KENOSIS – Significado

KENOSIS – O termo “Kenosis” tem origem na passagem de Filipenses 2.7, na qual o apóstolo Paulo descreve a encarnação de Cristo, afirmando que Ele “a si mesmo se esvaziou”. A palavra “kenosis” deriva do verbo grego “kenoo” e tem sido usada para descrever um conjunto específico de teorias relacionadas à encarnação de Jesus Cristo. No entanto, não existe um acordo universal quanto aos limites precisos dessa discussão.

A controvérsia inicial sobre a kenosis está ligada ao debate eucarístico entre Martinho Lutero e teólogos suíços sobre a natureza da Ceia do Senhor e a presença de Cristo nos elementos da ceia. No século XIX, a kenosis ganhou influência como uma teoria teológica, com teólogos como Johann Brenz de Tübingen enfatizando a comunicação completa das naturezas divina e humana em Cristo, embora a glória divina tenha sido temporariamente oculta durante Sua humilhação.

Questões subsequentes surgiram, como a natureza da humilhação de Cristo e como Ele diferia de Sua exaltação. Alguns teólogos luteranos sugeriram que a kenosis estava relacionada ao ofício sacerdotal de Cristo, no qual Ele se despojou de Sua glória divina para realizar Sua obra de salvação.

No século XIX, teólogos britânicos assumiram a kenosis, argumentando que a doutrina das duas naturezas de Cristo resultaria em uma dualidade na consciência e nas ações de Cristo, a menos que a kenosis fosse aceita. No entanto, essa teoria também enfrentou complicações e não pôde ser harmonizada com as Escrituras.

A kenosis foi criticada por sugerir que Deus se tornou um homem, abandonando Sua divindade, o que levantou questões sobre a encarnação, a ressurreição e a exaltação de Cristo. Muitos teólogos ortodoxos rejeitaram a kenosis, considerando-a incompatível com a cristologia tradicional.

Paulo em Filipenses 2.7 não afirma que Cristo se esvaziou de todos os atributos divinos, mas usa uma linguagem figurativa para descrever a condescendência e a humildade de Cristo na encarnação, incentivando os leitores a adotar a mente de Cristo em sua própria conduta.

A controvérsia em torno da kenosis permaneceu complexa e desafiadora, levando muitos a rejeitá-la em favor de uma compreensão mais tradicional da encarnação de Cristo.

Versículos referência

“Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens” (Filipenses 2:7)

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!