O que é o Antigo Testamento da Bíblia? Confira um resumo dos livros do AT

O Antigo Testamento, também chamado de Velho Testamento, é a compilação composta pelas Escrituras Hebraicas. A história do Antigo Testamento inclui grandes sucessos e fracassos trágicos. Trata-se de uma história do envolvimento fiel de Deus com o Seu povo.

O ANTIGO TESTAMENTO

Muitas pessoas acham o Antigo Testamento difícil de ler. Elas gostam apenas das histórias de Moisés, Sansão, Ester e Rute.

E estão familiarizadas com o templo e o tabernáculo. Reconhecem os nomes de lugares como o Sinai, Jerusalém e a Babilônia. Mas esses nomes e lugares familiares são difíceis de encaixar em um todo.

Ou seja, essas histórias do passado só fazem sentido se colocarmos no contexto geral do Antigo Testamento.

Entender o Antigo Testamento é, para muitos, como montar um quebra cabeça sem o quadro completo dele.

Uma das razões, porque as pessoas ficam confusas com o Antigo Testamento é que elas tentam lê-lo como um livro de história ou novela.

Esses tipos de livros começam do início e vão até o final. Mas o Antigo Testamento não está disposto dessa forma. Ao contrário, os trinta e nove livros do Antigo Testamento estão organizados pelo tipo de literatura que esses livros contêm.

É importante saber que há três tipos de livros no Antigo Testamento.

1. NARRATIVAS DO ANTIGO TESTAMENTO

Os primeiros dezessete livros, do Gênesis a Ester, são escritos, em grande parte, em forma narrativa.

Eles contam a história do Antigo Testamento e estão dispostos como se fossem capítulos em um livro de história.

2. LIVROS POÉTICOS E SAPIENCIAIS

Mas depois do livro de Ester, entramos no mundo dos cinco livros poéticos e sapienciais do Antigo Testamento.

Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes e Cântico dos Cânticos de Salomão não nos contam nada da história de Israel.

Eles apresentam os belos escritos de poesia e sabedoria de Israel.

3. LIVROS PROFÉTICOS

Depois do livro de Cântico dos Cânticos de Salomão, começamos a ler os dezessete livros proféticos de Israel.

Isaías até Malaquias registram as mensagens dos profetas de Israel.

Assim, o Antigo Testamento contém dezessete livros de narrativas, cinco livros de poéticos e sapienciais e dezessete livros de escritos proféticos.

Livros do Antigo Testamento Resumo

Aqui você pode encontrar guias rápidos de 3 minutos para todos os livros do Antigo Testamento. Eles estão listados na ordem em que aparecem nas Bíblias Protestantes. Basta clicar no nome de qualquer livro e obter uma ideia de alto nível do que se trata.

Mas não pare de ler estes guias. Você vai perder a melhor parte: ler os livros da Bíblia você mesmo!

Há 39 livros no total no Antigo Testamento, divididos em cinco grupos.

Pentateuco (Lei de Moisés)

1.  Gênesis

O livro de Gênesis responde à pergunta: “De onde veio tudo isso?” Gênesis é a história de como Israel começou como nação, mas o autor conta essa história como uma série de começos – começando com a criação do universo (Gn 1:1) e se estreitando em uma família: a de Israel.

2.  Êxodo

O livro de Êxodo é a história de Deus resgatando os filhos de Israel do Egito e tornando-os Seu povo da aliança. Êxodo é onde encontramos as histórias das Dez Pragas, a primeira Páscoa, a divisão do Mar Vermelho e os Dez Mandamentos.

3.  Levítico

Você pode resumir o livro de Levítico com a ordem repetida de Deus: “Sede santos, como eu sou santo”. Levítico é um livro de leis, mas também é um livro de adoração. Este livro está repleto de detalhes sobre como o povo de Deus deve viver, comer, sacrificar, celebrar e muito mais.

4.  Números

Números conta a história das peregrinações de Israel pelo deserto a caminho da terra prometida de Canaã. O livro de Números começa e termina com Moisés contando todas as pessoas da nação, e é assim que o livro recebe seu nome.

5.  Deuteronômio

Israel está prestes a (finalmente) entrar na terra prometida de Canaã. Antes que eles o façam, Moisés convoca o povo para lembrá-los da lei de Deus – e por que eles devem obedecê-lo. É assim que o livro de Deuteronômio recebe seu nome: é a “segunda doação” da lei de Deus.

Escritos históricos

6.  Josué

Josué é a história de como Israel se mudou para a terra prometida de Canaã. Ele detalha as batalhas e tratados entre Israel e os cananeus nativos, e então nos conta como as tribos de Israel dividiram a terra.

7.  Juízes

Juízes é o relato de como Israel se comporta entre a morte de Josué e a liderança de um rei. Em vez de permanecer leal a Deus e seguir Suas leis, esta geração de israelitas vagueia em sua fé, adorando ídolos e se entregando à violência gratuita.

