A Igreja de Sardes: Lições Vitais para a Igreja Atual

Podemos aprender lições importantes estudando a igreja de Sardes? As atitudes negativas daquela igreja dos tempos do apóstolo João estão cada vez mais atuantes em nossos dias, precisamos entender quais são os sinais que revelam aqueles pontos negativos em nosso convívio. E, com o pensamento de advertir a igreja sobre estas tendências que levaram aquela igreja a ser repreendida, resolvi escrever este artigo para expor lições que aprendemos através da carta do apóstolo João enviada à mesma.

Um pouco da História da cidade de Sardes

Sardes ou Sárdis, era uma cidade da antiga Anatólia, terra dos antigos Heteus (filhos de Hete, mas conhecidos hoje como “hititas”. Era a capital do reino da Lídia na Ásia romana; hoje atual Turquia.

Atualmente a região preserva muito da cultura greco-romana em suas ruínas, é possível se ver ali muitas construções imponentes e luxuosas. O templo de Ártemis é uma dessas construções.

Sardes, na antiguidade como capital do reino da Lídia, alcançou muita prosperidade e riquezas. Sua forma de organização do comércio deixa os historiadores impressionados até hoje. As moedas, por exemplo, foram criadas por lá por volta do século VII a. C.

Sárdis foi destruída por um terremoto em 17 d. C., mas foi reconstruída sem muita dificuldade devido à boa condição financeira de seus moradores. Predominava lá uma grande quantidade de Judeus, suas marcas  podem serem vistas ainda hoje, como é o caso das ruínas da grande sinagoga.

O apostolo João e a pessoa de Jesus em Apocalipse

O apóstolo João estava preso na ilha de Patmos, uma ilha do mar Egeu, na Grécia, quando recebeu a mensagem que enviaria às sete igrejas da Ásia incluindo a da cidade de Sardes. A ilha onde se encontrava o apóstolo, era o local para onde eram desterrados os grandes inimigos do império romano, todavia foi lá que o apóstolo do amor recebeu as revelações extraordinárias da parte de Deus.

O Senhor Jesus aparece em apocalipse de maneira completamente diferenciada; a cristologia que aquele livro revela é a “cristologia do Cristo Exaltado”. E o Senhor, sendo Deus, conhecendo o profundo e o escondido, contemplava a vida dos seus fiéis na Ásia.

As Palavras do Senhor à igreja de Sardes

Irmãos e irmãs, como mencionado anteriormente, estamos diante de uma igreja que habita numa região muito próspera e que provavelmente os crentes eram daqueles bem sucedidos, e o que interessa para nós aqui mesmo saber é que aquela igreja precisava ser reavivada! Tinha nome de Igreja viva, porém estava morta.

“Ao anjo da igreja em Sardes escreve: Estas coisas diz aquele que tem os sete Espíritos de Deus e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives e estás morto. Sê vigilante e consolida o resto que estava para morrer,… Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, guarda-o e arrepende-te. Porquanto, se não vigiares, virei como ladrão,… Tens, contudo, em Sardes, umas poucas pessoas que não contaminaram as suas vestiduras e andarão de branco junto comigo, pois são dignas. O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas, e de modo nenhum apagarei o seu nome do Livro da Vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.”

Apocalipse 3.1-6

O que Jesus quis dizer com: “tens nome de vivo, porém estás morto?”

A igreja de Sardes, muito provavelmente, era bastante bombardeada pelo sistema mundano da época. Podemos entender que quando Jesus fala: “tens nome de que vives, mas estais morto”, ele se refere a um povo que só tem títulos e famas passadas; com base na piedade que um dia viveram. Sabemos, contudo que, no presente da mensagem, estavam mortos espiritualmente. 

O Senhor não estava achando íntegras as obras daquele povo, a igreja estava seguindo os padrões do mundo. Amado(a), quando Jesus não acha as nossas obras justas é por que elas não condizem com o caráter de Deus. Em 1 João 2: 6 diz: “aquele que diz estar nele deve andar como ele andou”, ou seja, devemos ser “pequenos” cristos, literalmente.

A seguir ainda veremos alguns tópicos que refletem condições que dão vida às tais atitudes repreensíveis da igreja de Sardes, seja em nosso convívio pessoal diário ou mesmo estampadas no sistema religioso atual.

Uma vida longe dos princípios do evangelho nos traz morte espiritual

Jesus disse: “sereis meus amigos se fizerdes o que eu mando (Jo 15:14). Se praticarmos tudo aquilo que “pensarmos”, estaremos seguindo nossas próprias paixões e concupiscências, e não há nada que nos leva para tão distantes do Senhor quanto uma vida vaidosa e egoísta.

“Ter nome de que vive mas está morto” se reflete também quando ensinamos a palavra de Deus, mas não vivemos seus ensinamentos. Palavras são vazias. 

Nós precisamos nestes últimos dias buscar o avivamento genuíno, porque, quando assim agimos, cada dia redescobrimos princípios importantes que nos asseguram a vida eterna. Só a palavra de Deus nos traz o real avivamento. Às vezes achamos que estamos avivados, mas, na verdade, o verdadeiro avivamento significa “lembrar do que recebeu, guardar e se arrepender”.

Exortação do Senhor àquela igreja para lembrá-la do que ela tinha recebido

“Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, guarda-o e arrepende-te. Porquanto, se não vigiares, virei como ladrão, e não conhecerás de modo algum em que hora virei contra ti.”

