Revelado documento raro de 2.700 anos com referência a “Ismael”

O documento, composto por quatro linhas, contém a expressão "enviar para Ismael"

Autoridades do governo israelense divulgaram um documento datado de 2.700 anos, pertencente ao período do Israel bíblico, que apresenta um nome comum da época – Ismael – e que provavelmente circulou durante o reinado dos reis do Antigo Testamento.

O documento, composto por quatro linhas, contém a expressão “enviar para Ismael”, possivelmente indicando instruções ao destinatário. Segundo a Autoridade de Antiguidades de Israel, o documento é extremamente raro e data do final do século VII ou início do século VI a.C., durante o chamado período do Primeiro Templo.

De acordo com a IAA, o documento foi provavelmente preservado ao longo dos séculos em uma caverna no deserto da Judéia, onde as condições climáticas secas permitiram a preservação do papiro. O “Ismael” mencionado no texto não se refere ao filho de Abraão, que viveu séculos antes, mas sim a um Ismael que viveu durante o período do Primeiro Templo. “Ismael” era um nome comum utilizado na época.

O professor Shmuel Ahituv, da Universidade Ben-Gurion do Negev, explicou que o nome “Ismael” apareceu pela primeira vez na Bíblia como o nome do filho de Abraão e Hagar, e mais tarde foi utilizado como nome pessoal de diversos indivíduos mencionados na Bíblia.

Além disso, o nome também era utilizado em achados paleográficos, como selos de argila utilizados para selar documentos reais na administração do Reino de Judá. Segundo Ahituv, o documento recém-encontrado provavelmente certificou um despacho para ou de Yishmael.

Joe Uziel, diretor da Unidade de Pergaminhos do Deserto da Judéia da Autoridade de Antiguidades de Israel, afirmou que a descoberta é bastante rara, já que existem apenas três documentos conhecidos do período do Primeiro Templo, incluindo este recém-encontrado. Segundo Uziel, cada novo documento encontrado ajuda a entender melhor a alfabetização e a administração do período do Primeiro Templo.

Surpreendentemente, o documento estava em posse de uma família de Montana, nos Estados Unidos, desde 1965. A família afirmou ter recebido o documento como um presente durante uma viagem a Israel e chegou a pendurá-lo na parede.

Para convencer a família a transferir o frágil documento para Israel, onde seria conservado em condições climáticas controladas, os especialistas convidaram o proprietário a visitar o Laboratório de Conservação do Departamento de Pergaminhos do Deserto da Judéia da Autoridade de Antiguidades de Israel em Jerusalém.

Após a visita, o proprietário concordou que o documento estaria melhor conservado e pesquisado na Autoridade de Antiguidades de Israel e o entregou de forma generosa.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!