É bíblico dar o dízimo se Jesus cumpriu a lei?

A questão de dar é muito interessante em muitas igrejas. Em um canto, você tem aqueles que acreditam que o dízimo é baseado em Malaquias 3:10, amarrando-o à lei. No outro canto, você tem aqueles que acreditam que cada um deve dar de acordo com o que eles determinaram em seu coração de acordo com 2 Coríntios 9:7, conectando-o à graça.

Eu não sei de que lado você cai, mas eu quero lançar alguma luz. Quero dar uma resposta à pergunta: é bíblico dar o dízimo se Jesus cumpriu a lei?

Dois Princípios sobre Jesus e a Lei

Em Mateus 5:17-18, temos a declaração de Jesus sobre a Lei. Aqui está o que ele disse:

Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; Não vim para aboli-los, mas para cumpri-los. Pois em verdade vos digo, até que o céu e a terra desapareçam, nem a menor letra, nem o menor traço de uma caneta, de qualquer maneira desaparecerá da Lei até que tudo seja cumprido.

Antes de podermos responder a essa questão do dízimo, há duas coisas que podemos aprender com esses versículos.

1. Jesus não veio para abolir a lei

Eu sei que a Lei muitas vezes tem uma má reputação, mas a verdade é que a Lei é realmente boa. Antes que você pense que vou lhe dizer para começar a sacrificar animais novamente, continue lendo. 

Nunca houve um problema com a Lei, ou os primeiros 5 livros da Bíblia. O problema era que os homens não podiam cumprir os requisitos da Lei. 

Eu quero que você coloque isso em seu coração. A Lei é boa. No entanto, tentar ganhar justificação ou salvação vivendo de acordo com os requisitos da Lei não é bom. Se você tentar fazer isso, você falhará miseravelmente. Paulo nos lembra disso em Romanos 3:20:

Portanto, ninguém será declarado justo aos olhos de Deus pelas obras da lei; antes, por meio da lei nos tornamos conscientes de nosso pecado.

Porque a Lei é boa, pura e santa, ela nos torna conscientes de nossa condição pecaminosa. Por esta razão, os padrões da Lei nunca desaparecerão. 

A partir de agora até a volta de Jesus, a Lei estará sempre presente nos tornando conscientes do nosso pecado.

2. Jesus Cumpriu a Lei

Saber que as normas da Lei permanecem e sempre permanecerão apresenta um problema. Não podemos viver de acordo com elas. 

A boa notícia, porém, é que não precisamos porque foi isso que Jesus fez por nós. Sua justificação agora vem pela fé em Jesus, não tentando cumprir os requisitos da Lei.

Claramente, ninguém que confia na lei é justificado diante de Deus, porque “o justo viverá pela fé”. – Gálatas 3:11

Você pode estar se perguntando… o que isso tem a ver com dar? Eu dou o dízimo ou não?

A conexão com a doação

Vamos pegar esses princípios e aplicá-los à doação. Vamos considerar os versículos que mencionei anteriormente. Primeiro Malaquias 3:10:

Traga todo o dízimo à casa do tesouro, para que haja mantimento em minha casa. Teste-me nisso, diz o Senhor Todo-Poderoso, e veja se eu não abrirei as comportas do céu e derramarei tanta bênção que não haverá espaço suficiente para armazená-la.

O princípio do Antigo Testamento era dar a Deus um dízimo, os primeiros 10 por cento de sua renda. 

Visto que Jesus não veio para abolir a Lei, na verdade não há nada de errado em dar o dízimo. É um grande princípio pelo qual viver e ainda é uma ótima maneira de reconhecer que tudo o que você tem vem de Deus. Isso não responde completamente à pergunta.

O que você tem que considerar é o seu motivo para dar. O que a Lei não faz é expor as atitudes ou condições do seu coração. Este é o problema que os fariseus tinham. Eles conheciam a Lei e até viviam de acordo com os requisitos dela (às vezes), mas não estavam cientes das atitudes de seu coração.

O mesmo acontece com a doação. Não é apenas sobre o que você dá, o espírito ou atitude com que você dá também importa. Paulo aborda isso no Novo Testamento.

O outro versículo a considerar sobre dar

Lembre-se disso:

E digo isto: Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância ceifará. Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria. – 2 Coríntios 9:6-7

Paulo joga uma chave inglesa nessa equação porque ele não está tão preocupado com a quantia que você dá, mas com o espírito com que você a dá. O que ele faz, no entanto, é amarrar sua semeadura (dar) e sua colheita.

Se você der muito, você colherá muito. Se você der pouco, colherá pouco. Este é um remanescente de um provérbio do Antigo Testamento,

O homem generoso [é uma fonte de bênção e] será próspero e enriquecido, E aquele que rega será regado [colhendo a generosidade que semeou]. – Provérbios 11:25 

Há uma conexão entre dar e receber. 

A medida que você der será medida de volta para você. No entanto, Paulo acrescenta uma coisa aqui que vale a pena notar. 

E é isso que, em última análise, determinará se o seu dízimo é bíblico ou não. Eu quero que você faça este pequeno teste de três perguntas baseado em 2 Coríntios 9:7:

1. Você está decidindo fazer isso sozinho?

2. Você está sendo forçado ou enganado a dar?

3. Você está fazendo isso com alegria ou relutância?

Como você fez? Isso não é classificado como aprovado/reprovado, é classificado por revelação. O que suas respostas revelaram sobre sua doação?

Para que sua doação seja bíblica e agradável a Deus, deve vir de um coração disposto e alegre. Se você está com raiva, relutante, relutante ou não vê o ponto… então essa não é a atitude que Deus abençoa ao dar.

Se esse é o espírito com o qual você está dando, provavelmente é melhor não dar e guardar seu dinheiro. Você perdeu a bênção de dar. 

Sua doação deve fluir do conhecimento de que Deus é sua fonte e você está alegremente escolhendo honrá-lo com sua doação. Quando essa é a sua atitude, é quando acontece a bênção de semear e colher.

Então e o dízimo?

Finalmente, a resposta. Aqui está o que descobrimos até agora: Jesus não veio para abolir a Lei. Com isso dito, o dízimo é realmente bíblico, então vá em frente e continue dando o dízimo. No entanto, também descobrimos que sua atitude em dar é tão importante, talvez até mais importante, do que seu dízimo.

À medida que Deus o abençoou (e continua a abençoá-lo), você descobrirá que se preocupa cada vez menos com os 10%. Muitas vezes você acabará dando mais porque vê as necessidades e está usando os recursos e as bênçãos que Deus lhe deu para satisfazê-las.

Eu chegaria ao ponto de dizer o seguinte: se sua atitude é “apenas dê 10 por cento e sua obrigação está cumprida”, então você realmente não entende o espírito de dar. Quando você realmente entender a doação, logo reconhecerá que o dízimo não é o fim da doação… é apenas o começo.

Quando você dá dessa maneira, não é porque você precisa ou é forçado a fazê-lo, é porque você quer. Este é o verdadeiro cerne da questão, e é o que Deus era afinal de contas.


Autor Clarence L. Haynes Jr. 

Botão Voltar ao topo