Dom de Operação de Maravilhas

O dom de operação de maravilhas realiza obras extraordinárias além do poder humano. Esse dom espiritual altera a ordem natural das coisas consideradas impossíveis.

SIGNIFICADO DE MILAGRES E MARAVILHAS

Milagres (gr. sêmeion) são a intervenção sobrenatural na ordem normal da natureza.

O dom de milagres provoca o desprendimento da energia divina, a fim de operar grandes mudanças na ordem natural das coisas.

Um milagre é uma manifestação de poder sobrenatural no reino natural.

Esse dom também é chamado de dom de operação de maravilhas (gr. energemata dunameõn).

Desses termos gregos derivam as palavras “energia” e “dinamite”.

São palavras plurais, no idioma original.

Isso dá a entender que pode haver uma variedade enorme de milagres, operados pelo poder do Espírito Santo.

Assim como a dinamite explode rochas consideradas impenetráveis,
o dom de milagres anula a ordem natural das coisas.

Muitas vezes, é uma verdadeira explosão do poder de Deus, no mundo natural ou na esfera espiritual.

O DOM DE MARAVILHA NO MAR VERMELHO

Na travessia do Mar Vermelho, temos um exemplo extraordinário de um milagre, operado por Deus.

O povo de Israel, com cerca de 3 milhões de pessoas, jamais teria condições de adentrar as águas à sua frente, acossado pelo exército de Faraó.

Mas Deus fez o impossível, alterando o curso dos elementos da natureza.

“Então, Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o Senhor fez retirar o mar por um forte vento oriental toda aquela noite; e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas. E os filhos de Israel entraram pelo meio do mar em seco; as águas lhes foram como muro à sua direita e à sua esquerda” (Ex 14.21,22).

O DOM DE MARAVILHAS NA VIDA DE ELIZEU

Em meio a uma grave crise climática, em Israel, uma viúva clamou ao profeta Eliseu para que seus dois filhos não fossem levados cativos para pagar dívidas deixadas pelo seu esposo.

Eliseu indagou o que ela tinha em casa, e, em resposta, a mulher disse que só tinham “uma botija de azeite” (2 Rs 4.2).

Algo como meio litro ou um pouco mais.

Mas isso não significava nada diante do grande problema da dívida que a
mulher tinha que pagar, para não perder a guarda de seus dois filhos.

A ordem normal das coisas, à luz dos costumes e leis de seu tempo, exigia
que ela entregasse os filhos ao credor.

Mas a fé do profeta ultrapassou os limites do plano natural e, confiando em Deus, disse à mulher que conseguisse muitos vasos com seus vizinhos, e os enchesse com aquela pequena quantidade de azeite.

A mulher obedeceu ao profeta, e presenciou, com seus filhos um milagre extraordinário.

À proporção que derramava o azeite nas vasilhas, o azeite aumentava.

Aquilo que parecia ser o fim, foi o começo de um novo tempo na vida daquela pobre viúva.

O profeta de Deus disse: “Então, veio ela e o fez saber ao homem de Deus; e disse ele: Vai, vende o azeite e paga a tua dívida; e tu e teus filhos vivei do resto” (2 Rs 4.7).

O gravíssimo problema só teve solução mediante a intervenção do poder de Deus na ordem social e econômica daquela família.

JOSUÉ E A MARAVILHA NO SOL

O fenômeno em que o sol se deteve por quase um dia inteiro, para que Josué pudesse vencer os amorreus, é um exemplo típico de um milagre ou de maravilha operada por Deus envolvendo seus servos.

Pelas leis da mecânica celeste, o sol se põe, no final da tarde, ou “se põe”,
como se diz na linguagem figurada.

Mas, se a noite caísse, Israel não teria condições de vencer os poderosos exércitos inimigos.

Tal situação exigia uma ação de emergência.

E Josué, o líder da tomada da terra prometida, pôs sua fé em ação, e confiou em Deus, ao determinar que o Sol se detivesse em Gibeão, e a lua se detivesse, no vale de Aijalom.

Diz a Bíblia que, contrariando todas as leis da mecânica celeste, houve um fenômeno jamais visto:

“E o sol se deteve, e a lua parou, até que o povo se vingou de seus inimigos. Isso náo está escrito no Livro do Reto? O sol, pois, se deteve no meio do céu e não se apressou a pôr-se, quase um dia inteiro. E náo houve dia semelhante a este, nem antes nem depois dele, ouvindo o Senhor, assim, a voz de um homem; porque o Senhor pelejava por Israel” (Js 10.13,14).

Esse fato tem causado críticas na mente dos incrédulos, pois imaginam que tal relato não passa de uma lenda judaica.

Tal visão é compreensível, pois os críticos usam o pensamento racional, lógico, natural.

Enquanto o milagre é sobrenatural, fora da lógica e da humana.

Deus não está sujeito às leis da natureza.

Quando Ele quer, suspende seus efeitos e cumpre os seus propósitos para o seu povo, ou para um servo seu.

O DOM DE OPERAÇÃO DE MARAVILHAS NA VIDA DE JESUS

Quem mais operou milagres foi Jesus.

MARAVILHAS NA NATUREZA

Após ministrar sua palavra, Jesus entrou no barco com seus discípulos, acompanhado de outros barquinhos.

Inesperadamente, levantou-se, no mar, um grande temporal de vento, provocando ondas que cobriam o barco.

Talvez pelo cansaço da jornada, Jesus estava repousando na popa da embarcação, enquanto seus discípulos enfrentavam a tormenta.

“…E despertaram-no, dizendo-lhe: Mestre, não te importa que pereçamos? Ele, despertando, repreendeu o vento e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança” (Mc 8.38,39).

Nenhum homem, até hoje, teve o poder de falar ao vento e ao mar, na tempestade, e os elementos da natureza ouvirem a sua voz.

Mas Jesus mostrou, mais de uma vez, que tem poder sobre a natureza, que Ele mesmo criou (Jo 1.3).

PODER SOBRE A MORTE

O mais terrível inimigo do homem, em sua condição humana, é a morte (1 Co 15.26).

O homem nasce, desenvolve-se e morre. É o curso natural da existência biológica.

Uns morrem mais cedo, outros, mais tarde.

Mas Jesus, o criador, doador e Senhor da vida, pode, quando Ele quer,
interromper esse curso da natureza humana.

Em seu ministério, Jesus demonstrou seu poder sobre a morte física.

Ele ressuscitou o filho único de uma viúva, de Naim, quando o féretro já estava a caminho do cemitério (Lc 7.11-16).

Jesus ressuscitou a filha de Jairo, que falecera fazia pouco tempo (Mc 5.22 24).

Alguém poderia alegar, em sua mente racionalista, que a menina experimentara apenas um estado cataléptico, ou sono profundo e passageiro.

MARAVILHAS NA RESSURREIÇÃO DE LÁZARO

Mas, para que não pairassem dúvidas sobre o poder sobrenatural de Cristo sobre a morte, Ele demorou ir até Lázaro.

Pois, permaneceu ainda onde se encontrava, ao receber a notícia de que Lázaro, seu amigo, de Betânia, estava muito enfermo.

Em seguida, ele cientifica aos discípulos de que Lázaro houvera morrido.

Ao chegar em Betânia, já fazia quatro dias do seu falecimento.

Não havia a mínima condição para reverter aquela situação, pois o corpo do defunto já estava sofrendo os efeitos da decomposição.

Mas para Jesus, nada é impossível (Lc 1.37).

Após consolar a família, Jesus se dirigiu ao túmulo, mandou que fizessem o que as pessoas poderiam fazer naturalmente, tirando a pedra que fechava a entrada da sepultura (Jo 11.43-45).

Completando a demonstração real de que a morte não vence o autor da vida, Jesus ressuscitou após três dias na sepultura, cumprindo o que Ele predissera para seus discípulos (Lc 24.1-8).

O DOM DE OPERAÇÃO DE MARAVILHAS DEVE GLORIFICAR A DEUS

Se é a vontade de Deus, e motivo para glorificação ao seu nome, ele pode conceder autoridade a qualquer de seus servos para operar milagres extraordinários.

No entanto, quando o pregador, por permissão de Deus, opera milagres para sua promoção pessoal, de seu ministério ou da igreja a que pertence, resta a dúvida se aquele milagre foi de Deus ou de outra origem.

Pior ainda, quando o operador de milagres o faz, visando obter ganhos financeiros e enriquecimento pessoal.

Isso não glorifica a Deus.

É procedimento lastimável, suscetível do juízo de Deus no momento próprio.

curso-qualidade-biblica-biblioteca-pregador

CONCLUSÃO

Nestes tempos trabalhosos a que se refere Paulo (2 Tm 3.1), a igreja cristã está sendo submetida aos piores ataques de sua história.

Nos seus primórdios, houve ataques dos impérios humanos, e ela resistiu, e venceu.

Venceu os ataques das heresias, do gnosticismo, do arianismo e de outras falsas doutrinas.

No século passado, enfrentou o ataque dos sistemas ditatoriais, como o nazismo e o comunismo.

Nos dias presentes, persistem os ataques dos falsos ensinos, que só podem ser derrotados com a verdade da Palavra de Deus.

Nos últimos anos, estão se fortalecendo os ataques do materialismo, através dos poderes das nações, dos governos, políticos e magistrados, que aprovam leis infames contra a Palavra de Deus e a Igreja de Cristo.

São as “portas do inferno”, em suas últimas investidas contra o evangelho.

Elas não prevalecerão, como Cristo afirmou.

Mas a igreja precisa demonstrar, de modo incisivo, que dispõe de recursos sobrenaturais para cumprir sua missão na terra.

Os dons de poder fazem parte do arsenal espiritual que garante a vitória da Igreja contra as hostes do mal.

E, entre esses dons espirituais concedidos por Deus, está o dom de operação de maravilhas.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.