4 Fundamentos para uma Boa Pregação

O que faz uma boa pregação? Ou, de outra forma, o que torna um pregador excelente? A questão não é ser um grande comunicador ou personalidade.

Por boa pregação, queremos dizer aquela que apresenta a Palavra de Deus da maneira mais precisa e convincente. 

Portanto, um grande pregador é aquele que prega bons sermões. Considere então, estes 4 princípios básicos de uma boa pregação:

Os 4 Fundamentos para uma Boa Pregação

1. Pregar com convicção

Como o profeta Jeremias, grandes sermões vêm de um homem com fogo nos ossos. 

O pregador é dominado pela verdade do texto e compelido a pregar com autoridade e urgência. 

Seus ouvintes percebem quando o pregador prega com convicção e sentem-se a necessidade de obedecer a palavra de Deus.

Em uma ocasião, no século 18 em Londres, o famoso ateu David Hume foi ouvir George Whitefield pregar. 

O poderoso evangelista era conhecido em todo o mundo de língua inglesa por sua ardente pregação evangelística e pelos avivamentos que se seguiram. 

Um espectador perguntou a Hume se ele iria ouvir Whitefield pregar. Depois que Hume respondeu afirmativamente, o espectador disse: “Mas por que você não crê?” 

Hume supostamente respondeu: “Você está certo, mas aquele homem (Whitefield) possui algo diferente.”

Nada é mais patético do que um homem pregando uma Bíblia em que não acredita. 

Ninguém quer ouvir um sermão desse, mas esse é o cenário muito comum e é um dos principais motivos pelos quais a frequência aos cultos despencaram ultimamente.

Grandes pregadores pregam com convicção.

2. Pregar com confiança

Fluindo da convicção do pregador está sua confiança. A confiança não é algo que o pregador fala consigo mesmo momentos antes de subir ao púlpito. 

A confiança do pregador é encontrada no poder das Escrituras, no ministério do Espírito Santo e na firme segurança que Deus o chamou e o capacitou. 

E é reforçada pela certeza de que ele estudou fielmente o texto e preparou corretamente seu sermão. 

Pregar com confiança é precisamente o que Paulo encarregou Tito de fazer, escrevendo: “Fala estas coisas, exorta e repreende com toda autoridade. Não deixe ninguém desconsiderar você.”

Mais especialmente, a confiança do pregador está enraizada em suas convicções sobre a Sagrada Escritura. 

É impossível pregar um sermão poderoso se você é fraco na bíblia. É impossível pregar com verdadeira confiança bíblica se você estiver cheio de dúvidas sobre a Palavra de Deus.

3. Pregar com clareza

A pregação dos apóstolos, conforme registrada em Atos, era inequivocamente clara. 

O padrão dos apóstolos incluía a exposição do Antigo Testamento, conectando a passagem a Cristo, e então estabelecendo claramente o que os ouvintes deveriam fazer: arrepender-se e crer no evangelho. 

Mas a clareza na apresentação só pode vir se você primeiro tiver clareza no texto. 

John MacArthur muitas vezes disse que o segredo de seu ministério era, em seus primeiros anos, estabelecer disciplina no estudo e ter o propósito de estudar a bíblia até que ele descobrisse o significado do texto.

Se o pregador não tiver certeza do que o texto significa, ele não conseguirá apresentar o texto de maneira clara. 

Além disso, se ele não tiver certeza do que seus ouvintes devem fazer com o texto, ele não poderá pedir uma resposta clara e convincente. 

A grande pregação baseia-se na clareza de interpretação e, em seguida, na clareza de aplicação

Grandes pregadores pregam com clareza.

4. Pregar com compaixão

É fácil pregar como itinerante em conferências onde a expectativa é somente fazer barulho. 

Mesmo assim, a grande pregação está consistentemente levando a Palavra com compaixão, tocando e moldando o coração do povo de Deus semana após semana. 

É por isso que, em certo sentido, a melhor pregação ocorre em um ambiente congregacional, com a pregação simples e consistente do homem de Deus para sua congregação.

Como Paulo instruiu Timóteo:

“24. E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor; 25. Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade, 26. E tornarem a despertar, desprendendo-se dos laços do diabo, em que à vontade dele estão presos”.

A famosa frase de C. Swindoll a um grupo de ministros:

“Se você pregar para corações partidos, nunca vai querer uma congregação”. 

Em outras palavras, pregue com compaixão e seu público terá prazer em te ouvir.

CONCLUSÃO

Um pregador não deve buscar ser grande, mas pregar um grande sermão!

E par uma grande e boa Pregação, o pregador precisa usar esses 4 elementos:

Pregar com convicção, confiança, clareza e compaixão são elementos essenciais de uma boa pregação.

Fonte: JASON K. ALLEN

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.