O que são as passagens paralelas e como usá-las no estudo da Bíblia?

Passagens paralelas na Bíblia são aquelas que fazem referência uma à outra.

Que têm entre si alguma relação, ou tratam de um modo ou de outro de um mesmo assunto “explicando coisas espirituais pelas espirituais” (1 Co 2.13).

A IMPORTÂNCIA DAS PASSAGENS PARALELAS

Apelar para tais paralelos é importante porque esclarece determinadas passagens obscuras e fornece conhecimentos bíblicos cornetos quanto a doutrinas e práticas cristãs.

Para que uma doutrina seja bíblica, ela precisa resumir e expressar em si
mesma tudo o que estabelece a Bíblia e tudo que esta excetua em suas diferentes partes em relação à doutrina considerada.

Se isto fosse sempre observado, muitos erros seriam evitados.

TIPOS DE PASSAGENS PARALELAS

Convém observar que há paralelos de palavras, paralelos de ideias e paralelos de ensinos gerais.

Vamos considerar aqui os paralelos de palavras.

Quando um conjunto da frase ou o contexto não bastam para explicar uma
palavra duvidosa, procura-se adquirir o seu verdadeiro significado consultando outros textos em que aquela palavra ocorre.

EXEMPLOS DE PASSAGENS PARALELAS

Por exemplo, Paulo declara em Gálatas 6.17: “Trago no corpo as marcas de
Jesus
”.

Que marcas eram essas? Nem o conjunto da frase nem o contexto as
explicam.

Consultando, pois, as passagens paralelas, encontramos em 2 Coríntios 4.10, em primeiro lugar, que Paulo usou a expressão “levando sempre no corpo o morrer de Jesus” ao referir-se à cruel perseguição que continuamente Cristo padecia.

O texto nos indica que essas marcas se relacionam com a perseguição que
Paulo sofria, à semelhança de Jesus.

O texto fica ainda mais claro quando lemos 2 Coríntios 11.23, 25, onde o
apóstolo afirma que sofreu cinco quarentenas de açoites, e três vezes foi surrado com varas.

Tais suplícios eram tão cruéis que, se não deixavam o paciente morto,
causavam marcas no corpo que duravam a vida toda.

Assim, aprendemos que as marcas que Paulo trazia no corpo não eram chagas ou sinais da cruz milagrosa, ou artificialmente produzidas, como alguns pretendem que seja, mas dos suplícios que ele sofria por causa do evangelho.

Em Gálatas 3.27 diz o apóstolo acerca dos batizados: “de Cristo vos revestistes”.

Em que consiste o estar revestido de Cristo?

Pelas passagens paralelas de Romanos 13.13,14 e Colossenses 3.12,14, tudo se esclarece.

O estar revestido de Cristo consiste, por um lado, em ter deixado as práticas carnais, como luxúria, dissoluções, contendas e ciúmes, e em adotar como
vestido decoroso a prática de uma vida nova.

O batismo era um sinal de haverem morrido para as práticas mundanas e de haverem ressuscitado em novidade de vida, com sua correspondente prática nova.

Assim é que, consultando os paralelos, aprendemos que o estar revestido de
Cristo não consiste em haver adotado esta ou aquela túnica ou vestido sagrado, mas em adornos espirituais ou morais próprios do cristianismo simples, santo e puro (1 Pe 3.3-6).

QUER ENTENDER A BÍBLIA TODA, DE GÊNESIS A APOCALIPSE?

Curso qualidade biblica - biblioteca do pregador
COMPARTILHE estudos esbocos BIBLIOTECA DO PREGADOR

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


  1. Tou achando edificante estas mensagens. SÃO elucidativas e bíblicas, genuínas. Como pastor tou sendo edificado graça e paz irmãos.

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.