Quem é Jesus Cristo na Bíblia Sagrada? Biografia do Maior Homem da História do Cristianismo

Quando os cristãos fazem a seguinte pergunta “Quem é Jesus Cristo?” automaticamente, eles encontram sua resposta na Bíblia Sagrada, nas próprias palavras que Jesus disse sobre Si mesmo, ou nas profecias do Antigo Testamento que predisseram Sua vinda, e também nas doutrinas expostas sobre Jesus Cristo e Sua Igreja, através do estudo do Novo Testamento.

Há pouca dúvida histórica de que Jesus Cristo existiu, mas as pessoas muitas vezes se perguntam sobre Sua natureza divina, Seus milagres e a oferta de Deus de salvação eterna pela graça, através de Jesus Cristo “primeiro ao judeu e também ao gentio” (Romanos 1:16) em outras palavras, para toda a humanidade que creria.

Porque o amor que Jesus oferece vem na forma de um “relacionamento pessoal” com Ele, muitos crentes têm definições particulares sobre quem Jesus Cristo é para eles. Contudo, neste estudo bíblico sobre a cristologia, queremos dar a você os fundamentos bíblicos sobre esse surpreendente e paradoxal Salvador, o Filho de Deus e o Filho do Homem.

Através do evangelho de Jesus, o qual é literalmente as “boas novas de Salvação”, esperamos que você mergulhe neste milagre e maravilha que o Deus de toda a criação fez por você e por mim, por meio de Seu Filho.

Estudo completo sobre a Cristologia:

O que significa o termo Cristologia?

Cristologia em sua definição etimológica provém do termo hebraico ‘Mashiac’ ou ‘Messias’; derivando do termo grego ‘Cristós’. Messias, o ungido denotando esperança do povo Judeu naquele que haveria de vir; o Cristo, o ungido, redivivo.

A identidade de Jesus Cristo

Vamos começar nosso estudo sobre a identidade de Jesus Cristo, no Evangelho de Mateus 16, onde o Senhor fez a pergunta aos Seus próprios discípulos:

[…]”Quem dizem os homens ser o Filho do homem? E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas. Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. (Mateus 16: 13-17)

O livro de Hebreus, no entanto, é outra fonte que tentou responder à mesma pergunta. Como afirma a Bíblia de Estudo Ryrie: “O tema do livro é a superioridade de Jesus Cristo e, portanto, do cristianismo”. Superior a quê? Entre outras coisas: profetas, anjos, Moisés/A Lei, sacerdotes e outros poderes. 

Jesus Cristo é supremo entre qualquer coisa ou pessoa

Em outras palavras, Jesus Cristo é supremo entre qualquer coisa ou pessoa, até mesmo coisas e pessoas que provêm ou são amadas por Deus. 

“Por esta razão, devemos prestar muito mais atenção ao que ouvimos, para que não nos desviemos disso”, como diz em Hebreus 2:1, sobre a natureza da identidade do Messias. É por isso que até os cristãos estudam continuamente esses preceitos; não são apenas os céticos, buscadores e incrédulos que se beneficiam de querer estudar sobre Jesus, o Cristo.

O apóstolo Paulo, antes de sua conversão, era conhecido como Saulo, um judeu muito legalista que perseguia os cristãos (Atos 9). Depois disso, Paulo muitas vezes se referia a si mesmo como “servo escravo de Cristo Jesus”, alguém pouco mais que um escravo voluntário, mas que participava da mesma servidão. 

Em Filipenses 1:21, ele expressaria sua devoção segura ao Senhor, bem como daria outra pista para responder à nossa pergunta ao escrever: “Para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro”. 

Observe, portanto, que encontrar a resposta pode ser chocante. Também, pode preencher o que sempre pareceu faltar dentro de você, já que o Pai enviou Seu Filho para reconciliá-lo com seu propósito original, ou seja, a comunhão com o maravilhoso e santo Criador. 

Então, ao buscar o conhecimento do Salvador, considere-se alegremente privilegiado.

Quem Jesus Cristo disse que era?

