Aviva, ó Senhor, a Tua Obra: Clamor, Palavra e Misericórdia

O clamor pelo avivamento é uma expressão da angústia da alma, uma súplica que surge diante do desespero de uma situação espiritual caótica. O profeta Habacuque, em meio ao declínio espiritual de Judá, clamou por um avivamento genuíno da obra do Senhor. Apesar de sua aparente indiferença, Deus respondeu de maneira poderosa à intercessão do profeta. O avivamento aconteceu e a nação foi transformada.

A Palavra de Deus é fundamental para o avivamento espiritual. Ouvir a Palavra de Deus, temer a Deus e clamar pelo avivamento são passos essenciais para que a obra do Senhor seja avivada. Afinal, o avivamento é uma questão de vida ou de morte espiritual. Clamando pela misericórdia de Deus, podemos ver a Sua mão poderosa agindo em nossa vida e na vida da igreja.

Neste artigo, vamos explorar esses temas e ver como o clamor, a Palavra e a misericórdia de Deus são elementos essenciais para um avivamento genuíno e duradouro. Assim como Habacuque, vamos clamar a Deus por um avivamento da Sua obra em nossas vidas e nas igrejas locais.

I- O CLAMOR PELO AVIVAMENTO

1- A intercessão angustiada do profeta Habacuque

Habacuque ficou muito triste ao ver tanta maldade e injustiça em Judá. Como um mensageiro de Deus, ele só podia pedir ajuda a Deus com todo o seu coração.

Mas o que mais o preocupava era que Deus parecia não estar fazendo nada para acabar com a corrupção moral e espiritual do seu povo.

O profeta pediu a Deus para explicar por que não respondia ao seu pedido de ajuda diante de tanta violência, maldade, destruição e conflito que via ao seu redor.

2- A aparente indiferença ou ausência de Deus

Deus não trata a impiedade do homem de forma diferente. Na verdade, Ele é misericordioso e paciente com os transgressores, e por isso não julga imediatamente.

Por isso, Ele enviou Jesus com uma mensagem de amor para salvar a humanidade. Infelizmente, muitas pessoas rejeitam essa mensagem e se afastam de Deus.

Mas um dia, Deus julgará todos aqueles que ignoram Sua Palavra. Como diz o Salmo 9:17, “os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus”.

3- A resposta imediata de Deus

A resposta de Deus ao clamor do profeta foi diferente do que ele esperava. Deus convocou os babilônios para punir os pecados e iniquidades de Judá.

Os babilônios seriam usados por Deus para fazer Judá refletir sobre seus maus caminhos e se arrepender de suas más ações, que ultrapassaram os limites da tolerância divina.

Embora possa parecer que Deus não estava fazendo nada, Ele estava dando tempo para a nação judaica se lembrar dos avisos divinos. Infelizmente, eles não se lembraram.

Deus pediu ao profeta que escrevesse a visão de maneira clara e legível para que pudesse ser vista por todos, até mesmo por aqueles que passassem correndo.

Características dos Avivamentos do Antigo Testamento

II- O AVIVAMENTO PELA PALAVRA

1- Ouvir a Palavra de Deus

Na oração de Habacuque, ele disse: “Ouvi, Senhor, a tua palavra” (3.1a). Isso significa que ele ouviu a resposta de Deus à sua oração. Habacuque ouviu com atenção a Palavra de Deus.

É importante ouvir a voz de Deus com atenção para experimentar um avivamento espiritual. Quando Deus fala, é essencial que ouçamos e prestemos atenção à Sua mensagem.

2- Temer a Deus

Quando Habacuque ouviu a Palavra de Deus, ele temeu ao Senhor (3.2). É importante ouvir a Deus e ter reverência por Ele. Não pode haver avivamento espiritual sem o temor ao Senhor: “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; todos os que o obedecem têm bom entendimento; o seu louvor permanece para sempre” (Salmo 111:10).

É importante ressaltar que o temor ao Senhor não é sobre ter medo ou terror de Deus. É sobre ter um profundo respeito e reverência por Ele em todas as áreas da vida. Ter um estilo de vida que honre e respeite ao Senhor é o princípio da sabedoria para os crentes.

