A homossexualidade é um pecado?

Existem certas questões na igreja que se tornaram pontos de grande dissensão e divisão entre as próprias pessoas que deveriam ser um modelo de unidade para um mundo.

Algumas dessas questões são raça, política, aborto, papel da mulher no ministério e todo e qualquer assunto relacionado à homossexualidade. 

Nenhuma dessas questões é necessariamente nova, mas nossa cultura mudou. Muitas coisas que não teriam dividido a igreja há 50 anos, agora entraram em erupção como um vulcão inativo de repente ganhando vida.

Como Deus vê os atos e atitudes da homossexualidade está sendo questionado com maior regularidade e intensidade mais profunda na cultura de hoje.

Meu objetivo neste artigo é simples e singular. Desejo apontar claramente para a própria palavra de Deus para identificar e articular o que Deus já deu a conhecer a respeito da homossexualidade.

Seria de esperar que cada amante de Cristo e das Escrituras desejasse descobrir: “O que Deus diz?” Este, no entanto, não parece ser o objetivo principal de muitos que abordam a questão.

Se não tomarmos cuidado, todos podemos cair na armadilha de usar o nome de Deus em nossos debates na tentativa de obter sua aprovação para nossas ações, em vez de um compromisso radical de conhecê-lo e ser transformado por sua verdade .

A verdade de Deus é relativa ao que queremos?

Você vai para a palavra de Deus na esperança de que ela aprove e licencie para continuar no curso atual? Ou você está preparado para mudar sua atitude, ações e relacionamentos se a palavra de Deus desaprovar suas escolhas?

Antes de mais nada, esta pergunta se aplica a todos nós, não importa qual seja nosso status relacional ou escolhas de vida. Acredito que todos nós responderemos “sim” a esta última pergunta.

Eu desafiaria qualquer um que tenha encontrado este artigo, por causa de sua sincera necessidade de conhecer os pensamentos de Deus, a refletir em oração.

As perspectivas culturais em relação aos estilos de vida homossexuais mudaram claramente na última década entre os evangélicos. E a tendência não mostra sinais de reversão. 

A aceitação da homossexualidade e o casamento entre pessoas do mesmo sexo tem aumentado, segundo uma pesquisa do Pew Research Center.

À luz das vastas diferenças de pontos de vista sobre o comportamento homossexual, eu simplesmente quero apresentar duas perguntas que eu oro para que cada leitor aborde com honestidade.

1. Nossos desejos devem prevalecer sobre a intenção de Deus?

A primeira pergunta é simplesmente: “Deus projetou o mundo e tudo nele para funcionar como Ele pretende?”

Outra maneira de fazer essa pergunta é: “Deus está satisfeito em permitir que cada pessoa decida e discirna qual função é melhor em qualquer circunstância ou época? 

E se sim, a verdade de Deus é relativa ao indivíduo e seus próprios desejos?”

Para responder a essa pergunta crítica, aponto para Isaías 28:23-29, no qual o profeta faz uma série de perguntas incomuns relacionadas à nossa pergunta. Isaías pergunta:

“O lavrador lavra continuamente para plantar a semente? Ele continuamente gira e grada o chão? Ele não nivela sua superfície e semeia endro e espalha cominho e planta em fileiras?”

Estou claramente ciente de que essas questões agrícolas não têm absolutamente nada a ver diretamente com a homossexualidade. No entanto, há um princípio crítico em ação aqui que tem tudo a ver com nossa discussão.

O profeta está pedindo ao leitor que considere por que um agricultor faz o que faz e como ele sabe cultivar da maneira que faz? E então o profeta faz esta observação surpreendente: “Pois o seu Deus o instrui e ensina corretamente” (Is 28:26).

As regras e princípios de plantio e colheita são estabelecidos pelo Criador, não pelo agricultor. É necessário que o Criador “instrua e ensine adequadamente” para que o agricultor cumpra seu papel no projeto do Criador.

O Criador Soberano e transcendente se preocupa em instruir o lavrador sobre como ele deve plantar, cultivar e colher sua colheita. 

Quem melhor do que o Mestre Jardineiro do Éden para instruir os agricultores sobre como fazer seu trabalho? 

