Quem são os Santos e mártires da Grande Tribulação

A expressão santos da Grande Tribulação designa os indivíduos que se tornarão crentes durante a Tribulação de sete anos que se seguirá ao arrebatamento.

OS SANTOS DA GRANDE TRIBULAÇÃO

Em Apocalipse 7.9-17, João descreve-os, afirmando que são tão numerosos que não se consegue contá-los.

João também declara que eles vêm de todas as nações, tribos, povos e línguas que há sobre a terra.

Eles estão vestidos de branco, porque creram em Jesus Cristo.

Estes versículos confirmam que, mesmo em meio aos horrores, ao engano e às grandes dificuldades da Tribulação, muitas pessoas rejeitarão o Anticristo e aceitarão a Jesus, passando a segui-lo.

A descrição destes santos em 7.9-17 aparece logo depois do comentário de João sobre os 144 mil israelitas que serão selados para proteção e ministério especial, durante a Grande Tribulação.

Assim, é provável que estes santos gentios venham a crer no Messias como resultado da pregação dos 144 mil.

A presença destes crentes durante a Tribulação também é uma indicação de que a obra regeneradora do Espírito Santo continuará sobre a terra depois do arrebatamento.

Alguns entendem que, embora o Espírito Santo não restrinja o mal durante a Grande Tribulação, Ele continuará desempenhando os seus outros ministérios, como, por exemplo, o de encher e selar os crentes.

Estes ministérios resultarão em um avivamento mundial durante a Grande Tribulação, ainda que muitas pessoas decidam seguir o Anticristo.

SANTOS E MÁRTIRES DA GRANDE TRIBULAÇÃO

Na Grande Tribulação, alguns dos santos serão martirizados por causa de sua fé, durante aquele período.

Estes mártires da Grande Tribulação estão em Apocalipse 6.9-11, que descreve o juízo do quinto selo.

Os santos perseguidos são aqueles que crerão em Jesus Cristo durante a primeira parte da Grande Tribulação.

Apocalipse 6.9 retrata os mártires da Tribulação “debaixo do altar”. Isso porque, no Antigo Testamento, o sangue dos sacrifícios era derramado à base do altar (Êx 29.12; Lv 4.7).

A ORAÇÃO DE JOÃO

Em Apocalipse 6.10, João ouve-os clamar, perguntando por que Deus não vingava as suas mortes e julgava seus perseguidores.

Esta oração é semelhante a dos salmos imprecatórios, como o 74.10.

A resposta, em Apocalipse 6.11, é para esperar um período pequeno, antes da retribuição divina, de modo que o plano de Deus se complete.

Este curto período é o restante da Grande Tribulação.

A oração de vingança se cumpre durante o juízo da terceira taça

“E o terceiro anjo derramou a sua taça nos rios e nas fontes das águas, e se tornaram em sangue. E ouvi o anjo das águas, que dizia: Justo és tu, ó Senhor, que és, e que eras, e santo és, porque julgaste estas coisas. Visto como derramaram o sangue dos santos e dos profetas, também tu lhes deste o sangue a beber; porque disto são merecedores. E ouvi outro do altar, que dizia: Na verdade, ó SENHOR Deus Todo-Poderoso, verdadeiros e justos são os teus juízos” (Apocalipse 16.4-7).

Os santos martirizados ressuscitarão no final da Grande Tribulação e entrarão na bênção do Milênio, e reinarão com Jesus Cristo (Ap 20.4-6).

É, portanto, neste momento que eles receberão corpos ressurretos.

Referência: Enciclopédia Popular de Profecias.

curso escatologia napoleão falcão

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.