O espírito de Diótrefes – 3 João 1:9-10

Esboço de pregação biográfica e estudo em 3 João 1:9-10 com o tema: O espírito de Diótrefes.

Tema: O espírito de Diótrefes

Texto do sermão: 3 João 1:9-10 (NVI)

Escrevi à igreja, mas Diótrefes, que gosta muito de ser o mais importante entre eles, não nos recebe.

10 Portanto, se eu for, chamarei a atenção dele para o que está fazendo com suas palavras maldosas contra nós. Não satisfeito com isso, ele se recusa a receber os irmãos, impede os que desejam recebê-los e os expulsa da igreja.

INTRODUÇÃO

1. Ao examinarmos a Terceira Epístola de João, destacamos o admirável espírito presente em Gaio…

  • Ele era reconhecido pela sua sinceridade e fidelidade à verdade – 3 João 3
  • Gaio vivia de acordo com os preceitos da verdade – 3 João 3-4
  • Demonstrava amor e hospitalidade tanto aos irmãos na fé quanto aos desconhecidos – 3 João 5-6

2. No entanto, lamentavelmente, outro indivíduo mencionado nesta carta não seguia o exemplo de Gaio…

  • Seu nome era Diótrefes.
  • João sentiu-se compelido a expor as atitudes de Diótrefes e o que ele próprio deveria fazer em resposta – 3 João 9-10

3. Embora haja muitos hoje que compartilham do espírito de Gaio e enriquecem a comunidade da fé, não é incomum encontrar “O Espírito de Diótrefes”…

  • Este espírito prejudicial ainda está presente em algumas congregações.
  • Ele mina o amor e a unidade que deveriam caracterizar cada igreja do Senhor.

4. Portanto, para nos precavermos contra “O Espírito de Diótrefes”, nesta lição vamos…

  • Identificar claramente as características do espírito de Diótrefes.
  • Refletir sobre como essas atitudes se opõem aos princípios ensinados por nosso Senhor e Seus apóstolos.

Assim, começamos observando que “O Espírito de Diótrefes” se manifestou como um dos…

I. DESEJANDO PREEMINÊNCIA (3 João 1:9a)

A. NO CASO DE DIÓTREFES…

  1. João escreveu que ele “adora ter a preeminência”.
  2. A palavra grega para “preeminência” é “philoproteuo“, que significa gostar de ser o primeiro, ambicionar distinção, adorar ter a preeminência.
  3. O desejo de ser o primeiro, um pecado em si, levou Diótrefes a cometer outros pecados.
  4. Infelizmente, Diótrefes não reconheceu que o pecado tem o “eu” como sua raiz principal.

B. O ENSINO DAS ESCRITURAS…

  1. Quando a mãe de Tiago e João expressou o desejo de que seus filhos recebessem preeminência, Jesus ensinou o princípio da humildade e do serviço – Mt 20:20-28.
  2. Ele reiterou isso ao repreender os escribas e fariseus – Mt 23:6-12.
  3. Paulo instruiu que devemos dar honra preferencial uns aos outros – Romanos 12:10.
  4. Na verdade, o princípio fundamental do cristianismo é um humilde servidão exemplificado por Cristo – cf. Filipenses 2:2-8.
  5. Enquanto o pecado tem o “eu” como sua raiz, na cruz, o “eu” foi crucificado! (ou seja, negar o “eu” é um princípio central do cristianismo).

C. A REALIDADE HOJE

1. Vivemos em uma “geração do eu”, onde prevalece o espírito de Diótrefes.

2. Não deveria nos surpreender ouvir pessoas na igreja, influenciadas pelo mundo, dizendo coisas como:

  • “Mas eu quero…”
  • “Mas eu acho…”

3. No entanto, no reino de Deus, não há lugar para a mentalidade do “eu primeiro”; onde ela existe, pecados e conflitos certamente surgirão.

Vemos isso refletido no caso de “O espírito de Diótrefes”, que também foi um dos…

II. REJEITANDO A AUTORIDADE APOSTÓLICA (3 João 1:9b)

A. NO CASO DE DIOTREFES…

1. João simplesmente afirma: “[ele] não nos recebe”

2. Pode parecer surpreendente que alguém recuse aceitar e se submeter a…

  • O discípulo amado por Jesus!
  • Um apóstolo de nosso Senhor Jesus Cristo!

3. No entanto, devido ao seu desejo de ser o primeiro, não havia espaço no coração de Diótrefes para alguém com autoridade superior à dele.

B. O ENSINO DAS ESCRITURAS…

1. É crucial apreciar a cadeia adequada de autoridade no reino…

  • Como Criador, Deus possui toda a autoridade de forma inerente
  • O Pai delegou toda autoridade ao Seu Filho – Mt 28:18 ; Ef 1:20-22
  • Jesus, por sua vez, delegou autoridade aos Seus apóstolos – Jo 13:20

Ele enviou o Espírito Santo para ajudá-los e guiá-los em toda a verdade – Jo 14:26 ; 16:12-13

Dessa forma, eles podiam falar e escrever com a autoridade de Deus por trás deles – cf. 1Co 14:37 ; 1Ts 2:13

2. Por isso, vemos que a igreja primitiva “permanecia firme na doutrina dos apóstolos…” – At 2:42

C. A REALIDADE HOJE

1. O espírito de Diótrefes parece prevalecer nas igrejas que rejeitam…

  • A autoridade dos apóstolos em favor da autoridade de seus próprios concílios, sínodos ou conferências
  • Os ensinamentos claros dos apóstolos sobre questões como homossexualidade, mulheres pregadoras, etc.
  • O precedente apostólico (seja por ordem ou exemplo) para autorizar qualquer prática eclesial que lhes convenha

2. E o espírito de Diótrefes também domina nas vidas dos cristãos professos que rejeitam o chamado dos apóstolos para uma vida santa e santificada…

  • Para que possam escolher sua própria preferência sexual e estilo de vida
  • Para que possam colocar seus interesses pessoais acima do reino de Deus

Sim, em uma sociedade narcisista como a nossa, não é incomum encontrar o espírito de Diótrefes presente na vida de muitas pessoas.

Quando isso é encontrado na vida dos cristãos, as coisas podem rapidamente se complicar.

Como vemos em nosso texto, “O Espírito de Diótrefes” pode se manifestar nos cristãos por…

III. FALANDO MAL DOS IRMÃOS (3 João 1:10a)

A. O EXEMPLO DE DIÓTREFES…

1. João registra que Diótrefes era culpado de “proferir palavras maldosas contra nós”.

2. A palavra grega para “proferir” é “phluareo“…

Significa ser loquaz ou tagarela, Implicando em repreender ociosa ou maliciosamente.

3. A palavra “maldoso” é “poneros“, significando “prejudicial, maligno”.

4. Diótrefes mostrou pouca preocupação em como suas palavras malévolas e ofensivas afetaram seus irmãos.

B. A LIÇÃO DAS ESCRITURAS…

1. Prestaremos contas pelas palavras vazias que proferimos – Mt 12:36-37.

2. Somos instruídos a não falar mal uns dos outros – Tiago 4:11-12.

  • Fazer isso é falar mal da lei de Deus!
  • Fazer isso é assumir o papel de juízes.

3. Embora às vezes seja necessário “repreender” nossos irmãos (cf. 2 Timóteo 4:2)…

  • Temos as ferramentas adequadas (ou seja, as próprias Escrituras) – 2 Timóteo 3:16.
  • Somos ensinados sobre como abordar aqueles que estão em erro – 2 Timóteo 2:24-26; Gálatas 6:1.

C. A REALIDADE HOJE…

1. O espírito de Diótrefes não se manifesta quando os cristãos se envolvem em fofocas maliciosas?

2. O espírito de Diótrefes não prevalece quando os autoproclamados “guardiões da fé”, excessivamente zelosos, criticam seus irmãos com os quais discordam?

3. Na verdade, muitas vezes é o desejo de preeminência que leva os cristãos a rejeitar os ensinamentos apostólicos sobre as relações fraternas e se envolver em tagarelices maliciosas.

No entanto, o uso de palavras maldosas não é a única arma empregada por aqueles possuídos pelo espírito de Diótrefes.

Se, em seu amor pela preeminência, eles conseguiram ganhar posições de influência, não é incomum ver “O Espírito de Diótrefes manifestado em…

IV. ABUSANDO DA DISCIPLINA DA IGREJA (3 João 1:10b)

A. O EXEMPLO DE DIÓTREFES…

1. Além de proferir palavras maldosas, Diótrefes é caracterizado como alguém que…

  • “não recebe os irmãos”
  • “impede os que querem recebê-los, expulsando-os da igreja”

2. Dessa forma, ele abusava da disciplina da igreja de duas maneiras…

  • Recusando-se a confraternizar com aqueles dignos de comunhão
  • Utilizando isso como uma arma para manipular os outros a fazerem o que ele queria

B. O ENSINO DAS ESCRITURAS…

1. Jesus ensinou que há momentos em que a disciplina na igreja é necessária – Mateus 18:15-17.

2. Paulo descreveu esses momentos em duas ocasiões e deu instruções para sua realização.

  • Quando um homem estava em união com a esposa de seu pai – 1 Coríntios 5:1-13.
  • Quando os cristãos se recusaram a trabalhar – 2 Tessalonicenses 3:6-15.

3. Portanto, há ocasiões em que devemos “afastar de nós essa pessoa perversa”.

4. No entanto, também existe a possibilidade de abuso desse método de disciplina eclesial, como no caso de Diótrefes.

C. A REALIDADE HOJE…

1. O fato de a disciplina eclesial ter sido abusada naquela época sugere que pode ser abusada hoje.

2. Isso não deve ser uma desculpa para nunca exercer a disciplina na igreja, mas deve ser feito com cuidado.

3. Apenas porque outra igreja agiu contra alguém não significa que agiu corretamente…

  • Pode ter sido provocado como parte de um jogo de poder por um “Diótrefes”.
  • Aqueles que estão sendo afastados podem ser inocentes… portanto, é necessário exercer discrição e conhecer os fatos antes de aceitar a ação disciplinar de outra igreja.

CONCLUSÃO

1. “O Espírito de Diótrefes” pode ser resumido como aquele que…

  1. Deseja preeminência
  2. Rejeita a autoridade apostólica
  3. Fala mal dos irmãos
  4. Abusa da disciplina da igreja

2. Não é necessário possuir todos esses quatro aspectos para ser culpado de pecado… Qualquer um deles é uma abominação diante de Deus! Qualquer um pode destruir os laços fraternos!

Que a descrição de João do “Espírito de Diótrefes” sirva como advertência para nós!

Usado de Executable Outlines com permissão. Se gostou, então confira mais temas de sermões.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!