Vivendo no Espírito: O Conflito Entre a Carne e o Espírito e a Busca por uma Vida Avivada

Pensei que o velho homem tinha morrido nas águas do batismo, mas descobri que o infeliz sabia nadar. Agora tenho que matá-lo todos os dias.

Martinho Lutero sobre o conflito entre a carne e o espírito na vida do crente.

A busca por uma vida espiritual plena é uma constante na vida de muitas pessoas, especialmente entre aqueles que se identificam como crentes em Deus. Nessa jornada, um dos maiores desafios é o confronto entre a carne e o espírito, uma luta constante entre o desejo de viver de acordo com a natureza carnal e o anseio de seguir os caminhos do Espírito Santo. Aqueles que buscam uma vida avivada, ou seja, uma vida repleta do poder e da presença de Deus, sabem que essa luta é intensa, mas que os benefícios de viver no Espírito são incontáveis.

Neste artigo, vamos explorar mais sobre esse conflito entre a carne e o Espírito, e como podemos viver uma vida avivada, caminhando em sintonia com o Espírito Santo.

I. A VIDA NO ESPÍRITO: COMO ANDAR EM ESPÍRITO

Sermão Como andar no Espírito

1- Andando em Espírito

O verbo andar, na Bíblia, está frequentemente utilizado em sentido figurado para se referir a viver, experienciar, praticar e conduzir na vida espiritual. Paulo escreve: “Digo, porém: Andai em Espírito e não cumprireis a concupiscência da carne” (Gálatas 5:16).

Andar em Espírito, com “E” maiúsculo, significa ter uma vida cristã subordinada à direção do Espírito Santo, pautada nos ditames da santa Palavra de Deus e espiritualmente avivada (Rm 8.1).

2- A importância de andar em Espírito

O crente em Jesus deve andar de acordo com o Espírito Santo para não cumprir os desejos da natureza carnal (Gl 5.16).

Paulo afirmou aos romanos: “Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito. Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte” (Rm 8.1-2).

Assim, ao andar em Espírito, o salvo tem vitória sobre o império do pecado e da morte.

3- Como andar em Espírito?

Não é fácil andar no Espírito. Infelizmente, a inclinação da natureza carnal, herdada de nossos primeiros pais, inerente a todos os seres humanos, faz com que busquemos as coisas que não agradam a Deus.

Quando as pessoas aceitam a Cristo como Salvador, tornam-se novas criaturas, pelo processo salvífico do Novo Nascimento (Jo 3.3; 2 Co 5.17). Entretanto, elas precisam cultivar o relacionamento espiritual e perseverante com Deus. Para o crente andar em Espírito, é preciso ter o Espírito Santo dentro dele (Jo 14.17), ser guiado pelo Espírito (Rm 8.14) e cheio do Santo Espírito (Ef 5.18).

II- O CONFRONTO ENTRE A CARNE E O ESPÍRITO

Avivamento na Vida Pessoal

1- A luta entre a Carne e o Espírito.

Para os crentes, a maior batalha espiritual é a luta entre a natureza carnal e a vida no Espírito. A natureza carnal, herança de Adão, é alimentada pela concupiscência, levando as pessoas a se afastarem de Deus. João alerta sobre isso, dizendo que aquele que ama o mundo não ama a Deus, pois o mundo é dominado pela concupiscência da carne, dos olhos e pela soberba da vida (1 Jo 2.15,16).

Infelizmente, muitos se deixam seduzir por falsas religiões, materialismo e outras práticas que afastam do caminho de Deus.

2- As obras da carne.

A carne é a natureza caída do homem, que busca praticar o que não agrada a Deus. As “obras da carne”, segundo Gálatas, são práticas, atitudes e pensamentos que vão contra a santidade exigida por Deus. Elas podem ser categorizadas em pelo menos 15 tipos, incluindo práticas sexuais ilícitas, práticas religiosas, maus relacionamentos humanos, vícios e maus hábitos (Gl 5.19-21).

O apóstolo Paulo alerta que aqueles que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus (Gl 5.21; 1 Co 6.9).

III- O AVIVAMENTO PELO FRUTO DO ESPÍRITO

Cheio do Espírito Santo de Deus

1- Fruto do Espírito.

Dons e Fruto do Espírito são características essenciais para a vida e o caráter cristão. O uso dos dons espirituais, sem a prática do Fruto do Espírito, pode ser apenas uma demonstração de egoísmo e exibicionismo.

Nem todos os cristãos são portadores da graça dos dons espirituais, mas todos devem experimentar e testemunhar o fruto do Espírito em sua vida.

Um cristão não pode dar bom testemunho sem a unidade do Fruto do Espírito: não pode ter amor sem ter fé; não pode ter gozo (alegria) e não ter benignidade, bondade ou temperança (Gl 5.22,23).

Um aspecto do fruto não pode ser dissociado do outro. Podemos usar o exemplo de uma fruta, como uma laranja, que tem vários gomos, mas é um só fruto.

2- Os nove aspectos do Fruto do Espírito (Gl 5.22).

Na Bíblia:

  • Amor (ou caridade) (gr. ágape) é mais que filan­tropia, pois significa o verdadeiro amor como sinônimo do amor ágape, o amor de Deus no coração do homem (Fp 1.9; 1 Jo 4.7-8,16);
  • Gozo (gr. chara) é a alegria produzida pelo Espirito Santo (Le 8.13; Fp1.4);
  • Paz (gr.eirene) é “a paz de Deus que excede todo o entendimento” (Fp 4.7);
  • Longanimidade (gr. makrothumia) é a paciência para suportar as adversidades, os defeitos do outro (Ef 4.2; 2 Tm 3.10; Hb 12.1);
  • Benignidade (gr. chrestotes) é a qualidade de quem é benigno, bondoso, complacente, perdoador (Ef 4.32);
  • Bonda­de (gr. agathosune) refere-se aquele que é bom (Mt 12.35; Ef 5.9; SI 37.23);
  • (gr. pistis), não é a fé natural, mas a produzida pelo Espirito Santo no coração dos que creem em Deus, conforme as Escrituras (Jo 7.38; Rm 1.17; 3.28; Hb 11.6);
  • Mansidão (gr. prautes) diz respeito aquele que é manso, sinônimo de “brandura, de gênio afável, sossegado, dócil” (Mt 5.5; 1 Tm 6.11) ;
  • Temperança (gr. egkrateia) quer dizer autocontrole, domínio próprio, é o aspecto elevadíssimo do relacionamento com os outros, com situações e fatos diversos na vida (Tt 1.8; 2 Pe 1.6).

3- Contra o Fruto do Espírito, não há lei.

A conclusão de Paulo sobre o fruto do Espírito é impressionante. Ele afirma de modo incisivo e categórico: “Contra essas coisas não há lei. E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito” (Gl 5.23-25).

Que Deus nos ajude a cultivar o Fruto do Espírito em nossas vidas. Os dons espirituais só têm valor se acompanhados do fruto do Espírito. Isso é viver na plenitude do Espírito, tendo uma vida verdadeiramente avivada.

CONCLUSÃO:

Em resumo, a vida do crente é uma batalha constante entre a carne e o Espírito, e aqueles que optam por andar e viver no Espírito são agraciados com grandes bênçãos de Deus.

A escolha de viver segundo o Espírito é uma decisão diária que requer disciplina e perseverança, mas a recompensa é imensurável.

Que possamos ser fortalecidos em nossa caminhada espiritual e buscar sempre agradar a Deus em todas as áreas de nossas vidas.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo