6 maneiras de ver Jesus em Josué

O livro de Josué, com seu relato épico da conquista quase perfeita de Canaã por Israel, é o favorito de muitos. 

Relatos de milagres sobrenaturais tornam o livro poderoso e memorável: os milagres da travessia do rio Jordão, a queda das muralhas de Jericó e a parada do sol e da lua no céu. 

Josué é um exemplo grande e piedoso (embora imperfeito) de como viver uma vida de fé em obediência ao Senhor.

Incorporados nas narrativas históricas estão alguns aspectos da experiência de Josué que apontam para a pessoa e obra de Jesus, o Josué por excelência. Aqui estão seis.

6 maneiras de ver Jesus em Josué

1. Líder que segue a Lei do Senhor

Ao longo do livro, Deus diz a Josué para se dedicar à lei do Senhor, não se afastando dela para a direita ou para a esquerda, meditando nela e praticando seus preceitos (Josué 1: 6–8). 

Ele tem a promessa de sucesso militar se obedecer à lei do Senhor.

De uma maneira ainda maior, Jesus guardou perfeitamente a lei, se deleitando em viver a lei do Senhor. 

Era seu pão, sua comida, seu próprio propósito e missão. 

Se Josué conduziu bem seguindo o Senhor e sua palavra, quanto mais fez Jesus, que obedeceu perfeitamente à vontade de seu Pai?

2. Libertador que salva pecadores

Teria sido natural para Josué esquecer ou negligenciar a promessa de proteção feita a Raabe durante a batalha por Jericó. 

Mas Josué cumpre essa promessa ao fazer com que os espias salvos por Raabe se tornem seus salvadores (Josué 6: 22-23). 

Seu trabalho promíscuo não impede que Josué “salve com vida” Raabe, a família de seu pai e todos os que pertencem a ela (Josué 6:25).

Após a destruição de Jericó e Ai, o astuto povo de Gibeão que havia enganado Israel, clama a Josué por libertação (Josué 10: 6). 

Os israelitas forma enganados por seus vizinhos pouco tempo antes, e muitos em Israel queriam executar os gibeonitas por sua duplicidade (Josué 9: 18–21).

Apesar disso, Josué permanece fiel à sua palavra e os livra da coalizão de reis no sul de Canaã. Tanto Raabe quanto os gibeonitas não mereciam a misericórdia de Deus, mas ambos foram libertados por Josué.

Jesus também oferece salvação aos que não merecem. 

Paulo escreveu em Romanos 5: 6-8 sobre a misericórdia de Cristo para conosco:

“6 Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. 7 Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. 8 Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.”

Pois alguém dificilmente morrerá por uma pessoa justa, embora talvez por uma pessoa boa alguém ouse até morrer, mas Deus mostra seu amor por nós porque, enquanto ainda éramos pecadores, Cristo morreu por nós.

Como Josué, Jesus traz a salvação para aqueles cujas vidas e ações não ganharam nem mereceram tal libertação.

3. Guerreiro que vence seus inimigos

Josué é frequentemente lembrado como um guerreiro, um conquistador que destruiu os exércitos cananeus. 

Na batalha de Ai, ele é creditado por queimar a cidade e executar seu rei (Josué 8: 28-29). 

Ele executou os reis da coalizão cananeu do sul (Josué 10:26) e fez com que a cidade de Hazor queimasse no norte (Josué 11:11). 

A promessa de Deus a Josué de que ninguém ficaria contra ele todos os dias de sua vida (Josué 1: 5) foi comprovada durante a conquista.

Jesus, às vezes também é apresentado como um guerreiro conquistador no Novo Testamento, especialmente no que diz respeito à esfera espiritual:

“A razão pela qual o Filho de Deus apareceu foi para destruir as obras do diabo” (1 João 3: 8). 

Na cruz, Deus Pai “desarmou os governantes e autoridades” do mundo angelical “e os expôs à vergonha, triunfando sobre eles nele ” (Colossenses 2:15). 

