Os 10 Mandamentos da Pregação

Os 10 Mandamentos da Pregação que todo Pregador precisa cumprir para fazer a vontade de Deus e ir bem no seu ministério de pregação.

Quando se trata de pregar e ensinar a Bíblia, todos nós podemos falhar, afinal de contas, somos humanos. 

Por exemplo, quem nunca citou uma referência ou leu alguma passagem errada das Escrituras? Ou, sem querer, quando estava pregando, trocou Paulo por Pedro? 

Todos estão sujeitos a cometerem erros, mas apesar disso, falaremos aqui de 10 erros que devemos dar o nosso melhor para evitá-los.

Os 10 Mandamentos da Pregação são:

10 mandamentos da pregação (1)

1. Não porás palavras na boca de Deus

Deus é capaz de dizer o que Ele quer e fazer qualquer um entender. 

Portanto, Ele não precisa de nossa ajuda para adicionar ou tirar algo de Sua Palavra. 

Não podemos afirmar que Deus disse algo que Ele não disse. 

É por isso que devemos lidar com a Palavra da verdade com precisão. 

Se você já foi citado incorretamente em uma conversa, você sabe como essa experiência é frustrante. 

Imagine como o Deus do universo deve se sentir quando um de Seus mensageiros fala o que Ele não disse. 

Precisamos ter certeza de que recebemos e entregamos a mensagem certa!

2. Deves se preparar para pregar como se fosse seu último sermão

Mesmo que seja apenas para um pequeno público, o pregador nunca deve assumir sua responsabilidade levianamente. Por quê? 

Porque pode muito bem ser o último sermão que você prega ou o último sermão que alguém escuta. Além disso, não sabemos o que o Espírito de Deus tem feito no oculto. 

Um pecador ou um desviado dos caminhos do Senhor pode estar prestes a se arrepender e confiar em Cristo. 

A necessidade do ouvinte é urgente, portanto, a pregação deve ser urgente.

A pregação não é um playground para a diversão insignificante, mas um campo de batalha para uma guerra corajosa. É onde as próprias questões de vida e morte, céu e inferno, estão em jogo. 

Como o grande teólogo e pregador puritano Richard Baxter certa vez disse eloquentemente:

“Pregarei como se nunca fosse pregar novamente”. 

Devemos procurar fazer o mesmo. 

3. Não apresentarás a Palavra de Deus desanimado

Se as pessoas estão adormecendo durante o seu sermão, não é culpa de Deus. 

Pois, se a Palavra de Deus é suficiente para transformar vidas, não é também suficiente para prender a atenção das pessoas? 

Não atrapalhe o poder transformador da Palavra de Deus, permitindo que se torne enjoativa. 

Pregar e ensinar a Bíblia de uma maneira entediante e pouco convincente é, creio eu, um pecado.

Isso não quer dizer que todo pregador deve ser agitado, pentecostal e divertido. 

Significa, entretanto, que todo pregador deve se ver como o mensageiro e porta-voz de Deus naquele momento. 

Ele ou ela deve implorar com paixão e desespero àqueles que estão ouvindo e dando ouvidos à Palavra de Deus.

4. Cristo deve sempre ser o centro de sua Pregação

Vendo que Jesus Cristo é o ponto central de cada passagem, é lógico que Ele deveria, portanto, ser o ponto central de cada sermão. 

Ou seja, a Pregação deve ser Cristo Centrica.

Como escreve Dennis Johnson:

“Qualquer que seja o nosso texto e tema bíblico, se quisermos transmitir a sabedoria vivificante de Deus em sua exposição, não podemos fazer outra coisa senão proclamar Cristo”.

A experiência mais humilhante de um aluno de seminário está relacionada a isso. Em uma de suas aulas de pregação, teve que dar vários sermões na frente de seus colegas e professor. 

O primeiro sermão que pregou foi bem recebido e elogiado. 

Então, após seu segundo sermão no Antigo Testamento, sentou-se arrogantemente esperando para ouvir elogios. 

Seu professor, então, disse: “Tyler, essa mensagem foi apaixonante e desafiadora… mas você cometeu um grande erro.” 

Ele continuou: “Você poderia ter pregado essa mensagem em uma sinagoga judaica ou uma mesquita muçulmana e a congregação poderia ter dito ‘Amém!’ a tudo o que você disse.

Você nunca mencionou Cristo em toda a sua mensagem.

O Professor deixou o seguinte desafio para o aluno: “Você precisa ter certeza de que toda vez que pregar, mesmo do Antigo Testamento, se um judeu ou muçulmano estivesse na plateia, ele se sentiria extremamente desconfortável.”

Lembre-se de que não somos simplesmente pregadores teístas, mas, devemos ser claramente pregadores cristãos.

5. Deves levar seus ouvintes a Confiar e Obedecer

É como o antigo hino: “Confie e obedeça, pois não há outra maneira de ser feliz em Jesus a não ser confiar e obedecer”. 

Independentemente da passagem, o objetivo de cada sermão deve ser lembrar às pessoas que, independentemente de cada situação, Deus é fiel para cumprir Sua Palavra.

Quando Deus deu os Dez Mandamentos, Ele não começou dando ordens aos israelitas. 

Na verdade, os Dez Mandamentos não começam com comandos. Eles começam com as palavras tranquilizadoras: “Eu sou o SENHOR teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão….” (Êxodo 20: 1). 

Em outras palavras, Deus os lembrou: “Você pode confiar em mim; é por isso que você deve me obedecer.”

A verdadeira motivação para a vida cristã não é “Tenho que obedecer a Deus”, mas é “Depois de conhecer a Deus, por que não o obedeceria?” 

Um bom sermão ajudará as pessoas a pensar e viver dessa maneira.

6. Não serás um pregador que não vive o que prega

Isso significa que você não pode viver pecando fazendo a vontade da carne de segunda a sábado e no domingo pregar santidade. 

Paulo disse a Timóteo: “De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra” (2 Timóteo 2:21). 

Todo pregador deve procurar ser um “vaso puro” que seja “útil ao Mestre”.

Isso também significa que você não deve tentar ser outra pessoa no púlpito. Ou seja, copiar tudo de outro pregador.

Como Phillips Brooks disse certa vez: “Pregar é a verdade por meio da personalidade”. 

Deus fez apenas um Charles Spurgeon, um Adrian Rogers, um John MacArthur e um John Piper. 

Portanto, não tente imitar outros pregadores; seja você mesmo.

Você deve se inspirar, mas não imitar. Quando você pregar, seja você mesmo.

7. Não usarás um comentário até que tenhas lido a passagem 100 vezes

Isso pode parecer um pouco exagerado, mas é uma maneira de chamar a atenção para algo importante. 

O que você prefere comer: os biscoitos caseiros quentes e fofos da vovó feitos na hora ou um biscoito congelado que foi aquecido no micro-ondas? 

Comidas requentadas nunca são tão bons quantos àqueles feitos na hora. O mesmo acontece com os sermões.

Uma grande tentação para a atual geração de pregadores é pular etapas e ir diretamente para os comentários bíblicos ou clicar nos sites de sermões prontos sem antes, meditar no texto. 

Existem muitos pregadores que são muitos “rasos na palavra”, ou seja, não tem profundidade bíblica nenhuma.

Como no exemplo acima das comidas requentadas, não querem gastar tempo preparando seus sermões.

A verdade é mais poderosa quando vem dos lábios de uma pessoa cujo coração e mente “mergulharam” profundamente na Palavra de Deus.

8. Honra o teu contexto acima de tudo, para que te vá bem na tua mensagem

O grito de guerra dos soldados da Revolução do Texas foi “Lembre-se do Álamo!” 

O grito de guerra para os pregadores de hoje deve ser “Lembre-se, o contexto é rei!” 

Os bons pregadores não precisam ser especialistas em grego e hebraico para ensinar bem a Bíblia, mas devem conhecer bem o contexto.

O papel do contexto na pregação e no ensino não pode ser desprezado. 

Sem contexto, eu poderia pregar um sermão que dissesse: “… e [Judas] foi embora e se enforcou” e o Senhor Jesus disse: “Vá e faça o mesmo.” 

Embora possa não haver ninguém promovendo o suicídio no púlpito, se não prestarmos muita atenção ao contexto, o resultado pode ser suicídio espiritual. 

Portanto, nunca se esqueça do contexto.

9. Farás a aplicação correta do Texto Bíblico

O título do livro atemporal de John Stott diz tudo: Between Two Worlds = Entre dois mundos.

O pregador da Palavra de Deus se encontra com um pé no mundo bíblico e outro no mundo moderno. Ou seja, precisamos entender a palavra de Deus para eles naquela época e aplicar a nós hoje.

Cabe, portanto, ao pregador fazer a aplicação correta do texto bíblico. 

Nunca se esqueça de que o que Deus disse há 2.000 ou 3.000 anos é exatamente a mesma mensagem que as pessoas precisam ouvir hoje.

Alguns argumentarão:

“Sim, mas e quanto a toda a história, cultura e diferenças de linguagem desde os tempos bíblicos até os tempos modernos?

O tempo, a cultura e a linguagem mudam, mas a essência da palavra é a mesma.

10. Deverás pregar e ensinar a Bíblia acima de tudo

Muitas igrejas são fracas e sem vida porque têm anemia espiritual. O que falta é ferro doutrinário em sua corrente sanguínea. Ou seja, falta mais Bíblia nas pregações.

Durante toda a semana, as pessoas ouvem mensagens achando que são só para os outros. “O que as pessoas precisam”, como disse certa vez Robert McCracken, “é ouvir a palavra recebendo para si mesmas.” 

Benefícios do Ensinamento Bíblico:

  • O Ensino da Bíblia alimenta a alma do crente;
  • A Bíblia leva esperança aos infiéis;
  • Leva novo convertido amadurecer espiritualmente;
  • O conhecimento bíblico é o que mantém as igrejas saudáveis ​​e vivas. 

Sem isso, os pastores apenas falam nos púlpitos qualquer coisa, mas não pregam o verdadeiro evangelho, as igrejas cantam, mas não adoraram a Deus de forma correta. 

Pregue sermões doutrinariamente ricos!

O grande problema nos púlpitos de hoje não é a falta de pregação, mas a abundância de pregação rasas biblicamente. 

Em grande parte, isso ocorre porque muitos pregadores não são tão cuidadosos e atentos à tarefa como deveriam ser. 

A igreja não só precisa de nós, pregadores, para guardar esses Dez Mandamentos, mas, o que é mais importante, Deus e Sua Palavra merecem nosso esforço para ensinar corretamente.

Esses são os 10 Mandamentos da Pregação.

Textos bíblicos: 1 Timóteo, 2 Timóteo, Êxodo 20: 1, Êxodo 20: 1-23: 33.

Autor: Tyler Scarlett.

biblioteca do pregador-curso-pregador-de-qualidade-melhor-ano

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


  1. A queles que foram chamadas por Deus para iniciar as suas, verdades ao mundo precisam ter domínio nas pregações. Nestes últimos tempos temos vistos que uma grande Carências de pregadores autênticos.

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.