Quem eram os santos que ressuscitaram na morte de Jesus?

Quem eram os santos que ressuscitaram após a ressurreição de Jesus? Eram os santos do Antigo Testamento ou contemporâneos daqueles que os viram?

Os leitores dos evangelhos muitas vezes ficam intrigados com uma curta passagem em Mateus 27:52-53, que vem logo após a descrição da morte de Jesus na cruz. A passagem diz o seguinte:

E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados; E, saindo dos Sepulcros, depois da ressureição dele, entraram na cidade santa e apareceram a muitos.

(Mateus 27:52-53).

Fatos curiosos dos santos que ressuscitaram

De acordo com o contexto somos inclinados a pensar que se tratava dos santos que viveram na mesma época daqueles que os viram.

Exceto uma revelação especial, o único fato que justifica a frase: “entraram na cidade e apareceram a muitos” está em que eles eram contemporâneos destes que os viram, da mesma época, e daí, o fato dos ressurretos serem reconhecidos. Pois, como posso reconhecer alguém que eu nunca conheci?

Outros fatos curiosos relacionados a esse episódio giram em torno do momento em que o fato realmente ocorreu, na morte ou depois da ressurreição de Jesus?

E se essa ressurreição, dos santos que dormiam, foi como a de Lázaro ou uma ressurreição com corpo glorificado, semelhante ao corpo da ressurreição de Jesus?

Quanto à primeira questão, a dificuldade reside no fato de que somente Mateus registra esse episódio.

Não obstante, de acordo com a maioria dos exegetas bíblicos, com base em Mateus 27:53, o fato ocorreu depois da ressurreição do Senhor Jesus Cristo.

No que diz respeito à segunda questão, uma vez que a Bíblia não se contradiz, poderíamos afirmar, com toda a certeza que a ressurreição desses santos foi semelhante à de Lázaro.

Ou seja, ressuscitaram, mas voltaram a morrer, visto que não há nenhum relato desses santos subindo antes ou juntos com Jesus aos céus.

O que aconteceu com os santos ressuscitados em Mateus 27?

Várias coisas dramáticas aconteceram nos momentos que se seguiram à morte de Jesus. Um deles foi um terremoto que aparentemente abriu os túmulos de muitos santos que morreram no passado de Israel (Mateus 27:50–52). 

A essência da narrativa é que o terremoto perturbou os corpos de alguma forma. Após a ressurreição de Jesus, esses santos foram vistos vivos por muitas pessoas. Se eles voltaram à vida no momento em que Jesus morreu, ou apenas foram descobertos e ressuscitaram depois que Ele ressuscitou, Mateus não é explicitamente claro. Mateus é o único escritor do evangelho que descreve esse evento e não fornece muitos detalhes. Isso frustrou os estudiosos por muitos séculos, pois o evento descrito naturalmente convida à curiosidade.

Os estudiosos da Bíblia sugerem duas possibilidades de como isso pode ter funcionado. É possível que essas pessoas tenham ressuscitado da mesma forma que o amigo de Jesus, Lázaro. Lázaro voltou para uma vida humana plena e saudável, não em um corpo glorificado como Jesus fez. Em outras palavras, Lázaro viveu por um tempo e depois morreu novamente. Se foi isso que aconteceu com esses santos, a “cidade santa” é Jerusalém, onde eles apareceram para muitas pessoas comuns. Ver santos de Israel anteriormente mortos teria causado uma grande agitação depois que o próprio Jesus ressuscitou. Eles provavelmente indicaram a muitas pessoas o poder de Deus por meio de Cristo.

A outra possibilidade é que essas almas ressuscitadas voltaram em corpos glorificados como Jesus fez e foram, depois de um tempo, para a “cidade santa” do céu. Antes de partir, eles apareceram para muitos, mas quando partiram, não morreram mais e nunca mais voltaram.

Outros sugerem que as afirmações de Mateus aqui são poéticas ou simbólicas, e não devem ser tomadas como parte da narrativa literal. Esta é uma interpretação extremamente difícil de apoiar, visto que tudo o mais que Mateus diz nesta passagem é enquadrado como literal. Outra sugestão é que esse incidente não fazia parte dos escritos originais de Mateus, mas não há nenhuma evidência textual sugerindo que tenha sido acrescentado

Mas, quem eram esses santos ressuscitados?

Todos esses santos ressuscitados aparentemente foram enterrados nas proximidades de Jerusalém. Nada é dito sobre quaisquer santos mortos que foram enterrados em outro lugar. A passagem também não identifica nenhum dos santos ressuscitados pelo nome, mas alguns escritores cristãos posteriores especularam sobre quem eles poderiam ser. 

As possibilidades sugeridas incluíam Adão e Eva, Abel, Abraão, Isaías e várias outras figuras do Antigo Testamento. Como os primeiros seguidores de Jesus ainda se consideravam judeus, eles teriam considerado essas figuras do Antigo Testamento como santos.

Mateus também não diz o que esses santos ressuscitados fizeram depois que foram vistos em Jerusalém. Os leitores modernos geralmente assumem que eles voltaram para seus túmulos e morreram novamente. 

Essa ressurreição temporária ainda pode servir como uma prévia da ressurreição geral profetizada para o fim dos tempos. No entanto, a passagem não diz que eles morreram novamente, então outras possibilidades devem ser consideradas. 

É claro que eles provavelmente ainda não estão vivos em algum lugar da Terra. Talvez a possibilidade remanescente mais provável seja que eles finalmente ascenderam ao céu.

Essas pessoas foram realmente ressuscitadas?

Os outros três evangelhos não mencionam a ressurreição desses santos. Em parte por esse motivo, muitos estudiosos da Bíblia duvidam que isso realmente tenha acontecido. Eles argumentam que um evento tão extraordinário, se realmente ocorresse, forneceria fortes evidências da divindade de Jesus e, portanto, os outros escritores do evangelho também o teriam descrito.

Outro motivo de dúvida é que esses santos ressuscitados teriam criado muita comoção quando apareceram em Jerusalém, e um historiador como Josefo, que escreveu um relato detalhado do período, provavelmente teria dito algo a respeito. Mas ele não menciona nada.

Por essas razões, muitos estudiosos acreditam que a passagem de Mateus descreve uma história lendária em vez de um evento real. Pode ser semelhante a uma “lenda urbana” moderna. Claro, isso levanta a questão de como essa história poderia ter se originado.

A interpretação mais razoável é que este é um evento real, que aconteceu como Mateus o descreve. Em última análise, ficamos com quase nenhum detalhe ou explicação, tornando difícil tirar conclusões significativas.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

3 Comentários

  1. Eu acredito que este evento foi real, e dou total credibilidade na narração do Evangelista Mateus, minha interpretação é que foram para a glória juntamente com o ressurreto Jesus em com corpos glorificado. As bíblia é imutável e devemos de crer em toda a bíblia e não a parcialidade. Amém.

  2. Apesar da falta de detalhes, eu acredito que esse evento é real e que após serem visto em Jerusalém o SENHOR os levou a um lugar ao qual já tinha preparado João 14…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo