Gênesis 1:2 Significado de “E a terra era sem forma e vazia”

Gênesis 1:2 – ACF (Almeida Corrigida Fiel)

“E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.”

Gênesis 1:2 (Original em hebraico):

וְהָאָ֗רֶץ הָֽיְתָ֥ה תֹ֨הוּ֙ וָבֹ֔הוּ וְחֹ֖שֶׁךְ עַל־פְּנֵ֣י תְה֑וֹם וְר֣וּחַ אֱלֹהִ֔ים מְרַחֶ֖פֶת עַל־פְּנֵ֥י הַמָּֽיִם׃

Gênesis 1:2 – Transliteração (Tradução Literal):

Ve’ha’aretz hayetah tohu va’vohu ve’choshech al-penei tehom ve’ruach Elohim m’rahafet al-penei hamayim.

Traduções Bíblicas de Gênesis 1:2

Gênesis 1:2 – ARA (Almeida Revista e Atualizada)

“E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.”

Gênesis 1:2 – NVI (Nova Versão Internacional)

“Ora, a terra estava sem forma e vazia; a escuridão cobria a face do abismo, e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.”

Gênesis 1:2 – NTLH (Nova Tradução na Linguagem de Hoje)

“No princípio, Deus criou o céu, a terra e tudo o que existe.”

Explicação e Significado de Gênesis 1-2

Explicação e Significado de Gênesis 1:2

Gênesis 1:2 apresenta um panorama intrigante e poético do estado inicial da criação antes da intervenção divina. A expressão “sem forma e vazia” (tohu va’vohu) descreve a terra em um estado de caos. Essa descrição não implica que Deus criou o caos, mas sim que Ele agiria para trazer ordem e beleza a partir dessa condição inicial.

A menção das “trevas sobre a face do abismo” (tehom) realça a escuridão primordial, representando o vazio antes da manifestação da luz, simbolizando a necessidade de Deus para trazer iluminação à criação.

A figura do “Espírito de Deus se movendo sobre as águas” revela uma presença ativa e transformadora do Espírito Santo, que antecede o ato criativo específico. Isso sugere que o Espírito estava envolvido desde o início, supervisionando e preparando o cenário para a obra criativa de Deus. A água, frequentemente associada à vida, aparece como um elemento primordial pronto para o trabalhar de Deus.

Gênesis 1:2 destaca o papel da Trindade na criação: o Pai como o plano ordenador, o Filho como a Palavra criadora (como será mais tarde revelado em João 1), e o Espírito como o agente transformador. Além disso, esse versículo nos lembra que a criação não é apenas um ato único, mas um processo contínuo de Deus trazendo ordem do caos e vida da escuridão.

Em síntese, Gênesis 1:2 nos convida a contemplar a preparação amorosa de Deus para a grande obra criativa que está prestes a ocorrer, ressaltando a harmonia da ação divina e a profundidade da Sua sabedoria e cuidado.

Significado de cada palavra no original do versículo de Gênesis 1:2

וְהָאָ֗רֶץ (ve’ha’aretz) – “E a terra”. Refere-se ao planeta Terra, ao mundo terreno.

הָֽיְתָ֥ה (hayetah) – “Era”. É a forma do verbo “ser” no passado, indicando o estado anterior da terra.

תֹ֨הוּ֙ (tohu) – “Sem forma”. Denota um estado de confusão, vazio e desordem.

וָבֹ֔הוּ (va’vohu) – “Vazia”. Refere-se a uma condição desprovida de ordem e plenitude.

וְחֹ֖שֶׁךְ (ve’choshech) – “E trevas”. Representa a ausência de luz e iluminação.

עַל־פְּנֵ֣י (al-penei) – “Sobre a face”. Indica a superfície ou a extensão de algo.

תְה֑וֹם (tehom) – “Do abismo”. Refere-se a um abismo profundo, frequentemente associado às águas primordiais.

וְר֣וּחַ (ve’ruach) – “E o Espírito”. Denota o Espírito Santo, a presença divina.

אֱלֹהִ֔ים (Elohim) – “Deus”. Refere-se ao Deus supremo e criador.

מְרַחֶ֖פֶת (m’rahafet) – “Movia-se”. Indica um movimento gracioso e ativo.

עַל־פְּנֵ֥י (al-penei) – “Sobre a face”. Novamente, indica a superfície ou a extensão de algo.

הַמָּֽיִם׃ (hamayim) – “Das águas”. Refere-se às águas primordiais, simbolizando a potencialidade de vida.

Interpretando as partes chaves do versículo 2 de Gênesis 1

1. “E a terra era sem forma e vazia”

A expressão hebraica “תֹ֨הוּ֙ וָבֹ֔הוּ” (tohu va’vohu) descreve um estado de desordem e caos. Essa descrição inicial apresenta a condição primordial da terra antes do ato criativo de Deus. Ou seja, ela não tinha a forma que tem agora. Isso ressalta que a criação não surgiu de uma substância preexistente, mas de um estado informe. A palavra “tohu” refere-se a algo desabitado e confuso, enquanto “vohu” denota um vazio. Essa imagem sublinha a criação ordenada revelando o poder de Deus em transformar o caos em cosmos.

2. “Havia trevas sobre a face do abismo”

A presença das “trevas” simboliza a ausência de luz e vida. A palavra “abismo”, em hebraico “תְה֑וֹם” (tehom), evoca uma imagem de profundidade e mistério. Isso indica que a criação estava imersa na escuridão e no desconhecido. A introdução das trevas e do abismo prefigura a obra criativa de Deus, que traz luz e ordem ao caos. Essa descrição também sugere que a criação depende totalmente da ação divina para ser trazida à vida e à harmonia.

3. “O Espírito de Deus se movia sobre a face das águas”

A frase “o Espírito de Deus” denota a presença do Espírito Santo, que desempenha um papel ativo na criação. O verbo “se movia”, em hebraico “מְרַחֶ֖פֶת” (m’rahafet), pode ser traduzido como “pairava” ou “agitava-se”, implicando um movimento gracioso e deliberado do Espírito sobre a criação. “Águas”, em hebraico “הַמָּֽיִם” (hamayim), representa o elemento primordial e a potencialidade de vida. A presença do Espírito Santo desde o início aponta para a continuidade da ação divina na obra da criação e na redenção da criação caída.

Comentários sobre o que Significa Gênesis 1:2

Comentários sobre o que Significa Gênesis 1-2

Comentário de Wiersbe – Estudo

No capítulo 1, Deus é chamado trinta e duas vezes de Elohim, uma palavra hebraica enfatizando sua majestade e poder. O nome “Jeová” é introduzido em Gn 2:4, no contexto da aliança. Elohim é um substantivo plural, usado frequentemente com verbos e adjetivos no singular.

Essa forma plural se interpreta como “plural de majestade” ou como uma possível indicação da Trindade, onde Deus existe em três Pessoas. A criação se atribui ao Pai (At 4:24), ao Filho (Jo 1:1-3) e ao Espírito Santo (Sl 104:30).

Elohim exibe seu poder ao criar pela palavra falada. A matéria teve início quando Deus falou (Ef 3:9; Cl 1:16; Ap 4:11; 5:13). Não é revelado por que Deus escolheu iniciar com uma massa escura e vazia, mas o Espírito Santo que pairava sobre as águas deu ordem ao caos, trazendo beleza e plenitude. Isso continua a acontecer na vida de quem se entrega ao Espírito.

Enquanto as nações vizinhas de Israel tinham mitos complexos sobre a criação, Gênesis apresenta um Deus solitário que criou todas as coisas e mantém o controle. Se Israel tivesse absorvido melhor o que Moisés escreveu, teria evitado adorar os ídolos de suas nações vizinhas. Isso ressalta a singularidade do Deus de Israel e a importância de confiar nele em meio às diversas crenças ao redor.

Para adquirir este comentário, acesse aqui.

Comentário de Beacon

Embora feita por Deus, a terra não estava pronta para o homem. Ainda estava em desordem, sem forma e vazia (2), e não havia luz. Contudo, havia atividade. O Espírito de Deus se movia continuamente sobre a face das águas.

Comentário de Ellicott para Leitores Ingleses sobre Gênesis 1:2:

E a Terra – O uso da conjunção “e” nega a tentativa de harmonizar geologia e Escrituras, indicando que Gênesis 1:1 não é apenas um título. Os dois versículos formam um resumo da criação, dividido em estágios.

