O que é Quarta-feira de Cinzas? Por que os Católicos celebram?

Todos os anos, a Quarta-feira de Cinzas para os católicos marca o início da Quaresma. Em 2022, a Quarta-feira de Cinzas cai em 2 de março. A Quarta-feira de Cinzas é um período de devoção que concentra o coração no arrependimento e na oração, geralmente por meio da confissão pessoal e comunitária. 

Todos os anos, a Quarta-feira de Cinzas marca o início da Quaresma e é sempre 46 dias antes do Domingo de Páscoa . 

A Quaresma é um período de 40 dias (sem contar os domingos) marcado pelo arrependimento, jejum, reflexão e, finalmente, celebração. 

O período de 40 dias representa o tempo de tentação de Cristo no deserto, onde ele jejuou e onde Satanás o tentou. 

A Quaresma pede aos cristãos (católicos) que reservem um tempo a cada ano para um jejum semelhante, marcando um período intencional de foco na vida, ministério, sacrifício e ressurreição de Cristo.

Quem celebra a quarta-feira de cinzas?

Você já reparou como uma vez por ano, geralmente em fevereiro ou março, há muitas pessoas andando com uma cruz de cinzas na testa? Você provavelmente sabia que tinha algo a ver com a Quaresma, mas não sabia por que a cruz de cinzas era significativa.

Ou talvez você tenha crescido em uma igreja católica que realizava missas de Quarta-feira de Cinzas todos os anos, então você já está familiarizado com isso, mas não tem muita certeza sobre a história da Quarta-feira de Cinzas e da Quaresma, e o que eles têm a ver com a fé cristã. 

Se você quiser saber mais sobre este dia importante no calendário litúrgico e por que tantos celebram a Quarta-feira de Cinzas e a Quaresma, continue lendo!

Muitas vezes chamado de Dia das Cinzas, a Quarta-feira de Cinzas inicia a Quaresma concentrando o coração do cristão no arrependimento e na oração, geralmente por meio da confissão pessoal e comunitária. Isso acontece durante uma missa especial de Quarta-feira de Cinzas.

Qual é o significado da quarta-feira de cinzas e o que acontece?

Qual é o significado da quarta-feira de cinzas

Durante a missa (para católicos), o padre geralmente compartilha um sermão de natureza penitencial e reflexiva. O clima é solene – são longos períodos de silêncio.

Normalmente, há uma passagem das Escrituras, geralmente centrada na confissão, lida em voz alta.

Os participantes experimentarão a confissão comunitária, bem como momentos em que são solicitados a confessar silenciosamente os pecados e orar.

Depois de tudo isso, a congregação será convidada a receber as cinzas em suas testas. Normalmente, o padre mergulha o dedo nas cinzas, espalha-as em forma de cruz na testa e diz: “Do pó você veio e do pó você voltará”.

De onde vêm as cinzas e o que as elas simbolizam?

Em muitas congregações, as cinzas são preparadas queimando ramos de palmeiras do Domingo de Ramos anterior. 

No Domingo de Ramos, as igrejas abençoam e distribuem ramos de palmeira aos participantes, uma referência ao relato dos Evangelhos da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, quando os espectadores colocam ramos de palmeira em seu caminho.

As cinzas deste feriado simbolizam duas coisas principais: morte e arrependimento. “As cinzas são equivalentes ao pó, e a carne humana é composta de pó ou barro (Gênesis 2:7), e quando um cadáver humano se decompõe, ele retorna ao pó ou cinza.”

Quando nos apresentamos para receber as cinzas na Quarta-feira de Cinzas, estamos dizendo que sentimos muito por nossos pecados e que queremos usar o tempo da Quaresma para corrigir nossas falhas, purificar nossos corações, controlar nossos desejos e crescer em santidade para estaremos preparados para celebrar a Páscoa com grande alegria” (The CatholicSpirit.com).

Com esse foco na própria mortalidade e pecaminosidade, os católicos e todos que celebram, podem entrar solenemente no tempo da Quaresma, enquanto aguardam com expectativa a mensagem da Páscoa e a vitória final de Cristo sobre o pecado e a morte.

A história da Quaresma e Quarta-feira de Cinzas

A história da Quaresma e Quarta-feira de Cinzas

A história e os primórdios da Quaresma não são claros. De acordo com Britannica.com, a Quaresma provavelmente foi observada: “desde os tempos apostólicos, embora a prática não tenha sido formalizada até o Primeiro Concílio de Nicéia em 325 EC”. 

Estudiosos cristãos observam que a Quaresma se tornou mais regularizada após a legalização do cristianismo em 313 dC.

Santo Irineu, Papa São Victor I e Santo Atanásio parecem ter escrito sobre a Quaresma durante seus ministérios. 

A maioria concorda que “no final do século IV, existia o período de 40 dias de preparação para a Páscoa conhecido como Quaresma, e que a oração e o jejum constituíam seus principais exercícios espirituais”.

O que não se pode comer na quarta-feira de cinzas?

No que diz respeito às regras e práticas exatas da Quaresma, elas mudaram ao longo dos anos. 

“Nos primeiros séculos, as regras de jejum eram rígidas, como ainda são nas igrejas orientais”, observa Britannica.com. “Uma refeição por dia era permitida à noite, e carne, peixe, ovos e manteiga eram proibidos. 

A igreja oriental também restringe o uso de vinho, óleo e laticínios. 

No Ocidente, essas regras de jejum foram gradualmente relaxadas. A estrita lei do jejum entre os católicos romanos foi dispensada durante a Segunda Guerra Mundial, e apenas a Quarta-feira de Cinzas e a Sexta-feira Santa são agora mantidas como dias de jejum da Quaresma.”

A Quarta-feira de Cinzas é apenas para católicos, ou os protestantes também podem comemorar?

Católicos e ortodoxos apreciam e observam a Quaresma. Embora a Quaresma não seja nomeada ou observada na Bíblia, como o Christianity Today observa, “o caminho da Quaresma – oração, jejum e generosidade por um período de tempo – é fortemente enfatizado pelos autores e personagens da Bíblia, incluindo Jesus. 

A Bíblia ordena um estilo de vida de adoração e devoção que se parece consideravelmente com a Quaresma. Portanto, enquanto a palavra está ausente na Bíblia, a realidade da Quaresma é tecida em toda a Escritura, como descobrimos”.

Em seu artigo da Coalizão do EvangelhoTrevin Wax nos dá um lembrete importante, independentemente de observarmos pessoalmente a Quaresma:

“Dificilmente acho que a igreja está sofrendo com muito jejum”, diz Wax. “Mas eu acho que a igreja está sofrendo de muita justiça própria (e eu me incluo nesta acusação). A Quaresma – ser a favor ou contra – pode tornar-se uma forma de subir ao pedestal.”

Ele continua dizendo: “O que é mais importante do que as práticas que adotamos é a atitude do coração por trás delas. Se há algo que devemos desistir nesta época do ano, é o nosso senso de superioridade em relação aos que estão fora da igreja ou dentro da igreja que fazem as coisas de maneira diferente da nossa”.

O que os evangélicos podem refletir sobre a Quarta-feira de Cinzas?

Como descrito acima, o que importa para nós crentes em Jesus, não é o ato ou cerimônia, mas a atitude do coração. Portanto, para nós evangélicos, não temos o costume de guardar essa data, porém, devemos nos lembrar do que Jesus passou e refletir sobre isso.

Embora não guardamos a data como a igreja católica, vale a pena para um pouco para refletir sobre a necessidade de nos humilharmos mais.

Nós crentes não comemoramos a Quarta-feira de Cinzas e nem deixamos para refletir somente uma vez por ano, mas o ano inteiro precisamos ter esse sentimento que somos pó e dependemos completamente de Deus.

Portanto, os evangélicos podem refletir sobre a Quarta-feira de Cinzas que a humildade e o quebrantamento de coração devem ser o ano todo e não apenas em uma data específica.

Versículos para refletir na Quarta-feira de Cinzas

Se você quer entender mais sobre o sentido da Quaresma e a Quarta-feira de Cinzas, aqui estão alguns versículos específicos para meditar e refletir.

Nossa Criação: Gênesis 2:7 

E formou o SENHOR Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente.

Nossa maldição: Gênesis 3:19 

No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás.

Nossa Oração de Arrependimento: Salmo 51:7-10  

Purifica-me com hissope, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve. Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que gozem os ossos que tu quebraste. Esconde a tua face dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniquidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto.

Referências: Christianity.com.

André Lourenço

Professor sempre aprendiz da Bíblia que gosta de ensinar sobre um Deus inexplicável!
Botão Voltar ao topo