A Parábola do Bom Samaritano: 5 Lições Poderosas

Você provavelmente já ouviu ou leu a história do Bom Samaritano no Evangelho de Lucas. Um homem é roubado, espancado e deixado quase morto. Um sacerdote e um levita o veem, mas passam por ele, e um herói improvável, um samaritano, é quem ajuda. 

Talvez você tenha se visto no sacerdote ou levita que passou pelo homem ou no samaritano que parou para ajudar. Mas você já se viu no homem indefeso meio morto?

O Bom Samaritano é uma parábola contada por Jesus a um especialista na lei, registrada por Lucas em seu relato histórico do evangelho. 

Este especialista na lei, perguntou a Jesus o que ele deveria fazer para herdar a vida eterna, a fim de testá-lo. Certamente o homem conhecia a lei muito bem e se esforçaria para obedecê-la da melhor maneira possível. 

Jesus respondeu primeiro ao homem com uma pergunta e pediu-lhe que declarasse o que estava escrito na lei. A resposta do homem se assemelhava a Dt 6:5 e Lv 19:18:

“Ame o Senhor, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o seu entendimento; e, Ame o seu próximo como a si mesmo.” – Lucas 10:27

Então Jesus disse ao homem que ele estava certo e que fazendo isso viveria. 

Mas Lucas nos diz que o homem queria se justificar, então ele fez outra pergunta a Jesus: “Quem é o meu próximo?” 

Da declaração anterior do homem sobre a lei, “ame o seu próximo como a si mesmo” teria sido citado em Lv 19:18 , onde o contexto de “próximo” se refere a “seu povo”, de acordo com a Bíblia de Estudo NIV. Isso significaria que o homem considerava os judeus como seus vizinhos.

Jesus respondeu a esta pergunta com uma parábola. Quando a parábola começou, talvez o homem pensava que estava indo bem. Mas Jesus mudou as coisas ao incluir um samaritano como a terceira pessoa a encontrar o homem meio morto em vez de um bom judeu. 

Qual é a história do Bom Samaritano na Bíblia

A historia é assim:

Um judeu estava viajando de Jerusalém para Jericó e foi atacado por bandidos. Eles o despiram, espancaram-no e o deixaram meio morto à beira da estrada. Por acaso apareceu um sacerdote. Mas quando viu o homem deitado ali, atravessou para o outro lado da estrada e passou por ele. Um levita aproximou e olhou para ele deitado ali, mas ele também passou do outro lado. Então apareceu um desprezado samaritano e, quando viu o homem, sentiu compaixão por ele. Aproximando-se dele, o samaritano acalmou suas feridas com azeite e vinho e as enfaixou. Em seguida, colocou o homem em seu próprio jumento e o levou para uma hospedaria, onde cuidou dele. No dia seguinte, ele entregou ao estalajadeiro duas moedas de prata, dizendo-lhe: Cuide deste homem. Se a conta dele for mais alta do que isso, eu te pagarei na próxima vez que estiver aqui”.  Lucas 10:30-37

Aqui estão 5 lições que podemos aprender com a história do bom samaritano

1. O bom samaritano estava disposto a se envolver.

Podemos citar as escrituras e recitar chavões sobre o amor e Deus, mas a menos que estejamos dispostos a nos envolver na vida dos outros, estamos apenas levantando poeira. 

O samaritano tratou e enfaixou as feridas. Ele colocou o homem ferido em seu jumento. Ele o levou para uma pousada e cuidou dele durante toda a noite. 

O samaritano poderia ter dito a si mesmo: “Eu já dou oferta na minha igreja. Eu ajudo obras de caridade. Eu já fiz a minha parte.” Mas ele teve compaixão… e agiu diferente.

2. O bom samaritano ignorou o racismo.

Mesmo sendo considerado um “desprezado samaritano”, ele se elevou acima de tal superficialidade para cuidar de um ser humano. 

Eu comparo as ações do samaritano com um escravo americano do século 19 mostrando compaixão por um dono de plantação ou um prisioneiro judeu demonstrando preocupação com um guarda nazista durante a Segunda Guerra Mundial.

3. O bom samaritano tinha dinheiro.

A ex-primeira-ministra da Inglaterra Margaret Thatcher certa vez observou: “Ninguém se lembraria do Bom Samaritano se ele tivesse apenas boas intenções – ele também tinha dinheiro”.

Margaret Thatcher estava certa: este era um homem que administrava seu dinheiro. 

Ele, sem dúvida, vivia com um orçamento, gastava menos do que ganhava e mantinha um fundo de contingência para despesas inesperadas. 

Minha esposa e eu percebemos perfeitamente que precisamos ser muito intencionais se vamos ter um fundo de doação, então colocamos dinheiro em um “envelope de bênção” todos os meses. 

Dessa forma, ao ajudar, despertou nossa atenção para as necessidades ao nosso redor.

4. O bom samaritano tinha um bom nome.

É de se perguntar se o samaritano já esteve naquela pousada antes, talvez pagando a estadia de algum outro necessitado. 

No entanto, o que sabemos é isso: o estalajadeiro confiou no samaritano, provavelmente porque ele provou ser confiável.

5. O bom samaritano foi generoso.

O samaritano não sabia por quanto tempo o ferido ficaria de cama, mas estou supondo (porque o texto dizia que o ataque o deixou “meio morto”), que poderia ser uma estadia prolongada. De qualquer forma, o bem-estar desse estranho era mais importante para nosso bom samaritano do que qualquer custo. Novamente, essa generosidade nunca teria sido possível se ele não tivesse dinheiro em primeiro lugar.

A mensagem central desta história é que, se quisermos ser bons vizinhos, precisamos ser mais como o samaritano. A mensagem implícita é ficar forte e permanecer forte financeiramente para que possamos ter os meios para agir de acordo com nossas boas intenções.

Jesus conclui com esta admoestação: “Vá e faça o mesmo”. Quando aprendermos essa lição, nós e o mundo ao nosso redor seremos melhores por isso.

Significado da Parábola do Bom Samaritano

O significado da parábola do Bom Samaritano de Jesus é muito simples: “Ame o seu próximo como a si mesmo”. 

Antes de contar a história do samaritano, perguntaram a Jesus qual é o maior mandamento de todos. Ele respondeu:

“Ame o Senhor, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todo o seu entendimento e de todas as suas forças. A segunda é esta: Ame o seu próximo como a si mesmo”.

A parábola do Bom Samaritano é uma história para ilustrar como “amamos nosso próximo como a nós mesmos”. Quando outras pessoas mais precisam de nossa ajuda, como o homem na estrada, é quando nosso amor ao próximo é realmente testado. 

Jesus nos diz para sermos como o Bom Samaritano, ajudando os outros em tempos de necessidade, e não o Sacerdote e o Levita que ignoram o próximo.

A melhor parte dessa história é que o homem caído na estrada não precisava ganhar nada para receber a graça do samaritano. 

No centro de nossa fé está um homem que morreu na cruz pelas pessoas que o maltrataram e o odiaram. Ele ressuscitou para que pudesse estender a graça a essas mesmas pessoas. 

Agora estamos caídos na estrada mortos em nossos pecados, e Ele estende Sua mão com graça… algo que nunca poderíamos ganhar ou pagar. E tudo o que temos a fazer é aceitá-lo.

Como crentes e receptores desta graça, iremos amar os outros da mesma forma, vamos ajudar os outros sem expectativas de retribuição ou caráter merecedor? 

Ao contrário do mestre da lei da história de Jesus, não amamos nosso próximo porque temos que fazer grandes coisas para sermos salvos, mas porque algo grande foi feito para nos salvar .”

Ame o seu próximo como a si mesmo – Versículos

Marcos 12:28-34 – “Um dos mestres da lei veio e os ouviu debatendo. Percebendo que Jesus havia dado uma boa resposta, perguntou-lhe: De todos os mandamentos, qual é o mais importante? O mais importante, respondeu Jesus, é este: Ouve, ó Israel: o Senhor nosso Deus, o Senhor é um. Ame o Senhor, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todo o seu entendimento e de todas as suas forças. O segundo é este: Ame o seu próximo como a si mesmo. Não há mandamento maior do que estes”.

1 João 4:7 – “Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus, e quem ama é nascido de Deus e conhece a Deus”.

Levítico 19:18 – “Não te vingarás nem guardarás rancor contra os filhos do teu povo, mas amarás o teu próximo como a ti mesmo: eu sou o Senhor”.

1 Coríntios 16:14 – “Que tudo o que você faz seja feito em amor.”

Botão Voltar ao topo