O que podemos aprender com a parábola da figueira?

Em Lucas 13:6-9, ouvimos Jesus contar uma parábola sobre uma figueira estéril que deveria nos fazer pensar. A historia é assim:

Um homem tinha uma figueira crescendo em sua vinha e foi procurar frutos nela, mas não encontrou nenhum. Então ele disse ao homem que cuidava da vinha: Há três anos venho procurar frutos nesta figueira e não encontro nenhum. Corte-a! Por que deveria usar o solo?

Senhor, respondeu o homem, deixe-o em paz por mais um ano, e eu vou cavar em volta dele e fertilizá-lo. Se der frutos no ano que vem, tudo bem! Se não, então corte-a.

Jesus usou exemplos e parábolas do dia a dia para relacionar Suas mensagens sobre nossa vida espiritual com experiências cotidianas e coisas que os ouvintes entenderiam. 

Naqueles dias, as árvores simbolizavam viver uma vida piedosa. Desde o início nas primeiras passagens de Gênesis, até o primeiro salmo, até as primeiras páginas do Novo Testamento, e mesmo quando Cristo voltar, há uma referência a uma árvore. Não porque Deus realmente gosta de árvores, mas porque Ele trabalha em nós para produzir frutos piedosos.

As árvores fornecem uma estrutura para a nossa história bíblica. As árvores eram o único item mencionado na Bíblia como agradável aos olhos no relato da criação. 

A árvore da vida com seu fruto vivificante e a árvore do conhecimento do bem e do mal foram usadas como parâmetros para a metáfora de toda a Bíblia. 

Entre a árvore da vida em Gênesis e em Apocalipse, como devemos viver? Como uma árvore!

Qual é o significado da parábola da figueira?

Quando Jesus contou a parábola da figueira, Ele estava tentando chamar nossa atenção porque Ele é o jardineiro mestre. Ele sempre nutre e protege. Ele poda as partes mortas de nossas vidas que não nos servirão. E Ele é carinhoso com nossas novas videiras e galhos.

“Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo; deve permanecer na videira” (Jo 15:4). 

A videira que Ele criou tinha o propósito de permanecer enraizada e frutificar por meio Dele. Ele nos lembra: “Isto é para glória de meu Pai, que deis muito fruto, mostrando-vos meus discípulos” (João 15:8). 

Este é, portanto, o significado da figueira em Lucas 13:6-9. Jesus quer que vivamos nossas vidas para Deus. Ele quer que nos asseguremos de estarmos profundamente enraizados em Sua Palavra, em Sua Presença em tudo o que fazemos. 

Ao cuidar de nossos ramos, Ele espera um retorno frutífero de Seu investimento, porque Ele pagou voluntariamente caro por meio da morte na cruz. 

Ele cobriu nossos pecados e, em troca, Ele quer ver cada um de nós contribuindo para o Reino de Deus com nossos corações, nossas palavras e em tudo o que fazemos.

A Nação de Israel e o Indivíduo

A figueira nesta parábola representa nós e a nação de Israel. O dono da vinha nesta história é Deus, Aquele que decide corretamente se arranca ou não as árvores que não estão dando frutos. 

À medida que a história se desenrola, vemos que Deus está desapontado porque faltou fruto depois de cuidar da árvore por três anos.

Os três anos

Os três anos nesta história representam João Batista, Jesus e seu ministério enquanto pregavam o arrependimento à nação de Israel. 

João Batista advertiu o povo sobre a vinda do Messias. Ele lhes disse para trazer o fruto de seus corações a Cristo porque o machado já estava na raiz da árvore. 

Mas o povo judeu ficou ofendido com a ideia de que precisava se arrepender. Então eles rejeitaram o Messias porque Jesus exigiu um coração limpo por meio do arrependimento. Eles criaram seu próprio sistema de justiça de obras humanas que nunca foi a intenção de Deus.

3 lições que os cristãos podem aprender com a parábola da figueira

Nesta história vemos corações teimosos cheios de orgulho. O povo judeu sentiu que suas ações e os estados de seus corações eram justos, apesar de Deus apontar seus pecados. 

Como seguidores de Cristo, temos que tomar uma decisão: viver para nós mesmos ou viver na videira em Cristo.

1. Deus está disposto a perdoar e é paciente

A boa notícia desta história é que Deus, o Mestre Jardineiro é misericordioso e disposto a perdoar. Ele é paciente, mas sua paciência se esgotará. 

Nem você nem eu queremos ser o alvo do machado. É melhor se arrepender e abandonar os pecados que estão nos impedindo de viver plenamente para Cristo antes que Sua paciência se esgote.

2. Mantenha-se enraizado em Cristo

A árvore frutífera (cada um de nós) requer muito tempo, investimento e manejo adequado para desfrutar de seus frutos ano após ano. 

É uma recompensa ver uma macieira ou figueira sobrecarregada com seus deliciosos frutos maduros para a colheita, mesmo nas tempestades da vida. 

Não temos controle sobre nossas circunstâncias, mas temos controle sobre como reagimos. Culpamos a Deus ou cavamos nossas raízes mais fundo? 

Nesta parábola, Jesus sabe que somos humanos, somos frágeis, temos fraquezas e tentações. Mas cabe a nós confiar em Jesus para ter força e sabedoria para romper o que vem em nosso caminho.

3. Jesus não tolera falsas aparências

Jesus amaldiçoou a figueira porque parecia frutífera, mas era enganosa. Não deu frutos. Essa falsidade é a essência da hipocrisia. 

A Bíblia está cheia de versículos onde Jesus abordou a hipocrisia. Ele testemunhou isso com tanta frequência que usou a árvore nesta história como uma representação vívida dela. 

Um dia antes de contar essa parábola, Ele havia entrado nos pátios do templo para encontrar a casa de Seu Pai transformada em um mercado cheio de pessoas que não se importavam com Deus, mas estavam se aproveitando daqueles que queriam honrá-Lo. 

Não se tratava apenas de ganhar dinheiro rápido. Ele não quer que sejamos túmulos vazios. Nosso tempo para dar frutos está se esgotando.

A chave para entender esta valiosa lição é permanecer em Cristo. João 15:1-11 diz:

“Eu sou a verdadeira videira, e meu Pai é o jardineiro. Todo ramo que faz parte de mim, mas não dá fruto, ele corta; e todo ramo que dá fruto, ele poda, para que dê mais fruto. 

Agora mesmo, por causa da palavra que eu falei para você, você está podado. Permaneça unido a mim, como eu quero a você, pois assim como o ramo não pode dar fruto por si mesmo sem a videira, assim você não pode dar fruto sem mim. Eu sou a videira e vocês são os ramos. 

Os que ficam unidos a mim, e eu a eles, são os que dão muito fruto; porque longe de mim você não pode fazer nada...[…] Se você permanecer unido a mim, e minhas palavras a você, então peça o que quiser, e isso vai acontecer para você. É assim que meu Pai é glorificado, por você dar muito fruto”. 

Botão Voltar ao topo