Lições sobre Daniel e seus Amigos

Esboço de Sermão expositivo com preciosas lições sobre Daniel e seus Amigos na Babilônia.

Texto do Sermão: Daniel 1:1-8

E disse o rei a Aspenaz, chefe dos seus eunucos, que trouxesse alguns dos filhos de Israel, e da linhagem real e dos príncipes, Jovens em quem não houvesse defeito algum, de boa aparência, e instruídos em toda a sabedoria, e doutos em ciência, e entendidos no conhecimento, e que tivessem habilidade para assistirem no palácio do rei, e que lhes ensinassem as letras e a língua dos caldeus. E o rei lhes determinou a porção diária, das iguarias do rei, e do vinho que ele bebia, e que assim fossem mantidos por três anos, para que no fim destes pudessem estar diante do rei. E entre eles se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Hananias, Misael e Azarias; E o chefe dos eunucos lhes pôs outros nomes, a saber: a Daniel pôs o de Beltessazar, e a Hananias o de Sadraque, e a Misael o de Mesaque, e a Azarias o de Abednego.

Introdução deste Sermão sobre Daniel e seus Amigos

Daniel tinha provavelmente 16 anos quando foi levado cativo pela Babilônia. Ele morreu lá aos 85 anos. Ele nunca mais viu sua família, amigos ou terra natal. O que mais importa em sua vida é como ele permaneceu fiel a Deus ao longo de sua vida, enquanto vivia em uma terra onde seus habitantes nem sequer tinham ouvido falar de Jeová.

O nome Daniel significa “Deus é meu juiz”. A vida que levava de fato refletia seu nome. No sermão de hoje, quero colocar diante de vocês 3 lições valiosas que aprendi com a vida de Daniel e seus amigos.

1. Tomada de decisão (Daniel 1:1-8)

A. Tomar decisões piedosas é um tema proeminente no livro de Daniel. É digno de nota que o escritor no início do próprio livro nos informa da decisão de Daniel de não se contaminar com a comida e bebida real (Daniel 1:8) e seus três amigos parecem ter seguido seu exemplo.

B. Como oficiais qualificados servindo nas cortes reais, Daniel e seus amigos tinham o privilégio de consumir comida e bebida reais. No entanto, eles decidiram se abster porque a carne servida a eles era de animais cerimonialmente impuros. Em segundo lugar, uma porção da carne e da videira foi oferecida aos ídolos babilônicos antes de ser enviada à mesa.

C. O autor de Daniel nos conta duas outras decisões importantes de Daniel e seus amigos. Em Daniel 3:1-18, os amigos de Daniel decidem não se curvar perante a imagem de ouro que Nabucodonosor ergueu. No capítulo 6:1-15 Daniel decide desobedecer a ordem do rei em obediência a Deus.

Lições e aplicação:

Daniel e seus três amigos se destacam da multidão porque, embora vivessem entre um povo pagão, recusavam-se a comprometer sua caminhada com Deus, enquanto a maioria dos outros judeus, voluntária e conscientemente, escolhia conformar-se aos caminhos do homem.

Ao contrário de outros judeus, Daniel e seus amigos decidiram permanecer leais a Deus. Afinal, obediência é o que você faz quando ninguém está olhando.

As lições desta passagem são que devemos tomar certas decisões conforme Deus nos chamou para levar uma vida de pureza em um mundo caído. Então sua palavra é nosso padrão para tomar decisões. Finalmente, as decisões que tomamos refletem o estado de nosso relacionamento com Deus.

2. Libertação (Daniel 3:1-27)

A. Libertação para pessoas de obediência incondicional é outro tema importante no livro de Daniel. Sua obediência foi melhor exposta em sua resposta ao rei Nabucodonosor quando eles se recusaram a se curvar diante da imagem de ouro, mesmo que Deus não os livrasse da fornalha ardente. (Daniel 3:16-18)

B. Embora a garantia de Daniel ao oficial encarregado de suas refeições pareça muito simples a olho nu (Daniel 1:9-15). É duvidoso que 10 dias fossem suficientes para realizar uma avaliação tão complicada. Tudo o que sabemos é que Deus honrou a decisão de Daniel e em 10 dias os tornou muito mais saudáveis ​​e melhor nutridos do que qualquer outro que consumisse comida real.

C. Daniel na cova dos leões é outra ocasião que reflete a libertação de Deus disponível para pessoas de total obediência. Os leões são animais furiosos e os que passam fome são ainda piores, mais uma vez Daniel desobedece deliberadamente a um decreto real em obediência a Deus. Mais tarde, Daniel diz que Deus realmente enviou seu anjo para fechar a boca de cada animal na cova.

Lições e aplicação:

Deus para sua glória, milagrosamente livra seu povo que demonstra obediência incondicional mesmo diante de adversários severos. O livro de Daniel relata que os reis pagãos exaltaram o nome de Deus em todo o reino quando ele resgatou os amigos de Daniel da fornalha ardente (Daniel 3:28-29) e o próprio Daniel dos leões (Daniel 6:26-27).

Alguns podem perguntar se Deus é fiel para libertar seu povo por que então tantos cristãos que se recusaram a oferecer incenso ao imperador durante o império romano sofreram mortes violentas. Além do fato de que Deus é soberano, deve-se entender que a libertação não é necessariamente física sempre, mas também pode ser espiritual.

A lição a tirar desta seção é que o mundo frequentemente desafiará nossa obediência e lealdade a Deus Todo-Poderoso. Nesses momentos, devemos demonstrar obediência incondicional ao nosso pai celestial para que finalmente seu nome seja glorificado e exaltado mesmo entre os incrédulos.

3. Recompensas Divinas (Daniel 1:17-20)

A. Deus recompensou Daniel e seus amigos por sua fidelidade muito rapidamente. Seguido pela decisão de não se contaminarem com o alimento real, Deus lhes transmitiu sua sabedoria. Como resultado, quando o rei testou Daniel, Hananias, Misael e Azarias, não encontrou nenhum igual a eles.

B. Ele também descobriu que Daniel e seus amigos são 10 vezes melhores do que todos os magos e encantadores em todo o seu reino em todas as questões de sabedoria e entendimento sobre o qual ele os questionou. (Na antiga Babilônia, os encantadores e magos eram considerados os mais educados e inteligentes)

C. Daniel passou por diferentes épocas da vida enquanto servia sob quatro reis diferentes (Nabucodonosor, Belsazar, Dario, Ciro). Ainda assim, sua fidelidade a Deus permaneceu a mesma, e a prosperidade o seguiu ao longo de cada reinado.

Lições sobre Daniel e seus Amigos

Todas as bênçãos materiais que Daniel e seus amigos desfrutavam eram o resultado da sabedoria que era a recompensa de Deus para eles. Isso tem 3 implicações para a igreja.

I. A sabedoria de Deus acompanha a prosperidade material:

Daniel e seus amigos nunca buscaram promoções. Em vez disso, as promoções os seguiram porque Deus, no início, transmitiu sua sabedoria a seus servos. Isso é visto não apenas na vida de Daniel e seus colegas, mas também na vida de José. Nós também, em vez de buscar bênçãos materiais, devemos buscar sabedoria. Quando fizermos isso, as bênçãos se seguirão.

II. Agora, a Bíblia diz que Deus dará sabedoria a quem pedir (Tiago 1:5).

Esta promessa é condicional, no entanto. Ou seja, devemos temer a Deus. Deve-se notar que na Bíblia o significado da palavra “medo” (hebraico: yirat) é triplo e o significado difere com base no contexto usado. Primeiro, significa “pavor” (Dt 1:29), em segundo lugar, “estar apavorado” (Jn 1:10) e em terceiro lugar “tendo reverência” (Lv 19:3).

