O que podemos aprender com o ladrão na cruz sobre arrependimento 

Se você soubesse que só tem mais alguns minutos, talvez horas de vida, o que você faria? O que seria mais importante para você? Muitas vezes me perguntei como seria esse momento ao refletir sobre a história daquela sexta-feira, quando três homens foram condenados à morte. Dois eram ladrões e o outro era Jesus.

Pouco antes de Sua morte, o último momento de Jesus com o ladrão deu uma profunda certeza de que ele seria salvo quando Jesus declarou: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso”. 

Essa declaração ecoou ao redor do mundo e forneceu esperança a todos. Nós também podemos ser salvos!

A interação de Jesus com o ladrão na cruz revela várias lições que podemos aprender como seguidores de Cristo.

O que aconteceu com os dois ladrões crucificados com Jesus?

A Bíblia nos dize que Jesus voluntariamente tomou nosso lugar na cruz para que pudéssemos ser salvos. 

Na primavera de 33 dC, Jesus foi despido, chicoteado, escarnecido e espancado, antes de ser crucificado. Mas Ele não estava sozinho. Lá na colina, pregados em uma cruz de ambos os lados Dele estavam dois ladrões. 

Embora não saibamos seus nomes, para os propósitos deste artigo, vamos nomeá-los: Altivo e Humilde

Um deles zombava de Cristo junto com a multidão. Questionavam se Ele era realmente o Rei, então por que Ele não desceu da cruz e se salvou.

No entanto, com o passar do tempo, Humilde percebeu que Jesus não era um homem comum. Além disso, descobriu que Jesus não era um homem merecedor de uma morte tão dolorosa.

 Ao estudar os fatos, você descobrirá que a crucificação romana era muito mais do que dor e punição. O objetivo era a humilhação absoluta. Era também um meio de produzir conformidade social. O ladrão na cruz sabia que merecia ser crucificado e, ao mesmo tempo, percebe que Jesus não merecia. A Bíblia nos diz:

E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós. Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez. E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso. (Lucas 23:39-43)

É notável que enquanto Cristo estava na dor angustiante da cruz, Ele teve o coração para confortar este ladrão. 

É um momento milagroso se desenrolando e, no entanto, um lembrete evidente de como podemos escolher aceitar ou rejeitar a Deus. 

Esta é uma das muitas lições que os seguidores de Cristo podem tirar desta história. Podemos aceitar o chamado ao arrependimento ou podemos ignorá-lo.

O que podemos aprender com o ladrão na cruz que rejeitou Jesus

Não costumamos pensar muito no ladrão “Altivo” que rejeitou Jesus. As Escrituras não nos dão seu histórico. Nem diz exatamente por que ele foi condenado à morte por crucificação. 

As palavras gregas usadas para identificar os dois ladrões nos Evangelhos os descrevem como ladrões, criminosos, malfeitores e rebeldes. 

A palavra grega usada nos livros de Mateus e Marcos inclui a ideia de “saque pela violência”. E a descrição de Lucas sugere uma pessoa que é um “malfeitor. 

Por todos os relatos dessas descrições, Altivo e Humilde eram homens desesperados e miseráveis ​​que viviam prejudicando os outros. 

Por que isso é importante? Porque Jesus ofereceu a salvação. Ele ofereceu esperança e um reino para voltar para casa.

Todos nós merecemos a morte de um pecador. 

Como Altivo e Humilde, toda pessoa que já viveu é pecadora. Independentemente de como a sociedade julga o pecado, isso não se compara à santidade de Deus.

Não importa como a sociedade julgue a gravidade do nosso pecado, em comparação com a santidade de Deus, somos todos culpados. 

Pois o salário do pecado é a morte (Romanos 6:23).”

Todos nós temos uma escolha quando se trata de Cristo. 

Não importa o nosso passado, não importa quão escuro e sombrio, Deus está lá oferecendo uma saída. Mas depende de nós. 

Podemos morrer como uma pessoa raivosa, amarga e sem esperança ou podemos escolher a vida. Mas, não podemos ficar em cima do muro. Deixar de escolher Jesus é escolher rejeitá-lo. 

Todos vão escolher e todos irão para um dos dois destinos por causa da escolha feita. Podemos ser o ladrão que rejeitou Jesus ou aquele que humildemente se entregou a Jesus.

“Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, porque não crê no nome do Filho unigênito de Deus” (João 3:18).

O que podemos aprender com o ladrão na cruz que se arrependeu

Quando o ladrão Humilde estava prestes a morrer, ele se voltou para Jesus pedindo perdão e Cristo o aceitou. 

Isso nos mostra que nunca é tarde demais para nos voltarmos para Deus, mesmo em nossa hora mais sombria. 

Este momento crucial também nos ensina que nossas ações não nos salvam, apenas a fé em Cristo.

O humilde ladrão reconheceu seu pecado. Ele creu em Jesus. Às vezes me pergunto se ele ouviu as histórias de Jesus através. Ele sabia que Jesus ressuscitou Lázaro dentre os mortos? Sabia que Jesus curou outros? Ele entendia que o reino de Jesus não era um reino físico vindo, mas um reino que salva nossas almas? 

Talvez Humilde tivesse ouvido as histórias e os boatos. Ou talvez ele estivesse tão contrito na maneira como vivia que viu a mão de Deus sobre Jesus. 

De qualquer forma, Humilde pediu misericórdia e perdão e confiou em Jesus. 

Jesus então consolou Humilde com esperança: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso (Lucas 23:43)”.

Através da história de Humilde aprendemos:

Cristo recebe os humildes

O ladrão humilde reconheceu seu crime de viver em pecado. Ele acreditou no testemunho sobre Jesus e Humilde confiou em Jesus com sua eternidade.

“Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu reino, (Lucas 23:42)”

Jesus confirmou a esperança de Humilde.

“Em verdade te digo, hoje estarás comigo no paraíso. (Lucas 23:43).”

Somente por meio de Cristo podemos ser salvos.

Por meio do Humilde, aprendemos que todos os pecadores precisam de um Cristo e não importa o número de nossos pecados, nunca é tarde demais para aceitar Jesus. 

Nunca é tarde demais para voltar para casa (Efésios 2:8-9; Apocalipse 22:17; Hebreus 9:27). Nunca é tarde demais para o Espírito Santo mover o coração em direção a Cristo.

Através do Humilde aprendemos a aceitar Jesus.

Devemos aceitar este dom, mas como fazemos isso?

Você deve admitir que é um pecador.

Confesse a Deus e se arrependa, voltando-se do seu pecado para Deus. Veja Atos 3:19.

Você deve crer que Jesus é o Filho de Deus.

Confie Nele como o Salvador que pagou pelos seus pecados na cruz. Veja João 20:31.

Você deve crer que Jesus ressuscitou.

Confesse a Cristo que Ele é o Senhor de sua vida. Veja Romanos 10:9-10.

“Acreditar” significa “ter fé; confiar”. Crer em Jesus é mais do que apenas reconhecimento intelectual. Significa que você entrega sua vida ao Seu controle e faz de Jesus seu Senhor! 

Botão Voltar ao topo