3- O clamor pelo avivamento

Após ouvir a Palavra de Deus com temor, Habacuque clamou a Deus por um avivamento espiritual em Judá. Ele fez três pedidos: que Deus avivasse a sua obra no meio do povo, que notificasse a obra para que todos pudessem ver e que lembrasse da sua misericórdia mesmo em meio à ira.

Apesar da iminência do juízo divino sobre o povo, Habacuque demonstrou esperança, fé e otimismo, confiando que Deus seria a sua fortaleza e que Ele lhe daria a força necessária para enfrentar qualquer dificuldade.

Avivamento na Vida Pessoal

III- AVIVAMENTO: QUESTÃO DE VIDA OU DE MORTE

1- Clamando pela misericórdia de Deus

Sim, a misericórdia de Deus é essencial para a salvação do ser humano. A ira divina é uma resposta justa às transgressões da lei de Deus, mas Ele não deseja a morte dos ímpios, mas que se convertam e vivam (Ezequiel 18.23).

O apóstolo Paulo também destaca a importância da misericórdia de Deus para a salvação em Romanos 9.16: “Assim, pois, não depende de quem quer ou de quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia”.

Por isso, devemos clamar pela misericórdia de Deus em nossas vidas e na vida daqueles que ainda não conhecem o seu amor e a sua graça.

2- Deus é misericordioso 

Realmente, a Bíblia ensina que Deus é misericordioso e está pronto a perdoar aqueles que se arrependem sinceramente de seus pecados e buscam a sua face.

O salmista também declara a bondade e misericórdia de Deus em relação aos que o temem: “Mas tu, Senhor, és Deus compassivo e misericordioso, muito paciente, rico em amor e em fidelidade” (Sl 86.15).

O apóstolo Pedro também fala da misericórdia de Deus em relação aos seus filhos: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos regenerou para uma esperança viva, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” (1Pe 1.3).

É importante lembrar que a misericórdia de Deus não é uma desculpa para continuarmos no pecado, mas um chamado para nos arrependermos e buscar a santidade.

3- Assim como Habacuque, vamos clamar a Deus

É verdade que vivemos em uma época em que a depravação moral se tornou comum e muitas pessoas têm adotado valores e práticas contrárias aos princípios bíblicos. No entanto, como cristãos, devemos nos lembrar de que Deus é um Deus de misericórdia e que Ele continua chamando as pessoas ao arrependimento e à santidade.

Devemos orar por avivamento espiritual em nossa sociedade e em nossas igrejas, para que haja um retorno aos valores e princípios bíblicos. Ao mesmo tempo, precisamos ser sal e luz no mundo, vivendo uma vida que glorifique a Deus e testemunhe do Seu amor e graça.

Devemos lembrar que Deus é amor, mas também é santo e justo. Ele não pode tolerar o pecado e o mal, mas oferece perdão e salvação através de Jesus Cristo. Que possamos ser fiéis a Ele, proclamando o evangelho e vivendo uma vida que O honre em tudo o que fazemos.

CONCLUSÃO

De fato, é necessário que haja um despertamento espiritual nas igrejas, um avivamento que gere arrependimento, santificação e um compromisso mais profundo com a Palavra de Deus. Precisamos voltar a buscar a face do Senhor em oração, jejuar e clamar por uma nova visitação do Espírito Santo, para que haja transformação e renovação em nossas vidas e nas comunidades de fé.

Além disso, é importante que não nos calemos diante das injustiças e abominações que estão sendo praticadas em nossa sociedade, mas que levantemos nossa voz em defesa da verdade e da justiça, sempre com amor e compaixão pelos que estão perdidos. Precisamos ser luz e sal neste mundo corrompido, e isso só é possível por meio da graça e do poder de Deus.

Que a oração de Habacuque seja também a nossa oração, para que Deus avive sua obra em nossas vidas e em nossas igrejas, para que sejamos verdadeiramente sal e luz neste mundo perdido e necessitado da verdadeira esperança que só pode ser encontrada em Jesus Cristo.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.
Botão Voltar ao topo