7 passos para uma compreensão mais profunda da Bíblia

Todos a procuram, quase todos a reivindicam, mas poucos conhecem a plenitude revelada na palavra de Deus. Não há recurso maior para nos ajudar a entender os mistérios de Deus e seus desejos do que a Bíblia. 

O Espírito Santo trabalhou através de Moisés, Davi, Profetas e Apóstolos para contribuir para a coleção de 66 livros que compõem o Bom Livro. Muitos escritores, mas um autor. 

2 Timóteo 3:16-17 afirma essa realidade: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para ensinar, repreender, corrigir e instruir na justiça, a fim de que o servo de Deus seja perfeitamente habilitado para toda boa obra”. 

A Bíblia não é apenas inspirada por Deus, mas nos foi dada para que, quando nossas mentes finitas não puderem entender o mundo ao nosso redor, tenhamos uma base sólida de verdade para firmar nossos corações e mentes. 

O inimigo de Deus, Satanás o enganador, adoraria que acreditássemos que a Bíblia é inacessível para nós e difícil de entender. 

Embora possam surgir desafios e perguntas ao estudarmos a palavra de Deus, não podemos permitir que eles nos impeçam de ler as palavras que mudam corações e fornecem sustento à nossa alma. 

A Bíblia é como uma vasta mina de ouro esperando para ser explorada, e os passos a seguir podem nos ajudar a desenterrar o tesouro do conhecimento e da sabedoria forjada por Deus à medida que mergulhamos em cada versículo.

1. Leia para conhecer a Deus

Ir às Escrituras para orientação, conforto ou segurança em meio às provações é o lugar certo para nossas almas encontrarem o que é mais necessário. 

Deus também nos chama para passar tempo com ele, estar em sua presença e construir nosso relacionamento pessoal ouvindo sua voz, mais claramente dada por meio de sua Palavra. 

Somos abençoados por poder ter acesso desimpedido ao Deus Vivo e à sua Palavra. Ele é um Rei que reina supremamente, eternamente, e nos acolhe em sua sala do trono sem reservas. 

Sem fazer o esforço de explorar as riquezas de nossa herança por meio de Cristo, podemos nos contentar com uma fé fraca e imatura. 

Deus já nos conhece e nos ama, e Ele está disposto a ser conhecido se simplesmente o buscarmos. 

No entanto, quando deixamos que o medo da compreensão limitada nos impeça de aprender sobre o caráter de Deus, também deixamos de crescer em confiança nele. 

Por que colocaríamos nossos entes queridos, carreiras e as maiores decisões da vida nas mãos de alguém que mal conhecemos? Se deixarmos que o desejo de conhecer a Deus nos leve à Palavra, a disciplina se tornará deleite. E a pressão de lutar por uma erudição sofisticada dará lugar a conhecer nosso Pai que ama seus filhos.

2. Procure entender toda a Bíblia

Eu sei que parece uma grande pergunta, mas não é a tarefa assustadora que você pode pensar. Se você quiser ir mais fundo, você também deve ir mais longe (capa a capa). 

Quando eu era um novo cristão, uma das coisas mais úteis que fiz foi pegar uma Bíblia infantil. Li tudo de uma vez. E, embora tenha certeza de que era para crianças de quatro anos, saí dessa leitura sabendo quem eram Abraão, Moisés, Elias, Pedro e Paulo. 

O Antigo e o Novo Testamento trabalham juntos para mostrar:

  • A beleza do início da criação;
  • A tragédia da queda da humanidade no pecado;
  • A previsão e o cumprimento das profecias;
  • E a alegria da tão esperada entrada do messias na história humana. 

É preciso toda a Bíblia para trazer toda a mensagem de Deus e nos apontar inequivocamente para Jesus como o Salvador e Redentor de cada nação, tribo, época e cultura. 

Se lemos a Bíblia por tópico ou apenas lemos algumas seções, sentimos muita falta, como ver apenas as casas abaixo da Noite Estrelada da obra-prima de Vincent Van Gogh. 

Tudo bem começar pequeno, mas, eventualmente, devemos crescer para ler a Bíblia inteira se esperamos conhecer e entender toda a história. 

Quando bebemos profundamente do poço da palavra de Deus, vemos que Jesus é a metanarrativa. Ele não está apenas nos evangelhos, mas está presente na Criação, ele aparece como o Anjo do Senhor antes de chegar como um bebê na manjedoura e declara vitória no final! 

3. Desacelere

Agora que abordamos o quão importante é ter uma compreensão de toda a história, a fim de descobrir verdades profundas, também devemos aproveitar nosso tempo para saborear a riqueza do que as Escrituras oferecem. 

