Venha, veja você mesmo!

Esboço de sermão sobre a ressurreição de Jesus em Marcos 16:1-11. Pregação e estudo ideal para se pregar na semana ou domingo de Páscoa.

Título deste sermão: Venha, veja você mesmo!

Texto deste sermão: Marcos 16:1-11

Finalmente apareceu aos onze, estando eles assentados à mesa, e lançou-lhes em rosto a sua incredulidade e dureza de coração, por não haverem crido nos que o tinham visto já ressuscitado. (Marcos 16:14).

Introdução deste sermão sobre a ressurreição de Jesus

Ilustrações: Histórias de visões da pessoa de Jesus

1977

No Novo México, em 1977, uma mulher afirmou que a imagem de Jesus apareceu em uma tortilha que havia sido queimada em uma frigideira.

1981

Em 1981, a imagem de Cristo sendo crucificado atraiu multidões de pessoas em Santa Fe Springs, Califórnia. Eventualmente, foi determinado que a imagem foi causada por duas luzes de rua brilhando em um arbusto e uma placa de imóveis.

1983

Em 1983, em Constance Lake Ontario, Josephine Taylor disse ter visto Jesus. A imagem dele era formada
pelas manchas escuras no cimento do chão do banheiro. Cerca de 3.000 canadenses vieram para ver o
espetáculo.

1987

Em 1987, milhares de pessoas se reuniram no trailer de Arlene Garner em Estill Springs, Tennessee. Eles
vieram para ver uma imagem de Jesus no freezer General Electric de Arlene no deck da frente de sua casa.

Todos os dias após o anoitecer, a luz da varanda de um vizinho fazia com que um rosto barbudo aparecesse na lateral do freezer. Arlene afirmou que Deus lhe disse em um sonho que Ele conectou a luz da varanda ao freezer e a estava usando como TV. A família se recusou a cobrar dos espectadores por dar uma olhada.

A mais de 2000 anos

“Cristo ressuscitou! Vimos o túmulo vazio!” gritaram as mulheres quando voltaram para a cidade de Jerusalém naquela manhã.

A cidade estava cheia de rumores! As pessoas diziam que tinham visto Jesus! Eles disseram que Ele não estava morto, mas vivo! Eles alegaram que Ele não estava mais sepultado, mas ressuscitado! “Cristo ressuscitou!”

Talvez para aqueles de nós que estão cerca de 2.000 anos afastados do evento da Páscoa, a história parece apenas mais uma manchete de jornal. Ou mais um relato sobre alguém vendo a imagem de Jesus refletida de uma maneira incomum.

Seria fácil juntar a história da Páscoa com todos esses outros contos de “aparições de Cristo” que ocorreram ao longo dos séculos. E talvez alguns levem dessa forma.

É a afirmação de um bando de fanáticos religiosos… ou o testemunho de testemunhas oculares reais? É
produto da imaginação espiritual de alguém… ou é história verdadeira? É lenda? Mito? Ficção? Ou é fato concreto?

Mas, qual a questão mais importante…

Hoje, não há questão mais importante com que lutar do que a questão colocada pelo túmulo vazio. Pois se, de fato, Cristo ressuscitou dos mortos, então há algo sobre a vida que SÓ pode ser encontrado em
entregar sua vida a Ele.

Então, considere a importância da ressurreição de Cristo hoje, e venha ver por si mesmo!

I. A Importância da Ressurreição de Jesus (1 Co. 15:14-20)

A. “Se Cristo não ressuscitou, então nossa pregação é vã” (v.14)

Se não houve ressurreição de Cristo dentre os mortos, então não há evangelho ou boas novas. A mensagem de Cristo é reduzida a nada mais do que um comentário sobre uma vida muito extraordinária. Pois, em vez de mensagem de vida, torna-se mensagem de morte.

Então, não haveria poder nesse tipo de evangelho.

  • Seria como a Declaração de Independência sem a vitória da Guerra Revolucionária.
  • Seria tão sem sentido quanto uma Proclamação de Emancipação sem liberdade aos escravos.