III. O Senhor espera que o temamos por reverência. 

Em outras palavras, evitar o mal, não porque Deus nos enviará para o inferno de outra forma, mas para glorificá-lo (1 Coríntios 10:31). Além disso, no Antigo Testamento o inferno não era um ensinamento comum como é no Novo Testamento. As pessoas observavam a lei porque temiam a excomunhão.

IV. O exílio, por outro lado, era na verdade como um teste decisivo que separava os verdadeiros adoradores dos impostores. 

Durante o exílio as pessoas se comportaram como bem entendiam. Daniel, Hananias, Misael e Azaria ainda obedeceram a Deus porque o temiam por reverência. A paixão deles era glorificá-lo. Temei ao Senhor por reverência. Desejo de glorificar o seu nome em tudo o que você diz e faz. O Senhor te recompensará com sabedoria e a sabedoria acompanhará a prosperidade.

V. Pode-se argumentar que os outros magos que serviam nas cortes reais também eram prósperos, embora não temesse ao Senhor. 

Devemos lembrar que a prosperidade de qualquer outra coisa que não seja Deus não é sustentável a longo prazo. A sabedoria deles saiu pela janela no momento em que o rei decretou que eles fossem despedaçados, membro por membro, e casas fossem demolidas, a menos que eles lhe contassem o sonho em si e sua interpretação (Daniel 2:5-6).

Conclusão deste Sermão sobre Daniel e seus Amigos

Não é exagero dizer que vivemos em um mundo onde a justiça está perdida e levar uma vida de justiça é quase impossível. Mas é por isso que Jesus disse:

Buscai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça

Por que ele disse “buscai”? (A maioria das traduções em inglês usa a mesma palavra enquanto outras usam “perseguir” e “estar preocupado”).

O dicionário define este termo como “tentar localizar ou descobrir; procurar por.”

Daniel e seus amigos realmente tiveram que buscar a justiça. Como eles buscaram essas coisas enquanto viviam entre pessoas profanas? Como faremos?

I. Levado cativo de todo pensamento comprometedor, (2 Coríntios 10:5).

II. Ofereceu-se como um sacrifício vivo, (Romanos 12:1).

III. Disciplinaram e controlaram seus corpos físicos, (1 Coríntios 9:27).

O mundo não é o melhor lugar para um cristão ocupar. É amaldiçoado e a maldição se manifesta através de seus habitantes todos os dias, cujos próprios corações estão corrompidos. Só piora. Não é melhor. O mundo não vai concordar conosco. 

Ele vai nos perseguir quando descobrir que somos diferentes. Mas não precisamos ter medo. Deus livrou Daniel dos Leões, seus amigos da fornalha de fogo e ele também nos livrará (espiritualmente, se não fisicamente).

Finalmente, Deus quer que sejamos seus agentes neste mundo caído que glorificará seu nome mesmo aos olhos dos injustos. Por isso Jesus disse:

“Você é a luz do mundo. Uma cidade localizada em uma colina não pode ser escondida. As pessoas não acendem uma lâmpada e a colocam debaixo de um cesto, mas em um candelabro, e ela ilumina a todos na casa. Da mesma forma, brilhe a vossa luz diante das pessoas para que vejam as vossas boas obras e honrem o vosso Pai que está nos céus”. (Mateus 5:14-16)

Alguns cristãos questionam por que os ímpios prosperam enquanto eles não podem pagar nem mesmo suas necessidades básicas do dia-a-dia. A resposta é simples. Busque as bênçãos materiais e você perderá. Procure glorificar a Deus e ele o abençoará e exaltará além de sua imaginação (João 15:7). 

Deus promoveu Daniel porque ele glorificou a Deus em tudo que ele disse e fez. Escolha glorificar a Deus em tudo que você diz e faz e as bênçãos materiais se seguirão.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!