Ele afirmou ser o Filho de Deus, igual a Deus e com autoridade do Pai

“E disseram todos: Logo, és tu o Filho de Deus? E ele lhes disse: Vós dizeis que eu sou.” (Lucas 22:70)

“Porque, qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe.” (Mateus 12:50)

“E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.” (Mateus 28:18)

“Mas Jesus respondeu, e disse-lhes: Na verdade, na verdade vos digo que o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer o Pai; porque tudo quanto ele faz, o Filho o faz igualmente.” (João 5:19).

Ele alegou viver uma vida sem pecado

“Quem dentre vós me convence de pecado? E se vos digo a verdade, por que não credes?” (João 8:46)

Jesus tinha a capacidade de pecar; se Ele não fosse capaz de pecar, Ele não poderia ter sido tentado genuinamente e seria incapaz de ser nosso simpático Sumo Sacerdote.

“Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.” (Hebreus 4:15)

Quando, no entanto, Jesus foi tentado, Ele sempre repreendeu o pensamento com as escrituras.

Porque Ele não pecou, ​​Deus foi capaz de aceitar Seu sacrifício. 

“Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito;” (1 Pedro 3:18) 

Ele afirmou ser o único caminho para Deus

“Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.” (João 14:6)

Também, é interessante notar que Jesus não se autodenominou o destino, mas o caminho, indicando que nossa caminhada cristã é uma jornada.

Ele alegou que tinha o poder de perdoar pecados e dar vida eterna

“Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;” (João 11:25)

“E, vendo ele a fé deles, disse-lhe: Homem, os teus pecados te são perdoados. E os escribas e os fariseus começaram a arrazoar, dizendo: Quem é este que diz blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão só Deus?” (Lucas 5:20-21)

“Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.” (João 6:40)

“Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna.” (João 6:47)

Ele previu sua própria morte e ressurreição

“E, tomando consigo os doze, disse-lhes: Eis que subimos a Jerusalém, e se cumprirá no Filho do homem tudo o que pelos profetas foi escrito; Pois há de ser entregue aos gentios, e escarnecido, injuriado e cuspido; E, havendo-o açoitado, o matarão; e ao terceiro dia ressuscitará.” (Lucas 18:31-33)

Ele disse que voltaria

“Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem. Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão as águias. E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.” (Mateus 24:27-30)

“Mas ele calou-se, e nada respondeu. O sumo sacerdote lhe tornou a perguntar, e disse-lhe: És tu o Cristo, Filho do Deus Bendito? E Jesus disse-lhe: Eu o sou, e vereis o Filho do homem assentado à direita do poder de Deus, e vindo sobre as nuvens do céu.” (Marcos 14:61-62)

Jesus sabia, portanto, claramente que Ele era o Cordeiro de Deus, o Messias mencionado no Antigo Testamento. Ele sabia que tinha que viver uma vida sem pecado, não importava como. 

Quando retornar, Ele julgará os pecados do mundo… exceto aqueles que já reconheceram a convicção, declararam-se culpados e buscaram Sua misericórdia crendo em Cristo. 

O que o Antigo Testamento profetizou sobre o Messias

“Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.” (Isaías 53:5)

“A pedra que os edificadores rejeitaram tornou-se a cabeça da esquina.” (Salmos 118:22)

“Aniquilará a morte para sempre, e assim enxugará o Senhor DEUS as lágrimas de todos os rostos, e tirará o opróbrio do seu povo de toda a terra; porque o SENHOR o disse.” (Isaías 25:8)

O Antigo Testamento foi concluído centenas de anos, antes de Jesus nascer. Um grande número de profecias foram feitas em detalhes surpreendentes por muitas pessoas ao longo desses livros. 

De fato, a profecia cumprida é uma das marcas distintivas da Bíblia, autenticando sua afirmação de ser a Palavra inspirada de Deus. 

Por exemplo, o Antigo Testamento indicava que Jesus seria traído por alguém em quem ele confiasse. 

“Até o meu próprio amigo íntimo, em quem eu tanto confiava, que comia do meu pão, levantou contra mim o seu calcanhar.” (Salmos 41:9)

O Novo Testamento, que registra a vida e ressurreição de Jesus, revela que uma das 12 pessoas que Jesus escolheu para fazer parte de seu círculo íntimo o traiu:

“E Judas Iscariotes, um dos doze, foi ter com os principais dos sacerdotes para lho entregar.” (Marcos 14:10)

Contudo, mais de 300 profecias messiânicas como esta foram feitas no Antigo Testamento, e depois cumpridas através da vida, morte e ressurreição de Jesus. 

Alguns exemplos:

O Messias nascerá de uma virgem: Profetizado em Isaías 7:14; Cumprido em Mateus 1:18-25

Messias será amaldiçoado e crucificado: Profetizado em Deuteronômio 21:22-23Salmos 22Salmos 69:21; Cumprido em Mateus 27:34-50João 19:28-30Gálatas 3:13

Messias será ressuscitado dos mortos: Profetizado em Salmos 16:10; Cumprido em Atos 13:35-37          

Como o Novo Testamento responde “Quem é Jesus?”

“Disse-lhes, pois, Jesus: Quando levantardes o Filho do homem, então conhecereis quem eu sou, e que nada faço por mim mesmo; mas falo como meu Pai me ensinou. E aquele que me enviou está comigo. O Pai não me tem deixado só, porque eu faço sempre o que lhe agrada.” (João 8:28-29)

“NO princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.” (João 1:1-3)

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho único, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16)

No livro de Atos

O Livro de Atos dos Apóstolos descreve, portanto, como o Cristianismo deixou de ser visto como uma seita do Judaísmo para se tornar uma religião mundial, porque o espírito de Deus se moveu na vida daqueles que testemunharam Jesus, e que agora levavam Sua mensagem de salvação a todo o mundo.

No Dia de Pentecostes, Pedro prega: “Que toda a casa de Israel saiba com certeza que Deus o constituiu Senhor e Cristo, a este Jesus que vocês crucificaram” (Atos 2:22-36).

Das cartas de Paulo

O apóstolo Paulo escreveu inúmeras cartas às igrejas que ajudou a estabelecer no sul da Europa e na Ásia Menor, ajudando a responder perguntas ou resolver disputas sobre a teologia cristã.

“Justificados, pois, pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo.” (Romanos 5:1)

“Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que já foi posto, o qual é Jesus Cristo.” (1 Coríntios 3:11)

“Assim como os sofrimentos de Cristo são nossos em abundância, também a nossa consolação é abundante por meio de Cristo.” (2 Coríntios 1:5)

“Foi para a liberdade que Cristo nos libertou.” (Gálatas 5:1)

“Maridos, amem suas esposas, assim como também Cristo amou a igreja e se entregou por ela.” (Efésios 5:25)

“Tende em vós o mesmo comportamento que houve também em Cristo Jesus, o qual, embora existindo em forma de Deus, não teve por apego ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, assumindo a forma de servo, e feito à semelhança dos homens.” (Filipenses 2:5-7)

“E ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação.” (Colossenses 1:15)

No livro de Hebreus

O Livro de Hebreus, portanto, responde que é sobre a superioridade de Cristo sobre profetas, anjos, Moisés e sacerdotes. Ele se fez nosso Sumo Sacerdote, para que todos possamos nos tornar sacerdotes com nosso próprio acesso ao Pai.

“HAVENDO Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho, A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo.” (Hebreus 1:1-2)

Livro do Apocalipse responde

“E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Àquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados.” (Apocalipse 1:5)

Os Demônios também respondem

“De repente eles gritaram, dizendo: “O que temos nós contigo, Jesus, Filho de Deus? Você veio aqui para nos atormentar antes do tempo?” (Mateus 8:29)

A Humanidade de Jesus

Era uma das maneiras favoritas de Jesus se referir a Si mesmo. Ele é citado 85 vezes na versão King James do Novo Testamento chamando a si mesmo de “Filho do Homem”. 

Aqui estão, as 10 de suas principais características humanas:

1. Jesus nasceu em Belém, vindo de uma família pobre e simples. Sua mãe Maria vinda de Nazaré, tanto ela quanto José eram da linhagem de Davi e da tribo de Judá, cumprindo assim as profecias de: Miquéias 5:2Gênesis 3:15Isaías 7:14Gênesis 49:10Salmos 132:11Jeremias 23:5 e Isaías 11:10.

2. Jesus foi um judeu que cresceu em Nazaré, aprendeu carpintaria com seu pai terreno, “cresceu em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens” (Lucas 2:52) e começou um ministério em Israel aos 30 anos. 

3. Jesus, o primo de João Batista, que proclamou a vinda do Messias.

4. Jesus foi batizado por João Batista no início de Seu ministério, quando uma voz dos céus proclamou: “Tu és Meu Filho amado; em Ti me comprazo”. (Lucas 3:22)

5. Jesus, foi tentado por Satanás no deserto por 40 dias, quando jejuou e orou, e resistiu à tentação por meio das escrituras sagradas.

6. Jesus foi incompreendido por Sua família e os de Sua cidade natal.

7. Jesus Cristo, o meio-irmão de Tiago, autor do Livro de Tiago, e líder da igreja primitiva.

8. Jesus depois de ministrar, curar e ensinar por três anos, foi crucificado fora de Jerusalém durante a festa da Páscoa pelos romanos a pedido dos líderes religiosos judeus.

9. Jesus Cristo homem, tinha necessidades humanas de comer, beber e dormir.

10. Mostrou emoções humanas de amor, felicidade, tristeza e raiva… mas não medo, ódio ou orgulho.

O significado da humanidade de Cristo

Vivendo na terra por 33 anos, Jesus experimentou todas as tentações que você e eu enfrentamos, e é por isso que “o Senhor sabe livrar da tentação os piedosos” (2 Pedro 2:9). 

Ele também nos mostrou como modelar nosso comportamento. 

“Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas.” (1 Pedro 2:2)

Então, Ele sabe o que passamos. Um salvador divino poderia perdoar pecados, mas não seria capaz de se relacionar com os pecadores. Um salvador-homem seria capaz de se relacionar com a humanidade, mas não teria autoridade ou poder para perdoar pecados ou retornar dos mortos. Era necessário que Jesus fosse ambos.

Ao fazer isso, ele se tornou “o Novo Adão”. 

“Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo.” (1 Coríntios 15:22) 

“Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante.” (1Corintios 15:45)

Divindade e Humanidade de Jesus – 100% Deus e 100% Homem

  • Como Homem, Jesus nasceu de uma Virgem. Como Deus, Jesus é desde a Eternidade.
  • Como Homem, Jesus teve mãe e não teve pai. Como Deus, Ele tem Pai e não tem mãe.
  • Como Homem, Jesus teve sede. Como Deus, Jesus é a Água da Vida.
  • Como Homem, Jesus teve fome. Como Deus, Ele é o Pão da Vida.
  • Como Homem, Jesus dormia. Como Deus, Ele é o Guarda de Israel que não dorme.
  • Como Homem, Jesus se cansou. Como Deus, Jesus é o Nosso Descanso.
  • Como Homem, Jesus se tornou Servo dos servos. Como Deus, Jesus é o Senhor dos senhores.
  • Como Homem, Jesus se tornou súdito de Roma. Como Deus, Ele é o Rei dos reis.
  • Como Homem, Jesus tomou do fruto da videira. Como Deus, Jesus é a Videira Verdadeira.
  • Como Homem, Jesus morreu crucificado. Como Deus, Ele é a Ressurreição e a Vida.
  • Como Homem, Jesus foi açoitado com varas. Como Deus, Jesus regerá as nações com vara de ferro.
  • Como Homem, Jesus teve suas vestes rasgadas. Como Deus, Ele está vestido com vestes talares até aos pés e cingido com um cinto de ouro.
  • Como Homem, Jesus foi tentado pelo Diabo. Como Deus, Jesus não pode ser tentado e a ninguém tenta.
  • Como Homem, Jesus entrou em Jerusalém montado num jumento. Como Deus, Ele virá montado num cavalo branco.
  • Como Homem, Jesus foi julgado e condenado perante os homens. Como Deus, Ele julgará e condenará todos os homens que não tiverem os seus nomes inscritos no Livro da Vida.
  • Como Homem, Jesus recebeu uma coroa de espinhos. Como Deus, Ele possui uma coroa com muitos diademas.
  • Como Homem, Jesus teve suas mãos furadas na cruz. Como Deus, Jesus toma na concha da sua mão as águas e toma a medida dos céus a palmos.
  • Como Homem, Jesus teve os seus pés cravejados na cruz. Como Deus, Ele tem os seus pés como bronze polido e o latão reluzente para esmagar os seus inimigos.
  • Como Homem, Jesus teve o seu rosto desfigurado na cruz. Como Deus, Ele possui um rosto que brilha mais do que o sol resplandecente.
  • Como homem, Jesus chorou. Como Deus, Ele enxugará dos nossos olhos toda a lágrima.

