5 perguntas sobre os Salmos

Você como um bom Cristão deve apreciar o livro dos Salmos, por isso, nesse artigo responderemos 5 perguntas sobre os Salmos.

1. Qual o propósito dos Salmos?

O nome da aliança YHWH é usado quase setecentas vezes nos Salmos

Os Salmos são canções monoteístas centradas no SENHOR. Ou seja, eles louvam o único e verdadeiro Criador, o criador do céu e da terra e governante de todas as coisas que é o Deus de Abraão, Isaque e Jacó

Portanto, o propósito principal do livro de Salmos é servir de modelo para o povo de Deus, como e por que louvar ao Senhor. Veja sua estrutura:

O livro dos Salmos está dividido em cinco partes. 

O Salmo que conclui cada parte termina com uma doxologia:

Salmo 41:13:

“Bendito seja o SENHOR Deus de Israel de século em século. Amém e Amém”.

Salmo 72:18-20:

“Bendito seja o SENHOR Deus, o Deus de Israel, que só ele faz maravilhas. E bendito seja para sempre o seu nome glorioso; e encha-se toda a terra da sua glória. Amém e Amém. Aqui acabam as orações de Davi, filho de Jessé”.

Salmo 89:52:

“Bendito seja o SENHOR para sempre. Amém, e Amém”.

Salmo 106: 48:

“Bendito seja o SENHOR Deus de Israel, de eternidade em eternidade, e todo o povo diga: Amém. Louvai ao SENHOR”.

Salmo 150: 6:

“Tudo quanto tem fôlego louve ao SENHOR. Louvai ao SENHOR”.

Salmo 150 conclui a parte 5 e o livro inteiro. 

Como os Salmos 135, 146, 147, 148, 149, o 150 começa e termina com a ordem “Louvai ao Senhor”

E embora nos Salmos haja mais “lamentos” do que “hinos de louvor”, o Saltério termina com uma explosão de louvor com os cinco “hinos de aleluia” (Salmos 146-150). 

Assim, a própria estrutura do Saltério nos lembra que não importa a situação pela qual estejamos passando, o Senhor deve ser louvado.

2. Quando e porque os 150 Salmos foram compilados?

Os vários autores dos Salmos datam de Moisés (1450 a.C) à queda de Judá (586 a.C). 

Por exemplo, o Salmo 137 é claramente definido no cativeiro babilônico. O salmista escreve: “Junto às águas da Babilônia, ali nos sentamos e choramos, lembrando-nos de Sião” (Salmo 137: 1). 

Portanto, é melhor datar a junção final dos Salmos durante ou após o exílio.

Este contexto histórico para a compilação das preciosas orações e canções de Israel é importante porque o Saltério funciona como o templo. 

Jerusalém está destruída. O templo está destruído. Como então o povo de Deus adora a Deus no exílio? 

A resposta é que eles vêm à presença de Deus por meio de 150 poemas divinamente inspirados que expressam seus lamentos, lembram de quem é Deus e do que ele fez.

E isso geravam neles esperança para o futuro messias que traria um novo êxodo, um reino para sempre e uma presença restaurada no templo para todos os que desejam “deleitar-se na casa do Senhor para sempre” (Salmos 23: 6).

3. Por que a poesia é usada para expressar esses temas?

Primeiro, a poesia expande nossa imaginação exegética 

Davi poderia simplesmente dizer que ama a Deus porque Ele o protege. Mas quando ele escreve: “Eu te amo, ó Senhor… minha rocha e minha fortaleza” (Salmo 18: 1-2 ) e compara Deus a uma cidadela de pedra, ele nos dá uma maior compreensão de quem é Deus e o que ele faz por seu povo. 

As metáforas criam verdades teológicas mais fáceis de entender.

Em segundo lugar, a poesia envolve nossas emoções

João Calvino disse sobre os Salmos:

“Costumo chamar este livro de uma anatomia de todas as partes da alma; pois não há uma emoção da qual qualquer um possa ter consciência que não esteja aqui representada como em um espelho”.

De lamentos lacrimosos a ações de graças triunfantes, essas expressões de emoção servem como padrões para nós, moldando como devemos nos sentir quando falamos com Deus do fundo de nossas almas. 

Por exemplo, quando lemos em Salmo 42. 1: “Assim como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus!”, a poesia nos ajuda entender que Deus é nosso refrigério e quem sacia nossa sede.

4. Como ler a poesia bíblica?

Em primeiro, leia com o coração

Deus pretendia que esses poemas inspirados envolvessem nossos corações. 

A poesia deve ser sentida no coração, não apenas entendida na mente. 

Em segundo, entenda que a repetição é a estrutura básica da poesia bíblica 

Às vezes, uma linha é repetida ao longo de um poema. Isso é chamado de refrão

Às vezes, a repetição de palavras-chave ou temas ocorre no início e no final de um poema. Isso é chamado de inclusão

Às vezes, palavras-chave ou temas refletem uns aos outros, movendo-se do final do poema para seu centro. Isso é chamado de quiasmo. 

O refrão, a inclusão e/ou o centro (quiasmo) de um poema revelam a grande ideia dele.

Em terceiro, compreenda os padrões e propósitos dos paralelismos 

Unidade

Cada salmo é composto de muitos dísticos, ou seja, duas linhas que funcionam juntas como uma unidade. 

Alguns dísticos (conceito expresso em dois versos) ecoam entre si. 

Quando Davi ora a Deus: “Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado!” (Salmo 52: 1), ele está usando palavras intercambiáveis ​​(lavar/limpar; iniquidade/pecado) para expressar a mesma petição. 

Complementar

Outros versos usam o segundo para completar o pensamento do primeiro: “Ele pôs uma nova canção na minha boca, [que tipo de canção?] Uma canção de louvor ao nosso Deus” (Salmo 40: 3).

Contrastes

Ainda outras linhas contrastem uns com os outros: “Pois tu salvas o povo humilde, mas tu abates os olhos altivos” (Salmo 18:27).

Comparação

Outro paralelismo usa duas linhas para fazer a comparação: “Assim como o pai mostra compaixão pelos filhos, assim o Senhor mostra compaixão pelos que o temem” (Salmo 103: 13). 

Essa repetição é intencional, pois, o poeta nos prende, então paramos e pensamos sobre a importância de orar. 

Usando várias figuras e fazendo-nos olhar uma ideia de diferentes ângulos, esses poemas nos ajudam a “deleitar-nos na lei [torá=instruções] do Senhor” (Salmo 1: 2).

5. Como os cristãos devem usar os Salmos?

Em primeiro, devemos cantar os salmos 

O livro dos Salmos representa o último hinário de Israel

Uma prova disso são os subtítulos. Por exemplo, nos Salmos 51-72, todos, exceto três, têm nos títulos “para o cantor-mor”. 

Essas canções, assim como outras do Salmos, eram evidentemente cantadas na adoração no templo. 

O Salmos deve permanecer como parte do cânon e da música cristã. Por quê? 

Paulo diz isso! Ele ordena que aos cristãos:

Uns aos outros em salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e entoando melodias ao Senhor com o seu coração” (Efésios 5:19).

“Que a palavra de Cristo habite em vós ricamente, ensinando e admoestando uns aos outros com toda a sabedoria, cantando salmos, hinos e cânticos espirituais, com gratidão a Deus no vosso coração” (Colossenses 3:16).

Cuidados que devemos ter ao cantar os Salmos:

Devemos cantar o Salmos como estão, mas, entenda, por exemplo, quando cantamos sobre o sacrifício de animais, Jesus é o cumprimento de todo o sistema sacrificial.

Ou seja, os Salmos devem apontar para Jesus, o Filho ungido (Salmo 2), que morreu pelos pecadores (Salmo 22), ressuscitou dos mortos e agora está sentado à destra de Deus (Salmo 110). 

E devemos deixar que os Salmos moldem o conteúdo de nossos hinos, lembrando-nos, por exemplo, que devemos orar pela vitória sobre os inimigos do reino de Deus e lamentar o pecado em nossas vidas e no mundo.

Em segundo, devemos orar os Salmos

Os Salmos podem servir como maravilhosos chamados para a adoração. 

Veja o exemplo do Salmo 95:

Convida o povo de Deus à sua presença

“Apresentemo-nos ante a sua face com louvores, e celebremo-lo com salmos.” (Salmos 95: 2).

Convida o povo para cantar

“Vinde, cantemos ao SENHOR” (Salmo 95: 1).

Sobre quem ele é

“Porque o SENHOR é Deus grande, e Rei grande sobre todos os deuses” (Salmo 95: 3).

O que ele fez

“…suas mãos formaram a terra seca” (Salmo 95: 5).

Conclui com um aviso para levar a adoração a sério

“…não endureçais os vossos corações” (Salmo 95: 8). 

Além da chamada para a adoração, os Salmos podem ser usados ​​como modelo de oração para a igreja. 

Terceiro, devemos ler os salmos 

Quanto mais leitura da Bíblia, melhor. 

A leitura dos Salmos é muito importante para a igreja, por isso, precisamos dessa prática nos nossos cultos e escolas bíblicas.

Quarto, devemos pregar os Salmos 

Podemos encontrar muitas mensagens nos Salmos para pregar. Veja alguns exemplos:

INDAGAÇÕES NOS SALMOS

  • De onde me virá socorro? (121.1).
  • E eu, Senhor, que espero? (39.7).
  • Para onde fugirei de tua face? (139.7).
  • Por que estás abatida, ó minha alma? (42.5).

AFIRMAÇÕES NOS SALMOS

  • Lâmpada para os meus pés é a tua palavra (119.105).
  • Grandes são as obras do Senhor (111.1).
  • O Senhor é a minha luz e a minha salvação (27.1).
  • Senhor é a fortaleza da minha vida (27.2).

PEDIDOS NOS SALMOS

  • Apressa-te em responder-me (143.7).
  • Atende a minha oração (143.1).
  • Livra-me do perverso (140.1).
  • Sonda-me e conhece o meu coração (139.23).

Por Douglas Sean O’Donnell, adaptado por Biblioteca do Pregador.

Banner-Qualidade-Biblica-biblioteca-do-pregador

Botão Voltar ao topo