Os 4 Evangelhos: O que são e quem escreveu?

Os quatro evangelhos são as boas-novas sobre os acontecimentos mais significativos da vida, a morte redentora e a ressurreição de Jesus de Nazaré.

O SIGNIFICADO DE EVANGELHO

A palavra “evangelho”, do grego euangellion, significa “boas-novas”.

No grego secular, euangellion se referia a uma boa notícia a respeito de um acontecimento importante.

Os quatro evangelhos são as boas-novas sobre os acontecimentos mais significativos de toda a História:

A vida, a morte redentora e a ressurreição de Jesus de Nazaré.

O QUE SÃO OS 4 EVANGELHOS?

Os evangelhos não são biografias no sentido moderno da palavra, uma vez que eles não pretendem narrar a vida completa de Jesus (Jo 20:30; 21:25).

Com exceção das narrativas sobre o seu nascimento, eles dão pouca informação sobre os primeiros trinta anos de vida de Jesus.

Apesar de o ministério público de Jesus ter durado somente três anos, os evangelhos dedicam maior parte de sua atenção à última semana de sua vida (Jo 12-20).

Embora eles sejam historicamente exatos e apresentem detalhes biográficos importantes da vida de Jesus, os objetivos principais dos evangelhos são teológicos e apologéticos (Jo 20:31).

Eles fornecem respostas oficiais a questões sobre a vida e o ministério de Jesus.

Bem como fortalecem a segurança dos cristãos com relação à realidade de sua fé (Lc 1:4).

Embora muitos evangelhos falsos tenham sido escritos, a Igreja dos primórdios aceitou apenas Mateus, Marcos, Lucas e João como texto inspirado.

EVANGELHOS SINÓTICOS

Ainda que cada evangelho tenha seu ponto de vista e seu público singulares, Mateus, Marcos e Lucas compartilham um ponto de vista em comum, não compartilhado por João.

Por causa disso, eles são conhecidos como evangelhos sinóticos.

De uma palavra grega que significa “ver junto” ou “compartilhar de um mesmo ponto de vista”.

Um exemplo dessa visão compartilhada é o enfoque comum dos três evangelhos no ministério de Cristo na Galileia, enquanto João enfatiza seu ministério na Judeia.

Além disso, os evangelhos sinóticos contêm inúmeras parábolas, ao passo que João não registra nenhuma.

João e os evangelhos sinóticos registram somente dois acontecimentos em comum:

Jesus andando sobre as águas e a alimentação dos cinco mil, antes da semana da Paixão.

Essas diferenças entre João e os evangelhos sinóticos, entretanto, não são contraditórias, mas sim complementares.

Como já observado, o escritor de cada evangelho escreveu de uma perspectiva única, para um público diferente.

Como resultado, cada evangelho contém elementos distintos.

Tomados em conjunto, os quatro formam um testemunho completo a respeito de Jesus Cristo.

QUEM ESCREVEU OS EVANGELHOS?

O EVANGELHO SEGUNDO MATEUS

Mateus escreveu principalmente para um público judaico, apresentando Jesus de Nazaré como o tão esperado Messias e o legítimo rei de Israel.

Sua genealogia, diferentemente da de Lucas, focaliza a descendência real de Jesus do maior rei de Israel, Davi.

Ao longo de todo o livro de Mateus há citações do Antigo Testamento que apresentam vários aspectos da vida e do ministério de Jesus, como o cumprimento da profecia messiânica.

Somente Mateus usa a expressão “reino dos céus”.

Pois, ele evita a expressão paralela “reino de Deus” por causa da conotação antibíblica que ela tinha para o pensamento judaico do século primeiro.

Mateus escreveu o seu evangelho, então, para fortalecer a fé entre os judeus cristãos e isso fornece um recurso apologético útil para o evangelismo judaico.

O EVANGELHO SEGUNDO MARCOS

Marcos tinha como alvo o público gentio, especialmente o romano.

Marcos é um evangelho de ação.

O uso frequente de “imediatamente” e “então” mantém a sua narrativa em constante movimento.

Jesus aparece em Marcos como o servo (Mc 10:45) que veio para sofrer pelos pecados de muitos.

O ritmo veloz na abordagem de Marcos agradaria especialmente aos romanos práticos e orientados para a ação.

O EVANGELHO SEGUNDO LUCAS

Lucas escreveu para um público gentio mais amplo.

Como um grego instruído, Lucas escreveu usando a linguagem grega mais sofisticada que qualquer outro autor do Novo Testamento.

Ele foi um pesquisador cuidadoso (Lc 1:1-4) e um historiador exato.

Lucas retrata Jesus como Filho do Homem (um título que aparece 26 vezes).

A resposta para as necessidades e esperanças da raça humana, que veio para buscar e salvar os pecadores perdidos (Lc 9:56; 19:10).

O EVANGELHO SEGUNDO JOÃO

João, o último evangelho a ser escrito, enfatiza a divindade de Jesus Cristo (por exemplo: 5:18; 8:58; 10:30-33; 14:9).

João escreveu para fortalecer a fé cristã e conclamar os descrentes a se voltarem para a fé em Cristo.

O apóstolo afirma claramente o seu propósito em 20:31:

“Mas estes foram escritos para que vocês creiam que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus e, crendo, tenham vida em seu nome”.

CONCLUSÃO SOBRE OS 4 EVANGELHOS

Juntos, os quatro evangelhos tecem um retrato completo do Deus-homem, Jesus de Nazaré.

Nele estavam combinadas a perfeita humanidade e divindade, fazendo dele o único sacrifício pelos pecados do mundo, bem como o digno Senhor daqueles que creem.

Curso qualidade biblica - biblioteca do pregador
COMPARTILHE estudos esbocos BIBLIOTECA DO PREGADOR

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.