3 Conselhos Bíblicos para um Casamento Perfeito

É comum ouvirmos, que é essencial recebermos conselhos bíblicos para um casamento perfeito. Antes de tudo, já no chá de panela uma atividade comum, é oferecer conselhos à futura esposa sobre como fazer esse casamento funcionar por toda a vida. 

Contudo, o conselho mais popular que ouvimos é, ‘não ir para a cama com raiva um do outro’. E sim, esse conselho, realmente é bíblico!

“Na tua ira não peques; não deixes que o sol se ponha enquanto ainda estás com raiva.” (Efésios 4:26) 

Todavia, esse versículo trás um grande conselho, pois a raiva, desonestidade, palavras rudes, raiva, falta de perdão e falta de empatia têm o poder de destruir nossos relacionamentos. 

No entanto, precisamos do poder do Espírito Santo trabalhando em nossa vida para viver desta maneira!

Sendo assim, separei aqui ideias sobre como administrar o conflito no casamento biblicamente.

Aqui estão Portanto os 3 conselhos bíblicos para um casamento Perfeito

1. Concorde em dar um tempo na discussão

[…] “tempo de estar calado, e tempo de falar”. (Eclesiastes 3:8)

Às vezes você se encontra em uma discussão muito acalorada, e pode parecer que não há como sair dessa conversa tensa. No entanto, isso pode levar à escalada de conflitos e muitas vezes não leva a um bom lugar. 

Uma boa maneira de acalmar uma conversa, que fez seu sangue ferver, é se calarem e concordarem juntos para discutir o assunto em um outro momento. 

Recuar pode lhe dar a chance de controlar melhor suas emoções. Pois, uma vez que você tenha atingido essa resposta de estresse de luta ou fuga em uma situação, a lógica não é mais ouvida e as emoções são tudo o que governa a interação.

Algumas dicas para garantir que essa estratégia seja utilizada de maneira útil incluem:

Comunique que você precisa de um tempo

Se você ficar chateado, escolha uma maneira que funcione para você afirmar com calma que precisa de uma pausa. Não desanime.

Faça intervalos curtos

Aos Efésios diz que não devemos deixar o sol se pôr em nossa raiva, não devemos deixar esses argumentos se arrastarem sem resolver a questão. 

Nossos relacionamentos são a coisa mais valiosa que temos nesta vida, e garantir que estamos vivendo em unidade uns com os outros deve ser uma prioridade.

Reserve um tempo para se acalmar e pensar em uma nova abordagem

Não use esse tempo para apodrecer em todas as maneiras que seu cônjuge está errado, mas aproveite essa pausa na conversa para acalmar sua mente e corpo para que você possa voltar à mesma página que seu parceiro.

Retorne à conversa e resolva o conflito. 

Quando você voltar para a conversa, fale calmamente sobre o assunto em questão. Lembre-se que você está no mesmo time. 

O conflito não é o objetivo, mas trabalhar juntos para encontrar uma solução razoável é do melhor interesse do seu casamento.

2. Concentre-se em melhorar suas habilidades de comunicação

“Seja a vossa eqüidade notória a todos os homens. Perto está o SENHOR”. (Filipenses 4: 5)

Cultivar habilidades de comunicação positivas em seu casamento, se parece muito com trabalhar para viver os frutos do espírito. 

Temos que praticar essas habilidades todos os dias antes que o conflito surja, para que possamos diminuir a escalada das brigas quando elas começarem. 

Algumas frases úteis que podem ajudá-lo a se expressar melhor para ajudar a difundir conversas tensas incluem o uso de declarações “eu sinto”, “preciso me acalmar”, declarações “desculpe” e declarações “eu aprecio”.

Quando nos certificamos de que estamos usando “eu” em vez de “você” em um momento difícil, isso nos ajuda a evitar colocar a culpa em nosso parceiro. Quando estamos tentando nos comunicar sobre uma situação que nos preocupa. 

Declarações de culpa e palavras como “sempre” ou “nunca” podem rapidamente adicionar chamas ao fogo.

O conflito é inevitável ao fundir a vida de duas pessoas imperfeitas. Mas igualmente, estar preparado para a melhor maneira de falar um com o outro quando essas situações surgem, pode nos ajudar a evitar que a raiva e a amargura cresçam em nossos casamentos. 

Pois, quando permitimos que a raiva cresça, damos ao Diabo um ponto de apoio para destruir lentamente nossos lares.

3. Trabalhe para ter empatia com seu cônjuge

“Com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz”. (Efésios 4:2-3)

O conflito acontece quando nos sentimos atacados por nossos parceiros. Nossa raiva cresce porque nos sentimos ameaçados, magoados ou não vistos por nossos parceiros. 

No entanto, a empatia nos ajuda a deixar de lado nossos próprios sentimentos por um momento para ouvir e ver a posição de nossos maridos ou esposas. 

Quando você sentir sua pressão arterial começando a subir por causa de algo que seu parceiro disse ou fez, respire fundo e faça uma pausa para visualizar como ele deve estar se sentindo naquele momento.

O que é que eles realmente estão tentando dizer a você?  Você pode responder perguntando como eles estão em vez de responder na mesma moeda? A empatia nos ajuda a ver além de nossos próprios sentimentos de mágoa e ver qual é realmente o problema naquele momento.

Eu sei por experiência própria que não houve quase nada que meu marido e eu tenhamos brigado que valesse a pena estar tão zangado. Essas lutas terríveis realmente resultaram de exaustão, preocupação, estresse, ansiedade, desconexão ou descuido. 

No entanto, se nós tivesse a capacidade de ver o outro, essas grandes brigas poderiam ter sido resolvidas. Por outro lado, se estivéssemos disposto, a abrir mão do nosso direito de ser ofendido e perguntar como o outro estava, a briga nunca teria acontecido. 

Colocando em prática Efésios 4

Por fim, podemos aplicar Efésios 4 aos nossos casamentos de uma maneira crucial; nunca devemos deixar que a raiva e a amargura cresçam em nossos corações em relação ao outro. Se você decidir fazer as pazes antes de dormir ou conversar logo pela manhã, o mais importante é que você não deixe que momentos de raiva e conflito roubem toda a alegria e conexão de nossa união. 

A unidade que deveria definir nossos relacionamentos conjugais não pode prosperar quando a raiva, a falta de perdão, a indelicadeza, a desonestidade e a vida injusta, não são controladas em nossas vidas. 

A vida cristã e o poder gracioso do Espírito Santo operando em nossas vidas, é o necessário para fazer um casamento funcionar.

Autora: Amanda Idleman
Adaptado por Biblioteca do Pregador

Botão Voltar ao topo