Apocalipse 3.3

Essa exortação do Senhor à igreja de Sardes é bem clara, e em 3 palavras dos conselhos de Jesus àqueles santos enxergamos 3 passos para reconciliação com Ele. São elas: “lembrar”, “Guardar”, “arrepender-se”

1° Passo (Lembrar)

Lembrar do início de nossa conversão nos traz de volta as experiências como Senhor Jesus; a nossa paixão pelo Senhor sempre tende a ir decaindo, à medida em que tiramos Ele de nossas prioridades. A lembrança é a única coisa que pode nos dizer quem nós somos, onde estamos e o nosso principal objetivo.

2° Passo (Guardar)

Há pessoas que recebem muito de Deus, ouvem muito, porém não guardam à palavra d’Ele; e, quando errados, não se arrependem. Guardar aqui, neste sentido, quer dizer “preservar consigo”, é a atitude do crente de querer ter uma vida compromissado com Deus.

Este “guardar” é refletido também no ensino do evangelho, ou seja, é quando a doutrina preserva na íntegra os valores cristãos. Uma igreja que ensina a palavra de Deus, tal como ela é, é viva espiritualmente.

3° Passo (Arrepender-se)

O Senhor exige arrependimento daquela igreja também. Se arrepender é mais do que chorar, é o ato de sentir profundamente que errou, é se sentir sem razão, é viver o sentimento da frase: “calado eu ainda estou errado”. Confesso que seríamos muito prósperos se vivêssemos por essa frase.

Primordialmente, devemos tomar cuidado para não sermos vencidos por nós mesmos! Porque é importante saber que Deus está no centro de tudo em nossas vidas. Se analisarmos as passagens bíblicas onde o povo de Deus precisou de reavivamento perceberemos que o grande problema foi sempre alguém ter tirado Deus do centro.

Deus não pode estar em Segundo Plano

Há pessoas que se queixam dizendo: “não me sinto bem com Deus, não sinto mais a sua presença, e não estou em pecados!” Porém, será que estas pessoas têm colocado Deus no centro de tudo em suas vidas?

Às vezes Deus está em segundo plano em nossa vida e nem percebemos, quantas vezes andamos por lugares, fazemos viagens sem consultarmos a palavra do Senhor? Muitas vezes o Espírito Santo nos adverte, mas somos insensíveis à sua voz. Andamos o dia todo correndo atrás de nossos negócios, e nem percebemos que a presença do Senhor foi embora.

O Senhor disse que, caso não houvesse arrependimento, ele viria como um ladrão; ladrão não avisa. Melhor estar preparado.

O Juízo de Cristo para a igreja de Sardes

Na carta a igreja em Sardes aprendemos ainda que Jesus visita à sua igreja para executar juízo, ele disse que poderia vir como um “ladrão”.

Deus não tem parcialidade com o perverso, ou se converte e serve a Deus com verdade, ou fica dentro da igreja vazio sem a presença do Espírito Santo. Deus habita em templos santificados e vivos. O homem que muitas vezes é advertido endurece a cerviz, de repente será destruído sem que haja remédio (Pv 29.1).

Neste Juízo de Cristo podemos ver ainda duas coisas que revelo nos tópicos a seguir.

1. Deus sempre lembra da minoria fiel

Aprendemos também com a carta enviada à igreja em Sardes que nosso Deus é um Deus justo. Ele  diz:

“Tens umas poucas pessoas que não contaminaram as suas vestes… estas andarão comigo…” 

Apocalipse 3:4

Deus está atento a uma minoria que teme o seu nome.

Ele preservou Ló; este justo sofria por causa de todos os pecados daquela cidade (2 Pe 2:6-7). Preservou sete mil que não se prostrou a Baal e Aserá nos dias de Acabe e Jezabel (1 Rs 19:18). Preservou Daniel, Misael, Hananias  e Azarias (Dn 1:5-16). Guardou Ezequiel, que foi profeta entre os do cativeiro (Ez 2:1-10). Deus sempre preservará uma minoria.    

2. Resultado de uma vida de fidelidade

 “O vencedor será vestido de vestes brancas…” Deus é fiel para cumprir o que promete, mas a vitória é para quem vencer. E sabe qual é o maior segredo para vencer essa guerra? Ficar vivo!

Precisamos permanecer vivos, porque a vida de Cristo em nós é o que nos garante a Vitória sobre o pecado e sistema corrompido.

Considerações Finais

Sardes a igreja que morreu desapercebida, é para nós uma advertência de vida com Deus! Devemos vigiar com base no que temos recebido. Possamos tomar como alicerce para nós, hoje, este verso: “Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, guarda-o e arrepende-te.”

Se a igreja é convidada ao arrependimento é por que está longe de Deus, mesmo com os pés onde os santos se reúnem para adorá-lo.

Outra coisa que me chama atenção sobre a Igreja de Sardes é a expressão no versículo 5, que diz: “….. e de modo nenhum apagarei o seu nome do Livro da Vida”. O texto deixa claro que não existe a ideia de “uma vez salvo, salvo para sempre“, podemos ter o nome riscado do livro da vida. Que possamos lutar pela nossa salvação, tenhamos mais empenho em agradar nosso Deus.

Mesequias Maadson

Sou acadêmico de Letras e Teologia, poeta, escritor publicado e autor de livro. Com vasta experiência na liderança da E.B.D. da minha igreja por 10 anos, também auxiliei por alguns anos o pastor vice-presidente do ministério. Apaixonado por estudar a Bíblia, compartilho meus conhecimentos por meio de redações e comentários sobre os textos da nossa lição. Além disso, sou compositor de canções românticas e espirituais, disponibilizando músicas para cantores.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo