Como interpretar a Bíblia de forma correta: 7 Princípios

Como interpretar a Bíblia de forma correta? A palavra “interpretar” pode ser usada para denotar “entender”, “traduzir” ou “explicar”. Essas três funções do processo interpretativo são fundamentais para o estudante da Bíblia.

O intérprete precisa possuir um conhecimento prático dos princípios básicos de interpretação, conhecidos como princípios hermenêuticos. Esses princípios funcionam como ferramentas essenciais para o intérprete.

Eles nos direcionam durante a análise do texto, garantindo que nosso trabalho permaneça dentro dos limites da hermenêutica legítima. O pressuposto subjacente a esses princípios é que, quando adequadamente aplicados, o texto revelará seu significado ao intérprete.

Interpretar a Bíblia, ou seja, a hermenêutica, é a ciência e a arte de entender, traduzir e explicar o significado do texto das Escrituras.

Para nortear esse processo, podemos seguir alguns princípios básicos que auxiliam o intérprete a discernir o significado pretendido pelo autor do texto, em vez de impor suas próprias ideias ao texto.

Antes de compartilhar os sete princípios para a interpretação correta da Bíblia, é fundamental compreender por que essa interpretação é tão importante. Além disso, é essencial entender quais métodos podem ser usados e os desafios que podem surgir nesse processo.

O que é a interpretação da Bíblia?

A interpretação da Bíblia, também conhecida como hermenêutica bíblica, refere-se ao processo de compreender e dar sentido aos textos sagrados presentes na Bíblia. É uma disciplina que busca entender o significado original dos escritos bíblicos e, ao mesmo tempo, aplicá-los de maneira relevante e significativa para a vida atual.

A interpretação da Bíblia é uma tarefa complexa, pois a Bíblia é uma coleção de livros escritos ao longo de séculos, por diferentes autores, em diferentes contextos culturais e históricos. Esses textos foram originalmente escritos em hebraico, aramaico e grego antigo, exigindo um estudo cuidadoso da língua e das culturas antigas para uma compreensão adequada.

Existem várias abordagens e métodos para interpretar a Bíblia, e diferentes grupos religiosos podem adotar abordagens distintas.

Por que é importante interpretar a Bíblia corretamente

Por que é importante interpretar a Bíblia corretamente?

Ter o método correto de interpretação da Palavra de Deus é fundamental, pois faz toda a diferença entre uma compreensão adequada e o surgimento de heresias que afetam nossas crenças e comportamento.

Quando tratamos de questões espirituais, é de extrema importância que adotemos princípios sólidos de interpretação da Bíblia, a fim de evitar desvios decorrentes de uma compreensão distorcida da Revelação divina para a humanidade.

Ao longo da história, muitas heresias que causaram devastação na raça humana originaram-se da interpretação errônea da Palavra de Deus em algum ponto, ou, em casos menos comuns, de uma consciente oposição à Verdade. Portanto, o compromisso com uma interpretação correta é imprescindível para preservarmos a pureza dos ensinamentos bíblicos e estarmos firmados na verdadeira fé cristã.

Interpretar a Bíblia corretamente é de extrema importância por várias razões fundamentais:

Conhecimento do plano de Deus: A Bíblia é a Palavra de Deus, e através dela, Ele se revela aos seres humanos. Interpretá-la adequadamente nos permite conhecer o caráter, os propósitos e os princípios divinos, proporcionando uma compreensão mais profunda do plano de Deus para a humanidade.

“Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.”

2 Timóteo 3:16-17

Crescimento espiritual: A correta interpretação da Bíblia é essencial para o crescimento espiritual. Ao compreendermos a mensagem bíblica, somos edificados na fé, encorajados a viver de acordo com os princípios divinos e a amadurecer em nosso relacionamento com Deus.

“desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação.”

1 Pedro 2:2

Evitar distorções doutrinárias: A má interpretação da Bíblia pode levar a desvios doutrinários e ensinamentos equivocados. É importante compreender as Escrituras de maneira correta para evitar cair em heresias e ensinamentos contrários aos princípios bíblicos.

“Falando sobre essas coisas, como costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam, como também deturpam as demais Escrituras, para a própria destruição deles.”

2 Pedro 3:16 –

Orientação para a vida: A Bíblia oferece orientação e sabedoria para enfrentarmos os desafios da vida diária. Interpretá-la corretamente nos capacita a tomar decisões alinhadas com os princípios divinos e a viver uma vida que honre a Deus.