O termo “Was” não é uma cópula, mas um verbo substantivo que expressa a duração do tempo. Após a criação, a terra existia como um deserto desordenado e vazio.

As palavras “sem forma e vazio” são traduzidas do hebraico “tohu e bohu“, ambos substantivos que denotam desolação e vazio. Sua semelhança sonora fez deles um símbolo do sombrio e do desolado (Isaías 34:11; Jeremias 4:23). Aqui, descrevem o estado da matéria primordial imediatamente após a criação, quando as partículas ainda não estavam coesas.

Comentário de Benson sobre Gênesis 1:2:

Gênesis 1:2 descreve a Terra em seu estado inicial, quando foi criada. Ela estava sem forma e vazia, uma condição de confusão e vazio, como também é descrito em Isaías 34:11. Nesse estágio, a Terra carecia de ordem, beleza e uso, contrastando com sua condição atual. Ela estava envolta por uma densa escuridão, na qual nenhum raio de luz conseguia penetrar, deixando a escuridão absoluta.

O versículo também menciona que o Espírito de Deus estava em ação, movendo-se sobre a face das águas. Isso implica que o Espírito estava presente para preparar e dispor a criação para as fases subsequentes.

A palavra hebraica para “movida” é a mesma usada em Deuteronômio 32:11 para descrever a águia pairando sobre seus filhotes e cuidando deles, transmitindo uma ideia de cuidado e aceleração do processo criativo. No entanto, essa expressão deve ser entendida como metafórica, não transmite qualquer conceito que seja indigno da natureza espiritual e infinita do Espírito Santo.

Comentário Bíblico Jamieson-Fausset-Brown

Gênesis 1:2 – A terra era sem forma e vazia – ou “confusa e vazia”, como as palavras são traduzidas em Is 34:11. Este globo, em algum período não descrito, foi convulsionado e fragmentado, tornando-se um deserto escuro e aquoso por eras, talvez, até que deste estado caótico emergisse o atual tecido do mundo.

O Espírito de Deus se moveu – literalmente, continuou a pairar sobre ele, como faz uma ave chocando ovos. A ação imediata do Espírito, trabalhando nos elementos inertes e discordantes, os combinou, organizou e amadureceu para um estado adequado a ser o palco de uma nova criação.

O relato dessa nova criação começa de forma apropriada no final deste segundo verso; e os detalhes do processo são descritos de maneira natural que teria sido observada por alguém que testemunhou as mudanças que ocorreram sucessivamente.

Lições que podemos aprender do significado de Gênesis 1:2

Do significado de Gênesis 1:2, podemos extrair várias lições edificantes:

A Preparação Divina: O estado inicial de desordem e vazio reflete que Deus muitas vezes trabalha em silêncio e obscuridade antes de trazer ordem e beleza. Isso nos ensina a confiar na Sua soberania mesmo quando as coisas parecem caóticas em nossas vidas.

O Espírito de Deus: O Espírito Santo estava ativamente presente na criação desde o início, pairando sobre o caos. Isso nos lembra da importância de buscar a orientação e a presença do Espírito em nossas vidas diárias.

Transformação da Desordem: Assim como Deus transformou a desordem inicial em um mundo organizado, Ele também pode transformar nossas situações difíceis em bênçãos. Isso nos incentiva a não desistir diante das dificuldades, confiando na obra transformadora de Deus.

Criação Contínua: O processo criativo de Deus continua, não apenas na natureza, mas também em nossas vidas. Assim como Ele trouxe ordem a partir do caos, Ele pode trazer beleza e propósito às nossas circunstâncias.

Importância do Tempo de Espera: O intervalo entre o estado inicial de caos e a criação ordenada destaca que o tempo de espera e preparação é essencial para alcançar resultados significativos. Isso nos ensina a ser pacientes e a confiar no plano divino.

Trindade na Criação: A presença da Trindade – Pai, Filho e Espírito – desde o início da criação destaca a unidade divina em ação. Isso nos lembra da importância da harmonia e cooperação nas nossas relações.

Beleza a Partir do Caos: A criação do mundo a partir do caos nos mostra que Deus é um Deus de ordem e beleza. Isso nos incentiva a buscar a beleza e o propósito mesmo nas situações mais caóticas das nossas vidas.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo