O poderoso contraste entre a desobediência de Eva e a obediência de Maria

Confusões, conflitos e desordens permeiam o mundo. E tudo por causa de um pedaço de fruta.

Bem, é um pouco mais profundo do que isso, mas a sedução da árvore foi o incentivo que iniciou a queda da humanidade.

A Bíblia está repleta de histórias de mulheres que influenciaram o reino de Deus. Sara era a mãe de Isaque cujos descendentes geraram o Messias. Ester salvou os judeus, e Débora liderou Israel em batalhas vitoriosas.

O Novo Testamento nos fala de Isabel, mãe de João Batista, Maria Madalena e Priscila, uma mulher que junto com seu marido ajudou Paulo na pregação da mensagem de redenção a inúmeras pessoas.

Mas duas mulheres nas Escrituras deixaram um legado que afetou o futuro dos habitantes da terra, Eva e Maria, a mãe de Jesus.

A decisão de cada mulher deixou consequências eternas. Uma semeou dor para toda a humanidade e uma deu origem ao caminho da redenção.

Como podemos contrastar a desobediência de Eva com a obediência de Maria?

A resposta de Eva a um anjo caído

Lúcifer, o anjo caído que se tornou o diabo, veio a Eva na forma de uma serpente. Ele usou as palavras que o Criador disse, mas inseriu o elemento de dúvida na conversa. Ou seja, distorceu a verdade.

Ele disse à mulher: “Deus realmente disse: ‘Você não deve comer de nenhuma árvore do jardim? 

(Gênesis 3:1b NVI).

Eva não estava presente quando Deus contou a Adão sobre a Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal (Gênesis 2:16-17). 

Suas informações sobre a restrição tinham que vir de seu marido. Ou ele não deu a ela do jeito que recebeu as instruções, ou ela interpretou mal como indicado por sua resposta à serpente.

Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais.” (Gênesis 3:3). Não lhes foi dito nada sobre tocar na árvore. Eva inseriu estas palavras em sua resposta.

Eva não reconheceu que este mensageiro não era do Senhor. Ela e Adão andaram e conversaram com Deus no final do dia desde que foram criados. Não sabemos quantos dias eles fizeram isso antes que o tentador viesse. Mas, com o histórico do diabo, ele provavelmente não perdeu tempo.

Só porque eles foram criados à Sua imagem e não tinham pecado não significa que eles conheciam o caráter do Santo. Pode ser por isso que Ele falava com eles todos os dias para que pudessem estabelecer o relacionamento íntimo que Ele queria ter.

Quando a serpente rastejou pela árvore e falou com Eva, a diferença em Suas palavras e voz deveria tê-la alertado que isso não era verdade. A primeira mulher conversou com uma cobra que questionou o que Deus já havia dito.

Eva submeteu-se às palavras do engano.

A resposta de Maria a um anjo do céu

Gabriel veio para uma jovem em Nazaré direto do trono de Deus. Ele não precisava se disfarçar porque seu propósito não era enganar.

Por causa da transgressão no jardim, o medo foi introduzido na alma das pessoas. Jeová teve que lembrar Seus santos daquele dia em diante com a saudação: “Não temais”, sempre que Ele os abordava com uma nova mensagem. Gabriel teve que primeiro assegurar ao destinatário de suas palavras que não havia nada a temer.

A rápida capacidade de Maria de aceitar as palavras de Gabriel para sua vida é uma indicação de que ela foi educada em obediência a vida inteira. A escolha de Deus para a mãe de Seu Filho teria sido de uma família judia fiel.

E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres. 

(Lucas 1:28)

Maria conversou com Gabriel, mas apenas para colher informações. Ele não estava pedindo para ela duvidar de algo que Deus já havia dito, como o tentador fez com Eva. Ela só queria saber como a concepção poderia acontecer a uma virgem.

Esta jovem conhecia as profecias sobre a vinda do Messias. Toda a população judaica esperou séculos pelo Seu aparecimento. Ela já conhecia e confiava nas Escrituras e prontamente se submeteu à escolha do Senhor para sua vida (Lucas 1:38).

Auxiliou a Israel seu servo, Recordando-se da sua misericórdia; Como falou a nossos pais, Para com Abraão e a sua posteridade, para sempre.

(Lucas 1:54-55)

A diferença em seus filhos primogênitos de Eva e Maria

O Filho primogênito de Maria deu a própria vida para dar vida aos outros.

Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos. 

(Marcos 10:45)

O filho primogênito de Eva cometeu o primeiro assassinato (Gênesis 4:8).

Após a morte de Abel, Caim culpou seu próprio irmão. “Eu sou o guardião do meu irmão?” (Gênesis 4:9b)

Jesus tinha todo o direito de culpar aqueles que vieram contra Ele, em vez disso, Ele os perdoou.

Uma voz do céu disse a Caim que ele era amaldiçoado e fugitivo (Gênesis 4:12).

A voz do Pai do céu declarou que Jesus era Seu Filho amado (Mateus 3:17).

O sangue de Abel caiu no chão e clamou por vingança.

O sangue de Jesus caiu de Sua fronte ao chão por meio de Sua oração agonizante no Jardim do Getsêmani. Ele clamou para que a vontade de Seu Pai fosse feita e por meio de Seu sacrifício a vingança contra o pecado aconteceria.

As consequências das decisões de Eva e Maria

A desobediência de Adão e Eva trouxe a morte e instituiu o primeiro sacrifício quando Deus os vestiu com peles de animais (Gênesis 3:21).

Portanto, assim como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram. 

(Romanos 5:12)

A fidelidade de Maria deu origem ao sacrifício que foi dado por toda a humanidade.

E Ele é o sacrifício expiatório pelos nossos pecados, e não apenas pelos nossos, mas também pelos pecados do mundo inteiro. 

(1 João 2:2)

A aceitação da comissão do Senhor trouxe um escândalo temporário à vida de Maria. Sua submissão às palavras do anjo exigia que ela superasse suas emoções quando não sabia o que o futuro reservava para ela. Sua decisão abençoou sua vida, e temos a mesma opção quando aceitamos a Cristo.

A fé nasceu no coração de Maria e o Verbo se fez carne (João 1:14).

A dúvida nasceu no coração de Eva e as palavras de Deus morreram em sua alma. Uma barreira foi erguida contra a intimidade com seu Criador.

Eva perdeu a alegria. Seu único momento de prazer introduziu o pecado.

Quando a mulher viu que a árvore era boa para comer e agradável aos olhos, e também desejável para obter sabedoria, ela pegou um pouco e comeu. Ela também deu ao marido, que estava com ela, e ele comeu. 

(Gênesis 3:6)

Todo o mundo culpa Eva.

E Adão não foi o enganado; foi a mulher que foi enganada e se tornou pecadora. 

(1 Timóteo 2:14)

Todo o mundo chamará Maria bem-aventurada.

Bem-aventurada aquela que acreditou, porque haverá um cumprimento das coisas que lhe foram ditas do Senhor. 

(Lucas 1:45)

Suas escolhas podem nos ensinar como responder ao que ouvimos

As respostas de Eva e Maria podem nos ensinar como devemos responder ao que ouvimos. Somos instruídos a dividir corretamente a palavra da verdade.

Procuras apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar e que maneja bem a palavra da verdade

(2 Timóteo 2:15)

As táticas de Satanás não mudaram desde o início dos tempos. Suas únicas armas são o engano e a mentira. Ele se transformou em uma serpente para falar com Eva, (que na época não era um animal indesejável). Ele se transforma em anjo de luz para vir até nós.

E não é de admirar, pois o próprio Satanás se disfarça de anjo de luz. Não é surpreendente, então, que seus servos também se disfarcem de servos da justiça. Seu fim será o que suas ações merecem. 

(2 Coríntios 11:14-15)

Ele se falsifica como algo bom para nos enganar. Mas nos dizem que ele não pode nos devorar se resistirmos a ele.

Esteja alerta e de mente sóbria. O diabo, vosso inimigo, anda em derredor como leão que ruge procurando alguém para devorar. Resisti-lhe, permanecendo firmes na fé , porque sabeis que a família dos crentes em todo o mundo está passando pelo mesmo tipo de sofrimentos. 

(1 Pedro 5:8-9)

Ambas as mulheres tinham a opção de escolha. Maria escolheu se submeter às palavras de Gabriel. Eva se submeteu às mentiras do diabo.

Nossas opções são as mesmas de Maria e Eva. Devemos decidir que voz vamos ouvir. Nossas consequências serão determinadas por essa decisão.

Adão e Eva foram para o céu ?

Eu gosto de pensar que eles fizeram. Deus em Sua misericórdia derramou o sangue de um animal em vez de matá-los pelo que fizeram. Ele cobriu seus corpos com as peles e mesmo que sua intimidade estivesse corrompida, o Senhor ainda falava com eles.

Embora eles possam ter passado o resto de suas vidas em culpa, eles também se arrependeram e ensinaram seus filhos sobre sacrifícios e ofertas (Gênesis 4:3-4). 

Seria contra o caráter de nosso Senhor condená-los ao inferno ao mesmo tempo em que mostra misericórdia para com o resto da humanidade fornecendo redenção. Eles tiveram que escolher receber o perdão de Deus da mesma forma que nós. Só somos salvos porque respondemos ao Seu dom.

Mas onde o pecado aumentou, a graça aumentou ainda mais, para que, assim como o pecado reinou na morte, assim também a graça reinasse pela justiça para trazer a vida eterna por meio de Jesus Cristo nosso Senhor. 

(Romanos 5:20-21)

Eles estariam entre os santos no padrão do Paraíso esperando pela trasladação para seu lar celestial. Depois que Jesus foi crucificado, Ele entrou nas entranhas da terra e os conduziu para fora (Efésios 4:8-9).

É fácil condenar o primeiro casal por sua transgressão, mas é provável que não houvesse um único de nós que não tivesse feito a mesma coisa.

Podemos ser gratos pela misericórdia e bondade de Deus estendidas a cada um de nós. Por causa da graça, não importa o que aconteceu no início, recebemos vida.

Autora Barbara Latta – Traduzido e adaptado por Biblioteca do Pregador.

Botão Voltar ao topo