O coração do problema é o problema do coração

Esboço de pregação expositiva em Mateus 15:1-20 com o tema: “O coração do problema é o problema do coração”.

Tema: “O coração do problema é o problema do coração”

Texto desta pregação sobre o coração: Mateus 15:1-20

Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim.

Mateus 15:8

Introdução desta pregação sobre o coração:

Ilustração: “Permita-me mostrar-lhe algo interessante que trago aqui – um antigo relógio de bolso. À primeira vista, parece comum. Possui até uma corrente, todas as peças possíveis para cumprir sua função de relógio. No entanto, há um problema: este relógio não funciona! E a razão é simples: um defeito no coração do relógio. Dentro da caixa, há uma mola que é essencial para seu funcionamento adequado – o coração deste relógio está com defeito! A questão do problema deste relógio é, na verdade, nenhum problema central deste relógio.”

Assim como este relógio, há muitas pessoas nas igrejas que, apesar de parecerem boas por fora, não funcionam como deveriam. Elas não podem adorar verdadeiramente a Deus porque têm um problema que não se percebe por uma mera inspeção superficial. O problema está no coração!

A verdade é que não sei quem tem um problema de coração e quem não tem. Não sei quem aqui é verdadeiramente salvo e quem é apenas religioso. Alguns podem nem conhecer a verdade do próprio coração. Alguns pensam que estão redimidos, quando na verdade ainda podem estar perdidos no pecado.

Embora eu não conheça seu coração, Deus conhece! Ele sabe tudo sobre o que está dentro de você e de mim. Ele sabe o que nos motiva!

Nesta passagem, Jesus lida com pessoas que sofrem de problemas cardíacos sem pensarem. Ele expõe a verdadeira natureza de seus corações e nos dá princípios para avaliar nossos próprios corações.

Hoje, vamos examinar esses princípios dados de Jesus. Eles revelam a essência do problema: o problema do coração humano. Esses princípios nos mostram como o coração opera e por que é perigoso confiar nele em questões espirituais.

Se você nunca olhou atentamente para o seu próprio coração, esta é uma boa oportunidade para fazê-lo. Junte-se a mim nestes versículos enquanto refletimos sobre o tema: “O coração do problema é o problema do coração”.

Em primeiro lugar…

I. SEU CORAÇÃO É UM POBRE ESTUDANTE DA PALAVRA DE DEUS – O QUE ELE CORROMPE (V. 1-6)

A. O Contexto

As tradições dos escribas e fariseus colocaram suas tradições humanas superiores da Lei de Deus. A Mishná, uma interpretação oral da Lei de Deus, expandiu-se ao longo do tempo para incluir cerca de 4.000 regras e regulamentos abrangendo todos os aspectos da vida judaica. Entre essas regras, encontramos detalhes sobre a pureza exterior, especialmente a limpeza das mãos. Alguns acreditavam que demônios podiam se alojar nas mãos durante a noite, e não lavar as mãos antes de comer seria permitir a entrada dessa força demoníaca no corpo. Os fariseus também se preocupavam em não se contaminarem ao tocar algo que um “pecador” havia tocado, acreditando que o que tocava as mãos contaminava o corpo.

Este contexto destaca como as tradições humanas obscureceram a verdadeira intenção da Lei de Deus, transformando-a em um sistema complexo e legalista.

B. O problema deles era que, enquanto se preocupavam com minúcias como coar um mosquito, engoliam um camelo!

Se inquietavam com os discípulos não lavassem as mãos antes de comer, mas Jesus expôs a verdadeira natureza do problema deles.

Não guardavam a Lei por amor a Deus; em vez disso, observavam a Lei e as tradições dos mais velhos para obter vantagem pessoal. Os versículos 3-6 detalham isso. Através de suas tradições, encontravam maneiras de contornar a Lei quando se tratava de cuidar dos pais.

A Lei de Corban, como mencionado em Marcos 7:9-13, ilustra como afirmar que todos os seus bens pessoais estavam dedicados ao Senhor. Isso os fazia parecer espiritual e os liberava da responsabilidade de cuidar dos pais. Podiam dizer: “Não tenho nada para lhe dar, tudo pertence ao Senhor.” Claro, isso não os impede de usar o dinheiro para suas necessidades e desejos pessoais!

C. O verdadeiro problema do coração humano é evidenciado aqui: é um estudante deficiente da Palavra de Deus!

O coração humano tende a pegar a verdade de Deus e distorcê-la, modificá-la e reorganizá-la para que se encaixe em uma caixa agradável.

Muitos procuraram uma interpretação que se alinhe com o estilo de vida desejado. Ou seja, eles dizem “não importa o que a Bíblia realmente diz, e sim o que eu quero que ela diz.”

D. Na realidade, isso representa um egocentrismo absoluto!

Deixe o homem viver como lhe agrada, sem se importar com o que Deus diz sobre qualquer assunto. Desde que possa ser justificado, está tudo bem.

O problema essencial aqui é que, ao viver com esse tipo de coração, você está renunciando ao melhor de Deus para sua vida.

Até que possamos silenciar nossos corações e adotar a Palavra de Deus como nosso padrão de vida, nunca seremos tudo o que Ele deseja que sejamos!

Continuaremos tentando alcançar o céu por nossos próprios esforços, viver de acordo com nossos próprios padrões, e ter vidas que afirmam agradar a Deus, mas que, na verdade, agradam apenas a nós mesmos!

Em segundo lugar…

II. SEU CORAÇÃO É UM MESTRE DO DISFARCE – O QUE ESCONDE (Versículos 7-14)

A. Continuando Suas palavras para esses líderes religiosos, Jesus cita o profeta Isaías (Isaías 29:3).

Ele diz que seus corações os enganaram, fazendo-os pensar que são algo que não são! Ele os chama com uma palavra muito forte: “hipócritas“. Essa palavra significa literalmente “um ator, um fingido“.

Esses homens realmente acreditam servir a Deus com honestidade e devoção, mas Jesus lhes revela que são apenas atores, desempenhando um papel ditados por seus corações enganosos.

B. Jesus lembrou esses homens de duas verdades que precisamos ouvir claramente.

1. Uma manifestação religiosa não indica adoração espiritual (v. 8)

Só porque uma pessoa vai à igreja, o canta hinos, faz uma oração e ouve um sermão, não garantem que ela adorou ao Senhor!

Participar de atividades da igreja não significa salvação. Todos aqui podem ser religiosos, como evidenciado pelo fato de estarem na igreja, mas não significa que todos são salvos.

2. A adoração genuína é sempre fundamentada na verdade de Deus (v. 9)

Só porque você foi a uma igreja e foi estimulado por algum pregador barulhento, não significa que você adorou!

Você o adora quando o encontra conforme Ele se revela em Sua Palavra. Isso acontece quando o espírito é movido pelo Espírito Santo através da proclamação da verdade divina (João 4:24).

C. Esses fariseus, confiantes em seus corações, acreditavam que conheciam o Senhor.

No entanto, Jesus revela a verdade sobre o assunto! Eles não estavam salvos; eram simplesmente líderes cegos guiando outros cegos, todos destinados ao julgamento e à destruição (v. 13-14). Foram enganados pelo Mestre da Enganação: o coração humano!

D. Amigo, é sempre perigoso confiar no seu coração!

A Bíblia nos ensina que ele pode nos enganar (Jeremias 17:9). O único que conhece verdadeiramente o coração é o Senhor (Jeremias 17:10). É muito mais seguro confiar na Palavra de Deus, pois ela nunca nos enganará!

Se você nunca se rendeu a Jesus, nunca confessou seus pecados e O recebeu em sua vida, você está em uma posição semelhante à daqueles fariseus. Pode pensar que está tudo bem, que é um filho de Deus, que adora genuinamente ao Senhor, mas pode estar profundamente equivocado!

Quando éramos crianças, costumávamos brincar de “parecer com”. Você poderia “parecer com” qualquer coisa. Infelizmente, muitas pessoas brincam de “parecer com” quando se trata de sua salvação.

Vestem-se como os crentes, aparentemente santos , cantam como eles, oram como eles e até falam como eles. No entanto, não fazem parte deles porque seus corações não estão alinhados com Deus!

Aproximam-se de Deus com os lábios, mas, na verdade, estão a quilômetros de distância em seus corações! Seu coração é um mestre do engano e do disfarce! Nunca confie nele!

Em terceiro lugar…

III. SUA CORAÇÃO É UMA JANELA PARA SUA ALMA – O QUE ELE CONFESSA (V. 15-20)

A. O que o coração esconde do indivíduo, ele revela aos outros!

Jesus afirma claramente que não são as coisas externas, ou seja, as formas e rituais da religião, que nos salvam; é uma obra interna de Deus no coração.

Os fariseus acreditavam que limpar o homem exterior cuidaria do homem interior. No entanto, Jesus diz que o oposto é verdadeiro! O que você faz por fora não afeta quem você está por dentro! Na verdade, Jesus nos diz que não é o que comemos ou bebemos que nos contaminamos, como os fariseus acreditavam, mas a verdadeira fonte de contaminação está em nossos próprios corações!

Todos os males que os homens cometem têm origem no coração. É por isso que o que você faz diz tudo o que há a dizer sobre a sua caminhada com o Senhor!

(Observação: isso não nos dá licença para pecar! Porque o que fazemos é determinado por quem somos, não o contrário!)

B. À luz desta verdade, João 14:15 faz mais sentido!

Se o seu coração estiver apaixonado pelo Senhor, você não terá problemas em viver para Ele. No entanto, se a sua vida é descrita pelas coisas que Jesus menciona no versículo 19 e em Marcos 7:21-22, então é uma prova positiva de que você foi enganado pelas mentiras do seu coração!

C. Nossas atitudes e ações dizem muito mais sobre nós do que gostaria que dissessem.

Seu coração é uma janela para sua alma. Sirva como um barômetro da sua verdadeira condição espiritual! Quando o coração está certo, haverá amor a Deus evidenciado pela espírito sincero e pelo trabalho sincero que O honra e glorifica (1 Coríntios 10:31; Efésios 2:10; Tiago 2:18).

Quando o coração está perdido, pode haver muita atividade religiosa, mas o resto da vida não se alinhará com o que a boca confessa! Como disse Hank Williams, “seu coração traidor vai denunciar você!

Conclusão desta pregação sobre o coração:

Quero encerrar apontando alguns contrastes entre a religião externa e a redenção interna:

1. A Religião Externa diz “seja limpa física e moralmente“. A Redenção Interna diz: “Nasça de novo e torne-se uma nova criatura!

2. A Religião Externa diz “um exterior limpo produz um interior limpo“. A Redenção Interna diz que “quando o interior fica limpo, ele limpa o exterior“.

3. A Religião Externa diz “você deve desenvolver algumas regras para governar seu comportamento“. A Redenção Interna diz “eu amo a Deus, portanto viverei corretamente!

4. A Religião Externa diz “seja fiel à sua igreja, às suas práticas e aos seus ensinamentos e você será limpo“. A Redenção Interna diz “seja purificado por Jesus e você será fiel à sua igreja, às suas práticas e aos seus ensinamentos.”

5. A Religião Externa é um sistema criado pelo homem de ritual, cerimônia, lei e trabalho. A Redenção Interna é uma obra de Deus no coração que produz uma nova criatura!

Lembra do meu relógio quebrado? Eu posso concertar isso. Um bom relógio pode reparar o problema no coração deste relógio e consertá-lo novamente.

Se há um problema em seu coração hoje, Jesus Cristo pode aceitá-lo como ele é e Ele pode mudá-lo como deveria ser!

De acordo com o profeta Ezequiel, Deus pode tirar nossos “corações de pedra” defeituosos e substitui-los por novos que baterão por sua vez com o coração de Deus, Ezequiel 36:26.

Ele pode nos salvar da obra enganosa do nosso próprio coração!

Se gostou deste esboço de pregação sobre o coração, então veja mais sermões prontos.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!