B. “Se Cristo não ressuscitou, então nossa pregação é vã, e sua fé também” (v.14)

Isso significa que nossa fé seria uma fé vazia e sem valor. Que tudo o que aceitamos e recebemos pela fé, como um dom gratuito de Deus, desapareceria:

  • Sem vida eterna
  • Sem justificativa
  • E, sem santificação
  • Sem nenhum lar eterno no céu

Se Jesus Cristo não ressuscitou dos mortos, então nossa fé não significaria absolutamente nada.

C. “Se Cristo não ressuscitou, sua fé é vã; você ainda está em seus pecados.” (v.17)

Aqui temos o resultado final. Sem a ressurreição de Cristo, não há esperança de salvação da pena do pecado. Paulo escreve:

Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.

1 Coríntios 15:19

D. “Mas agora Cristo ressuscitou dos mortos…” (v.20)

“Se” é uma palavra muito grande de duas letras. Pois, o apóstolo Paulo não deixa aqui espaço para qualquer especulação: Mas, que Jesus está vivo!

Jesus declara isso em Apocalipse 1:18: “Eu sou aquele que vive e estava morto; e eis que estou vivo para sempre…”

II. A Certeza da Ressurreição de Jesus

A. Atestada pelo testemunho da Palavra de Deus.

No cumprimento da profecia.

  • Sua ressurreição, bem como Sua morte, foi de acordo com as Escrituras (1 Co. 15:4)
  • Davi havia profetizado a ressurreição no Salmo 16:9-10.
  • Em Atos 13:32-33, a ressurreição foi prometida aos pais.

Nas predições que Jesus fez a Si mesmo.

  • Muitas vezes Jesus ensinou e fez referência à Sua ressurreição.
  • “Desde então começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muitas coisas dos anciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia.” (Mateus 16:21).

B. Atestado pelas provas materiais.

A pedra foi removida. O túmulo estava vazio.

  • Este fato é registrado por cada um dos escritores dos evangelhos.
  • “E, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus.” (Lucas 24:3).

A aparição dos anjos.

  • Este fato também é registrado por cada um dos quatro evangelhos.
  • A mensagem é simples e direta: “Ele ressuscitou; Ele não está aqui.”

As aparições de Cristo.

  • Para Maria Madalena. (Jo 20:11-17)
  • Para as outras mulheres. (Mt. 28:9-10)
  • Para Pedro. (1 Co. 15: 5)
  • Aos discípulos no caminho de Emaús. (Lu. 24:13)
  • Para Tomé (Lc. 24:36)
  • Aos onze. (Jo. 20:26)
  • Aos sete pela Galiléia. (Jo. 21:1-23)
  • Para mais de 500. (1 Co. 15:6)
  • Aos onze na ascensão. (At 1)
  • Ao apóstolo Paulo. (At. 9)

III. A Necessidade da Ressurreição.

A. O homem tem três preocupações:

  1. Ele está preocupado com sua vida.
  2. Ele está preocupado com a morte.
  3. E Ele está preocupado com a eternidade.

B. O Plano de Redenção do Homem teve três etapas para se cumprir.

  1. O primeiro passo foi que Jesus deveria vir à terra e viver uma vida perfeita e sem pecado.
  2. O segundo passo foi que Jesus morresse.
  3. O terceiro e último passo foi a ressurreição.

C. O plano de redenção foi concluído, e agora é a fé que se apropria dele para nós.

A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.

Romanos 10:9

O amor de Deus forneceu os meios necessários de redenção por meio da vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo. No entanto, cabe a cada um de nós apropriar-se dessa redenção pela fé.

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.

Efésios 2:8

Conclusão deste sermão sobre a ressurreição de Jesus

Um presente não pode beneficiar um indivíduo até que ele o receba. Então, finalizando este sermão, você pensaria comigo por apenas um momento:

  • Você sabe o que é sua vida.
  • Você também sabe que a morte é inevitável para cada um de nós. Mas e a sua eternidade?
  • Você sabe, sem sombra de dúvida, que está salvo e passará a eternidade no céu?

Se não, aproveite a oportunidade esta manhã para vir e receber a Cristo como seu Salvador, e ganhar aquela certeza da eternidade com Ele!

Venha ver por si mesmo! Ele não está morto, mas Ele ressuscitou. Ele está vivo hoje. Reconheça-o, portanto, como seu Salvador!

Botão Voltar ao topo