Jesus venceu a morte com a sua morte e ressurreição para que possamos dizer, com o apóstolo Paulo: “Ó morte, onde está a tua vitória? Ó morte, onde está o seu aguilhão? ” (1 Coríntios 15:55).

E assim como Josué colocou o pé no pescoço de seus inimigos (Josué 10:24), no futuro Cristo irá, em sua vinda, colocar todo governo e autoridade sob seus pés (1 Coríntios 15:25).

4. Profeta que Fala as Palavras do Senhor

Josué atua como profeta para Israel em vários pontos das narrativas da conquista. 

Ele fala ao povo em nome de Deus, comunicando a revelação divina à nação (Josué 3: 7-8, 9-13). 

Ele promete uma maldição pela palavra do Senhor sobre aquele que reconstruiria a cidade de Jericó (Josué 6:26), decretada séculos mais tarde sobre Hiel de Betel (1 Reis 16:34). 

Mais dramaticamente, Josué ordena que o sol e a lua parem no céu enquanto os israelitas perseguem seus inimigos (Josué 10: 12-14).

Jesus atua como profeta para Israel de maneiras surpreendentemente semelhantes. 

Ele fala à nação em nome de Deus, mas também como Deus e, portanto, como aquele que revela perfeitamente o verdadeiro caráter e natureza de Deus (João 1:18). 

O ministério de Jesus está repleto de profecias preditivas (João 2:19; Mateus 20: 18–19; 24: 2). 

O acalmar do mar e ressuscitar dos mortos coloca firmemente Jesus dentro da tradição dos profetas de Israel, da qual Josué foi um protótipo. 

5. Vencedor que compartilha a herança com seu povo

A divisão da terra de Canaã por Josué como herança para Israel pode parecer algo sem importância das narrativas de conquista. 

No entanto, para os antigos israelitas, esse era uma realização que buscavam desde antes de sua escravidão no Egito. 

Pela primeira vez em mais de 400 anos, o povo de Israel estava voltando para a terra que Deus havia prometido a eles como uma possessão eterna (Gênesis 15:18; 17: 8). 

E depois que Josué deu ao povo vitória sobre seus inimigos, ele ficou ao lado de Eleazar, o sacerdote, enquanto o Senhor revelava quais cidades e regiões cananéias seriam dadas às diferentes tribos. 

A herança prometida de Israel agora havia sido cumprida (Josué 21: 43-45).

Jesus, depois de vencer a morte, traz seu povo a uma grande herança. Algumas estão disponíveis para os crentes. 

Temos o perdão dos pecados, a reconciliação com Deus Pai, a imputação da justiça de Cristo a nós e a habitação do Espírito Santo

Fomos adotados como filhos de Deus, tornando-nos herdeiros das promessas da aliança a Israel (Gálatas 3:29).

Há também um aspecto escatológico em nossa herança que será totalmente revelado quando Cristo retornar e os mortos ressuscitarem. 

Assim como Josué dá descanso a seu povo na terra da promessa, Cristo nos promete um lar eterno com ele em uma nova criação gloriosa (João 14: 1-2; Apocalipse 21-22).

6. Servo que Realiza Fielmente a Vontade do Senhor

Uma questão chave no livro de Josué é se o sucessor de Moisés viveria de acordo com sua reputação e legado. 

Embora Josué tenha seus momentos de fracasso, a análise final de sua vida demonstra que ele viveu para a glória de Deus: “Depois disso morreu Josué, filho de Num, servo do Senhor” (Josué 24:29).

A epígrafe de Josué não relata nenhuma de suas vitórias ou sucessos; destaca seu serviço fiel ao Senhor. 

Nisto temos uma imagem poderosa de Jesus, que disse de si mesmo que veio como um servo para dar sua vida em resgate por muitos (Marcos 10:45). 

Jesus é o último servo do Senhor que guarda perfeitamente a lei e vive perfeitamente para a glória de seu pai (Marcos 10:45). 

biblioteca do pregado-curso qualidade biblica-banner

Botão Voltar ao topo