Se Deus se inclina para treinar agricultores no caminho de Seu desígnio, não devemos pensar que o mesmo Deus também estabeleceu as esferas mais importantes de Sua criação de acordo com um desígnio mestre?

É inegável que quando a Bíblia diz: “Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou” (Gn 1:27), que os termos macho e fêmea descrevem distinções em sua constituição e papel.

Homens e mulheres são diferentes, e seus papéis não são os mesmos, embora não haja distinção no grau em que Deus os valoriza. 

O tempo e o espaço não nos permitem explorar em detalhes essas funções únicas, mas podem ser claramente identificadas em Gênesis 2.

À medida que Adão e sua esposa cumprissem fielmente seu papel dado por Deus em harmonia e unidade, eles “se tornariam uma só carne” (Gênesis 2:24) e serviriam ao propósito do Projetista para suas vidas.

Vale a pena notar que nunca se fala uma palavra sobre o amor de Adão e Eva um pelo outro. Não estou negando que existia amor entre os dois, mas estou sugerindo que o amor um pelo outro não era o que validava o relacionamento deles. Em vez disso, seu papel e função no desígnio de Deus eram a base de sua identidade, e assim deveria ser em todas as gerações.

2. Como Deus responde à alteração do homem em seu desígnio divino?

Tendo estabelecido que as distinções e papéis de gênero são uma característica do projeto do Criador para Seu mundo, a segunda pergunta que precisa ser feita é significativa:

“Qual é a resposta de Deus e como Ele vê a tentativa do homem de alterar o bom projeto de Deus especificamente no que se refere à homossexualidade?”

As advertências do apóstolo Paulo aos coríntios não são ambíguas. Ele diz: “Você não sabe que os injustos não herdarão o reino de Deus?” (1 Coríntios 6:9). 

O termo injusto refere-se àqueles que não estão em posição correta com Deus, conforme evidenciado por sua conduta, que é contrária à lei de Deus.

O Apóstolo não nos deixa imaginando quem são essas pessoas e que conduta justifica uma condenação tão dura. Ele continua:

Você não sabe que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não se iluda. Nem fornicadores, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem caluniadores, nem extorsores herdarão o reino de Deus . – 1 Coríntios 6:9-10

Um estilo de vida sem arrependimento, não sem pecado

Observe que a homossexualidade não é destacada, mas está incluída na lista daqueles que não participarão do reino de Deus. 

Também é importante reconhecer que Paulo está identificando pessoas cujas vidas são caracterizadas por esses estilos e escolhas particulares, em vez de condenar aqueles que lutaram ou foram vítimas de qualquer uma dessas atitudes pecaminosas em pontos específicos de suas vidas. 

Observe que Paulo continua reconhecendo a seus leitores: “Tais eram alguns de vocês” (1 Coríntios 6:11).

Alguns dos primeiros destinatários desta carta na igreja eram anteriormente conhecidos por Paulo e outros por viverem vidas caracterizadas por esses mesmos caminhos pecaminosos. Mas algo mudou porque eles não são o que costumavam ser. 

O que fez a diferença? A Bíblia explica:

Você foi lavado, você foi santificado, você foi justificado em nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus. – 1 Coríntios 6:11

Deus purifica e perdoa

Embora esta passagem e outras como 1 Timóteo 1:10 ensinem claramente que a homossexualidade é uma das muitas escolhas que são “contrárias ao ensino sadio”, a maior mensagem de todas é que há esperança para aqueles que estão presos ao pecado da homossexualidade e outros pecados sexuais.

Embora a Bíblia não deixe espaço para acreditar erroneamente que Deus tolera ou abençoa os relacionamentos homossexuais, a Bíblia também é tão clara que:

Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar e nos purificar de toda a nossa injustiça. – 1 João 1:9

Que todos os que lerem este artigo possam ver que todos nós necessitamos desesperadamente do perdão que vem somente por meio de Jesus Cristo e sua obra completa na cruz. 

Embora “nós também tenhamos sido desobedientes, enganados, escravizados a várias concupiscências e prazeres”, a “bondade de Deus apareceu”, e Cristo está disposto a nos salvar pelo mérito de sua justiça e misericórdia (Tt 3:3-5) .


Autor Rick Kirby, adaptado por Biblioteca do Pregador.

Botão Voltar ao topo