3 Altares para restaurar

Esboço de pregação temática em 1 Reis 18:30 com o tema: “3 Altares para restaurar”.

Tema: 3 Altares para restaurar

Texto do sermão: 1 Reis 18:30

Então Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; e restaurou o altar do SENHOR, que estava quebrado.

INTRODUÇÃO

Significado de altar:

O termo “altar” evoca o significado de um lugar de encontro. Em Israel, o altar representava o ponto culminante desse encontro com Jeová.

Este local sagrado simboliza a entrega total, exemplificada na história de Abraão e Isaque no Moriá (Gênesis 22:1-13), a busca pela concordância (Gênesis 35:1-7), o ato de sacrificar (Êxodo 38:1; Salmo 118:27) e a presença do fogo divino (Levítico 6:13).

Significado de restaurar:

Restaurar significa reconstruir, renovar e revitalizar. É o processo de devolver algo ao seu estado original ou de trazer de volta sua função e propósito inicial.

Neste contexto específico, a restauração dos altares sugere a necessidade de reconstruir os pilares fundamentais da adoração cristã para renovar a conexão espiritual, a devoção e a unidade na vida do crente e na comunidade cristã.

Hoje, examinaremos os três altares fundamentais na vida cristã que precisam ser restaurados:

I. O ALTAR PESSOAL – “Você adorando a Deus”

O Altar Pessoal representa nosso serviço devocional. Ele destaca nossa consagração a Deus. Romanos 12:1 diz:

ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.

Expressa nossa rendição incondicional ao Senhor.

Salmo 37:5 diz:

“Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará.”

Em Tiago 4:7,8 está escrito:

“7 Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. 8 Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós outros. Purificai as mãos, pecadores; e vós que sois de ânimo dobre, limpai o coração.”

Inclui nossos momentos de oração secreta.

Mateus 6:5,6 diz:

“5 E, quando orardes, não sejais como os hipócritas; pois gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que eles já receberam a sua recompensa. 6 Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.”

Em Daniel 6:10 está escrito:

“Daniel, pois, quando soube que a escritura estava assinada, entrou em sua casa (ora, havia no seu quarto janelas abertas da banda de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como também antes costumava fazer.”

II. O ALTAR FAMILIAR – “Você e família adorando a Deus”

Muitos lares negligenciam o altar familiar. Em contraste, na casa de , esse altar estava erguido (Jó 1:5).

Sucedia, pois, que, decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Talvez pecaram meus filhos, e amaldiçoaram a Deus no seu coração. Assim fazia Jó continuamente.

Jacó levantou um altar ao Senhor com sua família (Gênesis 35:1-7).

O Altar Familiar representa o Culto Doméstico, frequentemente esquecido (Atos 10:1,2).

1 – E HAVIA em Cesaréia um homem por nome Cornélio, centurião da coorte chamada italiana, 2 – Piedoso e temente a Deus, com toda a sua casa, o qual fazia muitas esmolas ao povo, e de contínuo orava a Deus.

III. O ALTAR CONGREGACIONAL – “Você, família e congregação adorando a Deus”

A igreja é a união de famílias, e a força das famílias fortalece a congregação.

O Altar Congregacional se manifesta na união entre os irmãos (Salmo 133).

Quando todos adoram ao Senhor juntos (Salmo 29:9).

Quando amamos a Casa de Deus (Salmo 84:1-11; 122:1; Hebreus 10:25).

Conclusão

Edith Booth declarou:

“Quando Deus mede um homem, Ele passa sua fita métrica em torno de seu coração e não de sua cabeça.”

Nossos corações devem ser consagrados inteiramente ao Senhor. A serva de Deus Rosalee Appleby compartilhou que um eminente ministro escreveu à sua filha:

“Quero que repitas para ti mesma mil vezes: Não sou minha! Sou do Senhor!”

Somos chamados a pertencer ao Senhor e adorá-Lo em espírito e em verdade (João 4:23,24).

Elias, o profeta, restaurou o altar (1 Reis 18:30). Devemos unir as pedras de nossos relacionamentos (1 Pedro 2:5) e separar-nos do pecado (Hebreus 4:3; 12:14). Devemos demonstrar disposição para a oração (Provérbios 26:20; 1 Tessalonicenses 5:17) e buscar um quebrantamento sincero (Salmo 51:17; Isaías 57:15; Joel 2:13).

Elias também derramou água sobre o altar, representando a Palavra de Deus (João 15:3; 17:17; Hebreus 10:22).

Como está o seu altar pessoal? E o altar familiar? E o altar congregacional? Estamos verdadeiramente adorando a Deus em unidade?

Essas são perguntas cruciais para avaliarmos a vitalidade de nossa adoração.

Dicas para pregar este sermão “3 Altares para restaurar”.

  1. Comece com Impacto na Introdução:
    • Destaque a importância do altar como um lugar de encontro com Deus.
    • Utilize exemplos bíblicos, como Abraão e Isaque, para ilustrar a entrega total representada pelo altar.
  2. Clareza nos Pontos Principais:
    • Explique cada altar de maneira clara e concisa: Altar Pessoal, Altar Familiar e Altar Congregacional.
    • Destaque a relevância prática desses altares na vida diária do crente.
  3. Envolvimento Pessoal:
    • Faça a congregação refletir sobre o estado de seus próprios altares pessoais, familiares e congregacionais.
    • Encoraje a autoavaliação e a busca por melhorias na adoração individual e coletiva.
  4. Histórias e Exemplos Práticos:
    • Compartilhe histórias pessoais ou exemplos práticos que demonstrem como os altares podem ser estabelecidos e fortalecidos na vida cotidiana.
    • Relatos de transformação pessoal aumentam o impacto da mensagem.
  5. Aplicação Prática:
    • Forneça orientações práticas sobre como construir e manter os altares pessoais, familiares e congregacionais.
    • Sugira práticas devocionais, cultos familiares e participação ativa na vida da igreja.
  6. Ênfase nas Escrituras:
    • Baseie cada ponto em passagens bíblicas relevantes para reforçar a fundamentação teológica.
    • Destaque versículos-chave que apoiam a importância dos altares na vida cristã.
  7. Apelo e Desafio Final:
    • Faça um apelo para uma decisão prática e compromisso com a edificação dos altares.
    • Desafie a congregação a buscar uma adoração mais profunda e significativa em suas vidas.
  8. Conclusão Impactante:
    • Recapitule os pontos-chave e destaque a transformação que a prática desses altares pode trazer.
    • Termine com uma oração, convidando a presença do Espírito Santo para capacitar a congregação na construção desses altares.

Se gostou deste sermão em 1 Reis 18:30, então confira mais esboços prontos.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo