexo em seus rituais. 

Neste artigo vamos aprofundar o que a definição de fornicação inclui de acordo com a Bíblia.

Paulo não desperdiçou palavras quando disse: “Considerai os membros do vosso corpo terreno como mortos para a imoralidade, impureza, paixão, desejo maligno e ganância que equivale à idolatria” (Colossenses 3:5).

E o autor de Hebreus advertiu: “O casamento é para ser honrado entre todos e o leito conjugal deve ser imaculado: para os fornicadores e adúlteros Deus julgará” (Hebreus 13: 4). 

Essas palavras significam pouco em nossa cultura atual, onde os valores estão enraizados em normas culturais e mudam como um vento inconstante.

Mas para aqueles de nós que defendem a autoridade das Escrituras, há um padrão diferente de como discernir entre o que é aceitável e bom, e o que deve ser condenado e evitado. 

O apóstolo Paulo advertiu a igreja romana a “não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente” (Romanos 12:2). 

Paulo entendeu que o sistema do mundo, no qual vivemos, tem seus próprios valores constantemente buscando “conformar” tudo e todos à sua própria imagem. No entanto, isso parece ir contra Deus, que nos “predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho” (Rm 8:29). 

O que a Bíblia diz sobre fornicação?

A Bíblia não silencia sobre questões de ética sexual e não esconde sobre como é a pureza sexual. 

A igreja de Corinto tinha uma reputação, mas não aquela que você gostaria que sua igreja tivesse. Paulo escreveu e disse: “Dizem que há entre vós imoralidade, e imoralidade tal que nem mesmo entre os gentios existe (1 Coríntios 5:1). 

A palavra grega que é usada aqui, e mais de 20 vezes em todo o Novo Testamento, para imoralidade é a palavra πορνεία (porneia). A palavra pornografia deriva de porneia

Durante o quarto século, o texto grego da Bíblia foi traduzido para o latim em uma obra que chamamos de Vulgata. Na Vulgata, a palavra grega, porneia, foi traduzida para a palavra latina, fornicati, que é de onde vem a palavra fornicação. 

A palavra, fornicação, aparece na Bíblia King James, mas traduções modernas e mais precisas, como a NASB e a ESV, optam por traduzi-la para imoralidade. 

O que a fornicação inclui?

Muitos estudiosos da Bíblia ensinam que a fornicação é limitada à interação sexual antes do casamento. Mas não há nada na língua original ou de outra forma que sugira uma visão tão estreita. 

Provavelmente, os tradutores modernos escolheram traduzir porneia como imoralidade por causa de seu alcance e implicações mais amplos. 

A Bíblia não se esforça para categorizar pecados particulares sob o título de fornicação, e nós também não devemos.

Acredito que porneia se refere a toda e qualquer atividade sexual que ocorra fora do contexto do projeto de Deus para o casamento. E isso inclui pornografia, relações sexuais extraconjugais ou qualquer outra atividade sexual que não honre a Cristo. 

O Apóstolo advertiu os efésios que “nem entre vós se deve nomear imoralidade, ou qualquer impureza ou avareza, como convém aos santos; e não deve haver torpezas, nem conversa fiada, nem zombarias grosseiras, que não convêm, mas antes ações de graças” (Efésios 5:3-4). 

Este instantâneo fornece uma imagem para nós que amplia o significado para incluir até mesmo como falamos uns com os outros. 

Mas isso não pressupõe que toda atividade sexual dentro do casamento honre a Cristo. 

Pois, muitos abusos ocorrem dentro do casamento, e não há dúvida de que fica isento do julgamento de Deus simplesmente porque peca contra seu cônjuge. 

Que danos a fornicação pode fazer?

É muito preocupante que o Deus que ama o casamento e “odeie o divórcio” (Malaquias 2:16), de fato, fornece uma permissão para um casamento terminar em divórcio. 

Jesus diz que quem se divorcia por qualquer motivo “a não ser por causa de prostituição” (Mateus 5:32) comete adultério, e se uma pessoa se casa com alguém que se divorciou por qualquer outro motivo, a não ser por causa de prostituição, também comete adultério.

Você provavelmente já adivinhou, mas a palavra “prostituição” no grego é a mesma palavra que já identificamos como porneias

Estas são palavras fortes que vão contra a essência de nossas visões culturais de casamento e divórcio, mas são palavras de Deus. 

O pecado da imoralidade sexual (fornicação) tem o potencial de destruir o próprio relacionamento que Deus criou para refletir seu amor por sua noiva, a igreja. 

Paulo instruiu os maridos a “amar suas esposas como Cristo amou a igreja e se entregou por ela” (Efésios 5:25). 

Não me entenda mal, há muitas coisas que podem dar destruir um casamento, mas parece que os pecados sexuais são cruéis e destrutivos. E muitas vezes infligem feridas tão profundas e machucam e, finalmente, quebram a aliança de maneiras que raramente podem ser reparada. 

Para a igreja de Corinto, Paulo oferece esta advertência assustadora: “Vocês não sabem que seus corpos são membros de Cristo… ou não sabeis que aquele que se une a uma prostituta é um corpo com ela? Pois ele diz: Os dois se tornarão uma só carne” (1 Coríntios 6:15-16). 

Novamente, o pecado da imoralidade (fornicação) é muito mais amplo do que apenas a prostituição, mas o princípio que encontramos aqui pode ser aplicado a todas as áreas da imoralidade sexual. 

Meu corpo não é meu. Como seguidor de Cristo, tornei-me parte de seu próprio corpo (1 Coríntios 12:12-13). 

Quando peco sexualmente, é como se estivesse arrastando Cristo e seu próprio corpo para participar comigo desse pecado. 

A fornicação também parece tomar nossos afetos e pensamentos como reféns de uma maneira que algumas pessoas nunca quebram as correntes de sua escravidão. 

O escritor de Hebreus escreveu sobre o “pecado que tão facilmente nos envolve” (Hebreus 12:1). 

Isso parece ser exatamente o que Paulo tinha em mente quando escreveu aos crentes de Éfeso que eles “não andam mais como também os gentios andam na vaidade de suas mentes, obscurecidas em seu entendimento… tornando-se insensíveis, entregando-se à sensualidade para a prática de toda sorte de impureza” (Efésios 4:17-19). 

O pecado sexual invade nossas mentes e nos leva cativos de maneiras que muitas vezes não conseguimos discernir. E, quando percebemos, já é tarde demais. 

O pecado sexual pode ser um pecado muito particular, mas a semente plantada em segredo também produz frutos destrutivos, causando estragos publicamente. Afeta casamentos, igrejas, roubando dos crentes a alegria e a liberdade da intimidade com Cristo. 

Todo pecado sexual é uma intimidade falsificada projetada pelo pai da mentira para substituir nosso primeiro amor, Jesus Cristo. 

Como podemos vencer o pecado da fornicação?

Então, como lutar e vencer nesta área do pecado sexual? 

1. Reconheça que é a vontade de Deus que seu povo viva uma vida pura e santa e que ele condena a imoralidade sexual de todo tipo (Efésios 5; 1 Coríntios 5; 1 Tessalonicenses 4:3).

2. Confesse (concorde com Deus) seu pecado a Deus (1 João 1:9-10).

3. Confesse e confie em anciãos de confiança também (Tg 5:16).

4. Procure treinar sua mente, preenchendo-a com as Escrituras e pensamentos do próprio Deus (Colossenses 3:1-3, 16).

5. Perceba que somente Cristo, é aquele que pode nos libertar da escravidão da carne, do diabo e do mundo (Hebreus 12:2). 

Parece que para aquele que está lutando para sobreviver no campo de batalha, essas palavras podem parecer vazias e distantes dos horrores das lutas da vida real pela santidade. 

Minhas palavras não pretendem ser uma lista de verificação ou uma solução fácil. Eu simplesmente procurei oferecer a verdade de Deus em um mundo de mentiras. E minha oração é para que Deus nos livre das correntes que nos prendem para que possamos amá-lo mais. 


Autor Rick Kirby, adaptado por Biblioteca do Pregador.

Botão Voltar ao topo