Blasfêmia Contra o Espírito Santo: O Que é e Por que é tão intolerável?

Muitos estão familiarizados com o termo “blasfêmia” principalmente com suas associações severas com “blasfemar contra o Espírito Santo – o único pecado “imperdoável” em toda a Escritura.

Mas o que é blasfêmia? E você pode cometê-la sem saber?

De acordo com o Dicionário Evangélico de Teologia Bíblica de Baker, o conceito bíblico de “blasfêmia” é diferente da definição comum hoje.

Conceito de blasfêmia de hoje

“Blasfêmia” denota qualquer expressão que insulte Deus ou Cristo e ofende profundamente seus seguidores, a blasfêmia é uma ofensa criminal.

O conceito bíblico de blasfêmia

A raiz grega da palavra blasfem-, é usada cinqüenta e cinco vezes no Novo Testamento, e tem um significado amplo.

Em ambos os Testamentos, a ideia de blasfêmia como algo que ofende as sensibilidades religiosas dos outros está completamente ausente.

Os tradutores escolhem “blasfemar” quando, por exemplo, os verbos “amaldiçoar” (qalal), “injuriar” (gadap) ou “desprezar” (herep) são usados ​​tendo Deus como objeto. Nenhum verbo especial é reservado para insultos dirigidos a Deus.

No Novo Testamento, a raiz grega blasfemar- pode ser usada para insultos fortes lançados a outras pessoas (Marcos 15:29; Atos 13:45; Efésios 4:31; 1 Pedro 4:4), ou mesmo acusações injustas (Rm 3:8), mas é mais comumente usado de insultos oferecidos a Deus (por exemplo, Ap 13:6; 16:9)

Jesus ensina que a blasfêmia para a qual não há perdão é aquela contra o Espírito Santo; todas as outras blasfêmias, particularmente aquelas contra “o Filho do Homem”, podem ser perdoadas.

O significado da blasfêmia na Bíblia

A blasfêmia é bem atestada no Antigo Testamento, em passagens como por exemplo, Levítico 24:10-16, e em Êxodo 22:28.

“Não injuriarás a Deus, nem amaldiçoarás o governante do teu povo”. 

Tal blasfêmia estava sujeita à punição com a morte. Pois, insultar a Deus (ou aqueles a quem ele designou) era questionar a integridade e a santidade do próprio Deus. Tal disposição não poderia ser tolerada na comunidade. 

A desobediência na comunidade ameaçava a própria estrutura do povo da aliança. Como o pecado de Acã (registrado em Josué 7), o pecado não ocorre isoladamente dos outros na comunidade. Quando um membro da comunidade peca, todo o corpo corporativo sofre. 

O mesmo acontecia com a blasfêmia. Se um membro da comunidade insultasse a Deus ou a seus líderes designados, toda a comunidade seria colocada em risco. Deus não permitiria tal comportamento porque ameaçava o propósito do povo de Israel entre as nações. 

“Por isso vos digo que todo pecado e  blasfêmia serão perdoados, mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada. Quem proferir uma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas quem falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem nesta era nem na vindoura.” (Mateus 12:31-32)

Versículos da Bíblia que mencionam a blasfêmia

“Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo nunca terá perdão, mas será culpado de um pecado eterno.” (Marcos 3:29)

“Os homens foram queimados pelo calor feroz; e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre essas pragas, e não se arrependeram para dar-Lhe glória.” (Apocalipse 16:9)

“O filho da mulher israelita blasfemou o Nome e amaldiçoou. Então eles o trouxeram a Moisés. (Agora o nome de sua mãe era Shelomith, filha de Dibri, da tribo de Dan.)” (Levítico 24:11)

“Portanto, filho do homem, fala à casa de Israel e dize-lhes: Assim diz o Senhor Deus: Contudo, nisto vossos pais me blasfemaram, agindo traiçoeiramente contra mim.” (Ezequiel 20:27)

“Mas quando eles resistiram e blasfemaram, ele sacudiu suas vestes e lhes disse: “Seu sangue caia sobre suas próprias cabeças! Estou limpo, de agora em diante irei para os gentios.” (Atos 18:6)

“E o dragão parou na areia da praia. Então vi subir do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças, e sobre seus chifres havia dez diademas, e sobre suas cabeças havia nomes blasfemos.” (Apocalipse 13:1)

“E abriu a boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome e do seu tabernáculo, isto é, daqueles que habitam no céu.” (Apocalipse 13:6)

“… ele me levou no Espírito para um deserto; e vi uma mulher montada numa besta escarlate, cheia de nomes blasfemos, que tinha sete cabeças e dez chifres.” (Apocalipse 17:3)

Tipos de ações e características da blasfêmia

Idolatria

A idolatria é uma ação de blasfêmia porque atribui erroneamente adoração e fé a um objeto que não é verdadeiramente Deus. 