“Lâmpada para os meus pés é tua palavra e, luz para os meus caminhos.”

Salmo 119:105

Fortalecer a fé: A interpretação correta da Bíblia fortalece a nossa fé, pois nos mostra o cumprimento das promessas de Deus ao longo da história e nos dá a certeza de que Ele é fiel.

“A fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo.”

Referência: Romanos 10:17
diferentes métodos de interpretação da Bíblia

Quais são os diferentes métodos de interpretação da Bíblia?

Existem vários métodos de interpretação da Bíblia, mas podemos destacar três principais abordagens: interpretação literal, figurada e simbólica.

1. Interpretação Literal: A interpretação literal busca compreender as Escrituras com base no sentido natural e óbvio das palavras, considerando o contexto histórico e cultural em que foram escritas. Nesse método, os eventos históricos são tratados como fatos reais, e as palavras são tomadas em seu significado usual. Esse enfoque se utiliza amplamente nas narrativas bíblicas que descrevem eventos, lugares e pessoas de forma concreta.

2. Interpretação Figurada (ou Alegórica): A interpretação figurada, também conhecida como alegórica, procura encontrar significados mais profundos e espirituais além do sentido literal das palavras. Nesse método, os textos são entendidos como símbolos ou metáforas que representam verdades espirituais ou princípios teológicos. Alegoricamente, alguns personagens bíblicos ou eventos podem ser interpretados como representações de verdades universais ou princípios morais.

3. Interpretação Simbólica: Na interpretação simbólica, os elementos presentes nas Escrituras são como símbolos com significados mais amplos e espirituais. Esse método busca identificar padrões e imagens recorrentes na Bíblia, atribuindo-lhes significados espirituais ou teológicos. Por exemplo, a água pode simbolizar purificação ou renovação, e o leão pode representar a força e majestade de Deus.

Quais são os desafios da interpretação da Bíblia?

A interpretação da Bíblia apresenta diversos desafios devido à sua natureza complexa. Alguns dos principais desafios incluem:

Contexto cultural e histórico: A Bíblia foi escrita em culturas e épocas diferentes das nossas, o que torna necessário compreender o contexto histórico, social e cultural dos tempos em que foi escrita. A falta de familiaridade com esses aspectos pode levar a interpretações equivocadas ou anacronismos.

Linguagem e tradução: A Bíblia foi escrita em idiomas antigos, como o hebraico, o aramaico e o grego. A tradução para línguas modernas pode apresentar desafios devido às nuances e riquezas linguísticas que podem se perder no processo, resultando em interpretações menos precisas.

Gêneros literários diversos: A Bíblia contém diversos gêneros literários, incluindo narrativas históricas, poesia, profecias, parábolas e cartas. Cada gênero requer uma abordagem interpretativa específica para extrair seu significado adequado.

Figuras de linguagem e simbolismo: A Bíblia faz uso extensivo de figuras de linguagem, simbolismo e metáforas. Interpretar essas expressões de forma literal pode levar a conclusões errôneas.

7 Princípios de Interpretação da Bíblia

Princípios de Interpretação da Bíblia

1. Identifique o tipo de literatura que seu texto é para entender seu significado

Os estudiosos da Bíblia chamam isso de gênero do texto. Isso significa a forma geral que o texto assume – narrativa, profecia, poesia, história, evangelho, epístola.

A identificação do gênero literário é essencial para compreender o significado do texto bíblico, pois cada tipo de literatura apresenta sua mensagem de forma distinta, com estilos e estruturas diferentes. As narrativas, por exemplo, não transmitem sua mensagem da mesma maneira que as epístolas.

Embora a variedade de formas literárias possa tornar o estudo complicado, os estudiosos da Bíblia vão além das formas básicas, explorando subformas com diferenças sutis que podem passar despercebidas pelo leitor comum. Isso pode levar a discordâncias entre os estudiosos a respeito dessas sutilezas. Apesar disso, os pregadores ainda podem reconhecer a forma do texto e como isso influencia seu significado.

A compreensão do gênero literário é uma ferramenta valiosa para interpretar a Bíblia adequadamente, permitindo que os leitores apreciem a riqueza e a diversidade das escrituras, bem como apliquem corretamente seus ensinamentos em suas vidas diárias. Ao reconhecer o tipo de literatura presente em cada texto, os estudiosos e pregadores podem aprofundar sua compreensão espiritual e extrair lições relevantes e impactantes para o contexto contemporâneo.

2. Considere o contexto da passagem para uma melhor compreensão de seu significado

Considerar o contexto da passagem é um dos mais importante princípio para uma interpretação precisa da Bíblia. Os estudiosos da Bíblia utilizam o termo “contexto” para abordar diversos aspectos relacionados à escrita original do texto, como o contexto histórico, social, político, religioso e literário.

No entanto, é o contexto literário que ganha destaque nesse aspecto. O escritor bíblico segue uma linha lógica de pensamento ao escrever, e o que foi dito nos versículos ou capítulos anteriores, assim como o que se segue, auxilia na compreensão clara do texto em questão.

Desconsiderar o contexto coloca em risco a interpretação adequada do texto. Muitas vezes, pistas nos versículos ao redor da passagem em análise revelarão aspectos de seu significado que se perderiam de outra forma.

Ao levar em conta o contexto, podemos evitar interpretações isoladas e descontextualizadas, que poderiam levar a conclusões distorcidas ou errôneas. Compreender a mensagem do autor dentro do panorama mais amplo dos eventos históricos, cultura, e do desenvolvimento literário da Bíblia nos permite apreciar mais profundamente as verdades espirituais contidas nas Escrituras. Dessa forma, somos capazes de aplicar esses ensinamentos em nossas vidas de maneira relevante e significativa.

Melhor Atitude Mental e Espiritual

3. Leia o texto pelo seu significado claro e óbvio

Um mito comum e persistente sobre a Bíblia é que seu verdadeiro significado está oculto por trás da mensagem superficial.

No entanto, a maior parte da Bíblia é clara para o leitor, mesmo que utilize linguagem simbólica ou figurada. Mesmo quando não temos conhecimento prévio sobre as pessoas, lugares e eventos mencionados, ainda podemos entender o ponto central do texto.

O uso da linguagem figurativa nas Escrituras, de fato, aumenta a clareza do significado. Por exemplo, Jesus disse: “Por que você reclama da lasca no olho do seu irmão quando você tem uma tábua no próprio olho?” (Mateus 7:3, NVI). Mesmo sendo uma metáfora, o significado é compreensível e claro.

A Bíblia muitas vezes utiliza figuras de linguagem, como parábolas, metáforas e alegorias, para transmitir verdades espirituais e morais de forma mais vívida e impactante. Essas figuras enriquecem o ensinamento, sem obscurecer a mensagem central. O próprio uso de linguagem figurativa por Jesus, como nas parábolas que contava, demonstra sua eficácia em comunicar princípios importantes de maneira acessível e memorável.

Portanto, ao ler a Bíblia, é válido buscar o significado óbvio e claro do texto, mesmo que envolva elementos figurados. A mensagem central das Escrituras é acessível e compreensível, permitindo que os leitores cresçam espiritualmente e apliquem seus ensinamentos em suas vidas diárias.

4. Tente discernir as intenções do escritor quando escreveu o texto

O estudo do texto não tem como objetivo encontrar um sermão nele, mas sim descobrir a mensagem pretendida pelo escritor quando o escreveu.

A compreensão da intenção original do escritor é essencial para entender corretamente a mensagem do texto. É crucial lembrar que “o texto não pode significar o que nunca significou”. Portanto, a primeira tarefa do intérprete é descobrir o significado original do escritor ao se preparar para pregar para sua própria geração.

Além disso, ao discernir o significado pretendido do escritor de texto, também se está compreendendo o significado pretendido do Espírito Santo que o inspirou a escrever. Ao ler as palavras da Bíblia, estamos lidando com uma revelação de Deus. Consequentemente, “toda Escritura é inspirada por Deus” (2 Timóteo 3:16). O mesmo Espírito Santo que inspirou essas palavras originalmente deseja que essa mensagem chegue até nós nos dias de hoje com as mesmas verdades.

5. Deixe a Bíblia interpretar a si mesma

Interpretar passagens bíblicas difíceis com base em passagens claras é uma abordagem conhecida como a lei da não-contradição. A Bíblia é a Palavra de Deus, e como Deus é verdadeiro, ela não conterá contradições internas. Por exemplo, existem passagens claras que ensinam a doutrina da segurança eterna, afirmando que uma vez que alguém é verdadeiramente salvo, essa pessoa não pode perder sua salvação (João 5; Rm 8).

No entanto, algumas passagens da Bíblia podem ser muito difíceis de interpretar, como o caso de Hebreus 6:4-6. Nesses momentos, é válido deixar a teologia geral e clara da Bíblia influenciar nossa compreensão, chegando à conclusão de que uma passagem complicada, como Hebreus 6, não está ensinando que alguém pode perder sua salvação.

Além disso, é útil utilizar o Novo Testamento para auxiliar na interpretação do Antigo Testamento. Isso reconhece a natureza progressiva da revelação divina, ou seja, a Bíblia revela mais informações sobre diversos temas ao longo do tempo. Contudo, é essencial começar interpretando o texto do Antigo Testamento dentro do seu próprio contexto antes de considerar como o Novo Testamento pode fornecer uma perspectiva adicional.

Essas práticas interpretativas são importantes para que possamos compreender a mensagem coerente da Bíblia, evitando interpretações conflitantes e compreendendo-a em sua totalidade como a revelação progressiva de Deus à humanidade.

Motivos para Estudar a Bíblia

6. Observe os vários temas teológicos no texto

Embora o texto possa ter um significado principal pretendido, há uma série de temas teológicos significativos que podem ser extraídos a partir dele, bem como várias aplicações possíveis.

Ao realizar um diagrama estrutural e fazer observações sobre o texto, é essencial listar esses temas teológicos e o que o texto comunica sobre cada um deles. Identificar como esses temas se relacionam entre si no contexto do texto é uma chave útil para compreender o seu significado geral.

É válido ressaltar que esses mesmos temas teológicos podem aparecer em diferentes combinações em vários textos ao longo da Bíblia. Isso destaca a coesão e a interconexão dos ensinamentos divinos nas Escrituras.

Os temas teológicos presentes no texto oferecerão a base necessária para realizar essas tarefas com eficiência, possibilitando uma compreensão mais profunda dos ensinamentos bíblicos e uma aplicação relevante e transformadora em nossas vidas.

Ao discernir os temas teológicos e sua relação dentro do texto, os leitores e pregadores podem extrair lições significativas e aplicáveis, proporcionando uma compreensão mais abrangente da mensagem divina presente nas Escrituras.

7. Tenha uma perspectiva centrada em Deus para interpretar o texto

Ter uma perspectiva centrada em Deus ao interpretar a Bíblia implica em observar o texto à luz do que ele revela sobre Deus e Suas relações com Sua criação, especialmente com o ser humano. Esse enfoque é conhecido como interpretação teológica.

Parte-se do pressuposto de que a Bíblia é, de fato, o meio que Deus escolheu para se revelar a nós, e, portanto, o que ela declara sobre Ele deve ocupar um lugar central em todo o texto.

A intenção da Bíblia não é meramente relatar sobre antigos praticantes religiosos e prescrever que todos nós devemos imitá-los. Seu propósito primordial é nos falar sobre o Deus fiel a quem essas pessoas serviram ou, em alguns casos, negaram.

Consequentemente, a nossa resposta pessoal não é a mensagem central; em vez disso, é a vontade de Deus e o Seu envolvimento com Sua criação que se destacam. Até mesmo textos que fornecem instruções sobre como devemos nos comportar revelam algo sobre Deus e Sua natureza.

Ao mantermos uma perspectiva centrada em Deus na interpretação da Bíblia, somos direcionados a compreender o caráter de Deus, Suas promessas, Seu amor e Sua justiça. Essa abordagem nos capacita a desenvolver uma relação mais profunda com o nosso Criador e a discernir Seu plano para a humanidade ao longo das Escrituras.

Como aplicar os ensinamentos da Bíblia à sua vida?

Como aplicar os ensinamentos da Bíblia

Aplicar os ensinamentos da Bíblia é uma responsabilidade de todos os cristãos, pois é essa aplicação que dá vida e significado às Escrituras em nossas vidas. Se não a aplicarmos, a Bíblia corre o risco de se tornar apenas um livro comum, repleto de manuscritos antigos que não têm impacto real em nosso dia a dia.

A carta de Paulo aos Filipenses nos lembra desse dever, incentivando-nos a praticar o que aprendemos, recebemos e vimos em exemplos, pois é quando aplicamos a Bíblia que experimentamos a presença do próprio Deus em nossas vidas.

O primeiro passo para aplicar a Palavra de Deus em nossas vidas é lê-la regularmente. A leitura da Bíblia tem como objetivo nos aproximar de Deus. Dessa forma, podemos compreender os Seus caminhos e discernir o Seu propósito tanto para o mundo em geral quanto para nossa vida individual.

O próximo passo é “guardar” a Palavra de Deus em nossos corações, como expresso no Salmo 119:11. Essa “guarda” é alcançada por meio do estudo, memorização e meditação nas Escrituras. Estas quatro etapas – ler, estudar, memorizar e meditar – são essenciais para o sucesso da aplicação da Palavra em nossas vidas.

Donald S. Whitney escreve: “A árvore da sua vida espiritual floresce melhor com a meditação porque ela o ajuda a absorver a água da Palavra de Deus (Efésios 5:26). 

Aqui estão 5 maneiras de aplicar as escrituras à sua vida:

1. Acredite no que a palavra diz: Ao ler a Bíblia, é fundamental ter fé e acreditar no que está sendo lido. Crer nas verdades reveladas nas Escrituras é essencial para agradar a Deus e desenvolver um relacionamento genuíno com Ele. Quando as palavras bíblicas podem parecer confusas ou contraditórias, podemos buscar a ajuda do Espírito Santo para nos ajudar a compreender e acreditar nas verdades reveladas na Palavra de Deus.

2. Lembre-se das principais verdades das Escrituras: Aplicar a Bíblia em nossas vidas envolve lembrar das principais verdades contidas nas Escrituras, como promessas, princípios, mandamentos e orações. Não devemos apenas ler a Bíblia superficialmente, mas levá-la a sério e permitir que suas verdades impactem nossas atitudes e ações.

3. Permita que as Escrituras exponham o pecado: A Palavra de Deus é poderosa e pode expor o pecado em nossas vidas. Devemos estar dispostos a permitir que a Bíblia revele nossas fraquezas e falhas, confessando-as e buscando a ajuda de Deus para superá-las. A Palavra também tem o poder de purificar nossos corações e nos conduzir à santificação.

4. Ore sobre o que você leu: A leitura da Bíblia deve estar acompanhada de oração. Devemos agradecer a Deus por Sua Palavra e pedir que Ele nos ajude a viver de acordo com ela. Podemos também orar usando as palavras da própria Bíblia, buscando assim uma maior conexão com Deus através da Sua Palavra.

5. Alinhe sua vida com o que a Bíblia diz: A aplicação efetiva da Bíblia em nossas vidas requer alinhar nossas ações e escolhas com os ensinamentos bíblicos. Quando a Palavra revela contradições com nosso estilo de vida, é necessário reconhecer a necessidade de mudança. A Palavra de Deus é infalível, portanto, somos nós que precisamos ser transformados.

O Espírito Santo o ajudará a aplicar a Bíblia à sua vida

Nessa jornada, não estamos sozinhos, pois Deus nos deu o Seu Espírito Santo para nos guiar e capacitar.

Jesus prometeu aos Seus discípulos que enviaria o Espírito Santo, que os ensinaria todas as coisas e os faria lembrar de Suas palavras (João 14:26). Essa promessa se estende a todos os crentes, pois, ao recebermos o Espírito Santo, também recebemos o Seu auxílio para compreendermos as Escrituras.

O Espírito Santo nos conduzirá na verdade e nos ajudará a aplicar a Palavra de Deus em nossa vida diária. Portanto, devemos fazer a nossa parte, guardando a Palavra em nossos corações e buscando a orientação e a obediência ao Espírito Santo. Dessa forma, experimentaremos a verdadeira transformação e comunhão com Deus através da aplicação da Bíblia em nossa vida.

Se gostou deste estudo sobre como interpretar a Bíblia, então leia também:

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Gostei muito destas explicações achei muito interessante as formas de como aprender mais as leituras da Bíblia algo maravilhoso me despertou meu coração, para querer conhecer mais e amar cada vez mais as escrituras sagradas, muito maravilhosas FÉ SEMPRE SEMPRE NO NOSSO DEUS ALTÍSSIMO AMÉM 🙏

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo