Qual o significado de Milagre e como Deus realiza?

Milagre significa algo inexplicável pelas leis naturais, é uma indicação direta da participação de Deus na vida humana. Tanto o antigo testamento quanto o novo testamento, tem inúmeros registros de milagres.

A palavra milagre origina-se do latim “mirare“, originando à palavra “mirar“. Sendo assim, “Mirare” significa digno de admiração, estranho, maravilhoso. Milagre, por sua vez, é entendido como “ato extraordinário que vai contra as leis naturais”.

O professor Max Turner, de London Bible College, nos dá uma definição deste evento no sentido semi-técnico, com sendo um evento observável extraordinário ou surpreendente; que não pode ser razoavelmente explicado em termos de habilidades humanas ou outras forças conhecidas no mundo; percebido como um ato direto de Deus; geralmente entendido como tendo valor simbólico ou de sinal, como por exemplo, apontando para Deus como redentor e juiz.

Afinal, podemos ver milagre em tudo, desde o crescimento de uma folha de uma grama, até o sustento de nossas próprias vidas. (Salmos 104, Atos 17, Colossenses 1:17).

Uma definição mais útil de “milagre”:

Wayne Grudem propôs uma definição que evita o vírus do deísmo, enquanto busca permanecer fiel à bíblia sagrada:

“Um milagre”, diz Grudem, “é um tipo menos comum de atividade de Deus em que ele desperta admiração nas pessoas e dá testemunho dele mesmo”. O que é importante lembrarmos é que não importa como definimos um milagre, não devemos pensar que um milagre significa que um Deus tipicamente ausente está agora presente.

Em vez disso, o Deus que está sempre e em toda parte presente, sustentando e direcionando todas as coisas para sua consumação designada, agora está trabalhando de uma maneira surpreendente e desconhecida. 

Isso também nos ajuda a responder à questão de saber se respostas incomuns à oração são milagres. Eu diria que sim, se tais respostas forem suficientemente incomuns para despertar admiração e evocar o reconhecimento do poder e da atividade de Deus. (1 Reis 18:24, 36-38; Atos 12:5-17; 28:8).

À seguir veremos como Deus realiza esse ato inexplicável e tão maravilhoso, chamado milagre.

1. Deus pode trabalhar dentro e fora do reino natural para realizar um milagre

Alguns definem um milagre como Deus trabalhando no mundo à parte de um meio ou instrumento que traria o resultado desejado. Mas Deus muitas vezes usa instrumentos para realizar o miraculoso, como no caso de Jesus alimentando os cinco mil por meio da multiplicação de pães e peixes.

Outros definem um milagre como Deus agindo de forma contrária à lei natural. Mas isso implica que existem forças ou leis naturais, que operam independentemente de Deus. Ou seja, forças ou leis que Deus deve violar ou anular para realizar um milagre. Mas Deus é o autor e Senhor providencial de todos os processos naturais.

2. Os milagres fazem parte da obra do Espírito

Olhando para Gálatas 3:1-5, nos ajudará a entender mais sobre os milagres. O apóstolo Paulo descreve claramente tanto o recebimento inicial do Espírito no momento da salvação e o contínuo suprimento e provisão do Espírito ao longo do curso da vida cristã.

“Aquele que vos dá o Espírito e opera milagres entre vós o faz por obras da lei, ou ouvindo com fé?” (Gálatas 3:5)

3. Não “ganhamos” milagres fazendo o bem

Claramente, Deus nunca dá seu Espírito em momento algum ou opera milagres somente porque nós estamos realizando coisas boas. A obediência à lei, diz Paulo, não é a razão ou o instrumento pelo qual Deus dá seu Espírito a seu povo, seja no momento de sua conversão ou em qualquer momento de sua vida cristã. 

Em outras palavras, Paulo está descartando qualquer forma de legalismo ou abordagem baseada em obras para nossa experiência do Espírito. Duas vezes neste parágrafo, primeiro no v. 2 e novamente no v. 5, Paulo exclui as “obras da lei” como a razão pela qual experimentamos o Espírito de Deus.

4. A fé é a base para nossa experiência de milagres

Tão claramente quanto Paulo descartou as obras como a razão pela qual recebemos o Espírito de Deus, ele afirma que a fé é a causa, a fé é o instrumento, a fé é a base para nossa experiência do Espírito. 

Novamente, tanto no v. 2 quanto no v. 5 é “ouvindo com fé” que Deus concede seu Espírito. É quando cremos e confiamos em Deus e em suas promessas que ele tem o prazer de derramar seu Espírito. Não apenas com o propósito de nos salvar e fazer com que o Espírito habite em nós permanentemente (v. 2), mas também com o propósito de operar milagres em nosso meio.

5. A fé para experimentar milagres vem pelo ouvir

A fé à qual Deus responde dando-nos o seu Espírito vem do “ouvir”. Ouvindo o quê? Obviamente, “ouvimos” a palavra de Deus quando ela é proclamada, ensinada ou lida. 

Sempre que a verdade sobre Deus e o evangelho de Jesus Cristo é ouvida, crida, confiada, valorizada e aceita, Deus responde derramando seu Espírito sobre nós.

Apenas “ouvir” não é suficiente. Devemos ter “fé” no que ouvimos. Simplesmente ouvir um sermão não é suficiente. Apenas ler a Bíblia não é suficiente. Memorizar as Escrituras é maravilhoso, mas se você não acredita no que memorizou, isso não serve para nada. Ler livros de teologia é maravilhoso, mas se você nunca passar da compreensão para a fé no que leu, de nada lhe adiantará. 

Deus não nos recompensa com o Espírito simplesmente porque somos inteligentes ou bem-educados. As pessoas podem saber muito sobre a Bíblia e podem argumentar teologicamente melhor do que qualquer um e nunca receber o poder milagroso do Espírito.

Paulo diz que nossa audição deve ser do tipo que leva à fé. Em outras palavras, temos que “acreditar” e “confiar” e também “valorizar” o que Deus nos ensinou ou nos disse em sua Palavra. Isso é o que agrada a Deus. Esse é o instrumento para que Deus possa derramar seu Espírito.

6. Deus promete derramar continuamente do Seu Espírito

Observe atentamente como o próprio Deus é descrito em Gálatas 3:5. Ele é retratado como “aquele que vos dá o Espírito”. Este é um particípio do tempo presente. 

Em outras palavras, Deus é por sua própria natureza e também por sua escolha um Deus que ama dar mais do seu Espírito ao seu povo quando eles se humilham e confiam na verdade de sua Palavra. 

Isso é quase um crachá de identificação. Deus está dizendo: “Este é quem eu sou. Isto é o que eu faço. Eu continuamente derramo do meu Espírito ao meu povo”.

7. Milagres e outras provisões do Espírito acontecem entre o povo de Deus

Em Gálatas 3:2, Paulo se referiu à provisão do Espírito que Deus fez a eles quando eles primeiro confiaram em Jesus para a salvação. Mas agora em Gálatas 3:5 ele está dizendo que Deus continua a fazer provisões para homens e mulheres crentes. 

Eu enfatizo este ponto simplesmente porque este é um versículo que deve acabar para sempre com o debate sobre se Deus continua a nos suprir e prover mais e mais do Espírito, após a nossa conversão. 

Ele não chama essa experiência em Gálatas 3:5 de “Batismo no Espírito” ou “Enchimento do Espírito”. Ele não usa a palavra “unção”. Contudo, tudo o que importa é que Deus é o tipo de Deus cuja própria natureza e propósito é dar mais de seu Espírito de forma contínua e diária ao seu povo.

8. Precisamos ter confiança no caráter de Deus, crendo que Ele é capaz de realizar todas as coisas

Em que especificamente Deus quer que acreditemos? Em outras palavras, qual é o conteúdo ou objeto de nossa “fé” à qual Deus responde com o extraordinário suprimento e provisão de seu Espírito? Não fomos informados explicitamente, mas acho que sei. Há várias coisas que Paulo provavelmente tem em mente.

Dado o contexto mais amplo e o propósito da carta aos Gálatas, ele certamente tem em mente nossa fé na finalidade da morte e ressurreição de Cristo. Como nossa confiança na graciosa obra de Deus como a única esperança de salvação

Em outras palavras, acreditar que somos justificados somente pela fé, somente pela graça, somente em Cristo é fundamental para o que devemos crer. Isso fica óbvio quando lemos Gálatas 5:6, onde Paulo nos fala de Abraão “crendo” em Deus e sendo justificado pela fé.

Acredito que Paulo tem em mente nossa fé e confiança no caráter de Deus. Você acredita que Deus é o tipo de Deus que ama fazer coisas maravilhosas para o seu povo? Consegue ter essa plena convicção que Deus é o tipo de Deus que se deleita em edificar, restaurar e curar? Você acredita que Deus tem tal caráter e natureza que tem compaixão de seu povo e se alegra em fazer-lhes o bem em todos os momentos? Acreditar nisso sobre Deus é crucial para nossa experiência da obra sobrenatural do Espírito.

Relacionada ao ponto anterior está nossa fé de que Deus é capaz de fazer tais coisas. Você pode pensar que nem é preciso dizer. Certamente, se você é cristão, sabe e tem certeza de que Deus pode fazer coisas milagrosas por nós. Mas devo lembrá-lo de que Jesus sempre respondeu a esse tipo de fé com cura, libertação e bênção. 

Alguns exemplos na Bíblia:

No livro de Mateus 9:28-29, Jesus disse isso a dois cegos: “Vocês acreditam que eu posso fazer isso?” Disseram-lhe: “Sim, Senhor”. Então Jesus tocou-lhes nos olhos, dizendo: “Seja-vos feito segundo a vossa fé”. E eles foram instantaneamente curados.

De acordo com que “fé”? O que exatamente eles acreditaram que levou Jesus a curá-los? Não era sua crença ou fé que era sua “vontade” curá-los. 

Jesus, no entanto, nunca lhes perguntou: “Vocês acreditam que estou disposto a curá-los?” Ele apenas perguntou se eles acreditavam que ele era “capaz” de curá-los e quando eles disseram que sim, ele os curou.

Outr exemplo é, a cura do leproso em Mateus 8.  Quando ele disse a Jesus: “Senhor, se quiseres, podes tornar-me limpo”. 

O leproso não estava questionando a capacidade de Jesus, pois ele confiava nisso completamente. Ele apenas tinha dúvidas sobre a vontade de Jesus. Contudo, Jesus não o repreendeu por tais dúvidas, como se fosse uma falta de fé que pudesse comprometer sua cura. Ele o curou por causa de sua confiança de que ele poderia fazer isso.

9. Os milagres não eram apenas obra dos apóstolos, eles também aconteciam entre os cristãos comuns.

Deus operou milagres entre e através desses cristãos gálatas na ausência de qualquer influência apostólica. Tanto quanto sabemos, não havia apóstolos presentes na Galácia quando Paulo escreveu isso. 

Portanto, ao contrário do que a maioria dos cessacionistas dizem, os milagres não eram exclusivamente ou mesmo primariamente obra dos apóstolos, mas eram tipicamente encontrados entre cristãos comuns e medianos, como os da Galácia do primeiro século.

10. A palavra freqüentemente traduzida como “milagres” em 1 Coríntios 12:10 é na verdade a palavra grega para “poderes”.

Em conclusão, considere como esta passagem se relaciona com o que Paulo diz em 1 Coríntios 12:10 e o dom de “milagres”. 

A tradução mais literal das palavras de Paulo em 1 Coríntios 12:10  é “obras de poderes”. Embora todos os dons sejam “trabalhos” (energemata) ou “energizações” pelo poder divino, a palavra é usada aqui em conjunto com “poderes” (dunamis) para um dom específico. 

A palavra freqüentemente traduzida como “milagres” em 1 Coríntios 12:10 é na verdade a palavra grega para poderes (dunamis). Assim, novamente temos um plural duplo, “operações de poderes”, que provavelmente aponta para uma certa variedade nessas operações.

Então, Deus “faz milagres” entre nós, ou indivíduos dotados “fazem milagres” entre nós? Sim! 

Deus “realiza milagres” entre nós ao despertar a nossa fé em sua Palavra, em conjunto ou como resultado da qual ele concede uma graciosa capacitação divina, isto é, um carisma, um dom para que o crente possa “realizar milagres” no meio do povo.

Versículos da Bíblia sobre Milagres


Versículos da Bíblia sobre Milagres:

Antigo Testamento:

Êxodo 15:11: (Deus realizando milagres para libertar o povo de Israel do Egito)

“Quem é como tu, Senhor, entre os deuses? Quem é santo como tu, majestoso em glória, admirável em obras?”

2 Reis 5:1-14: (Eliseu cura Naamã da lepra)

“Naamã, comandante do exército da Síria, era um grande homem diante de seu senhor e muito estimado, porque o Senhor lhe havia dado vitórias. Mas esse homem valente era leproso.”

Daniel 6:16-24: (Daniel é salvo dos leões na cova)

“Então o rei ordenou que Daniel fosse lançado na cova dos leões. Havia ali sete leões famintos que não tinham recebido comida há alguns dias. Daniel foi lançado na cova, e o rei selou a entrada com a sua própria pedra selada com o anel real. O rei então voltou ao seu palácio e passou a noite jejuando e não provou comida nem vinho. Na manhã seguinte, ele se levantou cedo e foi correndo à cova de Daniel. Quando chegou à cova, ele chamou Daniel com voz triste: ‘Daniel, servo do Deus vivo, o seu Deus, em quem você constantemente confia, foi capaz de livrá-lo dos leões?'”

Novo Testamento:

Mateus 8:23-27: (Jesus acalma a tempestade no mar)

“Jesus entrou no barco, e seus discípulos o acompanharam. E eis que se levantou uma grande tempestade no mar, de modo que as ondas batiam contra o barco, e este estava quase alagado. Jesus, porém, estava dormindo. Os discípulos o acordaram e disseram: ‘Senhor, salve-nos! Estamos prestes a morrer!’. Mas Jesus lhes disse: ‘Por que vocês estão com tanto medo? Vocês não têm fé?’ Então, levantando-se, repreendeu o vento e o mar, e houve uma grande calmaria.”

Marcos 10:46-52: (Jesus cura Bartimeu da cegueira)

“Chegaram a Jericó. Quando Jesus estava saindo da cidade, acompanhado por seus discípulos e por uma grande multidão, um mendigo cego chamado Bartimeu, filho de Timeu, estava sentado à beira do caminho. Ao ouvir que Jesus estava passando, ele começou a gritar: ‘Jesus, filho de Davi, tenha misericórdia de mim!’. Alguns da multidão repreendiam-no, dizendo-lhe para ficar quieto. Mas ele gritava ainda mais alto: ‘Filho de Davi, tenha misericórdia de mim!’. Jesus parou, mandou que o chamassem, e eles trouxeram o cego até ele. Jesus lhe perguntou: ‘O que você quer que eu faça por você?’. O cego respondeu: ‘Senhor, quero voltar a ver!’. Jesus lhe disse: ‘Vá, sua fé o curou!’. Imediatamente, Bartimeu recuperou a visão e seguiu Jesus pelo caminho.”

João 11:1-44: (Jesus ressuscita Lázaro da morte)

“Lá estava Lázaro, a quem Jesus amava, doente. As irmãs dele, Marta e Maria, enviaram uma mensagem a Jesus, dizendo: ‘Senhor, aquele a quem amas está doente’. Ao ouvir isso, Jesus disse: ‘Esta doença não levará à morte; é para a glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por meio dela’. Jesus amava Marta, Maria e Lázaro, mas, quando soube que Lázaro estava doente, ficou dois dias mais onde estava. Depois disso, disse aos seus discípulos: ‘Vamos voltar à Judéia’. Os discípulos o advertiram: ‘Senhor, os judeus recentemente tentaram apedrejá-lo. Por que ir lá agora?’ Jesus respondeu: ‘Não são doze as horas do dia? Quem anda durante o dia não tropeça; mas quem anda durante a noite tropeça, porque lhe falta luz’. Tendo dito isso, ele acrescentou: ‘Nosso amigo Lázaro está dormindo, mas vou acordá-lo’. Os discípulos disseram: ‘Senhor, se ele está dormindo, está se recuperando’. Jesus estava falando da morte de Lázaro, mas eles pensaram que ele estava falando de sono comum. Então Jesus lhes disse claramente: ‘Lázaro morreu, e por causa dele me alegro de não estar lá, por causa dos que creem em mim, para que aprendam que tenho poder sobre a morte. Vamos lá!’.”

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!