Que grande peixe era este que engoliu Jonas?

As escrituras sagradas são cercadas por mistérios extraordinários, um deles é o relato da história do profeta Jonas que foi engolido por uma criatura marinha. Alguns textos sagrados afirmam que aquele homem de Deus passou três dias e três noites no ventre de um monstro marinho, e esta história tem gerado bastante polêmica no meio cristão e inclusive em algumas comunidades científicas.

Será que existe alguma pista que ajude a desvendar este mistério? Qual texto bíblico no velho ou novo testamento pode ser a chave para melhor esclarecimento deste relato?

Considerando a situação resolvi elaborar este artigo para melhor entendermos a questão: “Qual foi o animal marinho que engoliu Jonas?”

Quem era Jonas na Bíblia?

Antes de seguirmos a fundo em nossa curiosidade, precisamos entender quem era esse profeta e o motivo que o levou a tal situação. Porém a única referência que temos sobre ele no antigo testamento, além de seu livro propriamente dito, está escrito em 2 Reis 14.25, que diz o seguinte: “Também este restituiu os termos de Israel, desde a entrada de Hamate, até ao mar da planície; conforme  a palavra do Senhor Deus de Israel, a qual falara pelo ministério de seu servo Jonas, filho do profeta Amitai, o qual era de Gate-Hefer.”

Com base no que lemos acima, podemos inferir algumas coisas sobre Jonas. Ele profetizou nos dias de Jeroboão II, então podemos situá-lo, assim, no século VIII a. C. Morava em Gate-Hefer, vila considerada por alguns estudiosos como “insignificante”, localizava-se a 8 Km de Nazaré.

Curiosidades importantes sobre o profeta Jonas

O nome “Jonas” vem do hebraico “Yonah” e significa “pomba”, “mensageiro da paz”. Foi contemporâneo de Oseias e Amós. Pelo tempo que o situei acima, ele pode ter sido um dos filhos dos profetas e pode ter conhecido também o profeta Elizeu (2Rs 6. 1-7).

Conforme lemos em 2 Rs 13.14, Elizeu morre no reinado do pai de Jeroboão II, isto só fortalece o argumento de que Jonas pode ter o conhecido, ou, no mínimo, ter ascendido da escolinha dos filhos dos profetas – lembremos que Amitai, pai do mesmo, também era profeta. Esta é a luz que podemos ter sobre este profeta menor no antigo testamento.

Motivo do incidente

Jonas recebe a ordem direta de Deus para pregar o arrependimento aos ninivitas, cidadãos residentes na capital do império assírio. Nínive era o lar de mais de 120 mil pessoas ignorantes e idólatras (Jn 4.11).

O problema era que os assírios não eram pessoas boas, eram cruéis e, de vez em quando, oprimiam Israel. Jonas meio que tinha uma “raivinha” deles, se é que podemos dizer assim. Assim o  profeta comprou uma passagem e começou uma viagem completamente oposta à direção ordenada por Deus.

A tempestade

A teimosia do profeta irritou o Eterno, Ele enviou um vento e o mar se agitou. A história narrada pelo próprio Jonas é espetacular. Enquanto todos se desesperavam ele dormia no porão do navio. “O que tens, dormente?” Perguntavam aqueles homens, e, não podendo se esconder, o segredo foi revelado e o atiraram no mar.

Jonas e o peixe que o engoliu

A Bíblia diz que quando Jonas caiu no mar o Senhor preparou um “grande peixe” que o engoliu. Aproximadamente, 800 anos depois, Jesus vai novamente tocar no assunto (Mt 12.40), fortalecendo a idéia da veracidade do fato.

E vai ser, justamente, a afirmação de Jesus que será interpretada erroneamente, chegando até ser contraditória, se comparada com a versão do velho testamento. Lá temos “um grande peixe”, no novo teremos “uma Baleia”.

E aí, peixe ou baleia?

Bom, a tradução corrigida da Bíblia de João Ferreira de Almeida, afirma ter sido uma “baleia” em Mt 12. 40. Muitas pessoas até hoje têm afirmado que Jonas foi engolido por aquele animal. O problema é que existe uma contradição na própria tradução Revista e atualizada de J. F. de Almeida. No velho testamento, no livro de Jonas, a mesma versão dirá que “o Senhor deparou um grande peixe para engolir o profeta” (Jn 1. 17). Em Mt 12. 40 vai dizer que o homem passou “3 dias e 3 noites” no ventre da “baleia”.

Venha comigo para entender melhor o assunto. O termo “baleia” ali está sendo usado num sentido coloquial, não se refere ao mamífero propriamente dito. A palavra “Baleia” pode ser vista também na versão Corrigida de João Ferreira de Almeida no livro de Gênesis onde diz: “…e Deus criou as grandes Baleias… Gn 1. 21”; sabemos que ele usa o termo para se referir aos animais grandes do mar que Deus criou. E, mesmo tendo-se este termo em Mateus 12.40 atribuído à fala de Jesus, não podemos afirmar que foi uma baleia que engoliu Jonas.

Como assim? Por quê?

Vejamos então:

Baleia é um mamífero desprovido de pelos! Na mesma Bíblia, um peixe, engoliu o profeta. Peixe é uma coisa, mamífero é outra, a composição morfológica de um é completamente diferente da do outro. Portanto, descarta-se a possibilidade de ter sido uma baleia devido à fraqueza de clareza na tradução no novo testamento. A a mesma versão atualizada da Bíblia já usa o termo: “monstro marinho” em Mt 12. 40. A palavra no original se refere a este “monstro dos mares”, tanto no velho quanto no novo testamento.

Contudo, se não foi uma baleia, o que mais pode ter sido? Poderíamos pensar no tubarão-baleia, porém ele está em várias partes do mundo, com exceção do mar onde Jonas estava, o mediterrâneo.

Considerando que o mar onde ele foi lançado é o Mar Mediterrâneo e que ele é lar do tubarão elefante (ou tubarão-frade), o segundo maior peixe do mundo; podemos deduzir que há maior probabilidade de que tenha sido esse peixe que serviu de submarino vivo ao profeta. Ele se alimenta de algas, o que é ainda mais curioso. Em Jonas 2. 5, lemos:

As águas me cercaram até a alma, o abismo me rodeou, e as algas se enrolaram na minha cabeça. (Jonas 2:5)

No versículo exposto podemos ler sobre a sua condição dentro do ventre do grande peixe.

Examinando essa questão cheguei a esta conclusão: quem engoliu Jonas não foi uma baleia, foi um grande tubarão!

Se você gostou deste post, leia também:

Quem foi Jonas na Bíblia? História e 5 Lições do Profeta Fujão

 Grandes Lições da Vida de Jonas

Mesequias Maadson

Sou acadêmico de Letras e Teologia, poeta, escritor publicado e autor de livro. Com vasta experiência na liderança da E.B.D. da minha igreja por 10 anos, também auxiliei por alguns anos o pastor vice-presidente do ministério. Apaixonado por estudar a Bíblia, compartilho meus conhecimentos por meio de redações e comentários sobre os textos da nossa lição. Além disso, sou compositor de canções românticas e espirituais, disponibilizando músicas para cantores.

5 Comentários

  1. Venho estudando o assunto algum tempo, pois, confesso que a falta de clareza era algo que me incomodava. Após variadas pesquisas, percebi que a explicação mais plausivel, mesmo porque não podemos dogmatizar, mas é uma suposição coerente com orelato bilbico é a seguinte: Existe cerca de 37 tipos de baleias, que se divide em dois tipos de animais marinhos ou monstros marinhos que são chamados de baleia. Na verdade são um cetáceo e possui duas sub ordem: o MYSTICETI tbm chamada de baleias verdadeiras, ou baleia de barbatana, como a baleia azul o maior animal do mundo e a jubarte, que não possuem dentes e sim cerdas que filtra a água para captura de pequenos animais planctonicos, e o segundo e mais interessante é os ODONTOCETI que inclui: os golfinhos, as orcas e os cachalotes. o tamanho de cada um varia de 18 até 33 metros. o Cachalote. Somente a cabeça do cachalote mede quase 40% do tamanho total, algumas especies medem um mais de um terço do seu tamanho. Esses animais, eles tem uma respiração pulmonar, ou seja, dependem do oxigenio externo e tem na parte da cabeça um respirólogo poronde capitam o oxigenio. O cachalote é o unico animal que carrega o seu filhote recem nascido na cavidade bucal para protege-los contra os predadores, especialmente a orca e tubarões que comem seus filhotes. Da mesma forma que o filhote respira no interior do cachalote e ali tbm recebe alimento, não poderia ser diferente com Jonas. Portanto meus amigos, o grande peixe não foi um castigo mas um livramento da vida de jonas para reconduzi-lo ao seu proposito, e senão fosse isso, ele certamente teria morrido enroscado no fundo do mar como o propria afirma, Deus é socorro presente.

  2. Não há nenhuma objeção da Bíblia que impeça a interpretação de ser uma baleia, por alguns motivos:
    A taxonomia da época não tem nada a ver com a atual. Veja que em Levítico rato é réptil e morcego é ave. Tudo que vivia no mar estava na mesma classificação, logo o termo hebraico “dash gadol” pode ser traduzido por grande peixe ou grande animal marinho. E não, eles nem sabiam o que era o termo mamífero e nem passava pela cabeça deles que foca e baleia não eram peixes. Outro motivo de cunho anatômico é que para ser um tubarão, que é carnívoro, com certeza para engolir tinha que mastigar, além de não haver oxigênio para Jonas respirar no estômago (que já teria morrido pelos ácidos gástricos também). Outra coisa, que Jonas provavelmente não adentrou ao estômago do animal (no caso aqui agora a baleia) pois a garganta dela é muito estreita, o que pela lógica nos leva a pensar que ele ficou na cavidade bucal, onde pela respiração da baleia na superfície poderia ter acesso a oxigênio. No Mar Mediterrâneo existe a segunda maior baleia do mundo, a baleia-comum, que ao tentar apanhar crustáceos e algas, pode muito bem sugar uma pessoa. Já tubarão de grande porte, como o tubarão baleia ou o tubarão branco não existem no Mar Mediterrâneo. Desse modo apresentei argumentos teológicos e biológicos para tentar elucidar esses mistérios que ainda confunde nossas mentes.

    1. Eai man blz? Vi em um vídeo de um podcast que o termo “dash gadol” significa “máquina tecnológica de Deus” Vc pode confirmar isso?

  3. Na minha humilde opinião, Deus fez um grande peixe especial para Jonas, que pudesse engolir uma pessoa e ainda deixar por 3 dias no seu ventre, um ventre enorme. Creio que esse grande peixe foi único.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo