Os salvos irão se reconhecer no céu? Nós nos reconheceremos no céu?

Os salvos irão se reconhecer no céu? Uma das grandes preocupações daqueles que perdem os seus entes queridos está relacionada à pergunta: “Nós, os salvos, nos reconheceremos nos céus?”

Os salvos irão se reconhecer no céu? Nós nos reconheceremos no céu?

Começaremos a responder essa pergunta com uma pergunta retórica: “Há, na Bíblia, algum versículo que afirme, de forma clara, que nós, os salvos, não nos reconheceremos nos céus?” A resposta é: Não!

Ora, se não há nenhum versículo afirmando o contrário, pelo menos em princípio podemos dizer que temos a metade do problema resolvido.

Resta-nos, portanto, examinarmos as Escrituras para saber se há alguma passagem a favor da ideia de que nós, os salvos, nos reconheceremos no céu.

Existem pelo menos cinco passagens bíblicas que parecem favorecer a
posição de que nós nos reconheceremos lá no céu.

A primeira passagem encontra-se no evangelho segundo Mateus que diz:

“Mas eu vos digo que muitos virão do Oriente e do Ocidente e assentar-se-ão à mesa com Abraão, Isaque, e Jacó,
no reino dos céus”
. (Mateus 8:11-ARC)

Ora, nós não conhecemos os três patriarcas descritos no texto, mas provavelmente, os reconheceremos por meio de
uma revelação especial, que, segundo acredito, ser-nos-á concedida para que possamos reconhecê-los no céu.

A segunda passagem encontra-se, também, em Mateus, no episódio da transfiguração onde lemos:

“Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um
alto monte. E transfigurou-se diante deles, e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes tornaram brancas como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele.
.. Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Senhor, bom estarmos aqui; se queres, façamos aqui três tabernáculos, um para ti, um para Moisés e um para Elias”. (Mateus 17:1-4).

Como Pedro, nesssa visão que teve (Mateus 17:9), sabia que se tratava de Moisés e Elias? Existem apenas duas possibilidades:

a) Jesus, no diálogo que teve com os dois personagens pronunciou os seus nomes. Mas vale lembrar que isso é uma conjectura, uma possibilidade e não uma afirmação das Escrituras;

b) Houve uma revelação especial visto que Pedro não os conhecia e a distância entre Pedro e Moisés, principalmente, era de mais de mil e quatrocentos anos.

Mas o mesmo Cristo que lhe concedeu a visão poderia muito bem lhe dar a revelação de quem era os personagens com os quais estava falando.

A terceira prova de que nós, os salvos, nos reconheceremos nos céus fundamenta-se no fato na passagem do rico e Lázaro:

O rico, mesmo estando em tormentos no inferno, teve uma visão dos céus, e reconheceu a Lázaro no seio de Abraão, isto é, no paraíso, no lugar de intimidade. (Lucas 16:19-31)

Essa prova para mim é bastante convincente pelo fato de não se tratar de um salvo reconhecendo o outro no céu, mas
de um ímpio, perdido e atormentado, no inferno, reconhecendo um salvo que estava no céu, no seio de Abraão, no
paraíso. (2 Coríntios 12:1-4).

A quarta prova é bastante plausível, pois é atestada no fato dos discípulos terem reconhecido a Jesus após a sua ressureição.

Mesmo que eles tenham demorado um pouco, talvez por conta das últimas imagens que eles tiveram de Jesus, no Getsêmani, onde ele, provavelmente, estivesse bem diferente por causa da dilatação de vasos que tivera enquanto orava (Lucas 22:44) e logo depois, quando sofreu a tortura do flagram romano, e pela crucificação ou mesmo
por causa do corpo da ressurreição, isto é, corpo glorificado.

A quinta prova consiste no fato de que Estêvão reconheceu Jesus à direita de Deus.

“…mas ele, estando cheio do Espírito Santo e fixando os olhos ao céu, viu a glória de Deus e Jesus, que estava à direita de Deus” (Atos 7:55)

Poderíamos ainda aduzir os seguintes argumentos:

  1. Eu creio que as nossas boas lembranças não serão destruídas;
  2. Estaremos num estado de perfeição; na nossa plena capacidade mental e espiritual;
  3. Seremos ressuscitados com o mesmo corpo, nossa aparência, não mudará, exceto que seremos glorificados, teremos um corpo de glória, incorruptível (1 Coríntios 15).

À luz dessas explicações podemos dizer que, é bem provável que nós, os salvos, nos reconheceremos lá no céu.

Referência: Elias Soares de Moraes (Perguntas difíceis de responder)

Botão Voltar ao topo