A Manjedoura, a Cruz e a Coroa na vida de Jesus

Esboço de Sermão com o Tema: A Manjedoura, a Cruz e a Coroa. Esse Esboço de Pregação Expositiva é baseado no texto de Filipenses 2: 5-11, sobre a trajetória de Jesus da manjedoura a Coroa.

TEMA: A MANJEDOURA, A CRUZ E A COROA

TEXTO: FILIPENSES 2: 5-11

5. De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, 6. Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,

7. Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; 8. E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.

9. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; 10. Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,

11. E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o SENHOR, para glória de Deus Pai”.

INTRODUÇÃO:

Esta lição e sermão considerará três fases do ministério de Cristo. Vamos olhar para ele em sua manjedoura e depois olhar para sua cruz. 

Concluiremos então, com um estudo envolvendo sua coroa. 

Que possamos ter uma compreensão mais plena e completa do plano de Deus…

I. A MANJEDOURA enfatiza a humanidade do Senhor

Lucas 2:7 não apenas aponta para a humanidade de Cristo, mas também para a humildade de Cristo, começando em Seu nascimento. 

“E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem”.

A manjedoura ou berço das vacas era mais para os animais do que uma estação de parto. 

No entanto, como não havia lugar na pousada, Ele nasceu entre os animais que criou. 

O Deus da criação escolheu enfatizar o nascimento do Senhor como sendo um nascimento muito humilde. 

Isso esclarece o significado das escrituras que dizem: “E sendo achado na forma de um homem, ele se humilhou e tornou-se obediente até a morte, mesmo a morte de cruz.”

A. A Manjedoura foi profetizado (“Eis que uma virgem conceberá …”)

Mais do que o berço foi profetizado, o CRISTO foi profetizado (Isaías 7:14)

“Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel”.

O nascimento de Cristo foi único porque foi uma concepção virginal, ou seja, nenhum homem estava envolvido. 

Em teoria, uma virgem pode conceber um filho por meio de inseminação artificial, mas a semente deve vir de um homem. 

Com o nascimento de Cristo, o Espírito Santo desceu sobre ela: “E o anjo, respondendo, disse-lhe: O Espírito Santo virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; portanto também o Santo que há de nascer tu serás chamado o Filho de Deus. ”

B. A Manjedoura era um lugar precioso

Para cada crente nascido de novo, o nascimento de Jesus é muito precioso, por isso o compositor foi inspirado a escrever as palavras amáveis: “Porque Ele é tão precioso para mim…”

C. A Manjedoura era um lugar que fazia previsões 

Os panos não eram apenas roupas de nascimento, mas também roupas de morte. 

As faixas de tecido foram usadas para embrulhar o cadáver em preparação para o enterro. 

Os panos também eram usados ​​para amarrar alguém que não conseguia controlar seus movimentos. Quando Jesus nasceu, suas próprias vestes ao nascer já previam sua morte na cruz.

II. A CRUZ enfatiza a identidade do Senhor

Nosso Texto do Sermão diz que Cristo foi “achado na forma de homem” e “feito à semelhança dos homens”.

Essas são expressões fortes que mostram o quão fortemente o Senhor se identificou com a humanidade desde o seu nascimento. 

Observe a definição dada por Strong: como englobando tudo em uma pessoa que atinge os sentidos, a figura, o porte, o discurso, as ações, o modo de vida etc. Essa identificação continuou até sua morte.

A. A cruz era um lugar de sofrimento

Ao longo das Escrituras, a agonia da cruz é mencionada. 

Isaías 53: 4, 5 as Escrituras nos dizem:

4. Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.

5. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”.

Portanto, Cristo sofreu por você e por mim.

B. A cruz era um lugar de sacrifício

Hebreus 9:26 diz: “De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo”.

A palavra sacrifício é uma palavra profundamente enraizada em toda a palavra de Deus. É uma palavra que remonta ao primeiro sacrifício, quando Abel ofereceu seu Cordeiro, ou mesmo antes disso, quando Deus matou um animal para cobrir a nudez de Adão e Eva. 

Em todo o Antigo Testamento e especialmente no que se refere à lei, houve incontáveis ​​sacrifícios feitos e você deve saber que todos eles apontavam para o último sacrifício que foi feito na cruz, quando o Cordeiro de Deus se sacrificou!

C. A cruz era um lugar de salvação

Veja o que diz em Colossenses 1:19-20:

19. Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse, 20. E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus”.

III. A COROA enfatiza a soberania do Senhor

Quando pensamos em um Deus soberano, Ele é o único. Veja então:

  • “…o SENHOR é Deus; nenhum outro há senão ele” (Deuteronômio 4:34).
  • “…só o SENHOR é Deus, em cima no céu e em baixo na terra; nenhum outro há” (Deuteronômio 4:39). 
  • “Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único SENHOR” (Deuteronômio 6:4). 
  • “…eu o sou, e mais nenhum deus há além de mim…” (Deuteronômio 32:39). 
  • “…só tu és Deus de todos os reinos da terra; tu fizeste os céus e a terra” (2 Reis 19:15).

Ele é o único digno de ser coroado.

A. Em associação com sua realeza

Nosso Texto base diz a posição que só Ele desfruta:

“Por isso também Deus o exaltou sobremaneira, e lhe deu um nome que está acima de todo nome: Para que ao nome de Jesus todo joelho se dobre, das coisas no céu e das coisas na terra, e coisas sob a terra; E que toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai” (Filipenses 2:9-11)

Sua realeza soberana é amplamente expressa em Apocalipse 19:11-16 onde diz: “traz nas vestes e na coxa um nome escrito: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES”.

B. Em associação com sua revelação

Em Apocalipse 19:11-12está escrito:

“E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e aquele que estava assentado sobre ele foi chamado de Fiel e Verdadeiro e com justiça ele julga e faz guerra. Seus olhos eram como uma chama de fogo, e em sua cabeça havia muitas coroas; e ele tinha um nome escrito, que ninguém conhecia, a não ser ele mesmo.”

C. Em associação com sua decisão

Durante o Milênio, o Rei Jesus governará e reinará com uma vara de ferro. 

Ele não será mais o bebê na manjedoura. Ele será sempre e para sempre o Rei dos reis e o Senhor dos senhores.

Autor: W. Max Alderman

biblioteca-do-pregador-banner-inicio

Veja mais Esboços de Pregação.

4 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


  1. Sou advogado e comprometido com o Senhor Jesus há 45 anos, sendo desde cedo um provocador às pessoas para que conheçam a Jesus, anunciando-lhes a vida que está Nele.
    Há muito buscava por ajuda neste assunto de sermão expositivo. Considero que encontrei e sempre aguardo novo sermão para estudar.
    Parabenizo os idealizadores assim como tenho divulgado aos amigos.
    Paz

    • Muito grato pelas suas palavras! Na história temos um advogado que se tornou grande avivalista, Charles Finney.

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.

Conheça a Ferramenta que te ajudará Entender a Bíblia com mais Facilidade!