Quem escreveu o livro de Tiago e por quê foi escrito?

Às vezes, quando compartilhamos nosso testemunho como cristãos, pode soar como: “Antes de encontrar Jesus, eu tinha problemas. Agora meus problemas estão resolvidos!” 

Mas a vida cristã não é tão simples. Ainda passamos por tempos difíceis como crentes. Mas sabemos que em meio a esses tempos difíceis, não estamos sozinhos. Em vez disso, somos acompanhados e abastecidos pelo Deus que é onisciente e infinitamente bom para que possamos por meio da oração e da ação cheia de fé, ter alegria independentemente de nossas circunstâncias. Este é o tema principal do livro de Tiago.

Quem escreveu o livro de Tiago?

O livro de Tiago foi escrito por Tiago, o meio-irmão de Jesus (Mateus 13:55). Durante a vida de Jesus, a Bíblia registra que “nem seus próprios irmãos creram nele” (João 7:1-10), mas depois da ressurreição de Jesus, “ele apareceu a Tiago” (1 Coríntios 15:7) e então, Tiago acreditou. 

Ele eventualmente se tornou o líder da igreja de Jerusalém e foi fundamental para motivar os crentes de origem judaica a priorizar o compartilhamento do evangelho com os gentios (Atos 15:13-20). E ele escreveu uma das cartas que estão em nossa Bíblia hoje, dando instruções sábias sobre a sabedoria de Deus, provações, palavras, obediência, oração e muito mais!

Tiago escreveu esta carta por volta de 40-45 d.C. para as “doze tribos na dispersão” (1:1), o que significa que era para crentes de origem judaica que estavam espalhados “pela maior parte do antigo mundo mediterrâneo.” 

Parece que esses cristãos estão sendo testados em sua fé porque Tiago passa um tempo considerável encorajando-os e dando-lhes perspectiva sobre provações e sofrimentos, instruindo-os sobre como viver vidas de oração e ação, usando a sabedoria que Deus graciosamente lhes dará mesmo em em meio a tempos difíceis.

Alguns datam a carta no início dos anos 60. Há indicações, no entanto, de que foi escrito antes de 50 dC:

  • Sua natureza distintamente judaica sugere que foi composta quando a igreja ainda era predominantemente judaica.
  • Reflete uma ordem simples da igreja – oficiais da igreja são chamados de “presbíteros” (5:14) e “professores” (3:1).
  • Nenhuma referência é feita à controvérsia sobre a circuncisão dos gentios.
  • O termo grego sinagoga (“sinagoga” ou “reunião”) é usado para designar a reunião ou local de reunião da igreja (2:2).

Se esta datação inicial estiver correta, então esta carta é a mais antiga de todos os escritos do NT – com a possível exceção de Gálatas.

Resumo do livro de Tiago

Tiago está falando com a igreja que foi dispersada após o martírio de Estêvão. O livro de Tiago começa com “Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo” e vai direto ao tema da fé em meio às provações e sofrimentos. 

Tiago usa sua carta para abordar a relação entre obras e fé, que a fé produz obediência. Quando a fé age e obedece à vontade de Deus, a igreja é eficaz em alcançar o mundo com o Evangelho de Jesus Cristo.

Os principais temas do livro de Tiago incluem: 

  1. Deus é soberano sobre nossas provações – podemos confiar e confiar nEle
  2. Deus não tem pecado e não nos tenta – somos responsáveis ​​por nossas tentações e pecados
  3. O pecado é destrutivo e leva à morte
  4. É a misericórdia e graça de Deus e nos salva – podemos crer na bondade de Deus para a salvação

Versículos bíblicos populares do livro de Tiago

Abaixo estão alguns dos versículos bíblicos mais conhecidos e passagens das Escrituras do livro de Tiago. 

  • Tiago 5:16 – “Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para serem curados. A oração de um justo é poderosa e eficaz.”
  • Tiago 1:2-3 – “Considerai puro gozo, meus irmãos e irmãs, sempre que passardes por provações de vários tipos, porque sabeis que a prova da vossa fé produz perseverança.”
  • Tiago 4:7 – “Sujeitai-vos, pois, a Deus. Resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.”
  • Tiago 1:13 – “Quando tentado, ninguém deve dizer: Deus está me tentando”. Porque Deus não pode ser tentado pelo mal, nem tenta a ninguém”
  • Tiago 1:5 – “Se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá generosamente, sem censura, e ser-vos-á concedida.”

5 Lições do Livro de Tiago

1. A prova de nossa fé produz firmeza.

Quando passamos por provações, pode ser fácil se perguntar se Deus nos abandonou, mas Tiago encoraja os crentes:

“Meus irmãos, considerem com grande alegria quando passarem por provações de vários tipos, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz firmeza. E que a constância tenha todo o seu efeito, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em nada” (Tiago 1:2-4). 

Longe de ser um castigo, os tempos difíceis são reformulados por Tiago como um meio de crescimento na graça que nos torna mais fortes no final. 

Podemos ter alegria mesmo quando enfrentamos desafios difíceis, sabendo que eles são feitos e serão trabalhados juntos para o nosso bem (Romanos 8:28). 

Por causa de nossa confiança no “compassivo e misericordioso” de Deus (Tiago 5:11). Tiago dá os profetas como “um exemplo de sofrimento e paciência” que pode nos inspirar, e também menciona Jó como um exemplo de “firmeza” (Tiago 5:11).

2. Deus dá sabedoria.

Especialmente quando enfrentamos tempos difíceis, muitas vezes podemos sentir que não sabemos o que fazer. Felizmente, não estamos sozinhos enquanto procuramos navegar nesta vida. 

Tiago exorta os crentes: “Se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá generosamente sem censura, e ser-lhe-á concedida” (Tiago 1:5). 

Deus nos convida a ir a Ele para pedir sabedoria de um coração sincero e cheio de fé, acreditando que Ele se deleita em dar boas dádivas aos Seus filhos. De fato, “toda boa dádiva e todo dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há variação nem sombra de mudança” (Tiago 1:17).

3. Pessoas pobres e ricas precisam da sabedoria e ajuda de Deus.

Tiago deixa claro que o pobre merece honra, e o rico não é maior do que ninguém por causa de sua riqueza. Ele diz: 

O irmão humilde se glorie na sua exaltação,  e o rico na sua humilhação, porque ele passará como a flor da erva.  Pois o sol nasce com seu calor abrasador e seca a grama; sua flor cai, e sua beleza perece. Assim também o rico desaparecerá no meio de suas ocupações” (Tiago 1:9-11). 

O dinheiro é apenas uma das boas dádivas de Deus, e não muda o valor de alguém, então os crentes devem “não mostrar parcialidade” (Tiago 2:1). 

Mas ter mais dinheiro significa ter mais responsabilidade na economia de Deus: os ricos são avisados ​​para que não se diga deles: “Acumulaste tesouros nos últimos dias” (Tiago 5:4).

4. A verdadeira fé produz boas obras.

Enquanto a salvação é somente pela graça (Efésios 2:8-9), a fé salvadora nunca está sozinha. Em vez disso, a fé salvadora significa que recebemos “a palavra implantada, que pode salvar suas almas” e que a presença de Deus dentro de nós produz fruto (Gl 5:22-23). 

Afirmar ser um cristão, mas viver uma vida dupla não vale para Tiago. Ele diz: “Se alguém pensa que é religioso e não refreia sua língua, mas engana seu coração, a religião dessa pessoa é inútil. A religião pura e imaculada diante de Deus Pai é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e guardar-se da corrupção do mundo”. (Tiago 1:26-27). 

Ele reitera esse tema quando resume: “a fé por si mesma, se não tiver obras, é morta” (Tiago 2:17). 

A sabedoria que devemos pedir a Deus produzirá boas ações, diz Tiago: “Quem é sábio e entendido entre vocês? Pela sua boa conduta, mostre as suas obras na mansidão da sabedoria.” 

Essa sabedoria nos capacitará a ser pessoas de palavra, que seguem a exortação de Tiago: “seja o seu sim’ sim e seu não seja não” (Tiago 5:12).

5. Crença sem entusiasmo é enganar a si mesmo.

Tiago é contra a indiferença ou ser de duas mentes. Quando ele exorta os crentes a pedirem sabedoria a Deus, ele acrescenta:

“Mas peça com fé, sem duvidar, pois quem duvida é como uma onda do mar que é impelida e agitada pelo vento. Pois essa pessoa não deve supor que receberá alguma coisa do Senhor (Tiago 1:6-7). 

Tiago também culpa os corações conflitantes pelo conflito interpessoal externo:

“De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam?” (Tiago 4:1). 

E ele diz que tentar ser amigo de Deus e do mundo é ser “adúltero” (Tiago 4:4).

Como um antídoto para esse vai-e-vem conflitante e frustrado a que os humanos são suscetíveis, Tiago encoraja os crentes a buscar a Deus de todo o coração:

“Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações. Senti as vossas misérias, e lamentai e chorai; converta-se o vosso riso em pranto, e o vosso gozo em tristeza. Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.” (Tiago 4:8-10). 

Quando nos aproximarmos de Deus, ele se aproximará de nós, e em sua presença encontraremos a força para purificar nossos motivos.

Os desafios não param de surgir quando entregamos nossas vidas a Jesus. Em vez disso, Deus vem habitar conosco em meio aos desafios que enfrentamos nesta vida, e ele fornece o que precisamos para enfrentar cada dia com alegria. 

Tiago lembra os crentes a olhar para Deus em oração e deixar sua fé impulsioná-los à ação que é infundida com alegria por causa de sua presença graciosa e boa. Sua presença permite devoção sincera a amá-lo e amar os outros com a sabedoria que ele dá.


Autora Jessica Udall do Crosswalk.

Botão Voltar ao topo