Somente o verdadeiro Deus merece nossa adoração e nossa esperança. 

Quando encontramos conforto em outras coisas além de Deus, carregamos a culpa de blasfêmia. Falhamos em honrar corretamente a Deus com nossa adoração e esperança.

Arrogância

A arrogância é outra ação que é blasfêmia contra Deus. 

O apóstolo Paulo nos diz em Gálatas 6:3: “pensa que é alguma coisa quando na verdade não é nada, engana-se a si mesmo”. 

Esse é o caso quando vivemos como se não precisássemos de Deus em nossas vidas. Quando vivemos sem a devida consideração pela nossa necessidade de Deus, enganamo-nos a nós mesmos. 

Além disso, em Atos 17:28, Paulo disse aos atenienses que “temos o nosso ser” no próprio Deus. 

Viver arrogantemente é injuriar e mostrar desdém por Deus como Deus, o que equivale a blasfêmia.

Falsos ensinamentos

Falsos ensinos e/ou falsas representações de Deus também são blasfemas porque obscurecem o verdadeiro caráter de Deus. 

É certo que este ponto está intimamente relacionado com o conceito de idolatria, mas é um pouco mais de nuances. 

Enquanto com a idolatria tendemos a adorar e esperar em uma realidade falsa, com falsos ensinamentos ou falsas representações sobre Deus. Com isso, estamos tentando mudar o caráter de Deus para estar mais de acordo com nossas preferências.

O perigo aqui é óbvio. Enquanto com a idolatria, queremos encontrar algo fora de Deus para colocar nossas esperanças (ou seja, empregos, política, saúde, dinheiro, etc.).

Contudo, com falsos ensinamentos colocamos, Deus em nossa caixa para torná-lo mais palatável e aceitável.

Um exemplo disso seria quando achamos que a ira de Deus contra o pecado é insuportável ou desconfortável. 

Em vez de submeter a autoridade da Palavra de Deus, podemos ser tentados a suavizar o que a Bíblia realmente ensina sobre a realidade do pecado e a ira de Deus. 

Tais desvios são blasfemos porque tentam esconder a glória manifesta de Deus que se revelou exatamente da forma que ele quer que o entendamos. 

Embora nem sempre nos sintamos confortáveis ​​com isso, não temos o direito de mudar Deus, para atender às nossas necessidades. 

Em vez disso, precisamos trazer nossas necessidades em submissão a Ele.

Blasfêmia contra o Espírito Santo

Finalmente, as Escrituras falam de “ blasfêmia contra o Espírito Santo ”. 

No Evangelho segundo escreveu Marcos 3:28-30 é um dos versículos mais sérios de toda a Escritura, onde Jesus adverte seu público sobre a blasfêmia contra o Espírito Santo. 

Segundo Jesus, “todos os pecados e blasfêmias serão perdoados pelos filhos dos homens, mas quem blasfemar contra o Espírito Santo nunca será perdoado, mas será culpado de um pecado imperdoável”. 

Então, o que significa “pecado imperdoável?” O que significa cometer “blasfêmia contra o Espírito Santo?” Por que isso é tão mortal?

Quem comete tal pecado?

Muitos se perguntam: “Cometi o pecado imperdoável?” Outros se gabam de que cometeram o pecado imperdoável e, portanto, não precisam que os cristãos os envolvam em diálogo evangelístico. 

Infelizmente, grande parte da especulação em torno desses versículos está enraizada em más práticas interpretativas. 

Há uma tendência terrível de ler as escrituras isoladamente de outras escrituras e, portanto, ler as coisas fora do contexto. 

Para entender corretamente o comentário de Jesus, devemos entender esses versículos, à luz de todo o contexto do evangelho de Marcos.

O que a Bíblia ensina sobre “blasfêmia contra o Espírito Santo”

O autor do Evangelho de Marcos estava preocupado com duas questões primárias sobre Jesus

– Quem é Ele ? e o que ele está fazendo? 

A resposta para a primeira pergunta ( Quem é Ele? ) é esta: Jesus é o Filho de Deus que vem para cumprir a Palavra de Deus e trazer o Reino de Deus ao mundo. 

Essa é a boa notícia do evangelho de Jesus – o tempo está cumprido (ou seja, as coisas profetizadas no Antigo Testamento estão acontecendo por meio de Jesus) e o reino de Deus está próximo (ou seja, o reino autoritário e poderoso de Deus em Jesus explodiu para a cena neste mundo quebrado e infestado de morte).

A resposta à segunda pergunta ( O que Jesus está fazendo? ) está inextricavelmente ligada à primeira resposta. Quem é Jesus (sua identidade) dita o que Jesus faz (sua missão). 

Como o rei do reino de Deus, Jesus veio para derrubar o domínio de Satanás no mundo que Seu Pai havia criado. 

Uma maneira positiva de declarar os detalhes dessa derrubada é encontrada em Lucas 4:18-19

“O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. […] A anunciar o ano aceitável do SENHOR.”

Não há boas novas para os pobres, liberdade para os cativos ou oprimidos, ou recuperação para os cegos se o deus desta época não for derrubado. 

No entanto, isso é exatamente o que Jesus estava fazendo em seu ministério. 

Contudo, essas foram as atividades que os escribas atribuíram à obra de Satanás. 

As mesmas obras que o profeta Isaías afirmou ser o resultado da unção do Espírito Santo, esses escribas atribuíram ao Diabo. 

A Obra do Espírito Santo

O  Espírito Santo estava trabalhando no ministério de Jesus dando testemunho de Sua identidade e missão. 

Levado e fortalecido pela unção do Espírito Santo, Jesus curou os enfermos, ressuscitou os mortos, expulsou demônios, fez milagres e pregou boas novas aos pobres, oprimidos e indignos. 

O Espírito Santo deu testemunho através das palavras e obras de Jesus, que sendo realmente o Filho de Deus e que havia começado o retorno do reino de Deus no mundo.

Como se comete a Blasfêmia do Espírito Santo

Então, o que significa cometer o pecado imperdoável de “blasfemar contra o Espírito Santo?”

Enfim, rejeitando o testemunho do Espírito Santo sobre a identidade e missão de Jesus. Contudo, negando que Jesus é quem o Espírito Santo, revelou que Ele é. E por fim, rejeitando a pessoa e obra de Cristo como fortalecida pelo Espírito Santo!

Exatamente isso que os escribas estavam fazendo. 

Eles estavam olhando para a obra do Espírito Santo em e através de Jesus e rejeitando-a. 

Simplesmente não acreditariam que Jesus era o Rei do reino de Deus, vindo para saquear o domínio das trevas de Satanás, oferecendo perdão e graça a todos os cativos.

Os escribas e até mesmo alguns da família de Jesus na época não perceberam a verdadeira natureza do reino de Deus conforme estava sendo revelado em Jesus por meio do Espírito Santo. 

Para Jesus, o reino de Deus era responder à sua proclamação – o Rei está aqui e o Rei está ativo – e seguir os ideais do reino. Não se tratava de preeminência religiosa ou relacionamento familiar. 

As pessoas não faziam parte do reino de Jesus simplesmente porque eram parentes dele (como sua família) ou familiarizadas com ele (como os escribas e fariseus). 

Em vez disso, uma pessoa tornou-se parte do reino de Deus (e “veja o reino”) quando respondeu com fé e arrependimento à obra do Espírito Santo e nasceu de novo (João 3). 

No entanto, infelizmente, alguns, como aqueles em Marcos 3, resista ao testemunho do Espírito Santo sobre Jesus e Seu reino. 

Eles fecham os olhos e cobrem os ouvidos. 

Como Estêvão disse em Atos 7:51 sobre a incredulidade aparentemente perpétua de sua audiência:

“Pessoas de dura cerviz, de coração e ouvidos incircuncisos! Você está sempre resistindo ao Espírito Santo!”

Por que a blasfêmia contra o Espírito Santo não pode ser perdoada?

Então, por que rejeitar o  testemunho do Espírito Santo sobre Jesus é considerado o pecado imperdoável? 

Em conclusão, este é um pecado imperdoável porque efetivamente separa a pessoa da possibilidade de perdão e reconciliação com Deus. 

Dessa forma a pessoa rejeitar o testemunho de Cristo do Espírito Santo é rejeitar a Cristo e, assim, rejeitar tudo o que Ele é e tudo o que Ele fez, o que inclui oferecer perdão pelo pecado para todos os que se arrependerem e crerem em Seu evangelho.

A blasfêmia, portanto, é mortal porque, em última análise, leva à separação da única pessoa que pode salvar os pecadores de seus pecados.

Indiara Lourenço

Mãe, esposa e serva que ama fazer a obra de Deus. Contagia a todos com sua alegria está sempre incentivando com palavras motivadoras!
Botão Voltar ao topo