4 Verdades que Jesus nos ensinou em Lucas 10:25-37 na parábola do bom Samaritano

Com a história contada na parábola do bom samaritano, Jesus nos ensina algumas verdades sobre a natureza da verdadeira religião e amor ao próximo. Deixando claro que ela não consiste em rituais, tradições, credos ou denominações, mas sim, na prática de ações que proporcionem aos outros o bom fruto de um amor genuíno e altruísta.

O comportamento do levita e do sacerdote, diante da desesperadora necessidade daquele homem, revela uma religião meramente formal, de fachada, sem piedade, e sem amor algum pelo semelhante.

Sendo assim, vamos extrair algumas verdades que Jesus ensinou em Lucas 10:25-37 na parábola do bom samaritano, para nossa reflexão nos dias de hoje.

1. Devemos amar o nosso próximo como Jesus amou

“E, respondendo ele, disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.”

Lucas 10:27

Quando começamos a meditar nesta passagem em Lucas 10:25-37, observamos o samaritano, prestando o devido socorro àquele homem Judeu. Desconsiderando o fato da acérrima inimizade existente entre as suas raças, demonstrava que para ele, o amor ao próximo estava acima de qualquer rivalidade.

Com esta narrativa, Jesus nos ensinou que nosso próximo não quer dizer alguém que seja nosso amigo, ou de nossa igreja, ou de nossa fé. O próximo nada tem a ver com raça, cor, classe social ou religião. Nosso próximo é todo aquele por quem Jesus morreu na cruz do calvário.

2. Não podemos cair em um formalismo religioso

“E, ocasionalmente descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e, vendo-o, passou de largo. E de igual modo também um levita, chegando àquele lugar, e, vendo-o, passou de largo.”

Lucas 10:31-32

A segunda verdade que Jesus nos ensina na parábola do bom Samaritano é que a cada dia que passa o mundo no qual vivemos hoje, está cada vez mais sendo marcado pelo egoísmo e pelo frio do formalismo religioso. Não podemos ignorar que esta atitude de indiferença pelo sofrimento alheio é um dos sinais do fim dos tempos, conforme nos advertiu o Senhor Jesus:

“E por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos esfriará” (Mateus 24:12)

Contudo, nós cristãos não podemos nos conformar em sermos mero cristãos religiosos. Somente olhando para o nosso “umbigo”, sem preocupar com quem está a nossa volta, clamando por alguém que estenda a mão.

3. Devemos demonstrar compaixão pelo seu próximo

“Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou ao pé dele e, vendo-o, moveu-se de íntima compaixão;”

Lucas 10:33

Se somos cristãos, não devemos passar ao largo daqueles que carecem de nossa ajuda. Não devemos negligenciar as almas carentes, e nunca devemos ignorar criaturas humanas em aflição dizendo: Não tenho nada com isso.

Cabe ao cristão fazer, pela fé e pela oração, com que o poder do inimigo seja vencido na vida de uma pessoa sofredora. Palavras de ânimo e de esperança são como um anestésico para os feridos e sofredores.

Não podemos permitir que eles percam o ânimo na luta pela vida, mas devemos comunicar-lhes o conforto com que nós mesmos somos confortados.

Que Deus o ajude a manifestar amor e simpatia para com os sofredores que você encontrar pelos caminhos da vida.

4. Temos o dever como cristão de representar Cristo

“Qual, pois, destes três te parece que foi o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores? E ele disse: O que usou de misericórdia para com ele. Disse, pois, Jesus: Vai, e faze da mesma maneira.”

Lucas 10:36-37

Observar um comportamento destes no mundo atual é triste, mas é trágico constatar que este mal é também muitas vezes percebido na vida de muitos que se dizem cristãos. Muitos têm deixado de considerar o fato de que ser cristão é representar a Cristo.

É importante lembrar que, a menos que haja uma expressão prática do amor de Cristo em nossa vida diária, nas relações com nossos familiares, vizinhos, irmãos da igreja, colegas de trabalho ou qualquer pessoa com a qual tenhamos que conviver, não estamos representando bem o Deus a quem professamos servir.

Afinal, somos embaixadores do céu aqui nesta terra, temos que fazer a diferença por onde passarmos, fazendo com a luz de Cristo brilhe em nós.

Indiara Lourenço

Com mais de 20 anos atuando na Pregação e Ensino, Indiara possui experiência em ministério infantil, jovem e feminino. Estudante de Teologia e ministra aulas na EBD. Mãe, esposa e serva que ama fazer a obra de Deus. Contagia a todos com sua alegria e inspira com palavras motivadoras, deixando um impacto positivo por onde passa.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WhatsApp