Aborto é Pecado? Como devemos falar sobre esta prática em nossos dias atuais?

Aborto, modernamente definido como “a remoção de um embrião ou feto do útero para interromper uma gravidez”. 

O aborto é um tema muito discutido e que está gerando muitas polêmicas em nossos dias atuais. Estamos divididos em duas opiniões, pró-escolha ou pró-vida. 

Contudo o que mais nos entristece é que ao contrário do que alguns supõem, os cristãos também estão divididos sobre o assunto.

Pró-Escolha ou Pró-Vida?

Um ponto central deste debate é o de decidir onde a vida começa. 

Por exemplo, a vida começa na data do parto, no primeiro batimento cardíaco, ou no momento em que um embrião se forma? 

Por outro lado temos outro ponto de discórdia: Quem define as regras para quem? Um homem pode dizer a uma mulher o que fazer com um feto? Ou uma mulher para outra?

Há alguns crentes que apoiam o argumento pró-escolha: “meu corpo, minha escolha”. 

Muitos pensam que, mesmo sendo um feto, ainda assim esta separado do corpo da mãe. Conectados, mais separados, assim como os cristãos estão no corpo de Cristo (1 Coríntios 12:12). 

Com a questão de saber se um homem ou uma mulher pode dizer a outra mulher o que fazer com seu corpo, a autoridade não está no homem, mas em Deus.

Infelizmente, o desacordo entre os cristãos sobre este tópico importante é mais uma razão para as pessoas abandonarem a sua fé. 

Contudo, se olharmos para a bíblia sagrada, vamos ver onde a vida começa e porque o aborto é considerado pecado.

O que a Bíblia nos diz sobre o aborto?

Sabemos bem que a bíblia, não menciona a palavra “Aborto”, ou o “Aborto é um pecado”, mas em todo o tempo condena essa prática.  

Simplificando, o aborto é um pecado de assassinato. É a morte de um ser humano criado à imagem e semelhança de Deus. 

Portanto, isso não significa que a Bíblia está em silêncio sobre o assunto, porque tem muito a dizer sobre o valor que Deus dá à vida e até mesmo quando a vida começa.

A primeira resposta prontamente disponível aparece no Livro dos Salmos.

“Pois foste tu que criaste o meu interior; tu me teceste no ventre de minha mãe”. (Salmo 139:13)

“Meus ossos não foram escondidos de você quando fui feito em segredo, quando fui formado nas profundezas da terra. Seus olhos me viram quando eu estava sem forma; todos os meus dias foram escritos em seu livro e planejados antes que um único deles começasse.” (Salmo 139:15-16)

Aparente nesta passagem, a vida para os seres humanos começa no útero. Não só isso, mas quem nos forma é nosso Pai celestial. 

Como então podemos considerar um embrião ou mesmo um feto como não vivo, ou mesmo humano? Se um feto (um estágio no desenvolvimento humano) não é uma pessoa, então o que é um feto? 

O salmista, escreve que Deus o viu quando ele ainda era “sem forma”. 

Sendo assim, esta passagem nos dá clareza sobre o que devemos considerar como “vida”. 

Outra passagem na bíblia nos diz como tratar a vida.

“Não mate.” (Êxodo 20:13)

Há uma distinção importante entre matar e assassinar.

Matar pode ocorrer acidentalmente, mas assassinato é feito com propósito. 

Este versículo do Livro do Êxodo é um dos Dez Mandamentos, das leis estabelecidas por Deus, que ainda hoje honramos (Mateus 19:16-19). 

Agora entendemos que a vida começa no útero, momento em que Deus começa a formar uma pessoa. 

Em segundo lugar, sabemos que não devemos matar nenhuma outra pessoa. Com esta informação chegamos à conclusão natural – o aborto é realmente um pecado.

O que a Bíblia diz sobre o início da vida?

Na passagem anterior do Livro dos Salmos oferece uma grande visão do que Deus considera os estágios iniciais da vida. 

No entanto, esse não é o único versículo que fala sobre o assunto. Cada versículo serve para promover o ponto de honrar a vida, não importa quão jovem, e não importa se está no útero ou não. 

Vida é vida, e todos nós somos formados por Deus.

“Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre um galardão.” (Salmo 127:3)

“Cuidado para não desprezar um desses pequeninos. Pois eu vos digo que no céu os seus anjos vêem sempre a face de meu Pai que está nos céus”. (Mateus 18:10)

“Quando uma mulher está dando à luz, ela sente tristeza porque chegou sua hora, mas quando ela deu à luz, ela não se lembra mais da angústia, pela alegria de ter nascido um ser humano no mundo.” (João 16:21)

Sem o benefício dos ultra-sons e da ciência moderna, um certo escritor escreveu estas palavras, que nossos corações sabem instintivamente: A vida é vida . 

É precioso, não importa se é um dia ou 100 anos nesta terra. Mesmo dentro do ventre, Deus vê a vida, ele a valoriza, ele é o autor, e ele ordenou todos os dias de sua vida assim como ele tem com cada um de nós.

Jesus reafirmou sua posição, sobre o valor da vida, vindo ao mundo por meio de uma jovem, solteira e adolescente chamada Maria. 

Naqueles dias, uma mulher solteira e grávida poderia ser condenada à morte aos olhos da lei. 

Outra passagem sobre a vida, faz referência à Isabel, prima de Maria, quando engravidou na velhice. 

Enquanto João Batista ainda estava no útero, ele já revelou sua personalidade quando demonstrou alegria ao ouvir a voz de Maria.

“E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo”. (Lucas1:41)

Como devemos falar sobre essa Prática?

O aborto não é um tema fácil de ser abordado, ainda mais quando você tem a mentalidade pró-vida. 

Infelizmente, hoje, esse pecado em particular é popular, e encorajado muitas vezes pelas autoridades. 

A maioria dos abortos não acontece por circunstâncias envolvendo estupro ou incesto, e sim por uma opção. 

Embora isso possa ser verdade, isso não dá a nenhum crente permissão para abordar outra pessoa com uma atitude de julgamento. 

Porém, tudo o que fazemos deve ser feito para honrar a Deus (1 Coríntios 10:31). 

Chamados para amar

O segundo maior mandamento é amar ao nosso próximo (Mateus 22:39). 

Não podemos amar outras pessoas se as confrontarmos sobre o tema do aborto, dizendo a elas que estão erradas por suas opiniões. 

Em vez disso, podemos trazer mudanças e manter o amor, compartilhando a verdade com os outros, mas fazendo isso com cuidado. 

Nunca sugerindo que suas crenças são morais, mas também não as menosprezando. O equilíbrio pode parecer contra-intuitivo, mas precisamos apenas nos imaginar nessa posição.

Se tivermos uma crença falsa, como gostaríamos que Deus ou nossos entes queridos falassem conosco? Essa é a mesma mentalidade que precisamos ter com os outros. 

O aborto é realmente um pecado, e devemos odiá-lo. 

No entanto, devemos nos esforçar para não odiar os pecadores.

Afinal, cada um de nós está lutando com seus próprios problemas, incluindo crenças erradas (Romanos 3:23).

Autor: D’Anthony Brown
Adaptado por: Biblioteca do Pregador

Botão Voltar ao topo