O que Jó quis dizer com “Meu Redentor vive”?

Muitos que não leram o versículo “meu redentor vive” (Jó 19:25) o conhecerão pelo hino de 1933 “Ele vive” de Alfred H. Ackley. Este versículo é edificante, mas não vem do que consideraríamos uma situação edificante.

O que levou Jó a dizer essas palavras?

Enquanto Jó era próspero, os dois primeiros capítulos do livro descrevem como ele e sua esposa se tornam miseráveis ​​à medida que as provações vieram. 

Acidentes, tempestades e doenças destruíram a maior parte de sua confortável vida familiar. No início de suas provações, Jó diz a sua esposa: “Nu saí do ventre de minha mãe, e nu tornarei para lá; o Senhor deu, e o Senhor tirou; bendito seja o nome do Senhor” (Jó 1:21).

A princípio, Jó e sua esposa imaginavam que seus problemas vinham de Deus ou aconteceram porque Deus os negligenciou. 

Além disso, no momento de provação, sua esposa lhe diz para “amaldiçoar a Deus e morrer”, palavras fortes de uma esposa crente de muitos anos. Jó responde: “Devemos aceitar o bem de Deus e não aceitar a adversidade?” (Jó 2:9-10). 

Jó não blasfema de Deus quando sua vida se torna sombria, como o diabo esperava que ele fizesse (Jó 1:9). Em vez disso, quando a paciência de Jó se esgota, ele busca diligentemente a Deus (13:3). 

Depois de um tempo, Deus responde ao pedido de Jó para explicar as coisas ruins que acontecem em sua vida.

O que os três amigos de Jó disseram quando ele estava sofrendo?

Primeiramente, antes de Deus responder a Jó, três amigos conselheiros preocupados sentam-se com ele em silêncio por sete dias. 

Então Jó começa uma longa conversa. Cada amigo dá um sermão a Jó sobre o que deu errado na vida de dele e por quê. Suas conversas são destinadas a explicar a Jó por que ele caiu em ruínas.

Primeiro, Zofar, o naamatita, sugere que Jó não é tão justo quanto imagina: 

Você diz a Deus: Minhas crenças são perfeitas
     e eu sou puro aos seus olhos.

 Oh, como eu gostaria que Deus falasse,
     que ele abrisse seus lábios contra você
 e revelasse a você os segredos da sabedoria”. 
(Jó 11:4-6)

Zofar sugere que Jó tem pecados escondidos que Deus conhece, assim como Ele conhece a natureza corrupta de toda a humanidade (Jó 11:11). Zofar afirma que Jó estaria bem com Deus, todas as provações terrenas de Jó terminariam (Jó 11:15) .

Elifaz, o temanita, também acredita que Jó tem pecados escondidos. Em Jó 15:7, Elifaz pergunta: “Considera agora: Quem, sendo inocente, pereceu? Onde os justos foram destruídos?” 

Essa “sabedoria” de Elifaz contém a ideia de que Deus sempre usa o sofrimento para punir o mau comportamento. 

Portanto, Jó deve ter sido mau quando teve sucesso, e Deus acabou com o sucesso de Jó. 

Além disso, Elifaz também acredita que todos os mortais são vis e corruptos aos olhos de Deus (Jó 15:16).

Bildade, o shuita, concorda com esses dois conselheiros. Bildade confessa que Deus pune o mal (Jó 18:5-6), que os pecadores estão condenados. Com piedade, Bildade afirma: “Certamente tal é a habitação de um homem mau” (Jó 18:21). 

Como Jó responde a seus três amigos?

Jó lhes pergunta: “Até quando vocês vão me esmagar com palavras?” (Jó 19:1). Ele já ouviu o suficiente de seus feitos sobre a fraqueza humana. 

Jó é sábio ao pensar que os conselheiros têm uma falsa compreensão do relacionamento de Deus conosco. 

Eles não entendem por que Deus permitiu ou causou os problemas de Jó. Jó insiste diante dos conselheiros e de Deus que ele é um homem bom, punido injustamente (Jó 12:4).

Jó se considerava um homem bom porque vivia em retidão e honrava a Deus com ofertas de gratidão. E até oferecia sacrifícios por seus filhos e famílias, caso se esquecessem de agradecer. 

Por um tempo, a bondade de Jó foi recompensada com ricas bênçãos materiais. Muitos animais, um bom lar e família. 

Então sua situação de vida muda completamente. Mas, o que aconteceu para causar isso? 

Adicionando insulto à injúria, Jó também sente que Deus o negligenciou e não ouviu seus pedidos de ajuda (Jó 19). 

Depois que esses amigos conselheiros começam seus argumentos equivocados sobre tudo que havia de errado, Jó implora a Deus para ouvi-lo em uma conversa individual (Jó 13:3-5).

Como Deus responde a Jó?

Deus responde com um poema à sua majestosa criação. O Senhor diz que neve, chuva e nuvens são orquestradas por Ele, assim como todos os mundos naturais. 

Minha parte favorita desta seção é quando as pessoas e seus problemas são comparados a beemote, uma enorme fera com cascos. A poderosa espada de Deus pode derrubá-la. Ele nos lembra em Jó 40:15-19

Em contraste com o astuto beemote, há um leviatã no mar, além do controle humano. O leviatã ou monstro marinho é grande e poderoso, complexo demais para os humanos capturarem. 

O leviatã é semelhante, mas ainda abaixo de Deus. Esta criatura marinha é muito mais poderosa que as pessoas e seus problemas.

O Senhor então faz uma declaração final para colocar Jó e seus problemas em seu devido lugar: “Onde você estava quando eu lancei os fundamentos da Terra?” (Jó 38:4). 

Como Jó responde à repreensão de Deus?

Quando Jó e sua esposa percebem quão majestoso é Deus e reina acima até mesmo dos seres humanos mais importantes, suas preocupações acabam não tendo importância. Depois que Jó e sua esposa se humilham, Deus restaura sua família e fortuna (Jó 42:7-17). 

Quando Jó percebe que seu Redentor está realmente vivo? 

Em meio ao furacão de palavras dos três conselheiros e dos discursos tristes, Jó declara: “Eu sei que meu Redentor vive (Jó 19:25). Jó tem um vislumbre de fé em meio aos desafios da vida:

Eu sei que meu Redentor vive
     e que, no final, ele permanecerá na terra.
 E depois que minha pele for destruída,
     ainda em minha carne verei a Deus;
 Eu mesmo o verei
     com meus próprios olhos – eu, e não outro.
     Como meu coração anseia dentro de mim! 
(Jó 19:25-27)

Como a fé de Jó o ajudou?

A fé de Jó em Deus foi um alicerce no momento difícil. Sua crescente fé foi a maior bênção que recebeu de Deus: Jó aprendeu a ver a si mesmo e também como Deus via sua situação. 

Jó viu que Deus criou um mundo glorioso, complicado e às vezes caótico no qual as pessoas podem florescer com a ajuda dEle. 

Ele se arrepende e sua vida muda: Ouvi falar de ti pelo ouvido, mas agora meus olhos te vêem”. (Jó 42:5-6).

A mesma lição é ensinada séculos depois, quando os discípulos de Jesus Lhe perguntam: “Onde está o reino de Deus?” e Jesus responde: “O reino de Deus está dentro de vós” (Lucas 17:20-21). 

Os discípulos de Jesus foram capazes de realizar Sua missão de forma independente porque eles estavam ligados ao reino de Deus. 

Nossas vidas são longas e cheias de problemas. Eles também estão cheios de beleza e maravilha. É sempre alguma coisa. 

Devemos ser gratos e louvar a Deus por qualquer que seja a nossa situação atual. Devemos nos apegar à nossa fé em Deus.

Ganhar sabedoria à medida que passamos pelos bons e maus momentos é um presente de um Deus muito ocupado e gracioso. 

Podemos ter certeza de que nosso Redentor vive, nos observa e nos ama além da medida. 

Uma Oração Para Confiar em Deus em Tempos Difíceis

Senhor, ajude-nos a sentir Sua presença agora. Sabemos que o Senhor é fiel e pedimos conforto em tempos difíceis. 

O tipo de conforto que somente o Seu Espírito Santo pode dar. Sabemos que há esperança e cura quando escolhemos nos apegar firmemente em Ti.

Perdoe-nos por nos distrairmos com as coisas deste mundo. Podemos ser afastados de Seus braços amorosos, mesmo sem perceber. Quando estivermos em perigo de nos afastarmos, ajude-nos a recorrer à Sua Palavra. 

Será nossa lâmpada constante e inabalável para guiar nosso caminho em tempos difíceis. Nós nos apegamos a Ti, Senhor, hoje e todos os dias.

Em nome de Jesus, amém.

Botão Voltar ao topo