10 coisas interessantes sobre a história de Daniel na Bíblia

A história de Daniel na cova dos leões, foi uma das primeiras histórias que aprendi quando criança. Bem como a história de Jonas e a baleia, Noé e sua arca, contudo, a história da corajosa recusa de Daniel em parar de orar ao Deus de Israel, está gravada em meu cérebro.

Sobretudo, só muito mais tarde, quando li o livro inteiro de Daniel pela primeira vez, que encontrei muitas outras curiosidades fascinantes, sobre esse inspirador herói do Antigo Testamento. 

Aqui estão alguns que eu acho particularmente interessantes: 

1. Daniel era um exilado

Embora Daniel apareça nos livros de história judaica e cristã, como um dos melhores de Israel, ele não viveu em Israel por muito tempo. 

Deportado como cativo, quando Nabucodonosor conquistou Jerusalém em 605 aC, Daniel viveu a maior parte de sua vida na Babilônia.

2. Daniel teve uma pequena crise de identidade

Seu nome hebraico, Daniel, significa “Deus é Juiz”. Pouco depois de sua chegada à Babilônia, provavelmente, como parte da tentativa do babilônio de fazer lavagem cerebral no jovem exilado, seu nome foi mudado para Beltessazar, que significa “príncipe de Bel”. Afinal, Bel era o deus governante do panteão babilônico.

3. Daniel era um verdadeiro vegetariano (Daniel 1:12)

Sim, muito antes de o tofu estar na moda e a Stevia reinar, Daniel e seus amigos evitavam carne, doces e vinho. 

Convocado junto com outros exilados de origem nobre, Daniel foi escolhido para um curso de treinamento de três anos de preparação, para entrar no serviço do rei. 

Contudo, parte de sua preparação envolvia comer as iguarias do rei. 

Daniel, no entanto, recusou, provavelmente, porque a carne e o vinho haviam sido oferecidos a ídolos e/ou estavam em conflito com as leis alimentares de Israel. 

4. Daniel era um hábil negociador

Quando ordenado a comer alimentos que ofendiam sua consciência, ele fez um apelo humilde ao mordomo responsável. Quando o mordomo rejeitou seu apelo, Daniel fez uma contraproposta. 

“Por favor, teste seus servos por dez dias: não nos dê nada além de vegetais para comer e água para beber. Então compare nossa aparência com a dos jovens que comem a comida real e trate seus servos de acordo com o que você vê.’ Ao final dos dez dias, eles pareciam mais saudáveis ​​e mais bem nutridos do que qualquer um dos jovens que comeram a comida real. Assim, o guarda tirou a comida escolhida e o vinho que deviam beber e deu-lhes vegetais em seu lugar” (Dn 1:12-16).

5. Daniel era um superdotado

Esqueça a lista do reitor e  quem é quem entre os exilados israelenses;  Daniel e seus amigos, Sadraque, Mesaque e Abednego superaram em muito seus colegas estudantes em um teste dado pelo rei Nabucodonosor. 

“Ele os achou dez vezes melhores do que todos os magos e encantadores em todo o seu reino”  em todas as questões de sabedoria e entendimento sobre o qual ele os questionou (Dn 1:20).

6. Daniel era um político honesto

Depois de graduar-se com grandes honras, Daniel e seus três amigos foram nomeados por Nabucodonosor para cargos governamentais (Dan. 1: 19). 

Contudo, a carreira política de Daniel durou mais de 70 anos, durante os reinados de vários reis babilônicos e persas.

7. Daniel era um onirólogo

A onirologia, o estudo dos sonhos, tornou-se popular no século XVII, mas Daniel estudava e interpretava sonhos mais de 500 anos antes de Cristo. 

Junto com conhecimento e habilidade em literatura e sabedoria, Deus deu a Daniel a habilidade de desvendar o mistério dos sonhos (Dan. 1: 17). 

8. Daniel era propenso a desmaios, falta de ar e fraqueza

Aparentemente, receber visões e revelações pode ser bastante desgastante. Depois de receber uma visão descrevendo os futuros governos mundiais, Daniel, desmaiou e ficou doente por dias (Dan. 8:17). 

Uma visita e uma visão do anjo Gabriel tiveram um efeito semelhante sobre ele:  

“Eu (Daniel) não tinha mais forças, meu rosto ficou mortalmente pálido e eu estava indefeso”.

9. Daniel foi visitado duas vezes pelo arcanjo de Deus

Mais comumente conhecido como o anjo que apareceu a Maria no Novo Testamento para anunciar a vinda do Messias, lemos primeiro sobre Gabriel em  Daniel 8:16

Sua primeira tarefa bíblica registrada, foi ajudar Daniel a interpretar uma visão intrigante.

10. Daniel era um octogenário quando foi jogado na cova dos leões

A cronologia da vida de Daniel mostra que ele foi um fiel servidor do governo por mais de 70 anos. 

No entanto, durante uma mudança de regime, seu currículo exemplar chamou a atenção do novo rei Dario, que o nomeou como um dos três governadores nacionais. 

Sendo assim, seus colegas invejosos, decidiram eliminar o ancião estadista, mas porque estava acima de qualquer reprovação, não conseguiu encontrar qualquer “acusação ou culpa” contra ele (Dn 6:4). 

Determinados a causar sua morte, eles elaboraram um plano para perseguição religiosa, convenceram o rei involuntário a assiná-lo, e alvejaram Daniel para execução enquanto ele orava em seu quarto. 

Em vez de oferecer a Daniel um merecido jantar de aposentadoria, o rei Dario acabou colocando Daniel como o jantar dos leões.

Conclusão sobre a história de Daniel

Apesar dos Leões, o compromisso de Daniel com a integridade, a devoção ao Senhor e a  fé inabalável, fazem dele um herói bíblico digno de estudo. 

A contraparte do Antigo Testamento ao apóstolo João, Deus chama ambos os homens de “amados”. 

Contudo, com cinco séculos de diferença, eles escreveram profecias paralelas e complementares do fim dos tempos, que nos dão vislumbres fascinantes e assustadores do futuro. 

Mais importante, porém, um estudo do livro de Daniel nos dá um exemplo poderoso, de como viver em retidão em uma sociedade que não honra a Deus. 

Afinal, com apenas 12 capítulos, o livro de Daniel é uma leitura obrigatória. 

Autora: Lori Hatcher 

Botão Voltar ao topo