Idiomas Originais da Bíblia

Nos seus originais a Bíblia foi escrita em três idiomas: hebraico, aramaico e grego. O grego foi a língua utilizada para o Novo Testamento, enquanto que os outros dois idiomas, foram usados no Antigo Testamento.

Os Idiomas Originais da Bíblia

As línguas utilizadas no registro da revelação de Deus, a Bíblia, vieram de famílias de línguas semíticas e indo-europeias.

Da família semítica, tiveram origem as línguas básicas do Antigo Testamento: o hebraico e o aramaico (siríaco).

Além do hebraico e do aramaico, temos o latim e o grego representando a família indo-europeia.

Essas línguas ainda continuam sendo faladas em algumas partes do mundo contemporâneo.

O hebraico é a língua oficial do Estado de Israel.

O aramaico é falado por alguns cristãos nas vizinhanças da Síria.

O grego, ainda que muito diferente dos tempos do Novo Testamento, é falado por muitas pessoas hoje.

De modo indireto, os fenícios exerceram um papel importante na transmissão da Bíblia ao inventarem o veículo básico de propagação das letras: o alfabeto.

Hebraico

idiomas originais da bíblia

Quase todos os 39 livros do Antigo Testamento foram escritos em hebraico, exceto algumas passagens de Esdras, Jeremias e Daniel, escritas em aramaico.

A mais extensa encontra-se em Daniel, que vai do capítulo 2. 4 ao capítulo 7. 28.

A língua hebraica é chamada, no Antigo Testamento, de “língua de Canaã” (Is 19.18), “língua judaica” e/ou “judaico”
(2Rs 18. 26,28; Is 36. 13).

Como a maior parte das línguas do ramo semítico, o hebraico lê-se da direita para a esquerda.

O alfabeto compõe-se de 22 letras, todas consoantes.

Aramaico

escritas aramaico - tempo bíblico

Um idioma aparentado com o hebraico, o aramaico tornou-se a língua comum na Palestina depois do cativeiro babilônico.

A influência do aramaico

A influência do aramaico foi profunda sobre o hebraico, começando no cativeiro do reino de Israel, em 722 a.C., na Assíria, e tendo prosseguimento por meio do cativeiro do reino do Sul (Judá), em 587 a.C., na Babilônia.

Em 536 a.C., quando Israel começou a regressar do exílio, o povo falava o aramaico como língua nacional.

E por isso que quando Esdras leu as Escrituras em hebraico foi preciso ser interpretado (Ne 8. 5,8).

Palavras aramaicas preservadas no Novo Testamento

Existem algumas palavras aramaicas preservadas no Novo Testamento, como, por exemplo: Talita cumi (“menina, levanta-te!”), em Marcos 5.41.

Efatá (“abre-te”), em Marcos 7.34.
Eli, Eli, lemásabactâni (“Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”), em Mateus 27.46.

Em Mateus 5.18, quando Jesus diz que a menor letra é o jota (aramaico iode), Ele tinha em mente o alfabeto aramaico, pois somente neste é que se verifica isto.

E em Romanos 8.15 e Gálatas 4.6, o apóstolo Paulo usou abba (“Pai”) em aramaico.

Antigo Testamento contém, além do hebraico e aramaico, algumas palavras persas, como “tirsata” (Ed 2.63) e “sátrapa” (Dn 3.2).

O aramaico é, também, chamado de “siríaco”, na Região Norte (2Rs 18.26; Ed 4.7; Dn 2.4 — ARC), e de “caldaico”, na
Região Sul (Dn 1.4).

Devido aos hebreus terem adotado o aramaico como uma língua, no Novo Testamento ele passou a ser chamado de “hebraico”, conforme se lê em Lucas 23.38; João 5.2; 19.13,17,20; Atos 21.40; 26.14.

Grego

escritas em grego - originais bíblicos

Estamos diante da língua em que, originalmente, o Novo Testamento foi escrito.

O grego do Novo Testamento não é o grego clássico dos filósofos, mas o dialeto popular do homem da rua, dos comerciantes, dos estudantes… Era o grego koiné, que todos entendiam.

A Grécia tornou-se um império mundial, e toda a terra conhecida recebeu influência da língua grega.

Nos primórdios do cristianismo, o Evangelho pregado ou escrito em grego podia ser compreendido pelo mundo todo.

A mão de Deus pode ser vista nisto, porque o grego era o idioma internacional do século I, tornando, assim, possível a
divulgação do evangelho por todo o mundo então conhecido.

O alfabeto grego tem 24 letras.

A primeira chama-se Alfa e a última, Omega.

Quando, em Apocalipse 1.8, Jesus diz que é o Alfa e o ômega, está afirmando que é o primeiro e o último.

Banner-Qualidade-Biblica-biblioteca-do-pregador

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.