8.  Rute

A história de Rute se passa durante o tempo dos Juízes: é uma brilhante história de esperança durante um período muito sombrio na história espiritual e política de Israel.

9/10. 1 Samuel  e  2 Samuel

Samuel marca uma grande virada na história de Israel: Israel transita da teocracia para a monarquia. Em vez de clamar a Deus por ajuda – o que funcionou antes (Jz 3:9, 15) – Israel exige que Samuel nomeie um rei. A princípio, eles estão sobrecarregados com o ímpio Saul, mas Deus levanta outro para libertar e liderar Seu povo.

11/12. 1 Reis  e  2 Reis

Os livros de Reis nos mostram como Deus é fiel ao Seu povo. Vemos todo o espectro do trato de Deus com Israel: desde a bênção extrema sob Salomão até a completa desolação e cativeiro para o reino dividido. Essas bênçãos e maldições foram todas prometidas a Israel no livro de Deuteronômio.

13/14. 1 Crônicas  e  2 Crônicas

E se você tivesse o trabalho de comunicar toda a história de sua nação – seus governantes, guerras, eventos religiosos, ciclos econômicos – começando com o início da humanidade? Primeira e Segunda Crônicas é essa história para Israel. É a história dos reis de Israel e a fidelidade de Deus às Suas promessas.

15/16. Esdras  e  Neemias

Esdras e Neemias foram originalmente considerados duas partes de um livro. Ezra se concentra na reconstrução do templo; Neemias se concentra na reconstrução da cidade de Jerusalém. Ambos formam a história de como Deus restabelece Israel na terra que Ele prometeu a ela.

17.  Ester

Coragem. Fé. Traição. Política. Tramas de genocídio. O livro de Ester é um drama sobre como dois judeus arriscaram tudo para salvar seu povo.

Sabedoria e poesia

18.  Jó

Jó é um livro de sabedoria que aborda o problema de pessoas inocentes que sofrem. O livro de Jó mostra que Deus toma decisões justas com base na sabedoria, não na nossa ideia de pessoas boas sendo abençoadas e pessoas más recebendo sua punição.

19.  Salmos

Salmos é uma coleção de 150 poemas escritos ao longo de centenas de anos. Muitos foram originalmente musicados e usados ​​nos templos judaicos para louvar ao Senhor.

20.  Provérbios

O livro de Provérbios é uma coleção de ditos sábios de Salomão, com mais alguns homens sábios entrando aqui e ali. Provérbios exorta o leitor a tomar decisões baseadas em sabedoria, justiça e retidão ( Pv 1:3 ). Suas palavras às vezes são instruções diretas ( Pv 1:10 ), às vezes observações gerais ( Pv 20:14 ).

21.  Eclesiastes

Este livro reúne a dura sabedoria de um homem chamado “o Pregador” e nos encoraja a temer a Deus, guardar seus mandamentos e desfrutar a vida.

22.  Cântico de Salomão (Cântico dos Cânticos)

Este livro é uma canção (ou coleção de canções) que celebra o amor, o sexo e o casamento.

Principais profetas

23.  Isaías

Isaías prega julgamento e conforto para a nação de Israel. Ele prega sobre o Rei vindouro que governará Israel e as nações em justiça e paz. Ele também espera um Servo especial de Deus: alguém que cumprirá todos os deveres de Israel e levará seus pecados.

24.  Jeremias

Jeremias, o “profeta chorão”, adverte Judá nos últimos anos do reino do sul: ele serve como um guia (em grande parte ignorado) para Judá enquanto caem no cativeiro babilônico.

25.  Lamentações (tecnicamente poesia)

Esta pequena coleção de poemas lamenta a queda de Jerusalém, mas celebra a fidelidade de Deus ao seu povo.

26.  Ezequiel

Ezequiel prevê a destruição do templo em Jerusalém e o julgamento que aguarda o rebelde Judá. Mas ele também nos dá um vislumbre do novo relacionamento que Deus planeja fazer com Seu povo.

27.  Daniel

Daniel é uma coleção de histórias e visões que nos dão esperança de que o reino de Deus acabará por prevalecer sobre governos mundiais violentos. (E sim, há uma história famosa sobre a cova de um leão.)

Profetas menores

Esses livros foram agrupados em um livro maior chamado “os Doze”. Nós os chamamos de profetas menores, mas isso se deve à relativa brevidade desses livros. Eles contêm grandes profecias. =)

  • 28.  Oséias
  • 29.  Joel
  • 30.  Amós
  • 31.  Obadias
  • 32.  Jonas
  • 33.  Miquéias
  • 34.  Naum
  • 35.  Habacuque
  • 36.  Sofonias
  • 37.  Ageu
  • 38.  Zacarias
  • 39.  Malaquias

Esses são todos os 39 livros do Antigo Testamento. 

A HISTÓRIA DO ANTIGO TESTAMENTO

Vamos primeiro firmar a linha histórica do Antigo Testamento na nossa mente. Somente então, poderemos ver, onde os poetas e profetas do Antigo Testamento se encaixam e compreendê-los.

Então, vamos fazer uma nova distinção aqui, dividindo os dezessete livros narrativos em duas categorias.

Embora todos os dezessete livros contribuam para a história, apenas onze dos dezessete representam um avanço na mesma.

Os outros seis livros incluem eventos importantes que acrescentam detalhes ao enredo principal.

Para efeito da presente lição, vamos chamar os livros que fazem a história avançar, de livros “do tempo” e aqueles que acrescentam comentários à história, de livros “em cores.”

Por exemplo, Êxodo é um livro “do tempo.” Porque ele faz a história avançar. Ele nos conta sobre os eventos no Monte Sinai, em que Moisés recebeu a lei de Deus.

Essas 613 leis foram essenciais para Israel e necessitavam registrar. Mas Êxodo é uma narrativa. Trata-se de uma história.

Assim, Moisés não listou e descreveu todas aquelas leis no livro de Êxodo. Ele as colocou em um livro separado chamado Levítico, que acrescenta detalhes essenciais à história do Sinai.

Ele dá um “colorido” aos eventos registrados no Êxodo.

Mas isso não faz a história avançar cronologicamente e poderia enredar os leitores, de modo que eles nunca terminassem a história que Moisés nos conta sobre o êxodo do Egito e os eventos do Monte Sinai.

OS LIVROS DO TEMPO

Os livros “do tempo” que fazem avançar a história e os livros “em cores,” que acrescentam detalhes à mesma.

Os onze livros “do tempo” se encontram unidos uma o outro como em um rolo de filme de cinema. Um livro retoma a história onde o livro anterior parou.

Mas periodicamente a história necessita de elaboração ou explanação.

É quase como se o Grande Contador de Histórias dissesse: “Pare um pouco aí. Há algumas informações importantes que temos que acrescentar à história, mas não quero sobrecarregar a história com demasiados detalhes.”

Antes de parar a história, Deus apenas acrescentou outro livro que nos fornece os detalhes.

Assim, temos livros “do tempo” e livros “em cores” que nos contam a história do Antigo Testamento.

Vamos focar apenas nos livros do tempo, de modo que possamos compreender a história principal.

Vamos integrar os livros “em cores,” os livros poéticos e profetas à história e ver, qual a sua contribuição.

Mas antes, vamos pintar a imagem do quebra-cabeça para que possamos encaixar todas as peças no seu devido lugar.

OS 4 PERÍODOS DO ANTIGO TESTAMENTO

A história do Antigo Testamento pode ser dividida em quatro períodos.

Chamamos o primeiro período de Primórdios, e ele inclui três dos livros do tempo: Gênesis, Êxodo e Números.

O segundo período chamado de Estabelecimento, está descrito em Josué e Juízes.

O terceiro período chamado de Reinado, está registrada em 1 e 2 Samuel e 1 e 2 Reis.

No final de 2 Reis, Israel foi conquistada pelos babilônios.

Os muros e o templo de Jerusalém foram destruídos. O povo levado para a Babilônia como escravo.

Setenta anos depois foram libertados pelos persas. Então, retornaram para reconstruir o seu templo.

O quarto período do Exílio e Reconstrução que se encontra registrado nos livros de Esdras e Neemias.

Essa é uma visão panorâmica muito ampla da história do Antigo Testamento, com suas quatro divisões ou eras: Primórdios, Estabelecimento, Reinado e Exílio/Reconstrução.

PERÍODO DOS PRIMÓRDIOS

GÊNESIS

Gênesis significa “princípio” ou “primórdio” e o livro nos conta que tudo começou com o ato de criação de Deus.

O livro começa dizendo simplesmente: “No princípio criou Deus os céus e a terra.”

Os capítulos 1–11 nos contam como Deus criou o universo e o mundo e os primeiros seres humanos.

Eles também descrevem a introdução do pecado na condição humana e os seus resultados trágicos.

A história de Noé está incluída aqui para mostrar a força da rebelião do homem contra Deus.

Em seguida, Gênesis 12–50 descrevem o início de Israel.

Abraão, Isaque e Jacó são referidos como os patriarcas, ou pais do povo judeu.

O resto da história do Antigo Testamento fala essencialmente sobre o relacionamento de Deus com Israel, e tal história começa em Gênesis 12.

O livro de Gênesis termina com os descendentes de Abraão, vivendo no Egito como hóspedes privilegiados do Faraó.

ÊXODO

Êxodo é o segundo livro “do tempo” que faz a história do Antigo Testamento avançar.

Ao longo dos 400 anos entre o fim de Gênesis e o começo de Êxodo, os descendentes de Abraão se tornaram escravos dos egípcios e estavam desejosos por sair do Egito.

Deus preparou um libertador chamado Moisés.

E, depois de uma série de pragas sobre os egípcios, conduziu Israel para fora, atravessando o Mar Vermelho e descendo para o Monte Sinai.

Lá, eles receberam os Dez Mandamentos e as outras 613 leis de Deus, que governaram as suas vidas pelo resto do Antigo Testamento.

NÚMEROS

O terceiro livro “do tempo” é Números, e ele começa com Israel no Sinai, esperando pela ordem de Deus para entrarem na terra de Canaã.

Quando Deus os conduziu para a entrada em Canaã, eles se recusaram a entrar, porque estavam com medo das pessoas que lá moravam.

Números nos conta a triste história da peregrinação de Israel pelo deserto por quarenta anos, comendo o maná providenciado por Deus, enquanto a geração desobediente de Israel que saiu do Egito morria no deserto do Sinai.

Eles haviam implorado para que Deus não os fizesse entrar em Canaã e a sua resposta à sua oração os condenou a uma vida de peregrinação vazia de sentido pelo deserto do Sinai.

No final de Números, os filhos alcançaram a idade adulta e foram preparados para entrar na terra que Deus havia prometido para os seus pais.

PERÍODO DO ESTABELECIMENTO

Os livros de Josué e Juízes são o período do Estabelecimento.

Josué é o livro que descreve o sucesso de Israel e vitórias, na medida em que eles conquistavam a sua nova terra.

O livro faz a história avançar até a conquista israelense de Canaã e descreve como eles dividiram a terra entre as doze tribos e se estabeleceram nela.

Deus abriu o rio Jordão, de modo que eles pudessem atravessá-lo para o seu novo lar em terra seca.

A sua confiança na presença de Deus foi reforçada pela batalha sobrenatural de Jericó.

Da mesma forma que Deus havia providenciado um êxodo miraculoso do Egito, Ele reassegurou a sua presença aos seus filhos através de uma entrada miraculosa em Canaã.

Depois que Josué, o seu líder, morreu, o povo se rebelou contra as leis de Deus.

O livro de Juízes descreve a rebelião de Israel e seus resultados trágicos. Israel violava a sua aliança com Deus constantemente, e Ele permitiu que várias nações locais saqueassem a sua terra.

Toda vez, Israel clamava a Deus por ajuda e, em resposta, Deus levantava um libertador ou juiz para expulsar o inimigo.

Em Juízes, lemos as histórias de juízes como Gideão, Sansão e Débora.

PERÍODO DO REINADO

A temática dos Juízes era que todo mundo estava fazendo o que era certo a seus próprios olhos.

Essa anarquia contribuiu para o desejo de Israel por ter um rei governando sobre eles e os guiar na era do Reinado de Israel.

Samuel foi o último juiz de Israel, e ele introduziu a era do reinado e ungiu Saul como o primeiro rei de Israel.

2 Samuel descreve o reino de Davi e os dias mais gloriosos de Israel.

1 Reis fala do reinado de Salomão e a sua construção do belo templo de Israel. Mas esse livro também introduz as sementes da destruição de Israel.

A começar em 1 Reis 12 até 2 Reis, lemos como Israel se dividiu e se transformou em duas nações, Israel e Judá.

Uma série de reis maus em Israel, e uma mistura de reis bons e maus em Judá, acabou levando à destruição de ambas as nações.

PERÍODO DO EXÍLIO E RECONSTRUÇÃO

A derrota de Judá pelos babilônios incluiu a destruição de Jerusalém e do templo de Salomão e a deportação e escravização de seus cidadãos.

O seu exílio durou 70 anos, até que os persas derrotaram os babilônios.

Os persas libertaram os judeus cativos e providenciaram recursos para eles reconstruírem o seu templo, os muros de sua cidade e as suas vidas.

Os livros de Esdras e Neemias registram os eventos da era da reconstrução. Termina aí a história do Antigo Testamento.

CONCLUSÃO SOBRE O ANTIGO TESTAMENTO

A história do Antigo Testamento inclui grandes sucessos e fracassos trágicos. Trata-se de uma história do envolvimento fiel de Deus com o Seu povo.

Trata-se de uma história do abuso de Israel de sua liberdade de tomar decisões.

Ela descreve as consequências trágicas quando o direcionamento gracioso de Deus é ignorado.

Mas a melhor parte da história é que no final do Antigo Testamento, Deus não abandonou as suas promessas a o Seu povo. Ele ainda ama e cuida pacientemente dele da mesma forma que Ele faz conosco.

Visão Geral: Antigo Testamento/TaNaK

Veja a História da Bíblia completa.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!