Dom da fé na Bíblia, o que é e o que Significa

O dom da fé é a capacidade que o Espírito Santo concede ao crente para este realizar coisas que transcedem à esfera natural da vida, objetivando sempre a edificação da igreja.

SIGNIFICADO DE FÉ

A palavra (gr. pisteuó-, lat. Fides) é a confiança que depositamos em todas as providências de Deus.

E a crença de que Ele está no comando de tudo, que é capaz de manter as leis que estabeleceu.

E a convicção de que a sua palavra é a verdade.

A melhor definição de está no livro aos Hebreus, que recebeu uma profunda inspiração para a descrição dessa virtude cristã:

“Ora, a é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não veem” (Hb 11.1).

Vemos então, nessa definição, três elementos essenciais à :

  1. Ela é fundamento ou base para a confiança em Deus;
  2. Ela envolve a esperança ou expectativa segura do que se espera da parte de Deus;
  3. E ela é “a prova das coisas que não se veem”, mas sáo esperadas, ou significa convicção antecipada.

A FÉ COMO DOM

É a capacidade concedida pelo Espírito Santo para o crente realizar coisas que transcendem à esfera natural, visando o benefício e a edificação da igreja.

Podemos entender melhor o significado do dom da , através de declarações negativas em relação a outros tipos de .

  • Não é a salvífica, que é despertada pela proclamação da Palavra de Deus (Rm 10.17; E f 2.8);
  • Não é a como doutrina, que denota a permanência do crente, vivendo de acordo com a Palavra de Deus, ou a sã doutrina (2 Co 13.5);
  • Ela não é a como fruto do Espírito, que consiste nas virtudes da comunhão com o Espírito Santo.
  • O dom da também não é a fé natural, que resulta da observação da natureza.

Se tudo existe, de maneira organizada e com propósito, há pessoas que
creem no Criador (Rm 1.19,20).

UM DOM ESPECIAL

O dom da Pode ser considerado como um dom especial da fé para uma necessidade particular.

Alguns o definem como “a que remove montanhas”, trazendo manifestações incomuns ou extraordinárias do poder de Deus.

Esse dom se manifesta num momento especial, quando só um milagre resolve.

MOISÉS E O DOM DA FÉ

Esse dom foi usado por Moisés quando Faraó perseguia o povo de Israel.

De um lado e do outro, as montanhas, pela frente, o Mar Vermelho, por trás o exército egípcio com carros e cavalos.

A resposta do líder do Êxodo foi uma demonstração de uma fora
do comum.

“Moisés, porém, disse ao povo: Não temais; estai quietos e vede o livramento do Senhor, que hoje vos fará; porque aos egípcios, que hoje vistes, nunca mais vereis para sempre. O Senhor pelejará por vós, e vos calareis” (Êx 14.13,14).

Portanto, ele “viu” o livramento de Deus antes que acontecesse.

Pois, se tivesse falhado em sua , teria havido uma tragédia contra a sua liderança.

DANIEL E O DOM DA FÉ

Vemos esse dom operando na vida de Daniel.

Havia um decreto do rei proibindo pedidos ou súplica a qualquer pessoa ou Deus.

Aquele que desobedecesse o decreto do rei, lançariam na cova dos leões.

Daniel então, continuou orando ao Senhor, como o fazia três vezes ao dia.

E o lançaram na cova dos leões.

O próprio rei viu que Daniel tinha fé em seu Deus (Dn 6.16).

Portanto, Daniel foi salvo da morte (Dn 6.23).

ELIAS E O DOM DA FÉ

Certamente, o exemplo do profeta Elias, diante dos profetas de Baal e
de Asera, no Monte Carmelo, também envolveu o dom da fé.

Ele fez um desafio aos profetas dos deuses falsos.

Propôs que o Deus que respondesse com fogo seria o verdadeiro Deus.

E Deus honrou sua fé, fazendo cair fogo do céu sobre o altar encharcado de água (1 Rs 18.22-39).

PAULO E O DOM DA FÉ

Em sua viagem a Roma, o apóstolo Paulo foi vítima de um grande naufrágio.

Escapando na Ilha de Malta, ele e os demais náufragos foram acolhidos com hospitalidade. Ali, experimentou um milagre extraordinário.

Ao colocar alguns pedaços de madeira numa fogueira, foi picado por uma cobra venenosa, conhecida na região.

Os nativos logo imaginaram que Paulo pereceria dentro de poucas horas, pois sabiam que o efeito do veneno era mortal.

Mas o servo de Deus, simplesmente, sacudiu a mão e a víbora cai no fogo, e nada lhe aconteceu (At 28.1-6).

CONCLUSÃO

O dom da é concedido em ocasiões especiais, para a resolução de algum problema insolúvel aos meios normais, racionais, ou naturais.

E só é dado a quem já tem em Deus e em suas promessas.

Esse dom em ação gera uma atmosfera de , que dá convicção de que agora tudo é possível (Jo 11.40-44; Mc 9.23).

Esse dom é um impulso poderoso à oração da (Tg 5.17), pois impõe a certeza de que para Deus tudo é possível (Lc 1.37; Mc 10.27).

Quando se diz que tudo é possível deve-se ter em mente que se tem em mente tudo o que é de acordo com a vontade de Deus.

Curso pregador de qualidade-biblioteca do pregador

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.