Qual o significado do “terceiro céu” mencionado por Paulo

O apóstolo Paulo menciona em sua carta aos Coríntios sobre uma experiência de um homem, (ele próprio), levado ao “terceiro céu”. Essa passagem, encontrada em 2 Coríntios 12:2-4, tem sido objeto de muitas interpretações e debates ao longo dos séculos. Algumas pessoas acreditam que Paulo estava descrevendo uma visão literal do céu, enquanto outras pensam que se trata de uma metáfora para uma experiência espiritual profunda.

Neste artigo, vamos explorar o significado do “terceiro céu” e o que podemos aprender com a experiência de Paulo. Veremos que essa passagem nos ensina importantes lições sobre humildade, graça e a natureza do relacionamento entre Deus e o homem.

O que a Bíblia diz sobre o terceiro céu?

A Bíblia faz menção ao terceiro céu em duas ocasiões. A primeira está em 2 Coríntios 12:2-4, onde o apóstolo Paulo fala de uma visão que teve do paraíso:

“Conheço um homem em Cristo que, há catorze anos, foi arrebatado até o terceiro céu. Se foi no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe. E sei que esse homem – se no corpo ou fora dele, não sei, mas Deus o sabe – foi arrebatado ao paraíso e ouviu coisas indizíveis, as quais ao homem não é permitido falar.”

A segunda referência ao terceiro céu está em Apocalipse 2:7, onde o autor do livro menciona que aqueles que vencerem receberão a permissão de comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus.

Não há muitas informações adicionais sobre o terceiro céu nas Escrituras, mas acredita-se que ele seja uma referência ao céu mais alto e distante, onde Deus habita. Alguns teólogos sugerem que os três céus mencionados na Bíblia (o primeiro céu seria o céu atmosférico visível, o segundo céu seria o espaço sideral, e o terceiro céu seria a dimensão espiritual onde Deus habita) são uma forma figurativa de descrever a totalidade da criação.

Qual é o significado de “Céus”?

A palavra “céus” na Bíblia se refere ao espaço que está acima da Terra, ou seja, a abóbada celeste ou o firmamento que aparece acima de nós.

Em Gênesis 1, a Bíblia descreve a criação dos céus e da terra como um ato de Deus. A palavra “céus” descreve a expanse que Deus criou no segundo dia da criação (Gênesis 1:6-8). O termo também se usa em outras partes da Bíblia para se referir a diferentes esferas celestiais, como os céus atmosféricos visíveis, o espaço sideral e a dimensão espiritual onde Deus habita.

Na cultura hebraica, o termo “céus” muitas vezes se usava para se referir a Deus, como uma maneira de evocar Sua majestade e soberania. Em alguns casos, a palavra “céus” pode se referir metaforicamente a um reino celestial, ou à esperança de vida após a morte.

Em resumo, o significado de “céus” na Bíblia é bastante amplo, referindo-se ao espaço celeste acima da Terra e, em alguns casos, sendo usado metaforicamente para se referir a Deus ou à esperança de vida após a morte.

Qual é o contexto de 2 Coríntios 12:2?

No capítulo 12 de 2 Coríntios, o apóstolo Paulo está defendendo sua autoridade apostólica contra os falsos mestres que estavam questionando sua integridade e autoridade. Ele menciona que teve visões e revelações de Deus para confirmar sua chamada e ministério.

No versículo 1, Paulo fala sobre uma experiência que teve há quatorze anos, onde foi arrebatado ao terceiro céu. Ele não especifica se isso aconteceu em corpo ou em espírito, mas diz que ouviu “palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar”.

Paulo usa essa experiência como uma maneira de validar sua autoridade apostólica, afirmando que não é digno de ser comparado aos falsos mestres que estavam tentando desacreditá-lo. Ele argumenta que a graça de Deus é suficiente para ele, mesmo que tenha tido essa experiência extraordinária.

Assim, o contexto de 2 Coríntios 12:2 é uma defesa de Paulo de sua autoridade apostólica e uma afirmação da suficiência da graça de Deus.

paraíso e céu

O que Paulo viu no terceiro céu?

A Bíblia não fornece muitos detalhes sobre o que Paulo viu no terceiro céu, mas em 2 Coríntios 12:2-4, Paulo descreve uma experiência sobrenatural que teve. Na visão, Paulo afirma ter conhecido um homem, que teve um arrebatamento até o terceiro céu e ouviu coisas indizíveis.

A partir deste relato, podemos entender que Paulo teve uma experiência fora do comum e que foi transportado para o terceiro céu. Ele menciona ter ouvido “coisas indizíveis”, que não podia revelar a outros. Paulo também menciona que não sabe se estava em seu corpo ou em espírito, o que sugere que sua experiência pode ter sido em uma dimensão diferente da realidade física.

Algumas interpretações sugerem que Paulo pode ter tido uma visão do próprio céu e da glória de Deus, ou que pode ter recebido revelações adicionais sobre a natureza de Deus e de sua obra. No entanto, a Bíblia não especifica exatamente o que Paulo viu ou ouviu durante sua experiência no terceiro céu.

Que lições podemos aprender com isso?

Embora não saibamos exatamente o que Paulo viu ou ouviu no terceiro céu, sua experiência pode nos ensinar algumas lições importantes:

1. Deus pode revelar-se de maneiras sobrenaturais. A experiência de Paulo mostra que Deus pode escolher se revelar a nós de maneiras que transcendem nossa compreensão e experiência normais. Isso nos ensina que devemos estar abertos a todas as maneiras pelas quais Deus pode querer se comunicar conosco.

2. A graça de Deus é suficiente. Paulo menciona que teve essa experiência extraordinária, mas também reconhece que a graça de Deus é suficiente para ele em todas as circunstâncias. Isso nos ensina que, independentemente das experiências que possamos ter, a graça de Deus é suficiente para nos sustentar.

3. Devemos confiar em Deus, não em nossas próprias experiências. Embora a experiência de Paulo tenha sido única e poderosa, ele não confia nela como prova de sua autoridade apostólica ou de sua relação com Deus. Em vez disso, ele confia na graça de Deus e no poder do evangelho. Isso nos ensina que devemos confiar em Deus e na verdade de sua palavra, em vez de confiar em nossas próprias experiências ou conquistas.

O que isto significa?

O que é o terceiro céu? Provavelmente é uma forma de falar sobre estar mais profundamente na presença de Deus. É o que os crentes em Jesus estão esperando na eternidade. E se Deus nos der alguma experiência como uma visão, um sonho ou revelação, antes de tudo, precisamos concentrar-se na humildade e não divulgando nossa experiência.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.
Botão Voltar ao topo