Estudo sobre Oração: Como devemos orar?

Estudo Bíblico e sermão completo sobre a oração – explorando objetivos, posições, atitudes, destino, natureza, o poder da oração e exemplos de orações na Bíblia.

Amado(a), se você busca lições para ministrar sobre oração, aqui está um bom estudo. Mas, caso você esteja apenas querendo aprender mais sobre como deve ser a oração, este é o estudo ideal.

TEXTO deste estudo sobre Oração: Lucas 11:1

E ACONTECEU que, estando ele a orar num certo lugar, quando acabou, lhe disse um dos seus discípulos: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos.

1. O que é Oração

A oração é falar com Deus. É a expressão de comunicação espiritual entre o ser humano e Deus, uma interação de reciprocidade na qual não apenas falamos com Deus, mas também abrimos nossos ouvidos para ouvir Sua voz. É comparável à conversa de uma criança com seu pai, naturalmente buscando dele as coisas necessárias.

A Bíblia oferece diversas promessas que nos incentivam a orar, como:

“Ele me invocará e eu lhe responderei: estarei com ele na angústia; eu o livrarei e o honrarei” (Salmos 91:15);

“E acontecerá que antes que clamem, eu responderei; e enquanto eles ainda estiverem falando, eu os ouvirei” (Isaías 65:24);

“Peça e lhe será dado; Procura e acharás; bata e a porta lhe será aberta” (Mateus 7:7).

A Escritura nos encoraja a orar uns pelos outros, assegurando-nos que Deus ouve e responde às nossas orações.

Quando recebemos Cristo em nossos corações, tornamo-nos filhos de Deus, concedendo-nos o privilégio de dialogar com Ele por meio da oração, a qualquer momento e sobre qualquer assunto.

A vida cristã, desse modo, é uma jornada de relacionamento pessoal com Deus através de Jesus Cristo, prometendo um vínculo eterno que transcende esta vida terrena.

2. Objetivos da Oração

maneiras de melhorar sua adoração - orando com sinceridade

Muitas vezes nos questionamos sobre o impacto da oração em nossas vidas. Ouvimos dizer que uma pessoa sofrerá se não orar, mas é importante compreender que o que realmente sofrerá é a vida do Filho de Deus dentro de nós, ou seja, nossa vida espiritual, alimentada não de comida, mas de oração.

A oração é o meio pelo qual alimentamos a vida de Deus em nós, um relacionamento vivo e vital com nosso Criador. Às vezes, reduzimos a oração a uma simples busca por coisas para nós mesmos, mas o propósito bíblico da oração é muito mais profundo: conhecer o próprio Deus.

Jesus nos disse: “Peça e você receberá…” (João 16:24). Ele nos convida a dar a Ele a oportunidade e o espaço para trabalhar em nossas vidas.

Devemos nos aproximar de Deus com sinceridade, sendo autênticos diante Dele, apresentando nossos problemas e necessidades. No entanto, enquanto nos considerarmos autossuficientes, sem precisar pedir nada a Deus, perdemos a essência da oração.

A oração não apenas muda as circunstâncias externas, mas também transforma a nós mesmos. É um poderoso meio de operar milagres na natureza interna de uma pessoa.

Ao orarmos, temos, portanto, como objetivos primordiais:

A) Conhecer a Deus

A oração nos permite entrar em um relacionamento íntimo com nosso Criador. É por meio da oração que nos aproximamos Dele, buscamos Sua presença, compreendemos Sua vontade e experimentamos Sua graça e amor.

A prática de orar nos leva a conhecer a essência divina e a nos aprofundar em um relacionamento significativo com Ele.

B) Transformar a nós mesmos

A oração não é apenas um meio de mudar as circunstâncias ao nosso redor, mas também uma ferramenta de transformação pessoal.

Quando nos entregamos a Deus em oração, permitimos que Ele trabalhe em nós, moldando nosso caráter, renovando nossa mente e fortalecendo nossa fé.

Através da oração, recebemos capacitação para abandonar padrões de pensamento e comportamento prejudiciais e a nos conformar cada vez mais à imagem de Cristo.

C) Comunicar com Deus

A oração é uma comunicação bidirecional com o Pai celestial. É o meio pelo qual expressamos nossos pensamentos, sentimentos, alegrias, tristezas e anseios a Ele. Ao mesmo tempo, é uma oportunidade para ouvirmos a voz de Deus, recebermos Sua orientação e experimentarmos Sua paz e consolo.

Que maravilha, não é? Então, saiba, através da oração, nos conectamos com Deus de forma íntima e profunda.

3. O destino e meio da oração

O destino da oração

A) Oramos a Deus

O verdadeiro destino de nossas orações é Deus e somente Ele. Devemos direcionar nossas súplicas, clamores e louvores exclusivamente a Ele, reconhecendo que Ele é o único digno de receber nossa adoração.

Em Salmo 5:2, encontramos as palavras do salmista:

“Dá ouvidos à voz do meu clamor, meu Rei e meu Deus”.

Nossas orações são oferecidas ao Senhor, que está sempre pronto a nos ouvir e responder conforme a Sua vontade.

B) Oramos através de Cristo

É importante compreender que o acesso ao Pai é possível somente por meio de Cristo. Pois, Ele é o caminho, a verdade e a vida que nos conduz à presença de Deus. Em Efésios 2:18, lemos:

“Porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um só Espírito”.

Jesus é nosso mediador, aquele que nos reconcilia com o Pai e nos permite nos aproximarmos Dele em oração. Portanto, quando oramos, devemos fazê-lo em nome de Jesus, confiando em Sua obra redentora e na graça que Ele nos proporciona.

C) Oramos no Espírito Santo

O Espírito Santo desempenha um papel vital em nossas orações. Pois, Ele nos capacita, guia e intercede em nosso favor. É essencial aprendermos a orar no Espírito, permitindo que Ele direcione nossas palavras e intenções de acordo com a vontade de Deus.

Em Judas 1:20, somos exortados a orar no Espírito Santo:

“Mas vós, amados, edificando-vos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo”.

Quando oramos em sintonia com o Espírito, somos fortalecidos espiritualmente e alinhados ao propósito divino.

4. Como deve ser a oração

Posições de orar

5. Posições de orar

Em pé 

E quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial lhes perdoe os seus pecados. (Marcos 11:25);

Prostrando-se:

“Ó, vinde, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemos diante do SENHOR, que nos criou.” (Salmos 95:6)

Ajoelhado:

“E afastou-se deles cerca de um tiro de pedra e, pondo-se de joelhos, orava.” (Lucas 22:41)

Com o rosto em terra:

“E ele disse: Não, mas venho agora como príncipe do exército do SENHOR. Então Josué se prostrou com o rosto em terra, e o adorou, e disse-lhe: Que diz meu senhor ao seu servo?” (Josué 5:14)

Levantar as mãos:

“Quero, pois, que os homens orem em todo lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda.” (1 Timóteo 2:8)

Sentado:

“Então entrou o rei Davi, e se assentou perante o SENHOR.” (1 Crônicas 17:16)

Deitado:

“E adiantando-se um pouco, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres.” (Mateus 26:39)

Curvando-se:

“E Moisés se apressou, e inclinou a cabeça para a terra, e adorou.” (Êxodo 34:8)

6. A oração acontece

A oração acontece

A) Sem cessar:

A oração não deve ser um evento pontual em nossas vidas, mas um estilo de vida constante. A palavra de Deus nos encoraja a orar sem cessar, como nos lembra 1 Tessalonicenses 5:17:

“Orai sem cessar”.

A oração contínua nos mantém conectados com Deus em todos os momentos, permitindo que nossa comunicação com Ele seja constante e nossa dependência Dele seja renovada a cada instante.

B) Em todos os lugares:

Não há restrições geográficas ou limitações para a oração, podemos orar em todos os lugares. Como nos ensina 1 Timóteo 2:8:

“Quero, pois, que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda”.

A oração não está restrita a um local específico, mas é uma prática que pode ser exercida em qualquer lugar. Podemos nos achegar a Deus em oração não apenas nos lugares de culto, mas também em nossas casas, no trabalho, nas ruas e em qualquer ambiente em que nos encontremos.

C) Com sinceridade:

A oração deve ser feita com sinceridade e genuinidade de coração. Não devemos nos preocupar ou ficar ansiosos com as circunstâncias, mas apresentar nossos pedidos diante de Deus com gratidão, como nos orienta Filipenses 4:6:

“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças”.

Amado(a), isso é importante sobre orar. Pois, ao orarmos sinceramente, colocamos nossas preocupações e necessidades nas mãos de Deus, confiando em Sua sabedoria e provisão.

Atitudes em oração

7. Atitudes em oração

  • Louvor e Ação de Graças – Filipenses 4:6
  • Arrependimento e Confissão – 1 João 1:9
  • Petição – Tornando nosso pedido conhecido – Filipenses 4:6
  • Ouvir – Reserve um tempo para ouvir a Deus – Salmo 85:8
  • Choro – Jeremias 31:9
  • Jejum – Atos 13:3
  • Regozijando-se na esperança – Romanos 12:12
  • Paciente em tribulação – Romanos 12:12
  • Intercessão – 1 Timóteo 2:1
  • Consagração – Romanos 12:1
  • Submissão à vontade de Deus – Mateus 26:39
  • Gratidão – Colossenses 4:2
  • Perdão – Mateus 6:14-15
  • Fé – Marcos 11:24
  • Confiança – Provérbios 3:5-6
  • Humildade – 1 Pedro 5:6
  • Persistência – Lucas 18:1-8
  • Unidade – Mateus 18:19-20
  • Bênção e consagração de pessoas ou situações específicas – Tiago 5:14-15
  • Entrega completa a Deus – Salmo 37:5

8. A oração deve ser feita:

A oração deve ser feita

A) Na fé

A oração deve ser feita com fé, sem qualquer dúvida em nosso coração. Conforme Tiago 1:6 nos ensina:

“Mas deixe-o pedir com fé, nada duvidando”.

A fé é a base sobre a qual nos aproximamos de Deus em oração, confiando que Ele é capaz de responder e agir em nossas vidas de acordo com Sua vontade.

B) Com confiança em Deus

Amado(a), ao orar, devemos ter plena confiança em Deus e em Seu amor por nós. Como afirma 1 João 5:14:

“E esta é a confiança que temos Nele, que, se pedirmos alguma coisa segundo a Sua vontade, ele nos ouve”.

Sabendo que Deus nos ouve e nos conhece profundamente, podemos orar com segurança, sabendo que Ele responderá de acordo com o que é melhor para nós.

C) Na verdade

A oração verdadeira é sincera e genuína, baseada na nossa comunhão com Deus. Conforme nos lembra o Salmo 145:18:

“O Senhor está perto de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade”.

Que benção isso, não é? Mas não acabou, temos mais para aprender neste estudo.

D) Com desejo de ser ouvido

Podemos expressar esse desejo por meio de palavras como encontramos nos Salmos. Por exemplo, em Salmo 55:1, o salmista clama:

“Dá ouvidos à minha oração, ó Deus”.

Devemos apresentar nossos pedidos e súplicas a Deus, sabendo que Ele está atento e pronto para nos ouvir.

E) Com desejo de ser respondido

A oração não é apenas um ato de falar com Deus, mas também de esperar e desejar uma resposta Dele. Devemos orar com a expectativa de que Deus responderá às nossas orações.

Como encontramos nos Salmos 102:2:

“No dia em que eu ligar, me responda rapidamente” e Salmo 143:1: “Em tua fidelidade, responde-me”.

Devemos orar com fé e confiança, acreditando que Deus nos responderá de acordo com Sua vontade e sabedoria.

F) Com ousadia

Em Hebreus 4:16, a palavra nos encoraja a nos aproximarmos do trono da graça com ousadia, para encontrarmos misericórdia e graça em tempos de necessidade.

Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.

Ou seja, podemos nos achegar a Deus com confiança, sabendo que Ele é um Deus amoroso e misericordioso, pronto para nos ajudar em nossas necessidades.

G) Com santidade e humildade

Conforme nos lembra 2 Crônicas 7:14:

“Se o meu povo, que é chamado pelo nome, se humilhar e orar…”.

A oração deve ser acompanhada de uma postura de humildade diante de Deus, reconhecendo nossa dependência Dele e buscando Sua vontade acima da nossa.

Além disso, devemos buscar a santidade, purificando nossos corações e nos afastando do pecado, para que possamos nos aproximar de Deus em comunhão íntima.

como orar a oração do Senhor

9. Uma Abordagem Prática da Oração

Um método útil para orientar um momento de oração equilibrado é o acróstico ACTS [ATOS]. Cada letra representa um componente-chave na resposta a Deus durante a oração: Adoração, Confissão, Tendo Gratidão e Súplica.

Vamos explorar brevemente cada um desses elementos para entender como eles se integram em uma vida de oração vibrante.

A. Adoração: Reconhecendo a Grandeza de Deus

À medida que você reflete sobre o que aprendeu durante o estudo, compartilhe com Deus o que você aprecia em Seu caráter.

A palavra “adoração” compõe-se em inglês de “worthship” (valor) e significa reconhecer a dignidade e mérito de algo. Tanto anjos quanto seres humanos redimidos expressam isso nos céus, e é nosso privilégio fazer o mesmo na Terra:

“Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder…” (Apocalipse 4:11).

B. Confissão: Reconhecendo Nossa Fragilidade

Ao aceitarmos Cristo como Salvador e Senhor, somos purificados de todos os nossos pecados – passados, presentes e futuros. No entanto, ainda enfrentamos a tentação de desobediência devido à nossa natureza pecaminosa.

Para manter nossos corações abertos à presença de Deus, é crucial confessarmos nossos pecados periodicamente.

A palavra “confissão” no Novo Testamento significa “dizer a mesma coisa que” ou “concordar com” Deus. Neste momento, devemos ser abertos e honestos, resultando em purificação e empoderamento pelo sangue de Cristo.

C. Tendo Gratidão: Reconhecendo a Graça de Deus

A gratidão é uma virtude fundamental na vida cristã. Ao listar os pecados que caracterizam a queda da humanidade, Paulo surpreendentemente adiciona à lista: “…nem lhe deram graças” (Romanos 1:21).

Ser um crente em Jesus Cristo é ser um recipiente do favor imerecido de Deus. À medida que reconhecemos as respostas da graça, podemos aproveitar a oportunidade de “contar nossas bênçãos” em um horário específico todos os dias.

D. Súplica: Expressando Nossas Necessidades a Deus

Assim como as crianças são persistentes em suas súplicas, Deus, nosso Pai amoroso, se alegra em atender a esses pedidos.

A súplica envolve tornar nossas necessidades conhecidas ao Pai Celestial, que se preocupa e deseja responder de acordo com Sua vontade.

Jesus destacou essa perspectiva espiritual ao afirmar: “…se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” (Lucas 11:11, 13).

Desenvolvendo um Estilo de Vida de Adoração como Jovem Cristão

10. Oração como um Estilo de Vida

Em João 14:21, Jesus declarou:

“Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele.”

Essa afirmação destaca a conexão íntima entre o amor por Deus, a obediência aos Seus mandamentos e a manifestação da presença de Cristo na vida do crente.

Se encaramos nosso tempo devocional silencioso apenas como um oásis espiritual diário, corremos o risco de criar compartimentos em nossa vida espiritual. Desde o Jardim do Éden, Deus anseia por caminhar ao lado de Seu povo na jornada da vida (Gênesis 3:8).

Portanto, torna-se crucial internalizar o que aprendemos em nossas leituras bíblicas e orações, carregando esses ensinamentos ao longo de todo o dia.

A oração não deve ser vista como uma prática isolada, mas sim como um estilo de vida contínuo. Ao levar conosco os princípios e as verdades reveladas na comunhão com Deus, transformamos cada momento cotidiano em uma oportunidade para expressar nosso amor por Ele através da obediência e comunhão constante.

Assim, nossa vida diária torna-se uma jornada espiritual em que a presença de Deus permeia cada ação, pensamento e decisão.

Em vez de confinar a espiritualidade a momentos específicos do dia, abraçamos a ideia de que cada passo, cada palavra e cada escolha podem ser guiados pela comunhão com Deus.

Dessa forma, vivemos uma vida de oração em constante diálogo com o Criador, buscando Sua orientação e expressando nosso amor por meio da obediência e da consciência contínua de Sua presença.

Poder da Oração Versículos mais Inspiradores

11. Qual o poder da oração?

Amado(a), se você chegou até aqui, certamente está aprendendo muito através deste estudo. Então vamos continuar.

Qual o poder da oração? O poder da oração é profundo e transformador. Ela nos conecta com o divino e nos permite comunicar diretamente com Deus, o Criador do universo. Ela tem o potencial de afetar tanto a nossa vida espiritual quanto a nossa experiência terrena. Aqui estão alguns aspectos do poder da oração:

A) Intimidade com Deus:

Em primeiro lugar, podemos fala sobre intimidade. Quando nos achegamos a Ele em oração, podemos compartilhar nossos pensamentos, sentimentos, preocupações e alegrias com o nosso Pai celestial. Esse relacionamento próximo com Deus nos fortalece espiritualmente e nos traz uma sensação de paz e segurança.

B) Transformação pessoal

A oração tem o poder de transformar nossos corações e mentes. Quando nos rendemos a Deus em oração, Ele pode trabalhar em nós, moldando-nos à imagem de Seu Filho Jesus Cristo.

Através da oração, podemos experimentar mudanças internas, como o crescimento na fé, o perdão, o amor pelos outros e o desenvolvimento de virtudes cristãs.

C) Impacto nas circunstâncias

Amado(a), a oração tem o poder de influenciar as circunstâncias ao nosso redor. Embora Deus seja soberano e Sua vontade prevaleça, Ele nos convida a apresentar nossos pedidos a Ele em oração.

A Bíblia nos encoraja a orar por nossas necessidades, pelas necessidades dos outros, por cura, por provisão, por direção e por muitas outras coisas.

Deus pode intervir nas situações de acordo com Sua vontade e sabedoria, respondendo às nossas orações de maneiras que muitas vezes não podemos compreender.

D) Fortalecimento espiritual

Ela nos ajuda a crescer em fé, confiança, gratidão e dependência de Deus. Através da oração, recebemos a graça e o poder divino para enfrentar desafios, resistir às tentações e perseverar nas dificuldades. Ela nos permite buscar a orientação do Espírito Santo em todas as áreas de nossa vida.

E) Unidade e intercessão

E por fim, a oração tem o poder de unir os crentes e nos capacita a interceder uns pelos outros. Pois, quando nos unimos em oração, estamos fortalecendo os laços da comunidade cristã e demonstrando amor e cuidado uns pelos outros.

Podemos interceder em favor dos necessitados, das injustiças, dos líderes, da igreja e das questões globais, buscando a vontade de Deus em todas as coisas.

Como o Espírito Santo ajuda os crentes a orar?

O Espírito Santo não apenas instiga a prática da oração em todos os crentes, mas também desempenha um papel vital em orientar nossas orações de maneira apropriada. Como delineado em Romanos 8:26-27:

“Da mesma forma o Espírito nos ajuda nas nossas fraquezas. Porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque o Espírito intercede pelos santos segundo a vontade de Deus.”

O Espírito Santo não apenas recorda verdades bíblicas para guiar nossas orações quando enfrentamos a incerteza do que pedir ou quando nossas petições podem desviar-se, mas também aprimora nossas preces aos ouvidos do Pai e até mesmo intercede por nós.

Além disso, Ele é capaz de transformar até mesmo nossos gemidos em direção a Deus em orações que estejam em total alinhamento com a vontade divina.

Portanto, somos encorajados a orar mesmo em meio à nossa “fraqueza” e incerteza, mesmo quando nossos corações estão tão sobrecarregados que tudo o que conseguimos expressar são gemidos em direção a Deus.

O Espírito Santo, nosso intercessor divino, compreende e traduz nossas necessidades e anseios para que possamos nos comunicar com Deus de maneira plena e alinhada com Sua vontade.

4 Lições da Oração de Moisés em Êxodo 33

12. Exemplos de Orações na Bíblia:

  1. Oração de Maria, mãe de Jesus (Lucas 1:46-55)
  2. Davi expressa arrependimento no Salmo 51
  3. Neemias ora ao receber notícias de Jerusalém (Neemias 1:4-11)
  4. Jonas ora dentro da barriga do grande peixe (Jonas 2:1-10)
  5. Ester intercede pelo seu povo (Ester 4:15-17)
  6. A oração de Ezequias pedindo cura (Isaías 38:2-3)
  7. Oração de Salomão na dedicação do Templo (2 Crônicas 6:12-42)
  8. Oração de Ana, mãe de Samuel (1 Samuel 2:1-10)
  9. Oração de Jacó ao retornar para sua terra (Gênesis 32:9-12)
  10. Os apóstolos oram após serem ameaçados (Atos 4:24-30)
  11. A oração de Josafá (2 Crônicas 20:6-12)
  12. Paulo intercede pelos efésios (Efésios 3:14-21)
  13. Oração de Simão Pedro por Dorcas (Atos 9:40)
  14. A oração do publicano no templo (Lucas 18:9-14)
  15. Paulo intercede pela cura de Timóteo (1 Timóteo 5:23)
  16. Jesus ora no Getsêmani (Mateus 26:39-44)
  17. Oração de Elias para que caia fogo dos céus (1 Reis 18:37-38)
  18. Oração de Jabez (1 Crônicas 4:10)
  19. A oração de Asa (2 Crônicas 14:11)
  20. Oração de Habacuque (Habacuque 3:1-19)

Se gostou deste estudo sobre oração, então veja também:

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

2 Comentários

  1. Muito relevante para UM CRISTÃO SE APROXIMAR MAIS DE DEUS ESSES ENSINAMENTOS DA PALAVRA DE DEUS.
    MUITO OBRIGADO.
    GOSTEI MUITO.
    ESTOU MARAVILHADO 🤔🙏👍

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo