Qual é o significado do enigma de Sansão na Bíblia?

O enigma de Sansão e os eventos que se seguiram foram apenas um prelúdio para sua eventual queda. Infelizmente, Sansão não aprenderia a lição com esse encontro. No entanto, devemos sempre lembrar que Deus pode usar humanos moralmente falhos e inconsistentes para cumprir Seus planos.

Então lhes disse: Do comedor saiu comida, e do forte saiu doçura. (Juízes 14:14).

Ao ler a história, lei, poesia e profecia do Antigo Testamento, muitos leitores são pegos de surpresa quando se deparam com o estranho enigma de Sansão no Livro dos Juízes.

Enigmas, ditos enigmáticos e provérbios não são exclusivos do Livro dos Juízes e certamente também não do grosseiro e descarado juiz de Israel. No entanto, a natureza desse enigma e sua relação com o homem um tanto enigmático que o entregou é motivo de exploração.

Mas qual é o significado do enigma de Sansão, por que ele fez e o que podemos aprender?

Quem foi Sansão na Bíblia?

Sansão é facilmente um dos nomes mais conhecidos do Antigo Testamento e provavelmente o mais popular dos juízes antes da unção dos reis de Israel.

Embora ele seja amplamente considerado um herói da Bíblia e de Israel, as inconsistências morais de Sansão, o comportamento violento e a incapacidade de resistir à tentação o tornam uma figura complexa. Dito isto, apesar de suas muitas falhas, Sansão foi fundamental no plano de Deus para a libertação de Israel.

Como muitos dos juízes de Israel, Sansão foi chamado para libertar o povo de Deus em um momento de necessidade. Claro, como era frequentemente o padrão após a morte de Josué, Israel pecou, ​​e Deus os entregou nas mãos de um adversário estrangeiro (Jz 13:1).

No entanto, Deus também forneceria uma saída na forma de um líder militar ungido, conhecido como juiz.

Por 40 anos, os israelitas foram perseguidos pelos filisteus, um povo marítimo que migrou de algum lugar no Mar Egeu (possivelmente perto da atual Creta) para a costa mediterrânea de Canaã por volta do século XII aC.

Com suas armas de ferro avançadas, tecnologia inovadora e táticas militares agressivas, os filisteus invadiram, perseguiram e oprimiram os filhos de Israel (Jz 13:1).

Nesse momento, um anjo do Senhor apareceu a Manoá e sua esposa, informando-os de que dariam à luz um filho. Este menino deveria fazer um voto de nazireu e ser separado para Deus por nunca beber álcool, cortar o cabelo ou tocar em qualquer coisa impura, como um cadáver (Juízes 13).

A renomada destreza física de Sansão, como dotada a ele pelo Espírito do Senhor, deu-lhe a força para realizar proezas poderosas, como rasgar um leão jovem com as próprias mãos (Juízes 14:5-6), matar mil filisteus com a queixada de um jumento (Jz 15:16), e levar embora o portão maciço de Gaza quando pensaram que ele estava preso atrás dos muros da cidade (Jz 16:3).

Escusado será dizer que Sansão era amplamente temido, violento, astuto e descarado. No entanto, ele também era propenso a ataques de vingança e paixão lasciva que frequentemente o afastavam de Deus e de seus votos nazireus.

Por que Sansão deu aos filisteus este enigma?

Em Juízes 14, lemos que Sansão pôs seus olhos em uma jovem filistéia de Timna e pediu a sua mãe e seu pai para buscá-la como sua esposa (Juízes 14:2). Embora seus pais tenham exortado Sansão a buscar uma mulher hebréia entre seus parentes, Sansão foi inflexível em que ele se casasse com essa mulher. “Pegue-a para mim, pois ela olha para mim”, ele insistiu (Juízes 14:3).

Sansão foi guiado pelo que desejava os olhos. No entanto, nem ele nem seus pais entenderam que isso fazia parte do plano de Deus para agir contra os filisteus através de Sansão (Juízes 14:4).

A Bíblia nos diz que, a caminho de Timna, Sansão acabou matando um jovem leão que o atacou (Juízes 14:5). 

Depois que Sansão se encontrou com sua futura noiva, ele voltou por onde veio e notou que a carcaça do leão estava cheia de mel e repleta de abelhas. “Então ele raspou o mel em suas mãos e continuou comendo enquanto ia” (Juízes 14:9).

Se isso foi ou não uma violação de seus votos de nazireu é incerto. No entanto, o texto implica uma clara pecaminosidade da parte de Sansão. Afinal, Sansão não contou ao pai ou à mãe o que havia feito. Em vez disso, eles começaram a preparar a festa para o casamento de Sansão com a mulher filistéia.

Quando 30 filisteus se reuniram para a festa de casamento, Sansão lhes disse:

“Deixe-me agora propor-lhe um enigma; se você realmente me contar dentro de sete dias da festa, e descobrir, então eu lhe darei trinta mantos de linho e trinta mudas de roupas. Mas se você não puder me dizer, então você me dará trinta mantos de linho e trinta mudas de roupas” (Juízes 14:12-13).

E qual foi esse enigma que Sansão apresentou?

“Do comedor saiu algo para comer, e do forte saiu algo doce” (Juízes 14:14).

Sansão estava, é claro, se referindo ao mel que ele havia recentemente retirado da carcaça do leão, um evento que seus companheiros não teriam conhecimento. Era, portanto, um enigma impossível de resolver e uma aposta injusta para começar.

Como era de se esperar, os filisteus não conseguiram resolver o enigma de Sansão.

Frustrados, os filisteus suplicaram à esposa de Sansão que lhes desse a resposta, ameaçando queimar ela e a casa de seu pai se ela não o fizesse (Jz 14:15).

A esposa de Sansão então trouxe as lágrimas, implorando a Sansão que revelasse a resposta para seu enigma. E depois de sete dias, Sansão cedeu (como frequentemente fazia). Sua esposa, por sua vez, deu a resposta aos filisteus.

Com a resposta na mão, os filisteus finalmente retornaram a Sansão. “O que é mais doce que o mel? E o que é mais forte que um leão?” eles disseram (Jz 14:18).

Enfurecido por ter sido enganado, Sansão então matou trinta dos filisteus, demonstrando sua propensão à vingança e violência à menor provocação (Jz 14:19).

Infelizmente, o sogro de Sansão também assumiu que a raiva e o ódio dele por sua esposa destruíram qualquer chance que eles pudessem ter de um casamento próspero. Ele então deu a esposa de Sansão a um de seus amigos (Jz 14:20).

Em resposta, Sansão pegou trezentas raposas, amarrou suas caudas, amarrou tochas em suas caudas e as soltou para destruir os campos e vinhas dos filisteus (Jz 15:4-5).

Ao contrário do massacre dos 30 filisteus que o enganaram e responderam ao seu enigma, este não foi um ataque impulsivo de raiva ou paixão. Dado o tempo que Sansão levaria para capturar, alimentar e soltar 300 raposas, Sansão demonstrou sincera paciência, planejamento e precisão ao buscar vingança contra seus inimigos.

De muitas maneiras, este também foi apenas o começo da guerra de um homem só de Sansão contra os filisteus.

Ao saber que foi Sansão quem destruiu seus campos, os filisteus retaliaram queimando a ex-esposa de Sansão e seu pai (Jz 15:6).

Assim, o ciclo continuou.

O que o enigma de Sansão revela?

Agora não há nada particularmente espirituoso ou inteligente sobre o enigma de Sansão. Na verdade, não era um quebra-cabeça de palavras tradicional ou um ditado enigmático. Se alguma coisa, era uma pergunta capciosa baseada no conhecimento oculto que apenas Sansão possuía.

Sansão havia dado aos filisteus um enigma que eles não poderiam responder por conta própria.

Ao fazer isso, a própria desonestidade de Sansão estava em plena exibição, pois ele havia enganado os filisteus em uma aposta que sabia que eles não poderiam ganhar.

Dito isto, a incapacidade adicional de Sansão para resistir às artimanhas e petições de uma bela mulher provou ser sua ruína.

De muitas maneiras, o enigma de Sansão e os eventos que se seguiram foram apenas um prelúdio para sua eventual queda nas mãos de Dalila (Juízes 16). 

Infelizmente, Sansão não aprenderia a lição com esse encontro, caindo em uma armadilha muito mais sinistra nos próximos dias.

lascivo, enganador, desonesto, temperamental, violento e vingativo, há muitas coisas sobre Sansão que o tornaram um homem fraco e tolo, apesar de sua imensa força física.

No entanto, devemos sempre lembrar que Deus estava disposto a usar até mesmo um homem moralmente falho e inconsistente como Sansão para libertar Seu povo e cumprir Seus planos.

Sim, Sansão tinha um enorme potencial. Seus feitos de força fizeram dele um herói nacional e uma lenda nos anais da história judaica. No entanto, sua fraqueza, falhas morais e atos de autoindulgência provam que mesmo os líderes terrenos e os mais poderosos entre nós estão fadados a cair.

Portanto, devemos sempre olhar para o verdadeiro juiz, libertador e herói da história. Acredite ou não, não é Sansão. Esse título pertence a Deus e somente a Ele.

Botão Voltar ao topo