Quem matou Jesus?

Com o lançamento do filme A Paixão de Cristo, essa questão voltou a ser um problema. Pilatos foi o responsável? Foi Roma? Foi o Sinédrio, ou toda a nação hebraica? Ou você e eu matamos Jesus?

Em Primeiro lugar, ninguém matou Jesus e em segundo lugar Ele não está morto. 

Jesus Cristo quando estava pendurada na cruz do Cálvario, Ele da o brado de vitória e entrega seu espírito ao Pai.

Tendo, pois, Jesus recebido o vinagre, disse: Está consumado; e inclinou a cabeça e exalou o espírito”. (João 19:30)

Após Sua morte Ele desceu ao Inferno, onde Ele tomou as chaves e ministrou aos mortos. 

Depois de três dias, Ele voltou à vida, e não em espírito, mas em carne e ossos. Quando, depois de 40 dias, Ele deixou Seus seguidores novamente, Ele ascendeu ao Céu, onde Ele está sentado à direita do Pai até que chegue o tempo em que Ele retornará.

Cristo se ofereceu como sacrifício, e é por isso que devemos nos oferecer diariamente como “sacrifícios vivos” (Romanos 12:1). 

Com exércitos de anjos e o poder dos céus sob Seu comando, seria possível pendurar o Filho de Deus em uma cruz sem Sua permissão? 

Além do mais, quão terrível seria para nós se Jesus não tivesse feito esse sacrifício? Nós exigimos Seu sangue perfeito para lavar nossos pecados. Sem derramamento de sangue não há perdão Hebreus 9:22.

Portanto, culpar qualquer indivíduo ou grupo por “assassinar” o nosso Mestre é incorreto e uma desonra ao Seu sacrifício.

Quem Jesus não é?

Jesus não era simplesmente, um bom professor de moral

Como, em nome da lógica, do bom senso e da experiência, poderia um impostor, que é um homem enganador, egoísta, depravado, ter inventado e mantido consistentemente do começo ao fim, o personagem mais puro e nobre, conhecido na história, com o ar mais perfeito de verdade e realidade? 

Como Ele poderia ter concebido e executado com sucesso um plano de beneficência incomparável, magnitude moral e sublimidade, e sacrificado Sua própria vida por isso, em face dos mais fortes preconceitos de Seu povo e época?

CS Lewis, ex-ateu e autor de As Crônicas de Nárnia, colocou o dilema desta forma:

Um homem que fosse apenas um homem e dissesse o tipo de coisas que Jesus disse [sobre Si mesmo] não seria um grande professor de moral. Ou ele seria um lunático, no mesmo nível do homem que diz que é um ovo escalfado, ou então, ele seria o Diabo do Inferno. Você deve fazer sua escolha. Ou este homem era e é o Filho de Deus; ou então um louco ou algo pior. Você pode calá-lo como um tolo, você pode cuspir nele e matá-lo como um demônio, ou você pode cair a seus pés e chamá-lo de Senhor e Deus. Mas não vamos sair com nenhum absurdo paternalista sobre Ele ser um grande professor humano. Ele nao deixou isto aberto para nós. Ele não pretendia. (Mer Cristianismo)

Jesus teria que estar mentindo ou enganando. a qual, não são as qualidades de um bom professor de moral, para chamar a Si mesmo de Filho de Deus e Salvador da humanidade se não fosse verdade.

Portanto, separar o que é confortável no Messias, como a Sua bondade, Sua mensagem de amor incondicional, Sua cura dos doentes, daquilo que é menos confortável, como por exemplo, Ele nasceu de uma virgem, Ele afirmou ser Deus, Ele ressuscitou dos mortos, isto não é realmente possível.

Há quatro opções abertas para uma pessoa que lida com Jesus. Você pode considerá-lo: uma lenda, um mentiroso, um lunático ou Senhor e Deus. 

Jesus não foi um libertador político

Esta é uma razão pela qual alguns judeus, não conseguiam acreditar que Ele era seu Salvador.

Ele não os libertou da opressão de seus ocupantes romanos. Na verdade, ele nunca teve a intenção. 

A libertação que Cristo ofereceu e ainda oferece hoje é de natureza espiritual, reconciliando a humanidade com Deus (Mateus 11:27). 

A paz que este Messias traz é interna. Sua esperança é que cada ser humano seja restaurado a um relacionamento com Deus, que o pecado quebrou.

Linha do tempo da vida, morte e ressurreição de Jesus

Período Preparatório (4 aC-26 dC)

  1. Nascimento de Jesus (4 aC)
  2. Jesus no Templo (8 d.C.)
  3. Vida em Nazaré (8-26 d.C.)

Ministério Primitivo, Judéia (26-27 d.C.)

  1. Batismo, Tentação, Primeiros Discípulos.
  2. Visita a Caná e Cafarnaum.
  3. Primeira Páscoa, Nicodemos.

Período de favor popular; Galiléia (27-29 dC)

  1. João preso; Samaria; Galiléia.
  2. Rejeição em Nazaré.
  3. Doze escolhidos.
  4. Sermão da Montanha.
  5. Passeios pela Galiléia; Parábolas e Milagres.
  6. Cinco mil alimentados. O Pão da Vida.

Período de oposição; Galiléia, Judéia e Peréia (29-30 d.C.)

  1. A Grande Confissão; a Transfiguração.
  2. Partida da Galiléia; os Setenta enviados.
  3. Lázaro ressuscitou; aposentadoria para a Pereia.
  4. Retorno a Jerusalém; ensinamentos no caminho; Jericó, Zaqueu; chegada a Betânia.

A Semana Final; Jerusalém (30 d.C.)

  1. Entrada triunfal.
  2. Ensinamento e controvérsias no Templo.
  3. gregos na festa; Discurso sobre os Últimos Dias.
  4. A pascoa; a última Ceia; Getsêmani.
  5. Prender prisão; exame; crucificação; enterro.

Ressurreição e Ascensão (30 d.C.)

  1. Ressurreição; aparições aos discípulos.
  2. Encontros com os Discípulos na Galiléia; quarenta dias.
  3. A Ascensão.

Termos e definições cristãos

JESUS ​​

Literalmente, “Deus salva”. No original hebraico, o nome é Yeshua, “salvação” e/ou “O Senhor que é a salvação”. É o nome que o Anjo do Senhor disse a José para dar a Ele (Mateus 1:20-21). 

E há poder, em seu nome:

“E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o SENHOR, para glória de Deus Pai”. (Filipenses 2:8-11)

Você sabia por que a Bíblia é um Livro Cristocêntrico? Veja bem:

  • O Nome “Jesus” aparece cerca de 1200 vezes na Bíblia.
  • O Nome “Cristo” aparece cerca de 600 vezes na Bíblia.
  • O título “Jesus Cristo” aparece cerca de 150 vezes na Bíblia.
  • Os diversos títulos e nomes diferentes do Senhor Jesus Cristo aparecem mais de 8.000 vezes na Bíblia.

CRISTO 

É um termo grego que significa “Messias, o Ungido”.

Denota que Ele foi… consagrado à sua grande obra redentora como Profeta, Sacerdote e Rei de seu povo… Acreditar que ‘Jesus é o Cristo’ é acreditar que Ele é o Ungido, o Messias dos profetas, o Salvador enviado de Deus, que Ele era… o que Ele afirmava ser. 

Isso, no entanto, é crer no evangelho, pela fé da qual somente os homens podem ser levados a Deus. Ele é o testemunho de Deus, e a fé neste constitui um cristão (1 Coríntios 12:3;
1 João 5:1).

MESSIAS 

O libertador cuja vinda foi anunciada pelos profetas do Antigo Testamento. Os judeus ainda aguardam a vinda de seu Messias, nos dias de hoje.

SALVAÇÃO

A condição de ser redimido pela fé, salvo pela graça de uma eternidade de condenação. A salvação é também a crença de que a morte e ressurreição de Cristo realizou:

  1. Substituição – Cristo se sacrificou no lugar dos pecadores, apenas por injustos 
  2. Redenção – Ele pagou o preço do pecado por cada indivíduo que o aceita
  3. Reconciliação – O homem não está mais alienado de Deus
  4. Propiciação – Deus está satisfeito com a morte sacrificial de Seu cordeiro perfeito como pagamento pelo pecado
  5. O cumprimento/conclusão da Lei Mosaica

A Necessidade de Jesus: Dando o Próximo Passo

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;” (Romanos 3:23)

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.” (Romanos 6:23)

A palavra “pecado” é usada de muitas maneiras, mas o significado e resultado essencial do pecado é a separação de Deus, uma vez que envolve orgulho. Bem sabemos que o homem pensa mais em seus próprios caminhos, do que nos de Deus. 

Sem Seu sacrifício e ressurreição, a conexão com Deus não é possível por causa do pecado. Todos nós pecamos, cujos resultados são a morte e uma eternidade separada de Deus. Visto que Deus é Santo, não pode haver imperfeição em Sua presença.

Mas a morte não era o plano de Deus para nós. Vida abundante e eterna (João 10:10) é o que Jesus veio trazer.

Por quê? Porque embora o homem tenha pecado e a terra entregue ao mal, Deus nunca deixou de nos amar. 

” Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” (Romanos 5:8)

Salvação – A Reconexão com Deus

Bem sabemos que nada além de Jesus poderia resolver o problema permanentemente do ser humano. Pois, havia uma lacuna que jamais poderia ser preenchida. Mesmo com seu melhor trabalho, simplesmente, não pode levá-lo ao céu. 

Mesmo que você pudesse de alguma forma atingir uma pontuação de 99 em 100 na vida, ainda precisaria de um salvador sacrificial, para compensar a diferença e pagar sua dívida. 

Essa é, portanto, a diferença entre a Graça e a Lei. 

“Pois quem guarda toda a lei e ainda assim tropeça em um ponto, tornou-se culpado de todos”. (Tiago 2:10)

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie;” (Efésios 2:8-9)

Afinal, você não pode ganhar um presente, pois isto é um favor imerecido. Você, no entanto, tem que fazer a escolha de aceitá-lo.

Então, todos nós, como pecadores, temos que nos voltar para Deus para o perdão dos pecados e confiar que Jesus morreu para nos dar uma nova vida para que possamos “nascer de novo” (João 3:31 Pedro 1:23). 

A fé é a chave

É a causa e efeito da nossa esperança de salvação. Se realmente não há “nenhum outro nome debaixo do céu que tenha sido dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” (Atos 4:12), então sua aceitação do dom de Deus, sua admissão de que você é um pecador, seu arrependimento, e sua fé no Senhor real, mas invisível, é tudo o que pode trazer vida eterna, abundante.

Conclusão

Se conhecer a respeito da pessoa de Jesus Cristo, despertou seu coração para ouvir ainda mais, receber o perdão de seus pecados, renovar sua caminhada cristã ou se envolver no ministério, você pode fazer a seguinte oração:

Senhor Deus, obrigado por me amar o suficiente para enviar seu único Filho para morrer por mim. Eu sei que sou um pecador, e que Ele foi crucificado e ressuscitado para pagar uma dívida que não pude pagar, para que eu possa viver com o Senhor para sempre. Eu quero deixar meu modo de vida e seguir ao Salvador de minha alma. Portanto, neste momento convido o meigo nazareno a entrar em meu coração como o Senhor da minha vida. Obrigado, Pai, por me dar uma nova vida em nome de Jesus. Amém!

Visão de um especialista sobre a existência de Jesus Cristo

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo