7 Tipos de Pregações Prejudiciais para a Igreja

A pregação é uma parte essencial da vida da igreja, pois tem o poder de inspirar, edificar e orientar os fiéis em sua jornada espiritual. No entanto, devemos reconhecer que nem todas as pregações são benéficas e construtivas.

Algumas pregações podem ter um impacto negativo na comunidade da igreja, levando à confusão, divisão e até mesmo ao afastamento dos membros.

Não entranhe os nomes, discutiremos sete tipos de pregações prejudiciais que devem ser evitados, a fim de preservar a unidade e a integridade da igreja.

1. Pregações Exclusivistas

Essas pregações promovem a ideia de que apenas um determinado grupo religioso ou denominação é o verdadeiro caminho para a salvação.

Ao enfatizar a exclusividade, essas pregações podem criar divisões e alimentar o sentimento de superioridade entre os membros da igreja, afastando-se do verdadeiro propósito de promover o amor e a comunhão entre todos os cristãos.

Portanto, os pregadores deste tipo de pregações precisam rever seu sermões. Será que estão edificando ou promovendo divisão?

2. Pregações Legalistas

As pregações legalistas enfatizam a obediência rigorosa às regras e regulamentos da igreja, muitas vezes negligenciando o aspecto do amor e da graça divina.

E não estou falando aqui de santidade, mas do verdadeiro e exagerado legalismo. Tudo é pecado. O problema é que os pregadores legalistas conseguem achar erros em todo mundo, menos nele.

Essa abordagem pode levar os fiéis a uma mentalidade de desempenho e a uma busca incessante pela perfeição, tornando-os vulneráveis à culpa, ao julgamento e ao esgotamento espiritual.

3. Pregações Sensacionalistas

Essas pregações buscam chamar a atenção dos fiéis por meio de histórias dramáticas, exageros e emoções intensas.

Penso que já veio em sua mente um pregador desse tipo. Tenta emocionar as pessoas com histórias, mas infelizmente são rasos nas escrituras.

Embora possam atrair momentaneamente a atenção, essas pregações tendem a negligenciar a profundidade e a substância das Escrituras, favorecendo o entretenimento em vez do ensino sólido da Palavra de Deus.

4. Pregações Materialistas

Essas pregações colocam uma ênfase desproporcional nas bênçãos materiais e na prosperidade financeira como evidências de fé e favor divino.

Não estou dizendo que Deus não prospera o seu povo, mas que o erro é colocar isso na frente de algo muito mais importante, a salvação.

Ao fazer isso, elas podem distorcer o verdadeiro propósito da vida cristã, reduzindo-a a uma busca por riquezas terrenas e desviando a atenção do verdadeiro tesouro espiritual e eterno.

5. Pregações Julgadoras

Essas pregações tendem a se concentrar excessivamente em condenar e julgar aqueles que estão fora da igreja ou que não seguem determinados padrões morais.

Parecido com o legalista, este tipo de pregador julga facilmente, mas nunca gosta de ser repreendido. O problema, é que um julgamento errado, pode trazer uma confusão no meio da igreja.

Ao adotar uma postura de superioridade moral, essas pregações podem afastar as pessoas e criar uma atmosfera de exclusão, em vez de oferecer amor, compaixão e esperança.

6. Pregações Manipuladoras

As pregações manipuladoras usam táticas emocionais e psicológicas para influenciar e controlar os fiéis. Elas exploram os medos, as inseguranças e as vulnerabilidades das pessoas, buscando obter benefícios pessoais ou promover agendas específicas.

É triste saber que pregadores e pastores se aproveitam da inocência das pessoas para manipulá-los a fim de obter seus interesses.

Essas pregações podem distorcer a mensagem do evangelho, minar a liberdade individual e prejudicar a confiança dos fiéis na liderança da igreja.

Leia também: 5 marcas de um sermão poderoso

7. Pregações Divisivas

As pregações divisivas alimentam conflitos e disputas dentro da comunidade da igreja, seja por questões doutrinárias, políticas ou pessoais.

Cada um tem seu direito de pensar, mas o problema aqui é o foco demasiado nas questões que mais geram divisões do que naquilo que edifica.

Ao enfatizar as diferenças e fomentar o partidarismo, essas pregações enfraquecem a unidade cristã, criam facções e prejudicam o testemunho da igreja perante o mundo.

E aí, você costuma ouvir em sua igreja algum destes tipos de pregações? Ou só em minha igreja existe isso? Se sim, então compartilha conosco no comentário abaixo.

André Lourenço

Bacharel em Teologia, Graduado em Gestão da Qualidade e Pós Graduando em Psicologia nas Organizações, André possui mais de 17 anos de experiência na pregação e ensino da Bíblia. É Professor de cursos de Homilética e Hermenêutica. Já escreveu centenas de estudos bíblicos e ministra aulas na EBD. Se considera um eterno aprendiz e apaixonado por Compartilhar a Palavra de Deus!

Artigos relacionados

Um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!