Podemos gastar muito tempo com um versículo e ainda assim nunca compreender todo o peso da verdade que ele apresenta, mas ainda assim sair com profunda convicção, conforto e conhecimento. 

Ao desacelerar e procurar o máximo de observações sobre uma passagem da Bíblia de cada vez, nos leva a uma interpretação mais informada. Além disso, também perceberemos que não importa onde estejamos em nossa caminhada com Cristo, há sempre mais para descobrir. 

Isso não deve ser um desânimo, mas uma garantia emocionante. Saber que nunca saberemos tudo alivia qualquer tentação de entrar em pânico. Isso porque paramos de alcançar um objetivo impossível e nos deixamos descansar nas palavras diante de nós. 

Podemos ser pacientes com o nosso progresso.

4. Analisar Passagens como Literatura

Podemos ser tentados a arrancar versículos de seu contexto e aplicá-los onde for conveniente. No entanto, não vemos os temas principais que Deus está tentando nos apontar. Por isso, é preciso procurarmos os temas maiores que emergem de partes do texto que parecem ter um foco específico. 

Por exemplo, todo o livro de Juízes aponta para a destruição que se desenrola sobre um povo que insiste em fazer o que é “certo aos seus próprios olhos”. Podemos aprender tanto com as histórias dos sábios quanto dos tolos no livro, mas ao observarmos o tema abrangente, saímos com ainda mais.

A Bíblia traz contos em diferentes formas literárias com diferentes intenções por trás deles. Grande parte do Novo Testamento é composto de cartas para igrejas e pessoas, os Salmos são canções e poesias, Moisés garantiu que o Antigo Testamento fosse repleto de história que nos fala das primeiras interações de Deus com a humanidade. 

Ao perceber a estrutura, os temas e até mesmo as escolhas gramaticais, vemos mais da mensagem. Esses elementos literários atuam como a linguagem corporal das palavras sagradas.

5. Explore suas motivações

Se você está procurando Deus para confirmar seus caminhos ao ler a Bíblia, você está seguindo um caminho de frustração. Devemos reconhecer que os caminhos de Deus não são os nossos caminhos, ou nossos corações não virão humildemente à palavra pronta para ser ensinada. 

Quando abrimos as Escrituras e as buscamos para nos tornar mais semelhantes a Cristo, descobriremos que nossa vontade nem sempre se alinha com a dele. Quando a pergunta se apresenta: “Estou certo ou Deus está certo?” Você deve reconhecer que apenas uma das opções neste cenário é alguém que não pode falhar. 

Alerta de spoiler: nós somos os falíveis, pois Deus, “Ele é a Rocha, suas obras são perfeitas e todos os seus caminhos são justos. Um Deus fiel que não comete injustiça, reto e justo é ele” (Dt 32:4).

6. Ensine os outros

Ao trazer seu estudo da Bíblia para o contexto da comunidade, você aumenta muito sua capacidade de reter o que aprendeu. 

Isso não significa que você tem que ensinar um estudo bíblico, mas significa compartilhar sua fé com outros em qualquer contexto em que você se encontre.

Compartilhar as boas novas foi ordenado por Jesus e ele tem TODA autoridade no céu e na terra (Mateus 28 :18-2). 

O ensino ajudará a aumentar seu próprio entendimento, bem como a outros. E que melhor conhecimento poderíamos compartilhar além do conhecimento salvador de Jesus Cristo?

7. Junte sua leitura com oração

Se você é um crente em Cristo, você tem o Espírito Santo dentro de você. Você não poderia encontrar maior professor, conselheiro ou doador de sabedoria. Então, antes de começar seu estudo, peça sua instrução. 

Em 1 João 5:14, temos esta promessa: “Esta é a confiança que temos em nos aproximar de Deus: que, se pedirmos alguma coisa de acordo com a sua vontade, ele nos ouve”. 

Podemos estar confiantes de que buscar uma compreensão mais profunda da Bíblia está dentro de sua vontade para nós, mas não podemos simplesmente pedir, precisamos ouvir.

Sempre haverá mais para encontrar à medida que exploramos a palavra de Deus. Como Jesus disse em João 6:63: 

“O Espírito vivifica; a carne não conta para nada. As palavras que vos disse estão cheias do Espírito e de vida”. 

Não podemos esquecer que quando lemos a Bíblia, estamos interagindo com um ser santo, o ser mais santo

Ler a palavra de Deus não é uma atividade independente, Deus está sempre com você. Deixe-o ser seu guia e você perceberá que mesmo que lute para encontrar seu caminho, com ele, você nunca estará perdido.


Autora Chara Donahue.

Botão Voltar ao topo